Arquivo da categoria: eliminatória

Brasil sobe, Argentina desce

Leia o post original por Flavio Prado

O futebol é um esporte coletivo, isso é óbvio, mas nos últimos anos isso ficou ainda mais claro e importante.

Com a evolução física, os espaços diminuíram. Os jogadores ficaram mais fortes e rápidos. Nunca foi tão importante o posicionamento e a organização.

Depois da Copa América, Brasil e Argentina trocaram de técnico. No Brasil saiu Dunga e chegou Tite. Na Argentina, Tata Martino foi substituído por Edgardo Bauza.

As mudanças são recentes, é precipitado tirar conclusões precipitadas, mas fica claro que coletivamente o Brasil está em evolução e a Argentina sofre.

Os times de Bauza normalmente são organizados defensivamente, sofrem poucos gols, mas falta repertório para criar espaços. Em quase todos os jogos a Argentina terá posse de bola e o adversário tentará fechar os espaços. Mesmo com ótimas individualidades, sem um jogo coletivo mais elaborado, o time não consegue criar, tem muita posse, mas pouca agressividade. Falta uma movimentação diferente, troca de passes, triangulações, jogadas mais bem trabalhadas. O time depende do individual, principalmente de Messi e o craque argentino tem sofrido com lesões. Messi só participou de 3 dos 10 jogos das eliminatórias.

O Brasil faz o caminho inverso. Faz tempo que Tite é o principal técnico do país. Os times de Tite sempre foram marcados pela força defensiva e muitas vezes faltavam melhores alternativas ofensivas, mas isso mudou.

O Corinthians de 2015 foi um marco da evolução de Tite como treinador. O time continuava forte na defesa, mas ganhou um grande repertório ofensivo. Triangulações, movimentação constante e variação de jogadas.

Na seleção com melhor material humano disponível, o time já mostra evolução e deve crescer ainda mais.

Vida ou morte: a Seleção Brasileira não pode perder

Leia o post original por Pedro Ernesto

Terminou o recreio. A primeira fase é suave. Dá para perder, empatar e ainda classificar. Nela, os adversários são quase sempre mais fracos. Neste sábado, começa a fase de oitavas de final. O jogo é contra o Chile, que tem uma seleção muito respeitada pelo técnico Luiz Felipe Scolari. Só que o maior problema é ser este um jogo eliminatório. Qualquer erro, qualquer descuido, um erro de arbitragem pode ser fatal. E será assim daqui para a frente. O campeão do mundo terá de passar por quatro jogos eliminatórios. Será preciso ter competência e boa dose de sorte. Adiante Brasil.

Mistério

A substituição de Paulinho por Fernandinho está sendo considerada certa. O mistério montado por Luiz Felipe está na lateral direita. No treino realizado na granja Comary, o primeiro tempo foi de Daniel Alves. Depois foi a vez de Maicon, que errou tudo e até gol contra marcou.

Neste caso, o mistério pode ser por dúvida real. Daniel tem jogado muito mal e Maicon tem treinado pior ainda. Só uma hora antes do jogo que saberemos quem joga.

Clausura
A seleção chilena está concentrada na Toca da Raposa, local de treinamento e concentração do Cruzeiro. Só abre por regulamento da Fifa, que exige a presença da imprensa por 15 minutos. Daí em diante, tudo é fechado. Um processo de clausura, no qual os jogadores colocam foco na necessidade de fazer história. Este é o perigo que corre a Seleção Brasileira.

Que o Chile recupere a autoestima saindo da condição de freguês para buscar um fato histórico. Para isso, Jorge Sampaoli é um mestre.

Semelhança
A Copa do Mundo remete a semelhanças impressionantes com a Copa Libertadores. Nesta competição, os campeões, os famosos, os mais ricos, foram eliminados. Até o Bolívar continua na competição, mas os brasileiros, por exemplo, investindo milhões, estão eliminados.

Na Copa, alguns campeões de mundo foram eliminados na primeira fase dando lugar para Costa Rica,  Colômbia, México, entre outros. A conclusão é que não adianta gastar muito quando não se tem bom critério e que camisa não ganha jogo.

Demmmaaaiiissss
A Copa do Mundo é um espetáculo tão emocionante que faz as pessoas disputarem um ingresso a tapas. Os cambistas estão vendendo ingressos a R$ 5 mil para o jogo deste sábado. E o que mais surpreende é que, apesar do preço astronômico, não faltam compradores. Por falta de espaço nos estádios, a Fifa criou a Fan Fest, que também se tornou um grande sucesso.

De menos
A Copa do Mundo de 2022 pode sair do Catar. São muitas denúncias informando que esse pais tenha gasto mais de US$ 11 milhões (perto de R$ 25 milhões) de propina para dirigentes da Fifa. Um escândalo que precisa ser consertado sob pena de o produto futebol perder muito em credibilidade.

Já não são poucos os rumores de interferência de patrocinadores no futebol. Claro que muito é viagem das pessoas, mas essa questão da Copa do Catar precisa ser resolvida.

Click do Dia

AFP

AFP

Um jovem torcedor brasileiro conseguiu driblar a segurança e abraçar o meio-campista da França Moussa Sissoko, no treino de sexta-feira, no Estádio de Santa Cruz, em Ribeirão Preto.