Arquivo da categoria: Fair Play

Fair Play não é regra

Leia o post original por Rica Perrone

Antes de qualquer coisa, achei que o Inter jogou bem menos do que deveria e que o empate era um resultado até justo.  Independe do que foi o jogo até então a avaliação do lance fatalmente ganhará a semana nas mesas redondas por aí. Fair Play é pra que o jogo siga sem ninguém seja […]

GOIÁS assume a ponta da corrida FAIR PLAY

Leia o post original por Gaciba

A única equipe sem atletas expulsos em 32 rodadas da série A do brasileirão deste ano, o GOIÁS, assumiu a ponta da corrida pelo troféu FAIR PLAY da temporada 2014 neste fim de semana.

A disputa, falata a falta, cartão a cartão está acirrada no campeonato brasileiro com a menor média de faltas da história (32,8 por jogo) desde que estas são computadas.

Em segundo lugar, centésimos atrás do Goiás está o FLUMINENSE, que é a equipe com o menor número de atletas advertidos com cartão amarelo (55).

Na terceira posição vem o CORINTHIANS, equipe com a menor média de faltas entre os 20 competidores (14,1 por jogo).

Em quarto lugar aparece o campeão fair play do ano passado, o VITÓRIA, que pode se orgulhar de ser a equipe com o menor número de atletas suspensos por acúmulos de cartão. São apenas 8 durante toda a competição (7 por acúmulo de 3 amarelos e 1 atleta expulso). A título de cpmparação, o CRICIÚMA, por exemplo, último na tabela da disciplina, já teve 26 atletas suspensos (21 por acúmulo de 3 amarelos e 5 expulsos).

Falatando 6 rodadas para o término da competição, a disputa promete ser acirrada até a última rodada do campeonato.

Você conhece o “troféu FAIR PLAY”?

Idealizado neste espaço e oficializado pela CBF no ano passado, o troféu premia a equipe mais disciplinada da temporada da série A do campeonato.

Wilson, capitão do Vitória recebeu o troféu no programa "Bem amigos"

Wilson, capitão do Vitória recebeu o troféu no programa “Bem amigos”

Diferente da FIFA, que leva em conta critérios completamente subjetivos para sua premiação (na Copa do Mundo foi a Colômbia) aqui leva-se em conta uma tabela de pontuação (confira abaixo) onde são dados “pontos”, com pesos diferenciados, a cada falta cometida, cartão recebido e expulsões de treinadores e membros da comissão técnica.

Regras Troféu Fair Play

Confira como está a pontuação atualizada até a 32ª rodada:

fair play rodada 32

GOIÁS assume a ponta da corrida FAIR PLAY

Leia o post original por Gaciba

A única equipe sem atletas expulsos em 32 rodadas da série A do brasileirão deste ano, o GOIÁS, assumiu a ponta da corrida pelo troféu FAIR PLAY da temporada 2014 neste fim de semana.

A disputa, falata a falta, cartão a cartão está acirrada no campeonato brasileiro com a menor média de faltas da história (32,8 por jogo) desde que estas são computadas.

Em segundo lugar, centésimos atrás do Goiás está o FLUMINENSE, que é a equipe com o menor número de atletas advertidos com cartão amarelo (55).

Na terceira posição vem o CORINTHIANS, equipe com a menor média de faltas entre os 20 competidores (14,1 por jogo).

Em quarto lugar aparece o campeão fair play do ano passado, o VITÓRIA, que pode se orgulhar de ser a equipe com o menor número de atletas suspensos por acúmulos de cartão. São apenas 8 durante toda a competição (7 por acúmulo de 3 amarelos e 1 atleta expulso). A título de cpmparação, o CRICIÚMA, por exemplo, último na tabela da disciplina, já teve 26 atletas suspensos (21 por acúmulo de 3 amarelos e 5 expulsos).

Falatando 6 rodadas para o término da competição, a disputa promete ser acirrada até a última rodada do campeonato.

Você conhece o “troféu FAIR PLAY”?

Idealizado neste espaço e oficializado pela CBF no ano passado, o troféu premia a equipe mais disciplinada da temporada da série A do campeonato.

Wilson, capitão do Vitória recebeu o troféu no programa "Bem amigos"

Wilson, capitão do Vitória recebeu o troféu no programa “Bem amigos”

Diferente da FIFA, que leva em conta critérios completamente subjetivos para sua premiação (na Copa do Mundo foi a Colômbia) aqui leva-se em conta uma tabela de pontuação (confira abaixo) onde são dados “pontos”, com pesos diferenciados, a cada falta cometida, cartão recebido e expulsões de treinadores e membros da comissão técnica.

Regras Troféu Fair Play

Confira como está a pontuação atualizada até a 32ª rodada:

fair play rodada 32

Cartão pesa?

Leia o post original por Gaciba

Após 89 jogos disputados no Brasileirão, você tem noção de quantos atletas já foram ou serão impedidos de atuar pelos cartões que receberam durante a competição?

Num campeonato tão parelho, estes números podem fazer a diferença. Pasmem: 62 ATLETAS já foram ou serão impedidos de jogar na 10ª rodada por terem somado 3 cartões amarelos (44 jogadores) ou pela automática pelo cartão vermelho (18 jogadores).

Como anda a sua equipe neste critério? Veja na tabela abaixo que somente o Corinthians, até o momento, não perdeu nenhum jogador suspenso e o Galo e o Figueira já tiveram 6 desfalques cada.

MÉDIA DE FALTAS

Um trabalho de formigas! Assim é definido pela comissão de arbitragem o trabalho na luta pela diminuição da média de faltas do Brasileirão. Praticamente 10% em 5 anos de competição realmente é um ritmo de formigas. Confira as média comparativas dos últimos 5 anos de nosso campeonato.

 OS ESCOLHIDOS (OU OS SORTUDOS)

Ainda sofrendo com a “lei” ridícula que prevê sorteios para árbitros centrais, a CBF acelerou o processo de renovação no início deste brasileiro. Já são 6 os estreantes entre os 39 árbitros que apitaram a série “A”.

 

TROFÉU FAIR PLAY 

Na corrida pelo troféu “Fair Play” da temporada o Timão está na frente. Com a menor média de faltas e sem nenhum jogador expulso é a única equipe abaixo de 3,00 na média de PP (para ver critérios de disputa consultar posts anteriores).

 Agora é esperar pelo retorno e respirar COPA DO MUNDO 24 horas do dia. Até lá!

Largada Fair Play

Leia o post original por Gaciba

Quatro rodadas, quarenta jogos; já podemos fazer um balanço deste “preocupante” início de Brasileirão.

Você sabia que já foram marcadas 1384 faltas no Brasileirão 2014?

A média de 34,6 faltas por partida pode ser considerada normal?

Fizemos um levantamento para que possamos comparar nosso campeonato com os principais do mundo.

Vejam na tabela abaixo que somos, disparados, o campeonato com maior média de paralizações:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Com os cartões, a coisa é um pouco diferente. São 178 amarelos que nos dá uma média de quase quatro cartões e meio por jogo e 11 vermelhos com uma média de quase 3 atletas expulsos por rodada.

Mas, além dos 11 atletas expulsos; na próxima rodada, a quinta da competição; 5 atletas já cumprirão suspensão por acumular três amarelos nas quatro primeiras partidas de suas equipes. Rafael Lima (Chapecoense), Edinho (Grêmio), Aranguiz (Internacional), Valdivia (Palmeiras) e Alvaro Pereira (São Paulo) desfalcarão suas equipes no fim de semana. Isso, sem contar com Paulo Roberto (Figueirense) que obteve um indesejável 100% de amarelos nas três primeiras rodadas e já não jogou contra o Santos nesta rodada.

Pouco? Ainda temos mais 25 jogadores estão “pendurados” com 2 advertências entre as equipes da série “A”.

Quem nos acompanha sabe que contabilizamos a três temporadas faltas, cartões e expulsões numa corrida “fair play” que determina qual é a equipe que joga “mais limpo” na temporada. Ano passado a CBF tornou o prêmio oficial e o capitão do VITÓRIA, o goleiro Wilson, recebeu com orgulho o troféu no programa “Bem Amigos”.

Nestas primeiras rodadas a liderança apertada pertence ao FLUMINENSE.

Vejam o quadro geral (ao término do post, critérios para obtenção da média PP (média de pontos perdidos):

 

Até o momento,  28 árbitros foram sorteados com 2 estreias Braulio da Silva Machado (MS) e Renan Roberto de Souza(PB). Confiram seus números:

 

Critérios para o TROFÉU FAIR PLAY:

VITÓRIA é o “time mais limpo” do Brasil 2013

Leia o post original por Gaciba

Com muito orgulho para este pequeno espaço na internet, o troféu FAIR PLAY será entregue amanhã no programa “Bem Amigos” juntamente com a premiação dos melhores do Brasileirão 2013. O VITÓRIA receberá a premiação por ter sido a equipe mais disciplinada da competição.

Agradecemos a confiança da CBF, em especial ao seu vice-presidente, Marco Pólo Del Nero, que acreditou na bandeira que levantamos desde o momento em que deixamos de apitar e nos tornamos comentarista. O troféu Fair Play será a “cereja do bolo” na premiação dos craques do Brasileirão.

Num fim de semana de cenas horripilantes de selvageria nas arquibancadas, ficamos muito felizes em estar premiando o verdadeiro futebol de respeito ao adversário e as regras do jogo.

O Vitória terminou o campeonato sendo a equipe com o menor número de cartões vermelhos (apenas 1), 4º em número de cartões amarelos recebidos (67) e 2º em menor número de faltas cometidas (591 com apenas 1 atrás do Internacional com 590).

PARABÉNS AO VITÓRIA PELA CONQUISTA!

Confira o quadro disciplinar completo das 20 equipes do Brasileirão 2013:

Cadê o fair play?

Leia o post original por Emerson Gonçalves

 

Adeus fair play, não o da moda, financeiro, mas o velho e sagrado fair play que deve estar presente em toda competição esportiva, dignificando-a, dando-lhe um verniz, ao mínimo, de civilização: o fair play esportivo.

Entra ano, sai ano, pouco ou nada muda. Cansativo… Chato…

O São Paulo manda um time totalmente reserva para o Rio de Janeiro, para enfrentar o Fluminense sob ameaça de rebaixamento. Os reservas não foram mal, deram trabalho, mas perderam.

Ótimo para o Fluminense.

Péssimo para o Vasco, Criciúma, Coritiba, Ponte Preta, Bahia, Portuguesa…

O campeão Cruzeiro enfrenta a Ponte Preta sem mais de meio time titular e sofreu um empate no final. Não teria vencido de forma categórica, como fez brilhantemente no decorrer de todo o campeonato, se todos os titulares estivessem em campo?

É possível, ou melhor, é provável, mas…

Como? Afinal, o zagueiro titular havia declarado há dias que já estava em férias…

Torcedores do próprio Fluminense e dos demais times ameaçados pelo rebaixamento não devem estar nada felizes com o descanso de Dedé & Cia.

Já foi pior que isso, com episódios vergonhosos e totalmente antiesportivos de times entregando jogos, fato agravado ainda mais por torcidas nos estádios clamando pela entrega, com o fito de prejudicar um rival.

Que tipo de lição se pode tirar para a vida desses fatos?

Quando isso acontece, o futebol perde muito de seu encanto e perde sua função como exemplo para os jovens. A esportividade é jogada no lixo e o conceito do que é justo vai junto com ela para a mesma lata, onde somente as coisas sujas deveriam estar. Os times – essas instituições sagradas e apaixonantes – passam a lição de que na vida vale tudo e só interessa pensar em si próprio. Danem-se os outros. E todos esquecem o que a vida nos mostra incessantemente: o que deu de ombros hoje gritará amanhã por ser prejudicado por outro que dará de ombros.

Ah, mas o time campeão cansou.

Ah, mas o time está disputando outra competição.

Ah, mas a torcida quer que a gente perca para o rival histórico ser prejudicado.

Ora, cansar todo mundo se cansa, mesmo, mas as férias estão logo aí e nada impede que um ou outro caso mais sério de atleta precisando de uma parada não seja beneficiado. Ao poupar os jogadores, o contrato não verbalizado que existiu a partir da primeira rodada deixa de ser cumprido. Um time enfraquecido por fatores extracampo, por vontade ou capricho de dirigentes, técnicos e atletas, vai afetar a competitividade e a justiça da competição, na medida em que alguns serão beneficiados e outros prejudicados. Adeus condições iguais de disputa para todos.

Ah, mas se os titulares jogassem quem garante que seria diferente?

Nada, ninguém, não há garantia, mas pelo menos haveria isonomia, todos jogariam em condições teoricamente iguais e não em condições sabidamente desiguais antecipadamente, e não na teoria, mas na prática, mesmo.

O calendário é conhecido por todos. E é aceito por todos. Fica implícito que todos devem disputar todas as competições com o mesmo empenho, sem privilegiar aqui, sem menosprezar ali. No caso desse final de semana, a decisão do São Paulo, por exemplo, tenha sido ela de seu treinador, de sua direção ou conjunta, sequer pode ser considerada como inteligente. É a velha história de contar na frigideira com o ovo que ainda não foi botado. Nada há de certo na disputa da Copa Sul-Americana.

Isso é futebol e quem garante que a Ponte Preta, mesmo que virtualmente rebaixada no Brasileiro, não pregue uma peça e elimine o São Paulo nessa disputa pela semifinal? Aí o São Paulo ficará sem a Libertadores 2014, pois com a derrota de ontem jogou fora qualquer possibilidade real, mesmo que fosse pequena, de conseguir a classificação pelo Campeonato Brasileiro.

É muito difícil classificar, tipificar e provar essas coisas, mas, sinceramente, eu ficaria muito feliz se o tribunal olhasse com cuidado para essas situações, mesmo porque o que começou na rodada de ontem não vai ficar limitado a ela, infelizmente.

Cadê a ética? – que poderia, também, ser o título desse posto.

Cadê a ética?

 

Corintiano monta torcida organizada gay e tenta afastar o preconceito da arquibancada e do futebol! Veja outros gigantes do país, que também têm seus representantes na internet!!!

Leia o post original por Milton Neves

O futebol segue incansavelmente sua luta contra todo tipo de preconceito.

Além do racismo, a homofobia também insiste em permanecer dentro e fora do campo de jogo.

Nas arquibancadas, o surgimento natural de torcidas organizadas com a bandeira LGBT ganha força.

Nesta semana, o corintiano Felipeh Campos teve espaço na mídia com a divulgação da “Gaivotas Fiéis”, que o próprio denomina como primeira uniformizada gay do mundo.

Mas tal feito não é exclusividade do Timão.

Páginas na internet reúnem torcedores homossexuais há tempos, sempre alimentando a paixão pelo clube de coração.

O São Paulo tem o grupo “Bambi Tricolor”.

O Verdão é representado pelo “Palmeiras Livre”.

O Atlético-MG tem a “Galo Queer”.

Rival em Minas, o Cruzeiro ostenta a “Cruzeiro Maria”.

E o Flamengo possuiu a “Flagay”.

E na década de 70, o Grêmio teve a “Coligay”, grupo de torcedores gays que não chegou a ser denominado torcida uniformizada.

Exemplos não faltam para essa parcela importante das torcidas.

Agora, precisamos estimular o “Fair Play” dentro e fora das quatro linhas.

Com a criação da “Gaivotas Fiéis”, outras torcidas também nascerão?

OPINE!!!