Arquivo da categoria: estrangeiros

A fórmula na nossa cara

Leia o post original por Rica Perrone

Nunca foi tão discutido, nem esteve tão óbvio.  Há décadas a gente, especialmente da imprensa, tenta encontrar uma fórmula que nos tire da cômoda situação de indicar problemas e não ter a menor idéia prática de como resolve-los. Pois então. O tempo se encarregou de responder algumas de nossas perguntas, e só sendo bem teimosos…

Crise no futebol brasileiro força contratação de gringos?

Leia o post original por Neto

O argentino D'Alessandro brilha há algumas temporadas no Internacional

O argentino D’Alessandro brilha há algumas temporadas no Internacional

Joguei bola profissionalmente por mais de duas décadas e não me lembro de tanto gringo passeando pelo futebol brasileiro. Se rodar as 20 equipes da primeira divisão do Nacional você sempre vai encontrar um jogador de outro País. Tem clubes como o Palmeiras, por exemplo, que tem 6 estrangeiros em seu elenco. A dupla GreNal também tem bastante. Até pela proximidade com a fronteira, vai saber. Mas alguns desses atletas sempre se destacam pela qualidade. D’Alessandro e Conca há muito tempo estão entre os melhores armadores do País pelo toque refinado. O peruano Guerrero vem brilhando como centroavante do Corinthians. Mas o questionamento é o seguinte: será que esse monte de gente vem para o Brasil por causa dos problemas financeiros que seus países vivem (como a Argentina) ou será que de fato vivemos uma baita crise técnica dos nossos atletas? A revelação de novos talentos acabou? Cabe a discussão.

Como você vai lucrar com a Copa? Perto do Itaquerão, tem gente alugando suas casas por – ACREDITE – até R$ 120 mil reais!!!

Leia o post original por Milton Neves

dinheiroXcopa

Como você vai lucrar com a Copa?

Segundo estimativas, o Mundial de 2014 trará R$ 141 bilhões de reais para o Brasil.

E já tem muita gente vislumbrando oportunidades neste mercado inflacionado.

Em reportagem divulgada nesta terça-feira, 21, no UOL, alguns paulistanos da região do Itaquerão estão dispostos a alugar suas residências por, acredite, até R$ 120 mil!!!

Um salto de “trocentos” por cento a mais do que normalmente seria cobrado.

Comportamento comum quando pensamos em grandes eventos que acontecem nas maiores cidades do país.

Mas que prejudicará os brasileiros, que na migração até os jogos também pagarão o preço “dos gringos”.

Sem falar nos valores exorbitantes praticados pelo sistema hoteleiro.

Na sede incontrolável de “se dar bem” com os estrangeiros, vamos acabar dificultando a vida de nossos compatriotas.

E você, amigo internauta, já está se preparando para a Copa?

O que acha dos aumentos para o Mundial?

OPINE!!!

Os gringos

Leia o post original por Pedro Ernesto

Por Leonardo Oliveira (interino) – leonardo.oliveira@diariogaucho.com.br

O Inter, enfim, concluiu que cinco estrangeiros podendo usar apenas três é colocar dinheiro fora. E muito, diga-se de passagem. Por isso, a República do Prata do vestiário será reduzida a três. O único garantido é D’Alessandro, craque do time e, com Dunga, guindado à líder do grupo.

Bolatti está fora. Nunca foi o primeiro volante que o Inter imaginou e tampouco se firmou como segundo. Guiñazú é pouco provável que saia. Há o interesse no Newell’s, mas falta dinheiro aos hermanos e pouca disposição de Giovanni Luigi em liberá-lo.

Já o caso de Forlán é diferente. A relação custo-benefício foi baixa. O uruguaio custa perto de R$ 900 mil mensais. Se aparecer proposta, o Inter topa na hora.

Há quem aposte no Inter que Dátolo, bem condicionado na pré-temporada, possa se livrar das dores sentidas desde a cirurgia no púbis e que o deixaram com a pecha de dodói no Beira-Rio.

Lugano

Enquanto o Inter tenta despachar alguns hermanos, o Grêmio ainda busca um para comandar a zaga. A informação que recebi é de que Lugano teria acertado salários e tempo de contrato com o Grêmio.

O negócio teria esfriado no pouco interesse de Vanderlei Luxemburgo em contar com o uruguaio. Além, é claro, da negociação com o PSG. Luxemburgo não está errado. Lugano representa mais pelo simbolismo do xerife charrua do que pelo futebol. Sempre foi mais de posicionamento e imposição. O que, aos 33 anos, deve estar ainda mais lento.

Quem segura?

Quando os clubes passaram a negociar de forma direta as verbas de tevê e esvaziaram o Clube dos 13, a previsão era de que se criaria um abismo entre times como Corinthians, Flamengo, São Paulo e Santos e a Dupla Gre-Nal. Esse dia chegou.

O Timão, estruturado e com o caixa organizado, começa a dar mostras de sua força. Fechou com Renato Augusto, deseja Dedé e ofereceu R$ 42 milhões por 50% de Pato. Grêmio e Inter precisarão de muita criatividade para não perdê-los de vista. Caso contrário, ganhar o Brasileirão de pontos corridos ficará no campo dos sonhos.

Você sabia?

* Que a última vaga na Libertadores será decidida amanhã, entre os bolivianos Oriente Petrolero e Bolívar?

* Que o vencedor desse jogo jogará a pré-Libertadores?

* Que estão com o Grêmio na pré-Libertadores São Paulo, Tolima/Col, LDU/Equ, Tigre/Arg, Olimpia/Par, Leon/Mex, Defensor/Uru, Iquique/Chi, Univ. Cesar Vallejo/Per e Anzoátegui/Ven?

Quem diria… Brasil precisa importar jogador talentoso

Leia o post original por Mion

A verdade com ou sem dor

Não sou contra aquisição de jogadores estrangeiros. Ao contrário, principalmente quando são argentinos. Atualmente os “hermanos” são os maiores formadores de armadores e meia-atacantes do mundo. Dispensáveis em seu país de origem, Conca (Fluminense) e Montillo (Cruzeiro) foram disparados os melhores jogadores do Brasileirão de 2010. Não precisa dizer mais nada. O que me preocupa é o futuro. Há duas décadas seria inadmissível pensar em resolver os problemas dos times brasileiros com jogadores de outros países da América do Sul. A empáfia e o “oba oba” de boa parte da mídia e de torcedores brasileiros levou a esse bando de boleiros medianos, badalados como especiais. A supervalorização de craques de latão folhados a ouro, Ronaldo Fenômeno, Ronaldinho Gaúcho, Robinho, Adriano entre outros, custou muito caro ao futebol brasileiro. E agora ouço todo dia que Paulinho, Ralf, Lucas (São Paulo), Elkeson e mais alguns são excepcionais. Estão de brincadeira! O Brasil tem de craque apenas Neymar. Oscar e Paulo Henrique Ganso são promessas, podem algum dia chegar a esse patamar.

A griffe “jogador brasileiro” predominou, bastava nascer no país do futebol, dar umas pedaladas e os torcedores do mundo inteiro passavam por uma lavagem cerebral, vendido como craque. Chegou ao absurdo do Atlas, clube mexicano, ao contratar Lucio Flávio (ex- Bota) em 2011, colocar um outdoor em frente ao seu estádio chamando Lúcio de o “Pelé branco” tudo porque em 2009 vestiu a camisa 10 do Santos. Não contaram que Lúcio jogou apenas 9 jogos no time do Rei e voltou para o Botafogo. O resultado da enganação: Lucio Flávio atuou em apenas 12 jogos no Atlas não fez nenhum gol e voltou para o Brasil contratado pelo Vitória da Bahia. Tem coisa que não dá para engolir, em uma época que tínhamos o genial francês Zidane, um dos cinco maiores craques do mundo nos últimos 30 anos, Ronaldo era considerado o melhor do planeta. Não dá né? O resultado está aí: pagamos muito caro!

O futebol brasileiro está pobre e corre atrás de argentinos, uruguaios, chilenos e até de holandês para reaprender a jogar futebol. A vinda de dois estrangeiros por clube até é interessante, o problema é o excesso. Veja o caso do Inter tem D’Alessandro, Dátolo, Guiñazu, Bolatti e agora traz Diego Fórlan.  É meio time.  Uma verdadeira legião de estrangeiros no Beira-Rio e ainda vende Oscar para o Chelsea. Botafogo, Corinthians e outros clubes começam a seguir o mesmo caminho. Não há dúvida, é gente de qualidade, porém a cada contratação sobra menos vagas para jovens brasileiros, ficará cada vez mais difícil revelar novos talentos. Depois de imitar o estilo europeu de jogar com excesso de marcação, correria e muita bola aérea, agora o Brasil corre o risco de virar uma liga de jogadores estrangeiros como a maioria dos campeonatos do Velho Mundo.

O vício de sempre achar que está ruim

Leia o post original por Mion

Aos 35 anos, o uruguaio Loco Abreu é um dos símbolos de estrangeiro e veterano.

A seleção brasileira é o reflexo do futebol brasileiro. Não há dúvida da falta de talento, mas o Brasileirão não está mal tecnicamente como muitos falam. Boa parte da imprensa está viaciada em repetir todos os anos a mesma coisa e criticar o nível técnico. É evidente que não está uma maravilha, mas vem melhorando e hoje há um equilíbrio por cima, com times de ótimo nível. Temos poucos empates e os gols estão saindo em grande número. Uma análise dos seis ou sete primeiros colocados mostra equipes com muita gente de qualidade.

Então como a seleção sofre tanto? É fácil explicar. O líder Corinthians vive dos gols de Liédson e dos talentosos Danilo e Alex. Todos na faixa dos 30 ou mais. O mesmo acontece com o Flamengo, Ronaldinho Gaúcho, Léo Moura, Renato Abreu. No Vascão, Juninho Pernambucano e Felipe.

O Botafogo está na briga porque tem Renato, o uruguaio Loco Abreu e o argentino Herrera. No Inter também prevalece a legião estrangeira liderada por D’Alessandro e o jovem Damião que salva a lavoura brasileira.

Poderia citar muitos outros exemplo. O resumo desta ópera é o seguinte: a seleção está pobre, mas o Brasileirão tem ótima qualidade graças aos estrangeiros e o pessoal mais veterano que não aspiram mais jogar a Copa de 2014.