Arquivo da categoria: Fábio Carille

O Corinthians precisa é POUPAR dinheiro, isso sim!

Leia o post original por Craque Neto

O Corinthians empatou com o Vasco por 1 a 1 no último sábado e o que mais eu ouvi foram as críticas ao técnico Fábio Carille por ter usado uma equipe basicamente reserva e desentrosada contra os cariocas. Posso falar? Eu já disse mais de uma vez que esse negócio de poupar é um TREMENDO erro. A justificativa da comissão é de que pretende evitar uma lesão por excesso de esforço físico. Só pode ser piada, não é? Jogador que não pode jogar de quarta e domingo precisa se aposentar. Ir trabalhar em repartição pública, poxa vida! A verdade é […]

O post O Corinthians precisa é POUPAR dinheiro, isso sim! apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Opinião: time reserva do Corinthians tem obrigação de jogar mais

Leia o post original por Perrone

Fábio Carille citou a falta de entrosamento de seus reservas como dificuldade no empate do Corinthians em um gol com o Vasco, neste sábado (4), em Manaus. Porém, na opinião deste blogueiro, o alvinegro tinha a obrigação de apresentar mais. As mudanças na equipe não justificam o futebol apresentado.

“Achei que teríamos mais dificuldade porque só tivemos dois jogadores que fizeram a final contra o São Paulo [Cássio e Ralf]. De resto, só mudanças: uns no departamento médico, outros que seguramos para evitar lesão. Estou satisfeito, pois sabíamos que os erros de passe seriam naturais pela falta de ritmo de jogo”, disse Carille.

Discordo do treinador corintiano. Os reservas treinam junto o tempo inteiro. Precisam mostrar o mínimo de entrosamento. Do jeito que ele fala, parece que os caras não se conhecem.

Se falta entrosamento, o técnico deveria ter cuidado disso antes. Ter feito mais jogos-treino para os reservas, ter colocado mais para jogar quando possível.

Afinal, Carille sabia que precisaria usá-los durante a temporada. E o Brasileirão está apenas em sua terceira rodada.

Nada justifica mandar a campo um time tão mal treinado. E isso vale para todos os treinadores do Brasileirão. Falta de entrosamento não pode ser desculpa para queda de rendimento com time reserva. A diferença de qualidade entre reservas e titulares, sim.

Em termos qualitativos, vale lembrar que o Corinthians que entrou em campo em Manaus tinha, além de Cássio e Ralf, Jadson e Vagner Love. Todos jogadores de bom nível.

Carille não deve criticar individualmente e publicamente jogadores. Mas a fraca atuação diante do Vasco passa também pelo baixo rendimento da maioria dos atletas, incluindo dois  dos mais fortes tecnicamente: Jadson, que melhorou no segundo tempo, e Love.

Diante do fraco desempenho da equipe, chegou a ser surpreendente Carille declarar que seu time fez “um bom jogo”. Se ele foi sincero, o torcedor corintiano deve ter problemas ao longo do Brasileirão.

Opinião: 10 sinais dados na primeira rodada do Brasileirão

Leia o post original por Perrone

1 – Santos

Não era fake news, o time de Sampaoli vai jogar pra vencer mesmo fora de casa e até com time misto. Mostrou isso ao bater o Grêmio em Porto Alegre por 2 a 1.

2 – Cariocas

Vasco, Fluminense e Botafogo confirmaram que neste momento estão bem atrás do rival Flamengo. O caso mais sintomático foi a derrota vascaína por 4 a 1 para o Athlético-PR, em Curitiba. Os tricolores não tiveram força para derrotar o Goiás, que retorna à elite, no Maracanã, e perderam por 1 a 0. O Botafogo comprovou na derrota por 2 a 0 para o São Paulo, no Morumbi, que o técnico Barroca terá muito trabalho para acertar o time.

3 – Flamengo

A vitória por 3 a 1 sobre o Cruzeiro, no Maracanã, mostrou como será difícil bater o time de Abel Braga quando pelo menos duas peças de seu forte elenco jogarem em alto nível. Na estreia, Bruno Henrique, autor de dois gols, e Everton Ribeiro, foram os destaques.

4 – Athlético-PR

Se alguém duvidava, o time paranaense sinalizou que está mesmo entre as forças do Brasileirão. Fez o que os mais fortes fazem quando pegam um time que não está bem. Atropelou o Vasco.

5 – Corinthians

O tricampeão paulista ainda é um time que oscila. Foi neutralizado pelo Bahia, cometeu falhas defensivas e perdeu por 3 a 2 fora de casa.

6 – Bahia

Roger Machado, estruturando o tricolor baiano, indicou ao vencer o duelo com Fábio Carille, que pode dar trabalho a adversários com maior poderio financeiro.

7 – Zé Rafael

O meia mostrou estar pronto para ser titular do Palmeiras. Felipão foi criticado por torcedores do time por pouco aproveitar Zé Rafael no Campeonato Paulista. Ele entrou no início do jogo contra o Fortaleza, após contusão de Ricardo Goulart, fez dois gols e deu uma assistência na vitória por 4 a 0.

8 – CSA

A equipe alagoana está muito atrás da turma. Não conseguiu equilibrar a partida com o Ceará, em tese também candidato a lutar contra o rebaixamento no Brasileiro, e perdeu de 4 a 0.

9 – Treinadores

Pouca coisa deve mudar no comportamento dos técnicos com a regra que implementou cartões amarelos e vermelhos para eles. Quem gosta de apitar o jogo continuou apitando. Caso de Mano Menezes, o primeiro a ser “amarelado”.

10 – Barreira

A regra que obriga adversários a manterem distância das barreira deve funcionar. Acabou com aqueles empurrões irritantes entre jogadores.

 

 

 

Análise: como Love foi importante além do gol do tri corintiano

Leia o post original por Perrone

Vagner Love entrou para a história do tricampeonato paulista do Corinthians como autor do gol do título na vitória por 2 a 1 sobre o São Paulo, porém, sua importância na campanha corintiana foi além da única bola que mandou para as redes na competição. A versatilidade e o posicionamento dele sem a bola foram valiosos para o time de Fábio Carille.

O veterano jogou como centroavante e atacante pelos dois lados. Pelas beiradas, o jogador de 34 anos executou função desgastante e semelhante à que era feita por Romero, de 26 anos. Quando o time estava sem a bola, ele marcava o lateral ou o ponta rival até no campo de defesa corintiano, com a obrigação de ir para o ataque rapidamente quando a equipe recuperava a posse de bola.

Na defesa, além de marcar o adversário que estava com a bola, dependendo do momento, ele se posicionava no meio do caminho do rival mas bem posicionado para receber o passe, tirando uma opção do oponente. Outra função, era se posicionar no primeiro pau nos escanteios para os rivais. Quando outro jogador adversário se aproximava do cobrador, lá partia Love para fazer a marcação fora da área e tentar a evitar a cobrança curta. O atacante também marcava a saída de bola dos rivais.

Quando era o atacante pelo meio, ele chegou a ser útil roubando a bola no círculo central e iniciando contra-ataque. No campeonato inteiro, fez cinco desarmes em 13 jogos, segundo o site “Footstats”. Gustagol efetuou oito em 15 apresentações.

No ataque, Love flutuou sempre em busca de espaço tentando evitar ficar isolado, preso entre os defensores adversários, algo que aconteceu frequentemente com Gustagol. Ele se deslocava de um lado para o outro e quase sempre procurava se aproximar do companheiro com a bola para dar ao colega uma opção de passe. Em parte das jogadas em profundidade que se encaminhavam para o cruzamento buscando Gustagol, Love se posicionava ao lado do companheiro, de frente para a meta adversária, em posição para arrancar e aproveitar um eventual rebote. Nos escanteios, uma de suas funções era ficar na segunda trave para, principalmente, tentar aproveitar a segunda bola. Não fez gol assim no Paulista, mas deu trabalho para defensores adversários.

Quando o Corinthians roubava a bola, o veterano era um dos poucos a enxergar espaços vazios e partir em velocidade para eles. O melhor exemplo é o segundo gol corintiano na partida decisiva. Quanto a jogada ofensiva se desenvolve pelo lado direito do ataque, ele enxerga um espaço deixado pela zaga tricolor. Então, se desloca da direita para o centro da área e fica em condição perfeita para receber a bola. O trabalho foi tão bem executado que Love precisou de um só toque na bola para marcar o gol. O lance resumiu toda visão de jogo e inteligência tática demonstradas por ele no campeonato.

Jogou com raça! Mereceu muito o TRI!

Leia o post original por Craque Neto

A Fiel lotou Itaquera! Foram mais de 40 mil pessoas apoiando a equipe do Corinthians, que pra falar a verdade vinha afundada em críticas. E realmente o Timão não vinha jogando bem. Defensivamente continuava forte, mas pecava no ataque. Por mais que o técnico Fábio Carille se esforce eu penso que falta qualidade ofensiva para esse elenco. Diante de um São Paulo bem armado pelo Cuca, os donos da casa – ao contrário do que se imaginava – propuseram o jogo com intensidade. Agrediu o Tricolor e saiu na frente ainda no primeiro tempo com o gol do Avelar. Mérito […]

O post Jogou com raça! Mereceu muito o TRI! apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Se jogar que nem COVARDE, o Corinthians perde título para o São Paulo!

Leia o post original por Craque Neto

Sinceramente não sei o que está acontecendo com o técnico Fábio Carille. Sempre elogiei esse cara como técnico do Corinthians. O que ele fez nas últimas temporadas, dirigindo com sucesso um elenco bem meia-boca, realmente é pra ser valorizado. Agora de um tempo para cá ele está esquisito, brigando com os jornalistas e até demonstrando insatisfação pública com o próprio trabalho. O Timão em campo que sempre teve uma postura guerreira virou do dia pra noite COVARDE. Poxa vida! Por que isso? Com a derrota RIDÍCULA para a Chapecoense o Corinthians somou seu quarto jogo consecutivo sem vitórias, com três […]

O post Se jogar que nem COVARDE, o Corinthians perde título para o São Paulo! apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Velloso: Carille está correto em priorizar o Paulistão!

Leia o post original por Craque Neto

Para o comentarista, a decisão do treinador corintiano de entrar com um time alternativo no jogo contra a Chapecoense pela Copa do Brasil está correta. Segundo Velloso, um título estadual entra para a história.

O post Velloso: Carille está correto em priorizar o Paulistão! apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Tática ou covardia???

Leia o post original por Craque Neto

Tem muita gente repercutindo nesta terça-feira (9) a forma como o Corinthians garantiu a classificação para a final do Paulistão. Sim, foi aos trancos e barracos. A vaga só chegou depois de uma disputa de pênaltis acirrada diante do Santos. Mas a verdade é que mesmo com a proposta de se defender, o time do técnico Fábio Carille se postou muito mal dentro de campo. Teve pouquíssimas ações ofensivas e levou pressão quase que na totalidade da partida. Analisando friamente, se o goleiro Cássio não estivesse em grande noite, o Timão levaria uma baita goleada do Peixe. Na coletiva – […]

O post Tática ou covardia??? apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Opinião: deficiências e Santos forçaram Corinthians a jogar na retranca

Leia o post original por Perrone

Na opinião deste blogueiro, o Corinthians jogou excessivamente na retranca na partida em que se classificou para a final do Paulista não porque Carille quis, mas porque o Santos explorou bem duas de suas deficiências e o encurralou na defesa.

Como de costume, o time de Sampaoli marcou bem a saída de bola do adversário. Sair jogando da defesa sob pressão é uma das dificuldades corintianas. Apertados, os alvinegros com frequência apelam para os chutões. Outra deficiência da equipe é a transição com velocidade para o ataque. As bolas estouradas muitas vezes não encontravam ninguém do time de Itaquera na frente. Quando encontravam, chegavam a um comandado de Carille isolado, já que seus companheiros não partiam para o ataque com a velocidade necessária. Assim, o corintiano com a bola não enxergava um colega próximo para fazer o passe. Assim, a tendência era a bola ficar com os santistas, que rapidamente voltavam ao ataque.

O posicionamento ofensivo do Santos fazia o Corinthians se encolher para preencher os espaços na defesa. E o ciclo se repetia. Dificuldade para sair jogando, perda de bola ou chutões sem endereço ou para um companheiro isolado e volta da equipe do litoral ao ataque. Dois lances ilustram esse cenário: uma perda de bola de Pedrinho na defesa que resultou em chance do Santos barrada por Cássio e um chutão de Clayson para o campo de ataque vazio. Ambos ocorreram no primeiro tempo. Com essa rotina, o Corinthians errou 40 de seus 166 passes, de acordo com o site “Footstats”. O índice de acerto foi de aproximadamente 76%. Já o Santos acertou 473 trocas de bola e errou 50. Registrou acerto de aproximadamente 90,4%

O mais preocupante para Carille é o fato de as dificuldades para sair jogando diante de uma marcação avançada e a lentidão na transição ofensiva serem crônicas. Para pelo menos um membro da comissão técnica ouvido pelo blog, falta rapidez especialmente a Ralf para melhorar o rendimento nos contra-ataques, levando-se em conta seu poder de desarme. Uma alternativa seria a entrada de Richard, mas o reserva não mostra a mesma eficiência do titular na marcação. Ou seja, a equipe não ficaria tão bem protegida, em tese. Além disso, Richard ainda não mostrou um apoio ao ataque fora do normal.

Até domingo (14), quando acontece o primeiro jogo da final estadual com o São Paulo, o treinador corintiano certamente quebrará a cabeça para tentar impedir a repetição do que aconteceu no Pacaembu.

Antes de polêmica sobre VAR, Palmeiras rejeitou palestra da FPF

Leia o post original por Perrone

Antes da polêmica entre Federação Paulista e Palmeiras por conta do VAR, o alviverde recusou oferta da FPF para fazer uma palestra sobre o árbitro auxiliar de vídeo no clube. Consultada pela entidade, a direção palmeirense agradeceu, mas disse que já tinha participado de evento semelhante via Conmebol e CBF. A assessoria de imprensa da agremiação confirmou a informação ao blog.

Além de apresentações aos jogadores e comissões técnicas das equipes envolvidas nas quartas de final do Campeonato Paulista, a federação convidou treinadores para irem até a entidade para operar o equipamento de VAR. O corintiano Fábio Carille e o são-paulino Vagner Mancini foram até a entidade para fazer os testes. O palmeirense Felipão e o santista Sampaoli não apareceram.

A assessoria de imprensa de Felipão não fala com o blog, mas disse ao UOL Esporte que o “Palmeiras  não foi (à sede da federação em reunião sobre as quartas de final). Scolari é funcionário do Palmeiras.”. Por sua vez, o departamento de comunicação palmeirense disse que não chegou ao clube convite específico para o técnico testar o VAR. Também ao UOL Esporte, a assessoria de imprensa do Santos disse que Sampaoli não compareceu porque estava viajando com o time quando recebeu o convite.

Na fase de preparação para o uso do árbitro de vídeo, a FPF teve a intenção de deixar treinadores, jogadores, dirigentes e jornalistas operarem o sistema para sentir suas dificuldades. Este blogueiro operou o simulador do VAR. Além de Mancini, os são-paulinos Hudson, Hernanes e Lugano, superintendente institucional do clube, participaram dos testes, assim como o corintiano Andrés Sanchez.

Nas palestras realizadas nos clubes, a equipe da federação explica quando o árbitro de vídeo pode entrar em ação, os procedimentos a serem adotados pelos juízes em campo e o que espera do comportamento dos atletas. Dos oito participantes das quartas de final apenas o Palmeiras avisou que não gostaria de receber o estafe da FPF para a palestra.

Justamente no primeiro jogo do time nos mata-matas do Estadual, o empate em um gol com o Novorizontino, houve polêmica com o VAR. Os palmeirenses reclamam de um toque de Murilo Henrique com o braço antes do lance do gol do adversário. A federação respondeu em rede social com a imagem que a equipe de arbitragem utilizou para validar o lance, alegando que não houve infração. O clube respondeu afirmando que a federação tenta defender o indefensável.

Palmeiras e FPF se desentendem desde a final do Campeonato Paulista do ano passado, vencida pelo Corinthians no Allianz Parque. O time da casa alega que teve um pênalti a seu favor anulado após interferência externa na arbitragem, o que a federação nega ter acontecido.

Com Arthur Sandes, Diego Salgado e Eder Traskini, do UOL em São Paulo e colaboração para o UOL em Santos