Arquivo da categoria: Fernando Garcia

VOLTEI! E uma dúvida: quem é Vílson???

Leia o post original por Craque Neto

Caros amigos leitores do Blog, peço até desculpas pelo período de inatividade, mas estava de férias e onde fui não consegui atualizar a página. De qualquer forma recebi várias informações das novidades que estão acontecendo no futebol brasileiro. Algumas delas positivas, como o supertime que o Flamengo está montando para 2019. Com De Arrascaeta e Gabigol será que o ‘cheirinho’ de título importante finalmente vai chegar? Mas negativamente o que mais me chamou a atenção foi a cara de pau do Sr. Andrés e da diretoria do Corinthians em colocar como gerente de futebol um tal de Vílson. Só pode […]

O post VOLTEI! E uma dúvida: quem é Vílson??? apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Recente ligação com agente pressiona Vilson, novo gerente do Corinthians

Leia o post original por Perrone

Uma ligação profissional de seu recentemente encerrado tempo de jogador pressiona Vilson, novo gerente de futebol do Corinthians ao lado de Emerson Sheik. Ele era agenciado pela Elenko Sports, empresa de Fernando Garcia, ex-conselheiro do clube e um dos mais influentes agentes no Parque São Jorge.

Pelo menos parte da oposição afirma que o gerente está envolto em um conflito de interesses. Isso porque ele naturalmente é próximo de seu ex-empresário. Assim, pode ter que negociar renovações de contratos de jogadores com quem cuidava de seus interesses como zagueiro até o fim de 2018. Pela mesma tese, há chance de ambos se reunirem para discutir futuras contratações e vendas de atletas. A assessoria de imprensa do Corinthians afirmou ao blog que, por enquanto, Vilson não irá se manifestar sobre o assunto. Porém, enviou a seguinte nota:

“Conforme dito na entrevista coletiva do diretor de futebol, Duilio Monteiro Alves, Vilson foi escolhido para a função de gerente devido às suas qualificações para gerir um grupo de atletas, estas mostradas enquanto atleta, ao ser agregador, companheiro e experiente no futebol. Vale ressaltar que o Sport Club Corinthians Paulista aposta há dez anos na colaboração de ex-atletas na gestão do futebol, como foram os casos de William Machado, Edu Gaspar, Alessandro Nunes e agora com Emerson Sheik. Inevitavelmente, como atletas, cada um teve seu representante, sem qualquer intransigência ou interferência em suas carreiras como dirigentes. As negociações e tratativas com representantes de atletas seguem a cargo da diretoria”.

Ao ser indagado pelo blog sobre o fato de parte dos conselheiros criticar a escolha de Vilson por sua ligação com ele, Garcia disse que “não acha nada” sobre o assunto. Também afirmou que Vilson é seu ex-cliente e negou que tenha sugerido a Andrés Sanchez a efetivação do ex-beque no posto que era de Alessandro Nunes. Até a tarde desta quinta (3), Vilson aparecia no site da Elenko como atleta agenciado pela empresa. Lá aparecem outros corintianos, como Walter, Danilo Avelar e Thiaguinho.

Além de empresário, Fernando é irmão de Paulo Garcia, um dos candidatos derrotados por Sanchez na última eleição presidencial no alvinegro.

Entre quem torce o nariz para Vilson como gerente, há o entendimento de que o clube deveria escolher alguém que já está no mercado e que não estava até recentemente ligado a um determinado empresário.  Na situação, o discurso é de que a oposição sempre vai reclamar de algo e que não existe conflito de interesses.

O ex-zagueiro deve ficar com a maioria das atribuições de Alessandro. Por sua vez, Sheik terá como uma de suas missões ser o elo entre direção e jogadores. O ex-atacante é conhecido no Parque São Jorge pelos seus laços de amizade com Sanchez.

 

Se brilha no campo, por que Timão vive CAOS financeiro???

Leia o post original por Craque Neto

Fico curioso pra não dizer intrigado com algumas coisas que acontece com o Corinthians. Poxa vida! Dentro de campo, com todas as dificuldades criadas pela diretoria, a turma do Carille consegue atingir o mais alto nível de excelência conquistando os principais títulos que disputa dentro de campo (atual bicampeão do Paulistão e campeão do Brasileirão). Só que fora dele a direção do clube transparece um absoluto CAOS financeiro. Pelo amor de Deus! A todo instante tem notícias de que estão devendo luz, água, gasolina para os ônibus dos meninos e até marmita dos funcionários. Uma disparidade que realmente me deixa […]

O post Se brilha no campo, por que Timão vive CAOS financeiro??? apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Entenda o imbróglio que emperra renovação de Liziero com São Paulo

Leia o post original por Perrone

Uma reunião nesta quinta (29) iniciou tentativa de acordo para que Liziero troque de empresários e, enfim, possa discutir sua renovação contratual com o São Paulo.

O volante, que recebe menos de R$ 10 mil por mês, conforme apurou o blog, não quer negociar com o clube enquanto não mudar de agentes. O compromisso do meio-campista com a equipe do Morumbi vai até fevereiro de 2020. Mas o São Paulo tem certa pressa para renovar, dar reajuste ao atleta e, ao mesmo tempo, aumentar sua multa rescisória. Dessa forma,  ficaria mais protegido em relação a times interessados no jovem.

O encontro feito um dia após a eliminação do São Paulo nas semifinais do Paulista pelo Corinthians, com pênalti decisivo perdido por Liziero, envolveu um advogado falando em nome do jogador e atual equipe de representantes do volante. Na Art Sports, empresa com quem o são-paulino tem contrato, a conversa foi considerada boa no sentido de se chegar a um acordo.

Liziero deseja ser representado pela Elenko, que tem como principal nome o empresário Fernando Garcia, influente no Corinthians. A empresa, porém, não admite publicamente estar negociando para ter o volante como cliente.

A situação se complicou porque a Art Sports Management, do agente Nilson Moura, tem Liziero sob contrato até 2020 com multa rescisória de R$ 1 milhão. O blog apurou que a empresa aceita uma quantia inferior como indenização.

Só que Liziero foi orientado por advogados a questionar o compromisso e exigir que o vínculo seja considerado encerrado em abril, mês em que o trato completará dois anos. O argumento é de que a Art Sports violou o Regulamento Nacional de Intermediários da CBF. O documento estipula em dois anos o prazo máximo para acordos entre agentes ou empresas com jogadores. Assim, Liziero recorreria à Câmara Nacional de Resoluções de Disputas da CBF para conseguir se desvincular dos empresários atuais sem nada pagar.

Por sua vez, a Art Sports sustenta que o contrato com o jogador é legal, pois possui respaldo jurídico para superar os dois anos estipulados pela CBF. Moura está cadastrado na entidade para exercer a atividade de empresário de jogadores.

Antes de crise entre Liziero e seus representantes estourar, chegou a haver contato do São Paulo na tentativa de renovação. O blog apurou que a ideia inicial do clube era aumentar o salário do volante para R$ 40 mil.

 

Nacional-SP faz parceria com agente Fernando Garcia

Leia o post original por Perrone

Tradicional clube da capital paulista, o Nacional terá como um de seus parceiros o agente de jogadores Fernando Garcia, ex-conselheiro do Corinthians. Atualmente na Série A-2 estadual, a agremiação deve apresentar na próxima semana um novo projeto que contará com pelo menos mais um parceiro, que ainda não teve seu nome divulgado.

Ao blog, por mensagem de celular, Fernando confirmou a parceria, mas não deu detalhes. E se limitou a dizer que seu envolvimento será pessoal, não por meio da Elenko, empresa da qual é um dos sócios. Mesmo assim, o blog apurou que ele vai colocar no clube jogadores com os quais trabalha.

A Fifa proíbe empresários de terem participação nos direitos econômicos de jogadores. A partir do veto, muitos passaram a vincular seus atletas a clubes com os quais têm boa relação e até mesmo a comprar agremiações.

A diretoria do Nacional não foi localizada para explicar o projeto.

Irmão de Paulo Garcia, um dos candidatos à presidência do Corinthians na eleição de fevereiro, Fernando tem como clientes na Elenko, entre outros, o ex-corintiano Malcolm, atualmente no Bordeaux (FRA), Guilherme Arana, Petros, Felipe Melo, Marciel, Lucca, Maycon e Guilherme Romão, promessa que passou a integrar o time profissional do Corinthians nesta temporada.

Coincidências do futebol

Leia o post original por Craque Neto

A cada dia que passo fico mais impressionado com as coincidências que o futebol provoca. Sobretudo o esporte aqui no Brasil. Uma semana antes de receber essa foto tinha ficado sabendo que o atacante Malcom, ex-Corinthians, estava prestes a ter seus direitos federativos negociados com um outro clube europeu. E para minha surpresa aparecem publicamente o jogador ao lado do atual deputado federal Andrés Sanchez, o empresário Fernando Garcia, que seria o agente do jogador, e seu sócio Guilherme Miranda. Aí pergunto a vocês, caros amigos, o que estaria fazendo o nobre deputado na França? Passeando? Questionado sobre o fato […]

O post Coincidências do futebol apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Como empresa de Fernando Garcia virou anunciante na Arena Corinthians

Leia o post original por Perrone

Com Dassler Marques, do UOL, em São Paulo

Anúncio de empresa que tem Fernando Garcia como sócio no telão da Arena Corinthians Foto: Diego Canha

Anúncio de empresa de Fernando Garcia no telão da Arena Corinthians Foto: Diego Canha

Em meio a vários anúncios que apareceram no telão da Arena Corinthians durante o amistoso da última quarta, com a Ferroviária, um chamou atenção por ser inusitado. Ele trazia a logomarca da Elenko Sports, empresa de agenciamento de jogadores que tem entre seus sócios Fernando Garcia, ex-conselheiro alvinegro.

Por que uma empresa que tem como principais clientes jogadores de futebol teria interesse em pagar para divulgar a sua marca dentro de um estádio de futebol?

A resposta foi dada ao blog pela assessoria de imprensa da arena. A explicação é que a Elenko e outras empresas que apareceram no telão e em outros painéis não pagaram pela divulgação. Foi uma cortesia a todas que têm camarote no estádio como parte de uma ação de relacionamento inicialmente válida apenas para aquela partida.

A Elenko foi uma das primeiras empresas a adquirir camarote na casa alvinegra.

Garcia e sua empresa são tão influentes quanto polêmicos no clube. Há muitas queixas de conselheiros sobre as últimas diretorias fazerem inúmeras negociações de jogadores, inclusive nas categorias de base, com Fernando, que até já emprestou dinheiro para o Corinthians.

Recentemente, a Elenko foi acusada por Will Dantas, representante do meia Pedrinho, destaque do time na última Copa São Paulo, de assédio ao jogador a fim de assumir o gerenciamento da carreira dele. Garcia desmentiu as acusações.

Marlone, Walter, Guilherme Arana, Maycon e Vilson aparecem no site da Elenko como atletas agenciados por ela no time principal do Corinthians. Lucca, emprestado para a Ponte Preta, e Pottker, que deverá vir do clube de Campinas para integrar a equipe corintiana após o Paulistão também estão na lista. Na relação há ainda uma série de ex-corintianos como Uendel, André, Petros, Malcom e Matheus Pereira.

Além de ex-conselheiro, Fernando é irmão de Paulo Garcia, ex-candidato à presidência do clube e doador na campanha de Andrés Sanchez a deputado Federal por meio de sua empresa, a Kalunga.

Abaixo, nota enviada ao blog pela assessoria da Arena Corinthians sobre o assunto:

“Essa foi uma ação de relacionamento da Arena com todos os clientes do estádio, que tiveram suas marcas expostas no telão e faixas de led durante o amistoso.

As empresas que tiveram essa exposição adquiriram camarote na arena.

Todos que estavam no telão possuem camarote, exceto a Honda, que tem uma parceria maior. Mas nem todos os camarotes estavam no telão por opção da própria marca.”  

 

‘Perdi mais do que lucrei no Corinthians’, diz agente de Malcom e outros 8

Leia o post original por Perrone

Ele é chamado por torcedores e críticos dentro do clube de dono do Corinthians pela quantidade de jogadores que tem lá. Mas afirma que contabiliza mais prejuízos no Parque São Jorge do que lucro.

É visto por seus detratores como um mal para o alvinegro, porém, diz que ajudou o clube até emprestando dinheiro para o pagamento de uma dívida com Pato.

Foi vítima de zombaria de colegas por demorar a vender Malcom, agora diz que o atacante de 18 anos em breve estará entre os Top 10 do mundo após se transferir para o Bordeaux.

É agente de André, atacante contestado por seu currículo na noite, entretanto atesta que o cliente hoje é exemplo de jogador que sabe se cuidar.

Abaixo, saiba mais sobre as negociações e o que pensa o empresário Fernando Garcia, um dos agentes mais influentes na equipe da Zona Leste e irmão de Paulo Garcia, ex-candidato à presidência do clube. Fernando concedeu entrevista ao blog na noite desta sexta, por telefone.

O Corinthians vai ficar com 15% dos 5 milhões de euros que o Bordeaux vai pagar pelo Malcom já que vocês venderam só 50% dos direitos econômicos? O clube receberá 15% dos 50% de uma futura venda certo?

Você é jornalista esportivo ou econômico pra falar de valores e porcentagens? Não fica falando de valores, é perigoso, tem risco de sequestro.

Outros empresários falaram que você não conseguia vender o Malcom…

Vendi. Foi um tapa em quem falava isso. Pede pra esses que te falaram isso serem homens e se apresentarem. Falem quem são, que jogadores venderam. Você deveria publicar o nome de quem falou. Você não pode trabalhar com a informação pela metade. Falou meu nome, fala o deles também.

A venda do Malcom foi feita por meio dos dois empresários (um alemão e um português) para quem você tinha prometido metade da sua comissão?

Não. Vendi com o Charles, um amigo francês que mora no Brasil. Eu estava trabalhando faz tempo nessa venda. Eles (representantes do Bordeaux, estiveram aqui no ano passado pra ver o Malcom contra o Santos pela Copa do Brasil. Mas ele foi mal. Em seguida, viram o jogo com o Cruzeiro. Daí ele foi bem e começamos a conversar. Agora anota aí, mudo de nome se o Malcom não estiver entre os Top 10 do mundo com 23 anos.

Como ficou a divisão da venda dos 50%?

Eu tenho 40% dos direitos, o Corinthians 30% e não sei quem tem mais 30%. Todos venderam a metade que tinham e receberão a outra metade numa futura venda. O Corinthians ainda vai ficar com mais uma porcentagem que é do mecanismo de solidariedade da Fifa, que protege o clube formador. Eu paguei R$ 2,5 milhões por 30% do Malcom quando ninguém queria o jogador. Você acha que estou ganhando muito? Não é bem assim, faz tempo que comprei, tem que fazer a correção. E ninguém fala dos prejuízos que eu tive com outros jogadores, todo empresário tem.

Que jogadores?

Paguei R$ 400 mil pelo William Arão e coloquei de graça no Corinthians. Só que ele saiu de graça também. Não ganhei nada. Quanto ele vale hoje? Em 2009, investi R$ 350 mil no Bruno Donizete pra jogar no Corinthians, também acabou saindo de graça. Põe em dólar aí pra ver quanto eu perdi.

Mas você ganhou mais do que perdeu. Não ficaria nesse ramo perdendo mais do que ganha.

Eu já perdi pra caramba. Vocês acham que são só flores, mas não são. Quer outro exemplo? O Marlone, quando estava no Vasco, todo mundo queria. Fui lá e comprei do clube e do procurador dele. Paguei 3 milhões de euros. O Alexandre Matos (atualmente dirigente remunerado do Palmeiras) me pediu pra levar o jogador pro Cruzeiro, que pagaria R$ 2,5 milhões de reais por uma porcentagem. Pagaria, mas não pagou e não usou o jogador. O Mano Menezes (em 2014) me pediu o Marlone, e eu levaria de graça para o Corinthians porque ele não era aproveitado no Cruzeiro. Fui pra Belo Horizonte, falei com o Mattos e com o presidente do Cruzeiro. Eles disseram que tinham conversado com o treinador e que ele ia ser usado. O Marlone ficou lá e não foi usado. Daí voltei e tirei de lá, rescindi. Outra história com o Cruzeiro. O Dedé, pagamos (ele e parceiros) oito milhões nele. Teve oferta, mas o Cruzeiro não deixou vender por 12 milhões de euros. E o nosso investimento, como fica? O investidor é quem se f… na maioria das vezes.

Na maioria das vezes não, se fosse assim, não existiriam investidores mais.

Ganha e perde pra caramba. Em dois anos, nossa empresa (Elenko Sports), está no vermelho. Não dependo do futebol, ainda bem.

Sei, você não precisa de dinheiro.

Precisar, sempre vai precisar, o homem é ganancioso, ganancioso do lado bom. Mas se eu dependesse do futebol não teria comida para colocar na mesa. Perdi mais do que ganhei no futebol, mas os melhores ativos no Brasil hoje são da nossa empresa e já fizemos bons negócios.

E no Corinthians, mais ganhou ou perdeu?

Perdi.

Mas você acaba de vender o Malcom? Não está no lucro agora?

Eu ainda não recebi o dinheiro do Malcom. E quando receber, não vai chegar a dar lucro, porque paguei R$ 2,5 milhões nele lá atrás. Quanto daria isso em euros naquela época?

Como você obteve 40% do Malcom?

Quando ele tinha 14 anos, fui ver o Corinthians jogar em Guarulhos. Ele era reserva, mas naquele dia jogaram os reservas. Em dois toques vi que ele era craque. Ajudei a família, virei procurador e fiz um acordo para ficar com 10% dos direitos dele quando virasse profissional (se o clube concordasse em dar essa fatia ao jogador). Depois comprei 30% do Corinthians porque ninguém tratava o Malcom como joia lá, só eu. Demoraram três meses pra assinar o primeiro contrato profissional dele depois que ele fez 16 anos, poderia ter ido pro São Paulo. Falei pra mãe dele que ele tinha queficar, fiquei com ela no sol duas horas esperando pra assinar contrato.

Quantos jogadores você tem hoje no Corinthians por meio de suas empresas.

Tenho oito. Walter, que eu comprei por R$ 1,8 milhão, Uendel, que sou procurador mas não tenho porcentagem, Guilherme Arana, que tenho 26%, Matheus Pereira, que tenho 42,5%, Vilson, 33%, Marlone, 15% ou 16%, Lucca, que tenho só a procuração, André e tinha o Malcom.

Na base do Corinthians você tem muito mais jogadores, não?

Não. Não é mais meu perfil. Tenho um terço da procuração do Maycon (que acaba de ser promovido para o time principal), então nem falo que tenho.

Mas muitos torcedores o criticam, você é chamado de dono do clube, dono da base.

É desinformação, acontece porque alguns palhaços escrevem qualquer coisa.

Você também é criticado por ser conselheiro do clube (o estatuto proíbe conselheiros de terem relação comercial com o Corinthians).

Não sou mais, faz tempo.

Você tinha pedido licença.

Estou afastado definitivamente.

Mas negociou com o clube enquanto era conselheiro.

Tem tanta gente que compra e vende outras coisas lá e ninguém fala nada. Eu ajudei o clube, emprestei dinheiro e não recebi tudo ainda. Fiquei dois anos e meio na fila, recebi a maior parte, mas o clube ainda me deve muito. Se a venda do Jadson deu lucro para o clube foi porque eu ajudei. Deviam para o Pato quando acertaram a troca, mas precisavam acertar a dívida para ele poder ir pro São Paulo. Eu emprestei e não recebi tudo ainda. Confio na diretoria. Se precisarem de novo e eu tiver, estou aí para ajudar.

Você confia muito no sucesso do Malcom na Europa. E do André no Corinthians?

O André mudou totalmente de um ano pra cá, mudou a forma de ser fora de campo, passou a se alimentar decentemente, a dormir as horas necessárias, tomou consciência de que é um profissional. Não tenho dúvida de que vai fazer um monte de gols. Veio praticamente de graça e o Corinthians vai fazer milhões com ele.

Parceiro do Corinthians põe agentes europeus para tentarem vender Malcom

Leia o post original por Perrone

Foto: Ernesto Rodrigues/Folhapress

Foto: Ernesto Rodrigues/Folhapress

Cotado para ser negociado com o futebol europeu desde novembro, o corintiano Malcom não recebeu proposta oficial enquanto observava seus colegas se despedirem do clube.

Na tentativa de mudar essa situação, Fernando Garcia, sócio da empresa que detém 70% dos direitos econômicos do atacante, assinou no último dia 7 um documento que coloca dois empresários europeus no circuito a fim de negociar o jogador.

Garcia firmou um compromisso de pagamento no qual se compromete a ”ceder 50% dos valores de comissão” recebidos por ele aos empresários Cristhotth Leutrum, alemão, e Camilo Danif, português, se Malcom for vendido com comprovada participação dos dois na negociação.

O documento tem validade até o dia 1º de fevereiro e determina que “toda e qualquer decisão final sobre eventual transferência do atleta (ônus, condição de pagamentos, datas, etc) deverá ser exclusivamente decidida por Fernando Garcia”. O Corinthians não é nem citado no documento ao qual o blog teve acesso.

“Tenho um acordo com o Corinthians para poder tocar negociações pelo Malcom, e esses empresários me procuraram dizendo que tinham um clube interessado”, disse Garcia ao blog. De fato, a direção alvinegra não se incomoda com a movimentação do parceiro.

Também não há menção aos valores que a empresa dele receberá pelos direitos econômicos de Malcom. Eles não fazem parte da negociação com a dupla de agentes. Ou seja, além da receita com a fatia do atleta, Garcia espera receber comissão pela venda.

Até agora, porém, nenhuma proposta pelo atacante foi apresentada pelos dois europeus. “Eles não vão apresentar nada. Foram bater numa porta que eu conheço muito bem, sei que não virá proposta de lá”, disse Garcia, sem revelar a qual clube europeu se referia.

O empresário, irmão de Paulo Garcia, ex-candidato à presidência do Corinthians, tem sido alvo de ironia de agentes brasileiros pelo fato de ainda não ter conseguido negociar Malcom nesta janela. Um dos motivos da provocação é que as constantes notícias de que o atacante seria negociado faziam com que outros jogadores corintianos pressionassem seus agentes a apresentarem propostas.

“É só você pedir pra quem diz isso apresentar a lista de jogadores que já vendeu para Europa, pra time grande, daí eu mostro a minha. E fazer parceria com empresários de outros países não demonstra dificuldade em negociar. Ninguém vende jogador se não tiver parcerias. Tenho parceiros em vários países”, declarou Garcia.

Sobre o fato de nada oficial ter chegado para Malcom, ele disse que teve ofertas mas o salário oferecido não interessou. “Jogador que trabalha comigo só vai embora para ganhar bem. Eu penso no atleta, não vai pra qualquer lugar”.

Inter de Milão mira Arana para emprestar ao Bologna. Corinthians tem 40%

Leia o post original por Perrone

A Inter de Milão está interessada em pagar 4 milhões de euros por Guilherme Arana, reserva no Corinthians, e emprestar o jogador para o Bologna, a fim de dar mais rodagem a ele.

A expectativa de empresários que participam do negócio é de que uma proposta oficial seja enviada nesta semana ao clube brasileiro.

Se ela chegar, o alvinegro ficará com 2,4 milhões de euros, caso o negócio seja concretizado por 4 milhões de euros. O clube tem apenas 40% dos direitos econômicos do jogador. Os outros 60% pertencem a Elenko Sports, que tem como um de seus sócios Fernando Garcia, irmão do ex-candidato à presidência do clube Paulo Garcia.

A grande quantidade de atletas ligados a ele no Parque São Jorge gera críticas de conselheiros até da situação. Malcom, Lucca, Matheus Pereira, Uendel,Walter e Marlone estão entre os atletas da carteira de Garcia.

O empresário se afastou do Conselho Deliberativo depois de diversas queixas de seus colegas. Isso porque o estatuto corintiano proíbe conselheiros de fazerem negócios com o clube.

Nunca é demais lembrar que hoje a Fifa proíbe empresários e empresas de adquirirem direitos econômicos de jogadores.