Arquivo da categoria: direção

São Paulo precisa acordar logo!

Leia o post original por Nilson Cesar

O São Paulo esta ainda na zona de rebaixamento. Entendo que o time não irá cair para a série B, mas precisa acordar logo. O time não está montado, mas fica claro que terá muitas dificuldades até o final da competição. Trata-se de uma equipe que joga sofrendo. Falta futebol, alegria, motivação e pegada para todo grupo. Poucos estão se salvando . A direção do clube está contribuindo e muito para a fase que o tricolor está vivendo. Só acho que têm jogadores em condições de reverter esse momento, mas falta só um pequeno detalhe,  ou seja,  jogar futebol. Dorival Junior é um cara inteligente e experiente. O técnico tricolor já viveu esses momentos em outros clubes e sabe que precisa sair logo da zona de rebaixamento. Vencer o Vasco da Gama na próxima quarta feira no Morumbi virou mais do que obrigação. De gigante que conquista título, o tricolor vive agora uma situação lamentável. Cumpriu a cartilha para chegar a esse momento.

A história do “Soberano” fez muito mal para o São Paulo.

Leia o post original por Nilson Cesar

Jamais gostei daqueles que se sentem superiores aos outros. Isso serve para todos os segmentos da vida. A direção do São Paulo vendeu a história de  que o tricolor do Morumbi é soberano, e melhor que os outros. Isso só serviu para estimular os adversários, e o São Paulo parou no tempo. Faz um bom tempo que não ganha um título importante e dificilmente este ano conquistará alguma coisa. Buscam-se cabeças sempre no Morumbi. O que precisa mesmo é pé no chão, perceber que não é superior a ninguém e rever os seus conceitos. Esse é um bom caminho para o São Paulo recomeçar a conquistar títulos. Alguns jogadores são fracos tecnicamente e Rogério Ceni ainda é inexperiente como treinador. Todos precisam aprender mais e rever conceitos e posições dentro do Morumbi.

Greve no Fluminense

Leia o post original por Pedro Ernesto

Depois de perder para a Chapecoense, contabilizando quatro jogos sem ganhar, os jogadores do Fluminense desembarcaram no Rio e foram recebidos por cerca de 20 torcedores. Fred, capitão do time, publicou nas redes sociais que, se nenhuma autoridade ou mesmo a direção do Fluminense não tomar uma atitude contra aqueles que chama de marginais, vagabundos e escória da sociedade, os jogadores farão greve e não entrarão em campo domingo.

 

Contra o G4

Claro que o Inter tem boa colocação no Brasileiro. No entanto, essa campanha precisa ser entendida. O time de Abel cresce contra os adversários que não são candidatos ao título. Mas no confronto contra os maiores clubes, o retrospecto é muito ruim.

O aproveitamento é de apenas 8% quando se fala de Cruzeiro, Fluminense, Corinthians e São Paulo. Esse é o claro sinal de que o treinador precisa fazer mais. O retrospecto contra o G5 é assustador. Sempre lembrando que o objetivo colorado é ser campeão.

 

Insistências

Abel Braga garante titularidade muito discutível para dois jogadores. Começa por Welington Silva. Cláudio Winck tem desempenho muito melhor, repertório de jogadas e faz gols. Além de ser mais jovem. Mas o técnico insiste com o primeiro. O outro é Rafael Moura. Seu desempenho tem sido muito fraco. Ele se defende, diz que joga muito isolado. Só que Welington Paulista entra em campo e consegue muito mais. Rafael Moura foi duramente vaiado pelos torcedores. Mas nada indica que deva ser retirado do time. Talvez essas duas mudanças, se concretizadas, possam melhorar muito o Inter para conseguir enfrentar os adversários mais poderosos.

 

É demaaaiiis!

Fred dá grande lição aos que lideram o Bom Senso F. C. Quando propõe não entrar em campo, manda um recado às autoridades e aos dirigentes que assistem a episódios lamentáveis de tentativas de agressão aos profissionais de futebol. Existe uma paralisia incompreensível dos que deveriam atuar contra os marginais.

 

É de menos

O Inter joga com dez. Culpa do Rafael Moura, que nada acrescenta. Verdade? Meia verdade. A outra metade está na falta de aproximação. O próprio jogador reclamou que é marcado por três jogadores e não encontra parceria. A forma como o Inter foi montado não brinda o centroavante. Esse é um assunto a ser resolvido por Abelão.

Mudanças radicais

Leia o post original por Pedro Ernesto

Vale para a Dupla.  Sei que o Grêmio foi muito melhor no Brasileirão, que deve ser vice e que o Inter quase foi para o abismo do rebaixamento. Mas, começando pelas necessidades tricolores, é bom saber, para não se surpreender no futuro, que o time tem carências e que o desempenho na tabela é muito melhor do que o do campo.

É tão gritante essa disparidade que Alex Telles, eleito melhor lateral-esquerdo do Brasileirão, não consegue acertar cruzamento e é criticado por muitos gremistas.

Do outro lado, Pará dá contribuição menor do que a necessidade. Os atacantes não fazem gols. Zé Roberto e Elano devem deixar o clube. Falta um meia de muita qualidade. E tem a questão do Renato. A declaração do presidente Fábio Koff, dizendo que não tem pressa para tratar do assunto e há compromissos anteriores, dá ideia de que pode estar pouco disposto a renovar. Os gremistas sabem que, para a Libertadores, é preciso mais.

Inter

No Inter, o time vai para a última rodada sem a certeza matemática que não será rebaixado. Nada funcionou. O fato de jogar fora todo o ano prejudicou muito. Mas há mais. Na defesa, nada sobrou. Laterais, zagueiros e goleiros são contestados.

Espera-se que Alex, agora readaptado ao Brasil, consiga ser de novo o grande jogador. No ataque, estão as grandes soluções: Scocco, Damião, Otavinho e mesmo Rafael Moura, de bom rendimento com Abel Braga. Mas será que esses rapazes, finalmente, jogarão o que acreditamos que joguem?

Empate

O Grêmio será vice brasileiro, com vaga direta na Libertadores se empatar domingo, com a Portuguesa. Que escapa do Z4 se empatar com o Grêmio. Não prego a “marmelada”. Não gosto, acho repugnante. Mas esses fatos aconteceram no futebol, inclusive em Copa. Em 1982, na Espanha. Alemanha e Áustria empataram e se classificaram.

Não ficarei surpreso se os jogadores se cuidarem em campo, dos dois lados, para não sofrer gols, passando a impressão de combinação. Seria o caso de todos lutarem por suas conveniências.

É demais!

Contrastando com sua beleza indescritível, o gramado da Arena deixa muito a desejar. Os administradores do estádio do Grêmio nunca conseguiram um campo de ótima qualidade.

O atacante Walter chegou a dizer que é vergonhoso um time grande como o Tricolor ter um piso de jogo daqueles. Não dá mesmo para entender.

Ganso “abre o bico” e critica postura do Santos! O meio-campista foi ingrato ou apenas falou a verdade?

Leia o post original por Redação Terceiro Tempo

Depois de trocar o Santos pelo São Paulo, Paulo Henrique Ganso decidiu “abrir o bico”.

Em entrevista à TV Globo, o meio-campista criticou a postura da diretoria santista e a atual estrutura que o Peixe disponibiliza para seus atletas.

Mas, espera aí, não foi esta mesma estrutura que abrigou o jogador em suas muitas lesões?

Apesar de parecer curado da mente e do corpo, Ganso ainda guarda mágoas do time que o projetou.

Tenha dó!

Evidente falta de consideração com a mão que tanto lhe ajudou.

Não que seus comentários sejam inverdades, mas o momento não foi dos melhores.

Ganso foi ingrato com o Santos?

Opine!

A crônica sobre o nada

Leia o post original por Ju Brito

[Pós-jogo] Grêmio 1×3 Ceará

Foto: Roberto Vinícius | Agência Estado

Quando o objetivo pobre de escapar do rebaixamento foi cumprido, o ciclo de Celso Roth terminou mais uma vez. Tudo que aconteceu depois disso é medíocre, sonolento e vazio. Não tem nada de Grêmio. O que se viu na derrota desse sábado é o reflexo de um planejamento minado por erros e também de um treinador que não dá nenhum motivo para permanecer em 2012.

Avalie a atuação dos jogadores e do treinador na 36ª rodada.

Os 90 minutos de jogo demonstraram que pedir aos jogadores que pelo menos honrassem a camisa e seus salários seria demais. O desesperado Ceará foi superior durante toda a partida e mereceu o placar. Mas além do mérito de uma equipe bem organizada e motivada, teve a colaboração da péssima fase dos gremistas e da falta de competência para jogar futebol de alguns.

A derrota, as substituições estranhas e a falta de qualidade poderiam trazer consequências óbvias, apontadas todos os dias pelos milhões de gremistas. Por enquanto, vemos a repetição do nada. Caso as mudanças na comissão técnica não sejam feitas, trocar a página do calendário não vai adiantar nada. O ano iniciará com os mesmos objetivos medíocres e frustrados da última década.

Para começar a montar um time que possa disputar títulos, será preciso repensar o grupo com inteligência, optando por aqueles que têm qualidade e não só motivação (nem isso nos restou nesta temporada). São necessárias contratações pontuais e não de figuras marqueteiras. Enquanto a direção se omite ou pensa em alguma mudança, não é possível considerar uma decisão contrária a que torcida implora: “Fora Roth”.




O excluído

Leia o post original por Ju Brito

Foto: Tati Lopes / ClicRBS

A imagem acima é uma representação quase que fiel ao fracasso do Grêmio como clube de futebol em 2011 – e também na última década. Miralles não é nenhuma certeza. Roth também não é o pior técnico do mundo. Mas não me parece correto a forma como o treinador e o clube estão tratando o atacante que prometia ser o mais promissor entre as peças do grupo. A foto explicita a incompetência da direção, a teimosia do treinador e a nossa impotência diante dos problemas.

Quem odeia Roth talvez logo tome as “dores” do argentino. Também não acredito que este seja o caminho. Afinal, ninguém tem uma análise muito precisa da qualidade e potencial do jogador. Miralles teve poucas oportunidades (14 jogos no Brasileirão), mas também pouco mostrou nos minutos em que esteve em campo, provavelmente pela falta de sequência – entre tantos fatores que não estão clarividentes. O que não é admissível para nós é que o Grêmio paga caro para não aproveitar ou nem ao menos testar o jogador.

Surgiram várias especulações quanto a essa relação. E nenhuma delas nos convence. Ao contrário: mostram o quanto acham que somos burros, que não merecemos justificativas. Se é um problema interno muito grave, de mesmo modo, o clube infelizmente não está sabendo administrar, pois Roth cutuca, manda recado ou cala-se na imprensa quando questionado sobre o assunto.

Miralles não é relacionado sequer para o banco, nem treinou na equipe reserva nos últimos dias. Agora deixa a dúvida: se for chamado, fará questão de corresponder, de esforçar-se? Evidente que não é possível saber se ele resolveria a carência ofensiva do time, não nos dão chance para isso. Em breve, com razão ele vai querer seguir seu rumo. E nós ficaremos sem saber se foi mais uma contratação fracassada (e às vezes supervalorizada) ou se foi, além disso, uma vítima das certezas cegas de Roth.

Sobre a Copa das Confederações em Porto Alegre (?) e promessas não cumpridas, deixo a palavra com o Giuliano Vieceli, do blog Grêmio Arena (clique no link): A Arte Da Hipocrisia