Arquivo da categoria: escalação

Fantasy com prêmios em dinheiro!

Leia o post original por Rica Perrone

Imagine ser o cartola de um time e poder escalar quem quiser, no campeonato que quiser, ganhando dinheiro de verdade e não só tapinha nas costas se for bom mesmo? Achei! Olha esse site www.escalacao.com. Eu explico: Existem diversos torneios , você escolhe um e entra e vai sendo premiado ($). Podendo entrar em vários. …

Pedro Ernesto: Novo goleiro

Leia o post original por Pedro Ernesto

 Ricardo Duarte/ Agência RBS

Ricardo Duarte/ Agência RBS

Os gremistas estão orgulhosos pela convocação de Marcelo Grohe. Ninguém mais do que ele merecia essa lembrança. Dunga acerta  em cheio ao chamar o goleiro gremista. Mas fica um problema para Luiz Felipe Scolari. Terá que usar o garoto Tiago, 21 anos,  que quase não jogou pelo time principal. Ele precisa da confiança do técnico, dos companheiros e da torcida. Cabe ao gremista que for à Arena prestigiá-lo contra o Sport. Tiago entra numa verdadeira fogueira. O jogo é extremamente importante. Ganhar é uma necessidade inadiável. Mesmo que, eventualmente, o novato goleiro tenha alguma dificuldade, é importante fechar com ele. Não é fácil substituir o melhor do campeonato na sua posição.

Chapecó
Não vá afirmar que o Inter terá jogo fácil contra a Chapecoense. Muita gente boa já deixou pontos importantes por lá. Tomara que Abel Braga nunca mais pense na possibilidade de deixar Alex na reserva. Ele é tão melhor do que outros que pensar nisso pode ser considerado crime. Pior ainda que o time não contará com Aránguiz. A posse de bola, uma das maiores forças do Inter, fica sempre prejudicada na ausência de algum dos jogadores do meio. Foi assim naquele terrível primeiro tempo contra o Cruzeiro.

Atrasos
Está na hora de se adotar o Fair Play financeiro. É a maneira de os dirigentes terem mais responsabilidade com o dinheiro dos clubes. Chega a ser vexame ver jogadores entrar em campo com faixa relatando os meses de atraso nos seus pagamentos. Havia sido assim com os do Botafogo. No último sábado, foi a vez dos titulares do Coritiba. A maioria dos clubes brasileiros deve muito. Salários atrasados deixaram de ser novidade e viraram humilhante rotina.

Demmmaaiiiisssss
O Ministério Público de Minas Gerais entrou em campo. As torcidas organizadas estão proibidas de entrar nos estádios da capital mineira até o final do ano. Muitos consideram a punição branda. Mas entendo que, ainda assim, é bem melhor do que acontece por aqui. Na véspera da eleição, a direção do Grêmio perdoou a Geral.

De menos
Para que serve torcida organizada? Afora uma que outra neste país, não passam de gangues ou quadrilhas que se juntam para cometer irregularidades. Mesmo assim, se criam. A maior parte delas incentivada por dirigentes irresponsáveis. Esse é outro assunto que exige maior severidade Aqui no Rio Grande ainda não se encarou esse assunto de frente

Bolinha*

Leia o post original por Pedro Ernesto

* Por Zé Alberto Andrade (interino)

A Seleção de Felipão continua sem ganhar em território europeu. Considerando que a Copa do Mundo será no Brasil, nenhuma preocupação. Se pensarmos que a Copa das Confederações deixou o título e boas atuações como herança, também aumenta o crédito.

E ainda há o início da temporada europeia prejudicando o condicionamento da equipe. Tudo pode ser verdade, mas não invalida as críticas a uma atuação apática, sem inspiração e bem diferente daquelas que vimos em junho. Perder para a Suíça com o golaço contra de Dani Alves não foi um castigo. É um aviso que de certa forma o treinador já havia antecipado.

Pirata

Na vitória do Grêmio, mais uma vez com três gols marcados, a entrada no G4, ainda que provisória, acima de tudo, se destaca a recuperação do centroavante Barcos. Não só pelo gol marcado, mas muito pela participação no jogo como um todo. O Pirata era a própria imagem da alegria após a partida.

Por certo, o torcedor gremista também ficou feliz e esperançoso que venha a ter o centroavante que chegou comemorado no começo do ano, mas parecia ter ido embora.

Reforço

A volta de Ygor é uma boa novidade colorada não só para o jogo desta noite, mas para o Brasileirão como um todo. Se totalmente curado e bem condicionado fisicamente, fica à disposição de Dunga alguém com bom potencial técnico e uma garantia de empenho e dedicação, algo que é fundamental para quem trabalha com o técnico.

Seu retorno servirá também para botar sombra entre os volantes, algo que não acontece mais com Bolatti.

Pesadelo

A Argentina ganhou seu amistoso contra a Itália em Roma e sem Messi. Os hermanos já estão sobrando na Eliminatória. Não há dúvida que o time de Alejandro Sabella é, ao lado de Espanha, Brasil e Alemanha candidatíssimo ao título no ano que vem.

Além das individualidades, está com consistência tática. Um perigo. Imaginem só: papa argentino, Messi melhor do mundo e eles ganhando o mundial no Maracanã. Não vai dar para aturar.

Alerta*

Leia o post original por Pedro Ernesto

* Por Zé Alberto Andrade (interino)

Felipão foi duro, mas tem toda a razão. Jogador que não está atuando em seu clube não deve ser chamado para a Seleção. Por certo há lugar para as chamadas exceções das exceções. No fundo, porém, está certo o técnico.

A declaração é um torpedo até contra titulares do seu time, como o goleiro Julio César e o volante Luiz Gustavo. Para o jogo de hoje, no entanto, a barra dos dois está limpa e a repetição do time da Copa das Confederações é uma lógica. Aliás, até aqui, o treinador teve seu maior acerto exatamente mantendo a equipe e suas alternativas.

Na terra do chocolate, é um exagero esperar um passeio brasileiro. O adversário vem bem nas eliminatórias, tem uma relativa tradição, mas está na hora de uma vitória brazuca em território europeu.

Candidato

O repórter da Rádio Gaúcha Rodrigo Oliveira perguntou e Felipão foi claro: Leandro Damião perdeu espaço para Jô, que foi muito bem na Copa das Confederações. O técnico foi absolutamente coerente.

Claro que se lamenta a fatalidade que houve com o atacante colorado, mas o critério é de merecimento. Felipão, no entanto, pulou fora ao ser perguntado sobre uma possível saída do atacante do Inter para a Rússia. Não importará onde esteja. Desde que jogue, Damião pode buscar o espaço perdido. Também é justo.

Esquema

Esperar as escalações de Renato tem sido um exercício de imaginação. Ele vem surpreendendo jogo após jogo e, para hoje, o máximo que fez nas pistas foi confirmar a óbvia volta de Kleber ao ataque.

Com um bom retrospecto do uso de três zagueiros, aí estaria outra barbada. Para consolidar este sistema, contudo, o técnico precisa ter certeza de que outras peças estarão adaptadas. Nas laterais, bem como na cobertura.

Hoje é mais do que um teste. Contra o Cruzeiro, líder e melhor ataque do Brasileiro, é um gigantesco desafio.

Sinuca

Com um inesperado festival de desfalques, o Inter vai ao Maracanã pegar o Botafogo. Dunga admitiu que uma das vantagens de improvisar Jorge Henrique como lateral é que o adversário não terá ideia de como o jogador vai atuar. Tem razão.

É uma maneira de surpreender ofensivamente uma equipe que chama a atenção pelo coletivo liderado pelo eterno Seedorf. A dificuldade pelas ausências se dará na contenção e no árduo trabalho de não sofrer gols.

Ídolos*

Leia o post original por Pedro Ernesto

Por Zé Alberto Andrade (interino)

Renato Portaluppi de um lado, Dunga do outro. As atrações do Gre-Nal começam nos bancos de reservas.

O gremista já encarou confrontos contra um ídolo do rival nos tempos de Falcão no Beira-Rio. Chegou a vencer um jogo, mas perdeu o Gauchão. O colorado enfrenta seu primeiro clássico diante do adversário com força máxima, já tendo duas vitórias enfrentando times mistos.

A mística do Gre-Nal precisa dessas figuras, profissionais identificados com a história que fizeram como atletas. Quem sabe eles inspirem não só seus comandados, mas os próprios torcedores que precisam saber que, nos tempos de Renato x Dunga dentro do campo, o estádio se dividia num colorido mais bonito e muito mais pacífico.

Prognóstico

Gre-Nal nunca tem favorito. Mesmo quando há tendências, é arriscadíssimo bancar uma previsão.

A favor do Inter, aparecem a semana inteira de trabalho, a volta de D’Alessandro e a qualificação do banco com Scocco e Alex. O Grêmio tem no fator local sua principal força. A apreensão da semana foi muito mais tricolor com as perdas de Zé Roberto e Vargas, por conta das lesões.

Não é nenhum absurdo ver mais tranquilidade para Dunga. Mas é Gre-Nal.

Vexame

Quando valia o título mundial, foi um passeio. No amistoso pela estreia de Neymar, um massacre. A vitória do Barcelona de 8 a 0 sobre o Santos no Camp Nou ficou muito mais como uma vergonha santista do que uma apoteose do Barça.

Nem sequer foi preciso ver a dupla mais esperada do futebol mundial. Messi e Neymar jogaram apenas 16 minutos juntos. A posse de bola, a qualidade de passe, o fantástico entrosamento, tudo era conhecido nos catalães. O que não se esperava e se lastima é a pouquíssima resistência do Peixe, que deixou uma imagem muito ruim do futebol brasileiro.

Malabarismo

Leia o post original por Pedro Ernesto

O técnico Dunga faz verdadeiros malabarismos para chegar à escalação do time para domingo, contra o Vasco. Usou Jorge Henrique e Kleber na meia, poderia formar um meio-campo com três volantes e até buscou um ataque que tenha Forlán, que será titular, e Jorge Henrique, tirando do time o centroavante Rafael Moura, cuja produção tem sido muito baixa desde que chegou ao Beira-Rio.

Dunga perdeu dois jogadores, que foram vendidos (o zagueiro Rodrigo Moledo e o meia Fred), e só ganhou um, Jorge Henrique. A direção esbarra em cobranças aviltantes e não entrega os reforços necessários. Nessa hora é que o trabalho do técnico ganha importância.


Ataque

Quando chegou ao Grêmio para comandar o time em 2010, Renato Portaluppi colocou-o para atacar. Surpreendeu seus adversários e acumulou vitórias importantes naquele Brasileirão, tirando o time das últimas posições e o levando ao grupo de cima.

Saiu de uma situação muito complicada para chegar à classificação para a Libertadores. Acho que repetirá. Tinha Jonas e André Lima no ataque. Hoje, contra com Barcos e Vargas. A qualidade é maior. É matéria para ser analisada.


Galo

Acho que deu para o Atlético-MG. Quem toma 2 a 0 está praticamente eliminado em um mata-mata. Precisa atacar, marcar gols e não levar. Levando um, precisa fazer quatro. Contra um rival argentino, isso é quase impossível.

O fracasso do milionário futebol brasileiro na Libertadores foi total. Só faltava o Galo morrer. O Grêmio foi péssimo, o São Paulo, ainda pior. O Fluminense merece poucos elogios. O Corinthians morreu no Boca. O futebol brasileiro gasta muito com muito desqualificados.


É DEMAAAIIS

O presidente do Novo Hamburgo, Carlos Duarte, está eufórico com seu renovado Estádio do Vale. Ele garante que o Inter já pode jogar lá na quarta-feira, contra o América-MG, pela Copa do Brasil. Ele tem todos os laudos e garante que as obras ficam prontas amanhã. A nova capacidade será de 16 mil torcedores.

Tite viu o ponto fraco e vai mexer na “prancheta”

Leia o post original por Mion

Tite terá que mexer nas peças de seu esquema. O Timão não pode perder a meia-cancha para o Chelsea.

Tite terá que mexer nas peças de seu esquema. O Timão não pode perder a meia-cancha para o Chelsea.

      Logo após o site da Folha divulgar a prancheta rabiscada por Tite com o time e esquema tático que utilizaria contra os egípcios na semifinal, escrevi um comentário (está na capa deste blog divulgado no dia 10 passado destacando o esquema meio Kamikaze do treinador) discordando da formação e posicionamento tático.

O lado direito da defensiva corinthiana estava muito exposto e a meia-cancha sem uma marcação condizente com o Mundial de Clubes. Quem assistiu ao jogo viu que o Al Ahly sempre buscou jogar pelo lado direito da defesa adversária e na meia-cancha os egípcios dominaram, tocaram a bola e só não marcaram gol por falta de precisão nas finalizações. Além disso, Paulinho se sacrificou e marcou muito, não conseguiu sair para o jogo, sem contar com o partidaço de Chicão. Por isso o estrago não foi consumado.

Tite admite que fará mudanças e dá sinais de tirar Douglas. Ponto para Tite. Pretende atuar com três atacantes, pelo jeito vai manter Emerson. O Sheik é um “mala” saiu reclamando porque atuou mais recuado, ainda falou “sou decisivo lá na frente”. É fácil ficar lá no ataque receber a bola para fazer gol e transferir a responsabilidade do restante para os demais companheiros. Tite perde ponto.

Vou repetir o que escrevi há 20 dias. O Timão deveria jogar com Ralf, Paulinho, Jorge Henrique e Danilo; Guerrero e Martínez. Sem acompanhar de perto não tenho como saber das reais condições físicas de Jorge Henrique, caso não possa Romarinho é a melhor opção porque além de puxar o contra-ataque volta com rapidez para ajudar a recompor a marcação na meia-cancha.

Emerson até se esforçou, mas não sabe marcar. Com Martínez, tem marcação e criatividade para fomentar Guerrero, além de fazer jogadas de qualidade com Danilo em termos de armação de jogadas. O cruzamento de Douglas para o gol de Guerrero foi uma “pintura”, mas é muito pouco. Não adianta esperar um lance isolado de Douglas ou de Emerson. Pode fazer um ou até dois gols, mas as chances de sofrer quatro são enormes.

Por isso Tite mexerá na escalação, sabe muito bem que não dá pra jogar do jeito que está. Subestimar um time que tem Juan Mata (esse é craque), Lampard, Oscar, Ramirez, David Luis, Fernando Torres e outros será literalmente um kamikaze.

Mano achou o rumo: escalar a “La Zagalo” de 70

Leia o post original por Mion

O maior dilema de Zagalo na Copa de 1970 foi o excesso de craques. Veja que problema! A complicação residia em todos jogarem no meio-de-campo. Vestiam a famosa camisa 10 ou a 8 em seus clubes. Resolveu a questão da maneira mais simples: escalou todos juntos e deu no que deu, tricampeão, além de formar o time inesquecível que consagrou o futebol brasileiro como o melhor do mundo, imagem quebrada apenas nos últimos 10 anos.

E quando comparo Mano a Zagalo, me refiro ao fato de eliminar o centroavante de ofício. Na Copa de 70, Tostão não jogou com a 9 porque não tinha centroavante. No banco de reservas, Zagalo contava com Dario, o Dada Maravilha(Atlético-MG) no auge da forma. E Roberto Miranda do Botafogo. Ignorou os dois ficaram no banco a Copa inteira. Na meia-cancha e apenas Clodoaldo era de ofício. Isso sem contar que Wilson Piazza era volante no Cruzeiro e Zagalo optou por ele improvisado na quarta-zaga. Volante do Santos, os demais entraram com funções específicas ignorando camisas e funções em seus times. Gerson atuou como armador e segundo volante, dava início às jogadas. Rivelino virou quase um ponta-esquerda. Tostão atuou como falso centroavante, com muita movimentação abrindo espaços para Pelé e Jairzinho. Enfim, uma equipe talentosa e insinuante.

Agora Mano pode fazer a mesma coisa. Nada contra Damião que pra mim não decepcionou e no caso de jogar com centroavante de ofício é o titular. Agora se montar o sistema a “La Zagalo”, Mano deve insistir em ter dois volantes mais modernos marcam e sabem dar saída de bola. Só temos três assim: Arouca, Paulinho e Ramirez. Acho Arouca e Ramirez com mais qualidade e velocidade. Lucas, Kaká, Hulk, Oscar e Neymar brigam por quatro vagas, quem estiver melhor joga. Mesmo contra Alemanha, Argentina e outros dá pra jogar desta maneira. Precisamos acabar com esta história de que jogador técnico não marca. Se os quatro da frente ajudar na marcação, é possível sim jogar com Arouca (Paulinho), Ramirez, Kaká e Oscar; Hulk e Neymar. Sem contar com Ganso, se conseguir recuperar pelo menos 70% de seu potencial físico e técnico será a sexta opção para brigar por uma das quatro vagas. Aí sim o Brasil estará no caminho certo e terá grandes chances de faturar o hexa dentro de casa.

Escalação

Leia o post original por Pedro Ernesto


A melhor escalação é aquela que dá equilíbrio entre as atribuições ofensivas e defensivas. Eu sempre me posicionei no 4-4-2 por entender que, nos tempos atuais, é a que melhor remete a este equilíbrio necessário. Defende e ataca bem, pelo menos na quantidade, já que a qualidade é de cada um e vai para o campo. Acho que Fernandão vem com três volantes, o meia Fred e Leandro Damião com Diego Forlán no ataque. É simples, óbvio, mas parece ser o mais competente.

Manifestações

Uma semana de Gre-Nal sempre é diferente. Muito diferente, eu diria. As pessoas se enlouquecem, passam a contestar opiniões, divergem, por vezes com muita agressividade. O caso Leandro Vuaden, com sua presença no clássico, tem nos gremistas lembranças pueris que nada têm a ver com o que pode ser o jogo do próximo domingo. Outra questão é do número de torcedores do Grêmio. Eram 750, passaram para mil. Altera muito pouco, mas atende as reclamações veementes dos dirigentes e torcedores gremistas como se isto pudesse ser solução de alguma coisa.

Ainda bem que os profissionais estão cumprindo com aquilo que deles se espera. Se preparam para o grande jogo, sem grandes afirmações polêmicas. Não é a hora, mesmo que os torcedores enfureçam com qualquer turbulência que antecede o Gre-Nal.

Classificado

O Grêmio não jogou nada contra o Coritiba, ontem, no Couto Moreira. A classificação para a próxima fase da Copa Sul-Americana veio no sufoco, mas sem nenhuma qualidade. Os principais nomes do Tricolor, Kleber, Elano, Zé Roberto, e mais alguns, não jogaram nada e erraram demais. O grande Gilberto Silva tomou m drible que não se pode tomar dentro da área no primeiro gol do Coxa. Mas, agora, Vanderlei Luxemburgo tem três dias para consertar o que deu errado para que o time não volte a errar como ontem no Gre-Nal de domingo.

Você sabia?

Que o assunto da venda de Damião será tratado por Giovanni Luigi depois do Gre-Nal?

Que a Ulbra promoveu na noite de ontem amplo debate sobre Planejamento e Oportunidades Para a Copa 2014?

Que a Ulbra se prepara para receber uma das seleções mundialistas na Copa do Mundo?

Que o preparador físico Antônio Melo é responsável pelo acompanhamento do lateral Anderson Pico e sua evolução física?


Quando Mano vai apresentar a seleção aos brasileiros?

Leia o post original por Mion

A verdade com ou sem dor

Jeferson, Daniel Alves, Dedé, Thiago Silva e Marcelo; Arouca, Ramirez e Paulo Henrique Ganso; Lucas (Kaká), Leandro Damião e Neymar. O técnico Mano Menezes reluta em definir um time titular, mas esta formação reflete o que há de melhor no futebol brasileiro. Talvez alguém discorde de uma, duas, no máximo três posições. Enquanto o técnico perde tempo fazendo testes, poderia fixar este time de uma vez para adquirir entrosamento.

No gol Jeferson comprovou ser o mais regular e principalmente inspirar confiança à equipe. Na defensiva até as crianças sabem que Daniel Alves, Dedé, Thiago e Marcelo são disparados as melhores opções. Na meia-cancha talvez os volantes possam render alguma discórdia. Gosto de Arouca e Ramirez, por optar na qualidade da saída de bola sem perder a força na marcação. No ataque, Lucas precisa evoluir. Kaká (em forma como tem provado em jogos do Real Madri), o jogador de qualidade e experiente que tanto Mano deseja pode disputar a posição com Lucas. Na frente, Damião e Neymar completam o time dentro daquilo que o torcedor brasileiro espera e gosta.

Mano perdeu o prazo de fazer experiências. Até pode testar outras opções, entretanto necessita definir um esqueleto. Mais alternativas serão bem recebidas no decorrer do trabalho. Vou mais longe, alguns jogadores também têm vaga quando se trata de convocação: David Luis à zaga; Adriano, lateral-esquerda; Casemiro e Rômulo; volantes, Hulk e Robinho, atacantes. No mais é tudo questão de momento e oportunidades. O prazo terminou, já passou da hora de Mano apresentar a seleção aos brasileiros.