Arquivo da categoria: edílson

CBF do Marco Polo escalou Chicão no GreNal

Leia o post original por Fernando Sampaio

CBF do Marco Polo escalou Chicão no GreNal

Chicão escalado no GreNal.

Meu Deus !!! Fala sério.

Deu merda. Óbvio.

Edilson deu três socos na cara do Dourado. Foi expulso. E o agredido também foi expulso. Ficou revoltado. Óbvio. Eu teria surtado. Apanhou e saiu expulso. E o Vitinho que iniciou tudo, após uma porrada no gremista caído, levou só amarelo. Pixotada. Típica do Chicão.

Já falei mais de uma vez: A arbitragem da CBF com Marco Polo ficará uma tragédia.

Se o STJD fosse sério Edilson levaria um gancho legal.

 

 

 

O último ato

Leia o post original por RicaPerrone

Mauricio Assumpção está a 2 meses de encerrar um ciclo que começou promissor, chegou a ser bem sucedido e termina catastrófico. Não vou entrar nos méritos de cada ponto questionável de sua gestão, mas devo reconhecer que cheguei a vislumbrar um Botafogo campeão brasileiro há 1 ano.

Hoje, vislumbro um rebaixado. Que tal qual o campeão, pode não acontecer.

A dispensa de Sheik, Edilson, J. Cesar e Bolivar não é clara, talvez nunca seja. Vai virar lenda urbana rodeada por mil histórias criadas nos botecos do Rio de Janeiro pela madrugada.  Tanto faz. Fato é que houve uma canetada do presidente bastante radical, e que haverá consequências.

Em dezembro de 2014 Mauricio estará se explicando ou sendo um cara de visão.

Por algum motivo ele demitiu os 4. O coro “ele quer foder o Botafogo” não faz sentido algum, é coisa de torcedor.  Ele quer achar uma forma de salvar o rebaixamento e entendeu ser esta uma medida radical, impactante e que possa virar o jogo.

Eu, de fora, não acredito. Mas você acreditou no Fluminense 2009 quando os meninos entraram pra jogar no lugar dos medalhões? Então…

A princípio, como você, acho que ele “enlouqueceu”.  Mas como ele não é louco, prefiro imaginar que existam motivos que não sabemos aqui de fora mas que justifiquem, ao menos, a opção.

Ficou mais difícil.  O Botafogo ficou mais frágil.  E vai precisar de muito cuidado pra não quebrar.

O Maurício vai sair de lá.  Você não.

Então, botafoguense, se quiser assistir a isso da televisão é um direito bem justificável. Se quiser tentar evitar, é no Maracanã gritando.

“Não merecem!”. Foda-se. Eles passam, o Botafogo fica.

abs,
RicaPerrone

Marcos, a delicada festa de um ídolo do futebol

Leia o post original por Antero Greco

O Pacaembu é um estádio especial. E nada mais adequado do que um palco histórico e tão querido dos paulistanos para receber a festa de despedida de Marcos, personagem singular no futebol. O goleiro já havia pendurado as luvas há quase um ano, mas nesta terça-feira saiu oficialmente de cena com uma homenagem que contou com amigos campeões e principalmente com os fãs, que lotaram o estádio mais charmoso da cidade.

Marcos vestiu a camisa número 12 do Palmeiras pela última vez cercado de carinho, de ex-companheiros de clube e da seleção brasileira, do técnico Luiz Felipe Scolari, de dirigentes com os quais trabalhou, de antigos ídolos palestrinos e de público, muito público. O que foi mais bacana: havia no Pacaembu corintianos, são-paulinos, santistas.

Marcos é dos raros exemplos de jogadores admirados, respeitados e queridos não só dos torcedores de um time, mas de quem curte futebol. Ele conquistou o carinho popular pelas defesas magníficas ao longo de uma trajetória profissional vitoriosa e dolorosa (foram várias as contusões). Mas sobretudo pela postura digna, sincera. Falou a linguagem das arquibancadas.

O jogo em si foi uma farra. O placar apontou, no final, 2 a 2 entre o Palmeiras de 99 campeão da Libertadores e a Seleção Brasileira campeã do mundo de 2002. Na prática, foi um festival de glórias do esporte, já que as duas equipes não se limitaram a acolher apenas os integrantes daqueles dois times marcantes na carreira de Marcos. Houve a presença até de símbolos eternos do Palmeiras, como o divino Ademir da Guia.

Mas quem foi ao estádio pôde rever Evair, César Sampaio, Edmundo, Ronaldo, Cafu, Paulo Nunes, Alex, Dida, Edilson (muito xingado pela torcida verde), Luisão, Roque Júnior, Edmilson, Edmundo e muita gente de qualidade. Para constar: Marcos abriu o placar, em cobrança de pênalti, e Paulo Nunes ampliou. Depois, Edilson e Luizão empataram.

No discurso que fez, à zero hora deste dia 12, Marcos agradeceu o público e pediu para não ser esquecido. E tem como?!

Faltou João Carlos na reunião do Corinthians

Leia o post original por Quartarollo

joaoCorinthians abriu as portas do inferno de novo. Permitiu que uma Comissão, e bota comissão nisso, de torcedores Organizados, que não tem nada a ver e nem representa os milhões de torcedores do clube, se reunisse com os jogadores Ralf, Alessandro, Liedson, Chicão e Júlio César. Era para cobrar resultados e melhor futebol daqui para […]