Arquivo da categoria: Douglas

Que curiosa relação existe ali, hein?

Leia o post original por Craque Neto 10

Acho que vou morrer e ainda assim não vou ver de tudo nesse futebol. Tem coisas que por serem aparentemente irrelevantes passam desapercebidos aos olhos da maioria das pessoas. Mas na verdade tem uma tremenda importância para outras. Veja o curioso caso de relacionamento recente entre Corinthians e Fluminense. No meio do ano passado a diretoria do Sr. Andrés Sanchez anunciou a contratação do volante Douglas. Oficialmente o Timão teria pago ao Flu quase R$ 5 milhões por esse rapaz. Não deu nem seis meses e ele foi emprestado de graça ao Bahia. De graça não! Deve ter parte dos […]

Oposição corintiana critica contas e fala em gasto de R$ 20,6 mi com Araos

Leia o post original por Perrone

Na noite deste sábado (13), o Movimento Corinthians Grande (MCG), uma das alas oposicionistas no clube, divulgou em suas redes sociais manifesto se posicionando contra a aprovação das contas referentes a 2018. O balanço será votado na próxima segunda (15). O grupo alega falta de informações sobre os números relativos à arena alvinegra no relatório financeiro para justificar sua posição. Porém, cita preocupação com os gastos na aquisição de jogadores e aponta um investimento de R$ 20,6 milhões em Ángelo Araos, que veio da Universidad de Chile e é pouco aproveitado por Fábio Carille. Os opositores também cravam que o alvinegro desembolsou R$ 52,9 milhões na aquisição de atletas em 2018.

Apesar de pedir a reprovação do balanço, o MCG afirma que a apresentação dos números operacionais foi “detalhista, acompanhada de parecer de uma renomada auditoria sem ressalvas”, além de terem sido aprovados pelos conselhos fiscal e de orientação por unanimidade. Os oposicionistas também escreveram que “não há nada que sugira qualquer deslize de conduta. Entretanto, os números mostram preocupantes problemas de gestão, que nos obrigam a ser cada vez mais vigilantes”.

Matias Antonio Romano de Ávila, diretor financeiro corintiano, não confirmou os números apresentados pelos oposicionistas e disse que não pode se manifestar “antes da aprovação” do balanço. “Será aprovado com louvor, pois está tudo demonstrado com a maior transparência. Esta chapa será sempre oposição à atual administração”, declarou o dirigente. Na última eleição, vencida por Andrés Sanchez, o MCG lançou Felipe Ezabella como candidato à presidência.

O MCG diz que “a despeito de nossa justa posição financeira, foram realizados diversos investimentos em atletas”. Além de Araos, o comunicado descreve gastos de R$ 9,8 milhões com Richard, reserva do time, e de R$ 6,6 milhões com Douglas, emprestado ao Bahia. Também foram relacionadas compras de parcelas dos direitos federativos de Juninho Capixaba (R$ 6 milhões), Mateus Vital (R$ 5,5 milhões), Marllon (R$ 2,3 milhões) e Fessin (R$ 2 milhões). Nenhum valor foi confirmado pelo diretor financeiro.

Arena

Os opositores dizem não existir motivos para a não apresentação de informações sobre os números do estádio alvinegro no balanço. E sustentam que em 2018 o clube gastou quase R$ 8 milhões acima do previsto com a arena. Isso sem contar a receita obtida com bilheteria.

Ávila respondeu assim: “em relação aos custos e compromissos da Arena, eles não passam pelo balanço do clube. São administrados pelo fundo da arena, não pelo Clube.
Em relação a custos da Arena estavam orçados R$ 23 milhões, mas foram gastos menos de R$ 8 milhões. Exemplos de gastos: gramado, sócio-torcedor e outras atividades que não têm nada a ver com jogos”.

Abaixo, lei na íntegra o comunicado do MCG.

“Neste dia 15 de abril, o Conselho Deliberativo do Corinthians se reúne para votar as contas do clube relativas à 2018.
Desde já, o Movimento Corinthians Grande se manifesta CONTJRA a aprovação das contas pela completa falta de informações sobre os números da Arena Corinthians no Balanço Financeiro de 2018.
Não há sequer UMA justificativa para a não prestação das contas da Arena Corinthians aos conselheiros, associados, torcedores e patrocinadores.
Queremos registrar que a apresentação dos números operacionais foi detalhista, acompanhada de parecer sem ressalvas de uma renomada auditoria, além de pareceres do conselho fiscal e do CORI, aprovados por unanimidade.
Não há nada que sugira qualquer deslize de conduta. Entretanto, os números mostram preocupantes problemas de gestão, que nos obrigam a sermos cada vez mais vigilantes.
Listamos aqui:
1. Arena
O MCG, com frequência, envia ofícios de solicitação de informações analíticas da Arena, apresentação prometida até em reuniões do conselho e nunca exibidas.
As notas explicativas apresentam um resumo que não permite projeções sobre a saúde e condições efetivas de honrarmos nossos financiamentos da arena.
Uma das propostas primordiais da Arena Corinthians era a de não necessitar recursos do clube, a não ser o de bilheteria. Como se pode ler nas notas explicativas, não é o que está acontecendo. Em 2018, a arena custou para o clube quase R$ 8 milhões a mais do que o combinado.
2. Despesas
Apesar das frequentes declarações da diretoria executiva sobre a redução e contenção de despesas, a realidade de 2018 mostra-se BEM distinta.
Se compararmos 2018 com 2017, as despesas de “pessoal” no futebol subiram 11%; as de “serviços de terceiros” cresceram 22%. Na linha de “gerais administrativos”, o valor subiu 36%.
No clube social, as despesas de “pessoal” cresceram 11%; as de “serviços de terceiros” subiram 7%. Os gastos com “gerais administrativo” tiveram um aumento de 19%.
É inaceitável.
3. Investimento em atletas
A despeito de nossa justa situação financeira, foram realizados diversos investimentos em atletas.
Os exemplos foram as negociações dos atletas Ángelo Araos (R$ 20,6 milhões); Richard Coelho (R$ 9,8 milhões) e de Douglas (R$ 6,6 milhões), além das aquisições de parcelas dos direitos federativos de Juninho Capixaba (R$ 6 milhões); Mateus Vital (R$ 5,5 milhões), Marllon (R$ 2,3 milhões) e Fessin (R$ 2 milhões). O total destas aquisições foi de R$ 52,9 milhões.
Esses investimentos preocupam ainda mais a partir do momento que o custo atletas/receitas gira em torno de 80%, delicado número para quem optou pela Lei do Profut. O Profut é importante porque refinancia os débitos dos times com o Governo Federal.
4. Resultados
Como consequência da não adequação das despesas, o déficit ajustado do clube, hoje, alcança R$ 40,5 milhões – equivalente a 10% da receita operacional.
5. Endividamento
Como resultado do excesso de despesas e investimentos, nosso endividamento sofreu forte impacto, que inclusive nos levou a considerar obter empréstimos de agentes de jogadores.
Carlos Leite e Giuliano Bertolucci continuam sendo nossas fontes financiadoras! (Nota do blog: o atual diretor financeiro nega que em sua gestão tenham sido feitos empréstimos com empresários.)
Baseados nos fatos descritos no balanço, mesmo reconhecendo a acuidade técnica da apresentação, o Movimento Corinthians Grande se manifesta CONTRÁRIO à aprovação das contas.
O Corinthians não pode conviver com orçamentos não cumpridos.Temos uma arena a pagar. É preciso austeridade e transparência”.

De Paulinho a Messi. Com quem as promesssas brasileiras se dizem parecidas

Leia o post original por Perrone

Colaboraram Dassler Marques e Vinicius Castro, do UOL em São Paulo e no Rio de Janeiro

Vinícius Júnior (Flamengo), Pedrinho (Corinthians), David Neres (Ajax), Luiz Araújo (São Paulo), Douglas (Fluminense)… A lista de jovens promessas do futebol brasileiro atualmente é extensa. Apesar do recente fracasso da seleção brasileira Sub-20, que não conseguiu se classificar para o Mundial, o momento das categorias de base no país é promissor.  O que explica essa fartura acima da média dos últimos anos?

Em busca dessa resposta e de conhecer melhor atletas tratados como joias por seus clubes, o blog entrevistou cinco jovens que geram grande expectativa em suas equipes: o flamenguista Vinícius Júnior, 16 anos, artilheiro e melhor jogador do último Sul-Americano Sub-17 e alvo do Real Madrid, o meia corintiano Pedrinho, 19 anos, destaque da última Copa São Paulo, o atacante são-paulino Luiz Araújo, 20 anos e por quem o Lille da França ofereceu, sem sucesso, 7 milhões de euros, Alan Guimarães, 17 anos e também destaque da seleção brasileira sub-17 campeã sul-americana neste ano, e o volante do Fluminense Douglas, 20 anos, outro que desperta o interesse de europeus.

Leia as entrevistas abaixo.

Qual jogador foi sua maior fonte de inspiração para seguir a carreira?

Alan Guimarães – “Minha maior inspiração acho que são os jogadores brasileiros, Ronaldinho, Rivaldo, Ronaldo. Quando era criança, eu via muito os jogos deles pela TV e ficava impressionado com o que eles mostravam”.

 Douglas – “Cresci vendo o Paulinho, volante da seleção brasileira, jogando muito pelo Corinthians.  Por tudo que ele passou e depois conquistou, sem dúvida ele foi o jogador que me inspirou para que eu seguisse firme em busca dos meus sonhos na minha carreira”.

Luiz Araújo – “Nunca tive um jogador em quem sempre me inspirei mesmo, mas sempre olhei para os melhores. Messi, Ronaldinho Gaúcho, sempre os melhores”.

Pedrinho – “Messi”.

Vinícius Júnior – “Quando eu era muito pequeno, e já gostava de futebol e começava a me interessar, adorava ver o Robinho jogar. Era o jogador que vivia melhor momento no Brasil, o mais falado, e chamava a atenção o modo dele jogar, de muita habilidade. E as pedaladas me marcaram muito também”.

Com o estilo de qual jogador acredita que seu estilo é mais parecido?

Alan – Pra mim é uma felicidade imensa ser brasileiro e tentar fazer o que eles (Ronaldinho, Rivaldo e Ronaldo) já fizeram na carreira deles. Agora vou em busca do meu sonho que é tentar chegar no nível deles”.

Douglas – “Acho que meu estilo de jogo se parece com o do Paulinho. Este ano estou tendo oportunidade de jogar mais solto como ele joga, mas sempre com a responsabilidade defensiva também. Temos um poder de marcação muito forte, uma qualidade grande no passe e o poder de chegar ao gol para marcar”.

Luiz Araújo – “Como sou um jogador de ponta, de velocidade, creio que meu estilo de jogo é parecido meio com o do Robben, do Ribéry, do Eden Hazard, que são jogadores que jogam pela beirada do campo”.

Pedrinho – “Eu sempre me inspirei no Messi. Tento pegar um pouco de cada coisa que ele faz. Tento ver os vídeos dele pra aprender cada dia com ele, seja lá me posicionando, driblando e com os passes”.

Vinícius Júnior – “Minha geração está crescendo vendo o Neymar, mas não acho legal fazer comparações. Cada jogador tem o seu estilo, mas também gosto de partir pra cima, de tentar o drible, de propor o jogo… Isso já é meu desde muito pequeno, desde o salão”.

Você pertence a uma safra de jogadores que é uma das com maior número de atletas promissores do futebol brasileiro. Na sua opinião, o que motivou essa grande quantidade de jovens talentosos?

Alan – “Na minha opinião a estrutura do clube ajuda bastante, tendo um campo bom, academia, uma alimentação boa que não vai prejudicar o atleta. Isso acho que é uma coisa essencial nos clubes que vai ajudar bastante o jogador de base chegar ao profissional. Mas não tendo isso no clube, acho que o jogador tendo talento e cabeça boa ele também possa chegar ao profissional. Tendo o talento que todos os jogadores da nossa geração têm, que eu acho que são jogadores de muita qualidade, mesmo sendo da base já têm experiência em campeonatos sul-americanos, nacionais, isso é uma das melhores coisas que podem fazer a nossa geração ser uma das mais fortes do Brasil e até do mundo”.

Douglas – “Acho que o trabalho de base vem sendo muito bem feito nos clubes, com grandes investimentos e aproveitando os atletas cada vez mais no elenco principal. Os campeonatos são muito disputados, com grandes times, vários talentos individuais se destacando e isso enriquece o nosso futebol.  A seleção brasileira está sempre conquistando os torneios que disputa e acho que isso é motivador para os jovens que estão buscando suas oportunidades”.

Luiz Araújo – “Fico muito feliz por essa geração ter muitas jovens promessas para o futebol. Isso mostra que os clubes estão valorizando muito a base, estão olhando com atenção para base. Então, espero que surjam muito mais promessas, muito mais garotos para que o futebol brasileiro só venha a crescer”.

Pedrinho – “Acho que o futebol vem evoluindo a cada dia, e os jovens hoje em dia vêm se dedicando cada dia mais a aprimorar seus fundamentos desde cedo, isso faz com que muitos se destaquem”.

Vinícius Júnior – “É a evolução do futebol. Vejo que o Brasil evolui a cada dia na parte tática e, com isso, a habilidade do jogador brasileiro, que é o que temos de melhor, acaba se sobressaindo. Nunca deixamos de ter bons jogadores. Acho que o momento da seleção brasileira ajuda também. Todos passam a olhar pra nós como o país do futebol novamente.”

Quando espera disputar sua primeira Copa do Mundo?

Alan – “Acho que primeiro tenho que pensar em chegar ao profissional. Trabalhar firme fazer um bom papel e a consequência virá se chegar à seleção brasileira e disputar a Copa do Mundo. Isso pra mim vai ser um sonho e acho que em 2022 posso estar representando a seleção brasileira numa Copa do Mundo. Pra mim vai ser um sonho realizado, um sonho meu e da minha família”.

Douglas – Jogar uma Copa do Mundo é o sonho de qualquer jogador de futebol, mas não gosto de fazer planos.  Prefiro focar no meu trabalho e dar o melhor de mim para o sucesso do meu time. Tive a oportunidade de ser convocado para a seleção de base e isso é muito gratificante. Sei que vestir a camisa da seleção brasileira é consequência de um bom trabalho feito no clube, então o meu foco total é no meu dia a dia para que as coisas venham a acontecer de forma positiva”.

Luiz Araújo – “É um sonho, todo jogador sonha em disputar uma Copa do Mundo e ganhar. Espero ser o mais rápido possível. Espero continuar trabalhando e quando o treinador da seleção achar que estou pronto, tenho certeza que vai me convocar, e eu espero poder ajudar o Brasil a ganhar uma Copa, seria um sonho realizado.”

Pedrinho – “O futuro a Deus pertence. Vou trabalhar forte agora, fazer meu trabalho pra me destacar pra em um futuro próximo poder pegar uma seleção brasileira e logo jogar uma Copa do Mundo.”

Vinícius Júnior – “É muito cedo pra dizer. Tenho que dar um passo de cada vez”.

Maicon e Douglas comandam o Grêmio rumo ao título

Leia o post original por Fernando Sampaio

Maicon e Douglas comandam o Grêmio rumo ao título

Inter caindo e Grêmio campeão.

O gremista está em êxtase.

Maicon e Douglas comandaram o time de Renato Gaúcho.

Muricy começou o comentário no Sportv elogiando Maicon. Conheço e concordo com sua opinião sobre o atleta. Quando o jogo aperta Maicon não foge, assume, aparece, encosta, ajuda, toca…  Maicon foi titular com Ney Franco, Muricy, Milton Cruz, Roger,  Renato…

Normal, tem qualidade técnica, passe e visão de jogo.

O torcedor leigo não enxerga isso. Aliás, existem muitos deles atualmente no Morumbi. Não era assim. Dario Pereira levou anos para dar certo. O são-paulino tinha tradição de conhecer futebol. Pena. Hoje o São Paulo é apelidado de “Cemitério” entre profissionais.

Vários jogadores e treinadores estão sendo enterrados ali nos últimos anos. Estão saindo e conquistando títulos fora do clube. Jadson e Maicon, últimos campeões pelo São Paulo, são dois bons exemplos. Os cornetas pegavam no pé. Jadson saiu, virou artilheiro e campeão brasileiro. Maicon vai levantar mais um título na carreira.

Os cornetas diziam que Muricy não ganhava mata-mata.

Piada, saiu e foi campeão da Libertadores !

Ricardo Gomes fez besteira ao deixar o Botafogo onde foi campeão.

Disse isso quando foi contratado.

Voltando a final da Copa do Brasil, Bassols continua fraco. A expulsão do Pedro Rocha foi ridícula. Não adiantou nada ser caseiro. O Grêmio atropelou. O Galo reza pela Zebra.

Já era.

Duvida?

 

Grêmio mostra força na vitória sobre o Santos

Leia o post original por Antero Greco

Meu amigo,o Grêmio tomou um susto e tanto no jogo com o Santos. Depois de abrir vantagem por 2 a 0, e jogando melhor, cedeu empate quase no final do jogo, em Porto Alegre. Mas teve tempo para marcar o terceiro, ganhar, saltar para a vice-liderança, com 21 pontos, um à frente do Inter, seu adversário de domingo.

Foi um jogo muito interessante, pela movimentação do placar e pela postura dos times. Do Grêmio, sobretudo. Roger continua com problemas na zaga, com um entra e sai danado e até com jovens inexperientes na reserva. Em compensação, o meio-campo funcionou, o ataque apareceu, os alas colaboraram. E o Santos esteve abaixo dos últimos jogos. Tempero perfeito para abrir folga no marcador – com Giuliano, com menos de três minutos, e com Douglas aos 44 do primeiro tempo.

Folgado, tranquilo, três pontos garantidos? Nada disso. O Santos despertou na fase final – e ainda contou com cochilos do Grêmio. Mesmo sem Lucas Lima inspirado (ao contrário, esteve nervoso e se desentendeu com Edilson), foi à frente, diminuiu com Copete aos 19 minutos e empatou com lindo gol de Zeca aos 38. Antes que caísse o silêncio total na Arena, Marcelo Hermes acabou com a farra santista, fez o terceiro aos 44 e fechou a conta.

Valeu ver o Grêmio ligado na primeira parte do clássico. Não foi dispersivo na marcação, bloqueou, fechou espaços, trocou passes, foi ao ataque. O problema ficou para a segunda metade, quando sentiu o ritmo inicial e relaxou. Mas mostrou poder de reação para vencer. De novo, embola a briga no topo da classificação.

 

 

Olhe pra cima, Santos!

Leia o post original por Odir Cunha

Desde as priscas eras Santos e Grêmio fazem bons jogos em Porto Alegre, e o Alvinegro Praiano, volta e meia, consegue uma boa vitória contra o tricolor gaúcho. Hoje os dois times voltam a se encontrar, às 19h30, e a vitória pode levar o Santos para a liderança do Campeonato Brasileiro. O time está jogando bem, motivado, e pode, sim, conseguir os três pontos. Só não pode se contentar com o empate e ficar tocando a bola de lado. Pode até ser mais defensivo, às vezes, mas com uma mentalidade ofensiva.

O Grêmio vai atacar, correr, entrar decidido nas divididas e tentar encher a área santista de cruzamentos. Esse é o jogo do time do Sul. Não tem criatividade e nem craques, mas se entrega à partida com ardor. Sabendo usar os espaços que surgirão, o Santos pode repetir o que fez o Vitória e voltar de Porto Alegre com um triunfo fundamental para a busca do título. Vale a pena acreditar nisso.

O técnico Dorival Junior poderá repetir o time que fez boa partida contra o São Paulo: Vanderlei, Victor Ferraz, Luiz Felipe, Gustavo Henrique e Zeca; Renato, Thiago Maia, Vitor Bueno e Lucas Lima; Gabriel e Rodrigão. Trata-se de um bom time, com problemas nas bolas altas cruzadas na área, mas com um ataque perigoso e um meio de campo acima da média, que fica ainda melhor com a entrada de Yuri.

O jogo do Grêmio é organizado pelo veterano Douglas, um jogador com ótimo passe, mas com pouca mobilidade. Acho que o Santos tem de ser humilde e marcá-lo em cima. Dele saem a maioria das jogadas de ataque do tricolor. O técnico, Roger Machado, deverá escalar seu time com Marcelo Grohe, Edílson, Fred, Rafael Thyere e Marcelo Oliveira; Walace, Jaílson, Giuliano, Douglas e Éverton; Luan.

Não gosto de falar de arbitragem, ainda mais antes da partida, mas em jogos no Sul é preciso tomar cuidado com o excesso de entusiasmo dos gremistas, que costumam chegar forte demais em algumas jogadas. O jogo será arbitrado por Eduardo Tomaz de Aquino Valadão (GO-ASP-FIFA), auxiliado por Alessandro A Rocha de Matos (BA-FIFA) e Bruno Raphael Pires (GO-FIFA). Boa sorte para eles. Que vença o melhor!


Paulo Bento resiste ao Cruzeiro?

Leia o post original por Antero Greco

Paulo Bento chegou recentemente ao Cruzeiro, não tem dois meses de Brasil e ainda está a adaptar-se à vida em Belo Horizonte. Talvez, a esta altura, o gajo esteja a pensar: “Que raios vim fazer aqui, opa?”

Se isso passar pela cabeça dele, não é nenhuma anormalidade. E faz sentido. O ex-treinador da seleção de Portugal encarou a aventura por aqui disposto a fazer a América. Mas, ao menos por enquanto, quebra a cara.

Ou então caiu no conto do vigário. Vai ver lhe venderam um Cruzeiro forte, competitivo, como aquele do bicampeonato nacional de 2013 e 2014. E Paulo Bento acreditou. Só que agora, passadas algumas rodadas, percebeu que o desafio será maior, muito maior, do que poderia prever.

O Cruzeiro não encontra rumo, está fora do prumo, despenca pelas tabelas, ou pela tabela da Série A. Numa situação inédita, se a memória não é traiçoeira, segura a lanterna. São só 8 pontos, menos de um por rodada, ou duas vitórias, dois empates e cinco derrotas. O ataque marcou 8 gols, a defesa sofreu 14.

Vá lá que a situação não chega a ser dramática, por vários motivos. O primeiro deles: faltam 29 rodadas até o final da competição. Muita grama pela frente. Segundo: o equilíbrio continua grande e há mais quatro companheiros de infortúnio com mesma pontuação: Coritiba, Sport, Botafogo e América. O Coritiba tem 9 pontos, o Vitória 10, o Santa Cruz 11. Ou seja, todo mundo muito perto do céu, do purgatório e do inferno.

Inferno foi o que o Cruzeiro viveu, em novo capítulo, na noite deste domingo, em Porto Alegre. Até que Paulo Bento tentou segurar ao menos o empate e colocou o time bem fechado. Deu certo por um tempo, ao segurar o tricolor. Mas começou a desmoronar no gol de Luan, aos 42 minutos do primeiro tempo. E foi a nocaute com o de Douglas, no início da etapa final. Para complicar, De Arrascaeta perdeu pênalti.

A mistura de complicadores é grande, vai de azar à qualidade do elenco. A questão é: Paulo Bento resiste a novas tempestades no Cruzeiro? A diretoria logo apelará para a saída tradicional da dispensa. Ou, ao contrário, pode ser ele quem demita o Cruzeiro, pegue o boné, levante velas e leve a caravela dele volta pra Portugal?

Vai saber….

 

Grêmio tem o vacilo do ano contra a Chape

Leia o post original por Antero Greco

O Inacreditável costuma aprontar no futebol. E se divertiu em Porto Alegre, na tarde deste domingo, com os 3 a 2 da Chapecoense, de virada, sobre o Grêmio. O tricolor gaúcho foi protagonista do maior vacilo da temporada – e, o que é pior, em casa. A equipe catarinense, por conseguinte, festeja a proeza mais espetacular da competição. E aumenta chance de escapar da degola.

O que se viu na Arena foi empolgante, para torcedores da Chape, para colorados e para quem gosta do futebol em geral e não torce para nenhum desses times. E angustiante para a torcida gremista. Não pode bobear dessa maneira uma equipe que, mesmo à distância de 9 pontos do líder (antes do início da rodada), dizia acreditar na possibilidade de título. Inaceitável.

O Grêmio fez o que se esperava dele no primeiro tempo: dois gols e postura altiva. Douglas abriu o placar aos 5 e Bobô aumentou aos 33. Estava aí a fórmula para outra vitória e o cumprimento da promessa de jogar até o fim com fé em revertério na ponta da tabela.

Mas o Grêmio dormiu em cima da vantagem parcial, caiu no conto do vigário de achar que a Chapecoense estava entregue, estragada e estagnada. Entrou pelo cano, sobretudo por erro de avaliação.

Primeiro veio o gol de Túlio de Melo aos 9 do segundo tempo. Bom, imaginaram os tricolores, é só uma tentativa de reação. Mais tarde, aos 33, o mesmo Túlio empatou. Daí, bateu preocupação e veio a correria para recuperar a vantagem. E, com a correria, a armadilha: o Grêmio deu espaço para o contragolpe e Apodi, aos 50 minutos, fez o terceiro.

Coisa de provocar enfarte para torcidas dos dois clubes. Mas, com uma vantagem para os catarinenses – o sorriso deste tamanho. E com uma desvantagem para os gremistas – cara fechada até o resto do ano.

Acontece. Mas não deveria.

O criador

Leia o post original por Rica Perrone

O Brasileirão 2015 está muito bom. E uma das “novidades” no campeonato em relação aos anos anteriores é a volta dos meias que armam o jogo.  Destes, Jadson é destaque absoluto. Uma das estatísticas mais interessantes da Opta Sports é o “Oportunidades criadas”. Consideram chances de gol que um jogador criou através de um passe, […]

Grêmio continua a sonhar alto

Leia o post original por Antero Greco

O título parece bem distante, mas não custa para o Grêmio sonhar nas 12 rodadas que restam até o fim da temporada. A esperança de ao menos terminar em segundo lugar faz com que mantenha ritmo intenso, como na vitória por 2 a 1 sobre o Atlético-PR no início da noite desta quarta-feira, em Curitiba. Com outro resultado positivo, foi a 48 pontos e encostou no Galo. Lá adiante está o Corinthians, inalcançável, mas…

O Grêmio que falhou em casa diante do São Paulo recobrou o espírito guerreiro no Couto Pereira (o Furacão não jogou em casa). Além disso, contou com atuação acima da média de Luan, que deu o passe para o primeiro gol (Douglas aos 31 da primeira etapa) e fez o segundo, aos 2 minutos da segunda fase. Evandro descontou aos 32 minutos.

A exibição do tricolor não foi brilhante, porém consistente e suficientemente equilibrada para passar pelo Atlético. A defesa esteve bem (embora um erro de Marcelo Oliveira quase vira gol), o meio-campo segurou a turma local e Luan desequilibrou na frente.

A sequência do Grêmio é tão complicada quanto a dos demais. Mas, se fica difícil emparelhar com o Corinthians (e a boa chance de encurtar caminho foi no empate da semana passada, em São Paulo), ao menos dá para ultrapassar o Atlético-MG na reta decisiva.

Pode não ser muito, mas vale, por vários aspectos: 1 – consolida a reviravolta pra cima com a chegada de Roger Machado ao comando; 2 – garante vaga direta na Libertadores de 2016.