Arquivo da categoria: dívidas

Dívidas: A proporção

Leia o post original por Rica Perrone

Na real toda dívida é relativa. Se você deve 40 mil e ganha 30 por mes não é um absurdo impagável a médio prazo. Se você ganha 2 por mes os mesmos 40 se tornam um enorme problema. Por isso fiz uma comparação com a dívida de 2018 e as receitas de 2018. Obviamente considerando…

Dívidas: Dos 12, só Flamengo, São Paulo e Grêmio respiram

Leia o post original por Rica Perrone

  As dívidas dos clubes brasileiros são assunto desde o começo da década de 2000, quando isso se tornou público de forma mais clara. Se comparada a receita, algumas dívidas que parecem aumentar apenas se sustentaram. Mas a grosso modo, todo mundo subiu o que deve. Dos 12 grandes, Flamengo, São Paulo e Grêmio tem…

Presidente admite dívida com dois, mas outros atletas cobram o Corinthians

Leia o post original por Perrone

Roberto de Andrade afirmou nesta quinta (26) ao canal Fox Sports que o Corinthians deve luvas apenas para Jô e Gabriel entre os jogadores do elenco. Em seguida, disse que com o volante está tudo praticamente em dia. Porém, internamente, os estafes de pelo menos mais dois atletas cobram o clube: Jadson e Pedrinho.

Em ambos os casos os valores alegados são referentes a luvas. Em relação a Jadson, a cobrança feita junto à diretoria é de parte de uma parcela que deveria ter sido paga logo após o retorno dele ao time, no início do ano, e outra vencida em outubro. Com Pedrinho a conta é de três parcelas de luvas atrasadas.

Além das luvas, são contabilizadas comissões que não teriam sido pagas aos agentes dos dois jogadores.

A assessoria de imprensa do Corinthians afirmou que o clube não comentará o assunto e que se há algum problema os empresários entram em contato com a diretoria. Emerson Piovezan, diretor financeiro, e Flávio Adauto, diretor de futebol, não responderam até a publicação deste post às mensagens enviadas pelo blog.

Integrantes dos estafes de Jadson e Pedrinho também não quiseram dar entrevista sobre o tema.

O “menor” momento do Botafogo

Leia o post original por Rica Perrone

Quando um assunto me deixa muito próximo de ser um pessimista profeta do apocalipse, costumo ignora-lo.  Assim tenho feito com o Botafogo desde a volta a série A em 2015. Porque não gosto de falar de problemas enquanto todos comemoram, porque acho que as férias podiam trazer boas surpresas, porque sempre espero algo melhor. Mas …

Nobre é orientado a não gastar com contratações luvas pagas pela Globo

Leia o post original por Perrone

Em reunião na noite desta quarta-feira, o COF (Conselho de Orientação e Fiscalização) do Palmeiras recomendou que o presidente Paulo Nobre use as luvas pagas pela Globo pela renovação do contrato de transmissão do Campeonato Paulista apenas para quitar dívidas.

O temor dos membros do órgão é que a diretoria gaste os cerca de R$ 20 milhões desembolsados pela emissora em contratações para a próxima temporada. Atualmente, existe uma insatisfação entre ‘cofistas’ e até em parte dos conselheiros situacionistas com as mais de 20 contratações feitas para 2015. A crítica é que a direção gastou muito, incluindo comissões para empresários, inflacionou a folha de pagamento e que o time, apesar de poder ser campeão da Copa do Brasil, não justifica o investimento.

De acordo com balancetes do clube, em fevereiro, eram gastos com 80 jogadores profissionais R$ 4,8 milhões em salários. Em setembro, a despesa foi de R$ 5,9 milhões com 72 atletas. Vale lembrar que nessa conta estão muitos que não são aproveitados no elenco principal.

Já o gasto com a comissão técnica saltou de R$ 646,1 mil para R$ 1,2 milhão no mesmo período.

Há preocupação do COF também pelo fato de o clube precisar de pelo menos mais R$ 12 milhões para honrar seus compromissos de fim de ano no departamento de futebol.

Pelo estatuto palmeirense, o presidente não é obrigado a seguir as recomendações do órgão. Mas, ir na contramão dele é garantia de problemas políticos.

 

Para amenizar dívida, SPFC tenta vender bilheteria de 2015 para empresa

Leia o post original por Perrone

A diretoria do São Paulo negocia antecipar suas receitas com a venda de ingressos em 2015 para pagar dívidas bancárias. Segundo a diretoria do clube, uma empresa francesa, ligada à brasileira Ingresso Fácil, iniciou as tratativas.

A ideia dos são-paulinos é calcular o valor provável que o time arrecadará com bilheteria até o final do ano e pegar essa quantia antecipadamente da empresa, que cobrará juros pela operação. Quando a receita com a venda de tíquetes durante atemporada atingir o valor acertado, o São Paulo volta a ficar com o dinheiro da comercialização de entradas. O valor da operação ainda não foi definido.

Segundo, Oswaldo Vieira de Abreu, diretor financeiro tricolor, o dinheiro será usado para quitar dívidas bancárias, e os juros cobrados serão menores do que os pagos atuallmente. “Está muito no início, mas, se a negociação for concretizada, será uma economia brutal para o São Paulo”, declarou o dirigente.

A direção tem demonstrado extrema preocupação com a situação financeira do clube. Em recente entrevista, Carlos Miguel Aídar afirmou que, em média, o São Paulo teve um déficit mensal de aproximadamente R$ 7 milhões em 2014. No ano inteiro, o prejuízo deve ser de carca de R$ 84 milhões.

Clubes brasileiros podem fechar as portas por conta de suas dívidas milionárias! Quem dera o único problema do nosso futebol fosse o pensamento ultrapassado dos nossos técnicos!

Leia o post original por Milton Neves

Após o vexame diante da Alemanha, a ordem no futebol brasileiro é que aconteça uma renovação.

Mas, honestamente, quem dera o pensamento ultrapassado dos nossos técnicos fosse o único ou o maior problema do nosso esporte.

Na última sexta-feira, a presidente Dilma Rousseff se reuniu com representantes de 12 clubes da Série A e uma antiga e preocupante dificuldade voltou à tona.

O valor da dívida dos nossos clubes cresce a cada dia, e não é loucura imaginar que em um futuro não muito distante alguns deles tenham que fechar as portas.

O Botafogo, o segundo que mais deve no Brasil, já até ameaçou deixar o Brasileirão por conta de suas receitas estarem bloqueadas.

Os dirigentes, claro, pedem que Dilma Rousseff prorrogue o prazo que as agremiações têm para quitar os seus débitos com a União.

Mas não seria mais fácil que os clubes usassem o dinheiro que recebem de patrocínio e da cota de TV, que é MUITO, com um pouco mais responsabilidade?

Que apostem na base e, assim, deixem de pagar salários altíssimos para medalhões que já deram o que tinham que dar.

Com isso, seria amenizado o problema financeiros dos clubes e também ajudaria na tal renovação do nosso futebol.

Veja abaixo o gráfico publicado pelo Estadão na última sexta-feira, 25, com o ranking dos clubes que mais devem no país:

Grfico

Opine!

Diretor corintiano fica na berlinda após confirmar dívidas com atletas

Leia o post original por Perrone

Durante a crise corintiana, o diretor financeiro Raul Corrêa da Silva virou vidraça. Na última reunião do Cori (Conselho de Orientação do clube), ele foi duramente cobrado por confirmar publicamente dívida com alguns jogadores (entre eles Pato). E também por causa da forma como apresentou as contas referentes a 2013. Em meio a diálogos ríspidos, o balanço do ano passado não foi aprovado pelo Cori, que aguarda a apresentação de novos documentos.

As cobranças foram feitas por Alexandre Husni, presidente do Cori. Ele reclamou durante a reunião de o diretor financeiro ter negado em sessão anterior do órgão que o clube devesse para atletas. Depois, porém, disse ao portal Espn.com.br que havia direitos de imagem atrasados, surpreendendo membros do Conselho de Orientação. Raul respondeu à cobrança dizendo que o Cori havia perguntado sobre salários, não em relação direitos de imagem. A resposta não agradou ao presidente do órgão.

Em referência ao balanço de 2013, o Cori entendeu que faltaram documentos principalmente para explicar como o déficit que já era de R$ 9,3 milhões em setembro, segundo dados publicados no site alvinegro, virou superávit de pelo menos aproximadamente R$ 1 milhão em dezembro.

O blog não conseguiu entrevistar Raul e Husni, mas ouviu quatro participantes da reunião que relataram as cobranças sobre o diretor financeiro.

Quem defende o responsável pelas finanças corintianas afirma que ele virou vítima de ataques políticos por ser um dos possíveis candidatos à presidência do clube. A eleição deve acontecer entre dezembro e janeiro.

Falta de grana atrapalha até obra em ginásio corintiano

Leia o post original por Perrone

A falta de dinheiro no Corinthians prejudica até obras no Parque São Jorge. É o caso da reforma do ginásio do clube, com custo superior a R$ 1 milhão.

O local usado por diversas modalidades, como o futsal, teve a conclusão de suas obras ameaçadas depois de o departamento financeiro do clube avisar outras diretorias que não há mais dinheiro para pagar serviços no Parque São Jorge.

O blog apurou que o presidente Mário Gobbi  convocou diretores para uma reunião nesta quarta a fim de definir o que pode ou não ser pago.

No caso do Ginásio, estão sendo feitos trabalhos estruturais, além da troca do piso.

Torneiras fechadas significam pressão sobre o diretor financeiro, Raul Corrêa da Silva. Ele é criticado por conselheiros e até por gente da diretoria. Seus detratores lembram que o cartola se acostumou a alardear as gigantescas receitas do clube. E que agora o diretor comanda um rigoroso aperto de cintos. O blog telefonou para Raul durante esta quarta, mas seu celular estava desligado.

Recentemente, em entrevista à Espn, Raul admitiu atrasos em pagamentos a jogadores e explicou parte das dívidas pelo fato de o clube aparecer como devedor no Cadin (Cadastro Informativo de créditos não quitados do Banco Central). O problema impediu o recebimento de parcelas do antigo contrato com a Caixa e do novo, que não foi assinado por conta desse obstáculo.

A situação foi regularizada e até sexta deve ser assinado o novo acordo com a Caixa. Entrarão imediatamente na conta do clube cerca de R$ 6 milhões do patrocinador. Esse dinheiro somado a R$ 4,4 milhões da venda de Edenilson para a Udinese será suficiente para resolver as pendências com atletas, mas a situação continuará apertada.

Apesar de o imbróglio com o Cadin ser recente, os apuros financeiros acontecem pelo menos desde o segundo semestre do ano passado. Conforme apuração do blog, em setembro do ano passado o alvinegro pediu uma antecipação de cotas da Globo. A solicitação foi feita após o Corinthians ser procurado pela emissora para antecipar a renovação do contrato de transmissão dos jogos.

Na ocasião, o Corinthians discutiu a antecipação de aproximadamente R$ 12 milhões referentes ao contrato atual. Precisava da verba para acertar compromissos como prêmios pela conquista da Recopa, em julho.

No entanto, quatro meses antes de negociar o adiantamento, o alvinegro divulgou seu relatório de sustentabilidade com faturamento de R$ 358,5 milhões em 2012. Agora, conselheiros cobram a direção para explicar a mudança na maré.