Arquivo da categoria: esporte

Ayrton Senna foi o melhor piloto do mundo de todos os tempos!

Leia o post original por Nilson Cesar

Tive o privilégio de acompanhar a carreira do melhor piloto do mundo de todos os tempos até o dia de sua morte. Claro que temos gente com mais títulos que Ayrton, mas pilotando igual nunca existiu. Ayrton era um extraterrestre . Arrojo, técnica e desempenho cerebral. Ele reunia tudo. Tenho certeza que Ayrton seria o maior vencedor da história da Fórmula 1. Hoje faz 24 anos de sua morte e a Fórmula 1 perdeu muito do seu brilho sem ele. Genial, fantástico e depois dele não temos mais um grande ídolo de verdade no esporte brasileiro. Foi fenômeno.

A política, o esporte e o senso comum

Leia o post original por Rica Perrone

É segunda-feira, dia seguinte do enforcamento de Gustavo Lima que cometeu o crime de pensar diferente do senso comum.

Entenda por senso comum aquele grupo de pessoas que apoiado por uma mídia e/ou intelectuais de voz ativa determinam o que é ou não inteligente acreditar. Se você eventualmente pensar diferente deles, você é burro, retardado, filho da puta, nazista, machista, frentista, taxista…. enfim.

Hoje é “Leifert Demonio Day”. E fui ler e entender os porques.

Porque pra ele esporte é entretenimento e não deve ser lugar de manifestações políticas que gerem lados e dividam a paixão envolvida no esporte.

Não vou entrar ainda se concordo. Mas vou dizer que fazer dessa opinião um estupro coletivo é de fato assustador. Ainda mais vindo de alguem estudado, preparado, profissional da área e que conhece culturas esportivas além da nossa de perto por ter morado fora.

É realmente um exercício muito fora discordar sem invalidar. É conceito basico de direito até. Quando você vai perder a causa porque não pode defende-la, ataque o outro lado. E é isso que a gente faz o dia todo, todo dia, especialmente em redes sociais.

Tô me excluindo não. Também faço.  É uma reação em cadeia. Você é agredido, devolve agredindo. E mesmo quando alguém nem vem com as pedras as suas já estão ali.

Pontos consideráveis:

1- De fato qualquer manifestação individual política NÃO deve ser feita sob os holofotes coletivos. Exemplo: O zagueiro do Inter não pode usar o Inter, a camisa do Inter, os holofotes do jogo do Inter pra se posicionar contra o PT por exemplo. Ele não tem alvará pra fardado e representando aquela entidade tomar uma posição.

Então ele não pode…? Pode. Na rede social dele. Na casa dele. Numa coletiva de imprensa. Mas jamais perfilado com o time dele. Ali ele representa algo maior do que ele, e portanto qualquer tentativa de inverter essa situação está errada.

Você deve ter pensado na polêmica da Tuiuti. Mas além de carnaval não ser esporte, embora entretenimento, naquele caso foi pra pista o que A ESCOLA quis. O carnavalesco não surpreendeu a escola com um carro alegorico. Logo, está assinado que a instituição pensa assim.

2- O fato de achar que algo que remeta a lazer não deve dividir multidões com mais do que a paixão não faz de ninguém um maluco. É apenas um válido ponto de vista.  Imagine se além da idiotice coletiva de se odiar por futebol ainda formos somar um lado a favor do Bolsonaro e outro do Jean Willys.  Fudeu.

3- Se eu fosse boxeador, eu faria manifestações sobre o que acredito toda luta. Porque? Porque ele não PRECISA do merchan. Ele ganha o dinheiro com o resultado. Não é bem assim no esporte coletivo. Então não são todas situações iguais.

Eu gostaria que meu time entrasse em campo protestando contra a corrupção. Acharia ridículo se ele protestasse contra salários atrasados, porque ele também faz. Mas acharia revoltante se meu time entrasse em campo e um jogador tivesse uma camisa diferente dos demais pra dizer que apoia o Lula.

“Mas é direito …!” Não, não é.

Precisa acabar essa coisa de achar que tudo é direito.  Você tem direito ao protesto, eu a ir e vir. Logo, é altamente discutível o seu direito de fechar a Av Paulista num dia útil.

“Mas a democracia….!”. Não fode. A democracia só existe quando te da o que você quer? E quando ela te diz não? Não vale?

Ah! Pra não fugir, eu concordo com o Tiago sobre o individual. Discordo sobre o coletivo desde que haja moral pra fazer. O Corinthians não pode protestar contra o PT tendo em seu presidente um deputado petista.  E também não é papel do Fagner fazer isso sozinho vestindo a camisa do cube.

Agora, se o Popó quisesse subir no ringue de mulher maravilha e protestar contra machismo …. problema 100% dele. É individual, embora ainda seja esporte.

Quanto a você, Tiago…  não é porque você revolucionou o esporte da maior emissora do país, estudou, conhece esporte e seus impactos sociais e tenha morado fora pra conhecer a cultura do esporte que citou na coluna que você pode opinar sobre isso.

Quem pode é o Pedrinho, 17 anos, estudante, cujo perfil no twitter diz “Vc sabe q eu sou foda na cama / @manchesterunited / Mc Vitinho / deus no comando”

Voltemos pro Gustavo Lima.

abs,
RicaPerrone

Não é machismo

Leia o post original por Rica Perrone

No momento em que o mundo discute a fome, não se joga nem comida estragada fora. Quando se discute o casamento gay, não se brinca de chamar alguém de “viado”, e quando o machismo é o foco, sobra pontapés pra todos os lados, até para os que não merecem. Discute-se machismo e preconceito com o …

Não é machismo

Leia o post original por Rica Perrone

No momento em que o mundo discute a fome, não se joga nem comida estragada fora. Quando se discute o casamento gay, não se brinca de chamar alguém de “viado”, e quando o machismo é o foco, sobra pontapés pra todos os lados, até para os que não merecem. Discute-se machismo e preconceito com o …

A descoberta

Leia o post original por Rica Perrone

Acho que há alguns anos tenho uma guerra contra “meus colegas” sobre o que penso de esporte e como ele deve ser tratado. Pelo fato de não ter como exemplificar, sempre tive dificuldade em explicar pro “não jornalista” qual era meu ideal. Agora conseguirei. Quando você vê o comentarista chorando, o narrador perdendo a voz, …

Clubes e entidades do futebol precisam de dirigentes profissionais.

Leia o post original por Nilson Cesar

Sou totalmente favorável a profissionalizar pra valer a direção das entidades que dirigem o futebol brasileiro e também os clubes. Acabou aquela história de que o cara é abnegado e vai se dedicar ao esporte e ao  clube que ama. Isso é conversa mole para boi dormir. Hoje o futebol é um dos maiores negócios do mundo e precisa transparência e fiscalização de verdade. Acho que isso traria muitos benefícios ao futebol se ocorresse. O problema é que a resistência será enorme para que isso ocorra. Presidente da Fifa suspenso, ex presidente da CBF está preso , presidentes de clubes acusados, enfim o momento é de mudança. Clubes e entidades sem transparência não podem ser aceitos mais. Vamos aguardar e rezar.

Pedro Ernesto: Florianópolis

Leia o post original por Pedro Ernesto

Imagino a grande legião de colorados na partida deste sábado, no Estádio Orlando Scarpelli. Muito gaúchos e colorados já moram em Florianópolis. Outros tantos residem ali por perto, em praias como Garopaba ou Itapema, ambos em raio de 80Km da Ilha da Magia. São esperadas caravanas de gaúchos radicados em Santa Catarina. A esses todos ainda se juntarão os que sairão do Rio Grande do Sul e ganharão a BR-101 ou a BR-116. Florianópolis será vermelha neste sábado. Acredito em mais de 10 mil colorados apoiando o time nesta hora decisiva, em que uma vitória garante a vaga direta na Libertadores. Nos grandes momentos, os torcedores do Inter não negam fogo.

Retornos
Nilmar não poderá ser escalado por Abel Braga. O mesmo acontece com Jorge Henrique e Alan Patrick. O técnico já não contará com D’Alessandro, Gilberto e Fabrício, suspensos. A lista de desfalques tem ainda os lesionados Muriel, Juan, Claudio Winck, Wellington Costa, Luque e Sasha. São 12 jogadores, mais de um time de fora. Faz muita diferença. A equipe perde qualidade. Mesmo assim, é preciso achar formação capaz ganhar do Figueirense.

Dia do Fico
Jorge Baidek, empresário e ex zagueiro do Grêmio, trouxe proposta milionária para Felipão trabalhar no futebol asiático. O técnico nem quis saber. Promete seguir no clube. Mesmo com os fracassos de 2014, é experiente e já conhece os jogadores. O que falta agora é aquele Felipão vitorioso de outros tempos. Em 2014, nem vaga na Libertadores conseguiu.

Demmmaaaiissss
Agências internacionais de notícias avaliam que Felipão teve ano terrível. No terreno esportivo, concordo. Foi péssimo na Copa e no Grêmio, onde ficou aquém de Renato e Luxemburgo, que levaram o Grêmio à Libertadores. Do ponto de vista pessoal, foi um grande ano. Faturou milhões em publicidade na Seleção e em salários na CBF e no Grêmio e ganhou um neto, o que é um presente de Deus. Não da pra dizer que foi ruim

De menos
O zagueiro Pedro Geromel e o meia Giuliano foram pacientes de cirurgia ontem e passarão as férias de molho. Não estarão à disposição na pré-temporada. Mais um problema para ser resolvido pelo Grêmio, que tem a necessidade de montar um time minimamente competente para começar o ano. Está complicada a fase nas bandas da Arena.

Pedro Ernesto: Levir Culpi

Leia o post original por Pedro Ernesto

O técnico campeão da Copa do Brasil fala em justiça no título conquistado. E acho que fala bem. Para levantar a taça, teve de eliminar o Palmeiras, o Corinthians, o Flamengo e ganhar duas vezes do Cruzeiro. Foi um caminho difícil. Perdeu para Flamengo e Corinthians no primeiro jogo por 2 a 0, foi para Belo Horizonte e levou gol em ambos os jogos no começo. Mesmo assim, conseguiu marcar os necessários quatro gols para avançar. Duas façanhas extraordinárias.

Na final, o Atlético-MG teve o arquirrival e conseguiu duas vitórias. Incontestáveis. Ganhou porque jogou mais do que o adversário. Levir foi um técnico que soube tirar de seus jogadores o máximo. O time foi atrevido, veloz e mortal. Ganhou, mesmo, com muita justiça. Levir tem toda razão.

Julgamento
Todo mundo esperava que o Corinthians não perdesse quatro pontos pelo Caso Petros. Confesso que não sei examinar o tema, por falta de conhecimento jurídico. Mas posso examinar que Grêmio e Inter parecem mais preocupados com questões relacionadas à qualidade do seus times. O Inter está muito próximo da Libertadores, mas reconhece que o time está distante de jogar um futebol razoável. O Grêmio, neste ano, além de nada ganhar mais uma vez, nem sequer conseguiu vaga na Libertadores. Sei que ainda tem chance, mas ninguém acredita. Reclamamos do STJD, dos árbitros, dos complôs e sei lá do que mais. Acho que perdemos tempo. Poderíamos nos dedicar mais à qualidade dos nossos times.

Contratações
O Grêmio já deu inicio à fase de contratações. Quer o zagueiro Thiago Heleno, do Figueirense, e o atacante do Joel, que está no Coritiba e pertence ao Londrina. Acho que troca seis por meia dúzia. É verdade que Thiago Heleno atuou com Luiz Felipe no Palmeiras e tem sua simpatia. Sempre defendi a ideia de que é melhor contratar dois ou três grandes jogadores, aproveitar a base e buscar outras soluções na base. Para o Inter, vale o mesmo. Mas isso fica para depois da eleição do novo presidente.

Demmaaiiiiisss
A fila de colorados ontem no Beira Rio, para comprar ingressos do jogo contra o Palmeiras, começou cedo ontem. O Beira-Rio será pequeno na decisão de amanhã. Os dirigentes falam no maior público depois da Copa. Esse é o jogo do Inter. Não pode deixar de ganhar e garantir sua classificação. Depois, contra o Figueira, lá em Chapecó, será bem mais complicado.

De menos
Pelé tem problemas de saúde e deve ficar mais algum tempo no hospital. Confesso que torço muito pelo Rei. Principalmente se o assunto é saúde. Pelé é uma grande figura, embaixador brasileiro no mundo. Do ponto de vista esportivo, vale lembrar que marcou 1.281 gols. Nunca será igualado. Saúde, Rei. Que volte em seguida para casa.

Pedro Ernesto: Inveja dos mineiros

Leia o post original por Pedro Ernesto

Daqui de longe, começo a imaginar o clima em Belo Horizonte e Minas Gerais pela classificação dos dois grandes clubes do Estado à final da Copa do Brasil. Imagino como seria se fosse um Gre-Nal. O Inter desistiu da Copa do Brasil, perdeu para o Ceará duas vezes. O Grêmio caiu para o Santos em casa e, depois, perdeu mais três pontos pelas injurias raciais ao goleiro Aranha. Confesso que tenho inveja dos mineiros, dos meus amigos e companheiros da grande Rádio Itatiaia, que deve estar bombando com sua programação. Serão dois clássicos inesquecíveis. Eles merecem.

Sabedoria
Os dois grandes de Minas se prepararam para esse momento. Fazem futebol com sabedoria, ganham títulos e recebem a mesma cota de tevê da Dupla. Não temos sido tão competentes como eles. Nesse caso, nos resta aplaudir as grandes decisões reservadas para Belo Horizonte. Ah, eles estão na final da Copa do Brasil e no G4 do Brasileirão. Jogaram as duas competições a valer.

Torcida única
A decisão da Copa do Brasil começa na próxima quarta-feira no Estádio Independência. É lá que o Galo gosta de mandar seus jogos. Dia 26, a decisão será no Mineirão. Ambos os jogos terão torcida única. Lá também os marginais conseguem manchar grandes eventos. Não sei por que não se faz isso por aqui. Se só 1,3 mil torcedores rivais podem assistir à partida, por que mobilizar grande contingente da Brigada Militar? Ora, se é tão pouca gente, melhor fazer o jogo com torcida única. Vamos nos entregar para a marginalidade como se fez em Belo Horizonte. Eles venceram.

Mistérios
Abel Braga fechou o treino do Inter, mas todos sabem o time que jogará. Felipão abriu o treino e, muito original, tinha 14 jogadores no time. Os técnicos perdem muito tempo com isso. Todos sabem como os adversários atuam e como marcá-lo. Imagino que treinadores de futebol no Brasil se sentem mais importantes do que o presidente da República. Menos, gente. Não precisa de tanto.

De menos
O Governo do Distrito federal acaba de dar mais R$ 14 milhões para conclusão do Mané Garrincha. Esse estádio é a maior vergonha deste país. Seu custo final chega a R$ 1,7 bilhão. Será que não existe um senador ou um deputado federal capaz de abrir uma CPI para apurar essa roubalheira?

Demmaiiisss
Os tenores colorados estarão no Gre-Nal, agora com a competente parceria de Nilmar. Mas D’Ale, Alex e Alan Patrick não estarão liberados para jogar por música. A defesa do Grêmio é a melhor e mais bem protegida do Brasileirão. Será briga de cachorro grande domingo, na Arena.