Arquivo da categoria: Fernando Prass

Engajado, Prass vê elite do futebol do país omissa em relação a problemas

Leia o post original por Perrone

Famoso, integrante da galeria de ídolos da história do Palmeiras e tranquilo financeiramente. Ao mesmo tempo, preocupado com companheiros que ganham muito menos, com aqueles que já perderam o emprego por conta da paralisação dos campeonatos em tempos de quarentena e incomodado com o que chama de omissão dos jogadores da elite do futebol brasileiro em relação a problemas estruturais da modalidade no país. Esse é o Fernando Prass, goleiro do Ceará, que você vai ver na entrevista abaixo.

Blog do Perrone – Você faz parte de um novo sindicato, dos atletas da cidade de São Paulo. Como membro dessa entidade, você participou das reuniões entre clubes e jogadores na qual os atletas recusaram proposta dos dirigentes de reduzir os salários em 25% durante a suspensão dos jogos por conta da pandemia de Covid-19? 

Fernando Prass – Participo do sindicato, tenho o cargo de delegado. Mas, nesse caso, participei das conversas com o presidente do sindicato do Ceará e com a Fenapaf (Federação Nacional dos Atletas Profissionais de Futebol). As decisões acabaram sendo individuais, em cada clube.

Aqui (no clube) a gente fez um acordo com o Ceará. Sim, a primeira proposta foi de redução de 25%. Não é que não aceitamos, a gente achou que era cedo.

Com cinco dias de parada, não dá pra saber o impacto financeiro que ninguém vai ter. Uma porque a gente achava que deveriam participar dessas rodas de debates as emissoras que transmitem os campeonatos. E a gente achava que um mês depois, no final das férias (atuais), os clubes teriam um mês de rodagem e já saberiam qual patrocinador que não vai pagar, qual vai pagar. O nível de inadimplência do sócio-torcedor, se aumentou ou não.

Um mês depois, de repente, os clubes já  têm uma visão menos turva do calendário. E aí podem passar para as empresas que transmitem pra elas  também se posicionarem a respeito do repasse das cotas. Em cinco dias é tudo muito nebuloso. 25% por que, desde o Flamengo até o Pacajus (CE)? Por que isso? Usei a metáfora de um remédio. O cara tá doente, tu dá o mesmo remédio pra todo mundo. Para uns vai funcionar, para outros não vai fazer nem cócegas e outros tu vai matar quando der esse remédio. Primeiro tem que fazer os exames para saber o quadro do paciente. E depois usar a dosagem, o remédio individualmente, né? É isso que a gente estava defendendo.

BlogO que ficou resolvido no Ceará?

Prass – A gente já entrou em acordo com o presidente. A gente aceitou até o fim das férias uma redução de salário com uma reposição futura e a gente aceitou uma outra redução, outro percentual, com algumas condições, como os meninos da base não entrarem na redução e que nenhum funcionário do clube fosse demitido.

O presidente do Ceará estava bem alinhado com nossas ideias, principalmente em relação a não demitir funcionários. Uma parte dessa redução nós vamos abrir mão para que o clube não precise demitir ninguém.

Esse acordo é pra março e abril. Aí, no fim das férias, a gente vê como está. Acho que é o mais justo para as duas partes. Não dá pra negociar no escuro.

Blog- Hoje você tem uma ideia um pouco mais formada?

Prass – Na verdade estou esperando, o governo disse que na semana que vem iriam chegar mais testes e começariam a testar em massa a população. Porque hoje a gente ainda não tem noção do que está realmente acontecendo.

Pra mim, esses números (de casos de Covid-19 no país) que estão aí hoje são completamente desconectados da realidade. Eu mesmo, tenho dez conhecidos que foram contaminados, só dois foram testados. Então, esses números são muito frágeis.

Daqui a pouco tem a testagem maior, e o número de casos aumenta muito. Por isso não estou tentando adivinhar muita coisa, não sei o número de casos. Foram dadas férias até 20 de de abril, prorrogáveis por mais dez dias. Eu acho que é muito improvável a gente voltar dia 20 de abril. No máximo, no máximo, dia 1° de maio.

BlogQual a maior preocupação com a classe, se a interrupção dos jogos por conta da quarentena se estender?

Prass – Agora é em relação aos times que só têm o Estadual. Os jogadores só tem três, quatro meses de contrato e, se a coisa se arrastar muito, o cara não vai ficar segurando… O contrato dos jogadores era até abril. Sem receitas, os caras não vão segurar esses jogadores até maio. Os caras nessa situação costumam jogar também o Brasileiro, mas ninguém vai contratar esses caras enquanto não souber como fica o calendário. 

A maior preocupação é com esses caras que podem ficar desempregados.

Blog – Estão discutindo alguma solução?

Prass – Cara, a gente está tentando tudo. O sindicato está tentando, mas é tudo muito difícil. De onde vem esse dinheiro pra auxiliar?

Os clubes estão pedindo redução de salário. A televisão poderia antecipar cotas, mas ela está suspendendo pagamentos do contrato. Agora parece que vai sair um fundo da CBF. Não sei se é um valor suficiente para os clubes se manterem. Já é um começo. Precisava ter uma linha de crédito que os clubes pudessem pagar no ano que vem, pudessem dar garantias em troca. Alguma coisa assim, mas nada disso foi discutido.

Blog – Podemos ter jogos até o final de dezembro, com uma parada para o Natal e outra para o Ano Novo. Qual sua opinião sobre isso?

Prass – É um ano atípico. Na Inglaterra se joga no Natal e no Ano Novo. Tu joga no dia 24, no dia 31.

Blog – Não vê grande problema nisso?

Prass – Eu vejo como grande problema. Mas tem coisas que não têm discussão. Outra coisa, não adianta ficar pensando em cenários futuros, queimar a cabeça, se a gente não sabe o que vai acontecer.

Daqui a pouco chega o começo de maio, voltam os campeonatos. Ou voltam em junho, a gente já tem outro cenário. Vai dar pra encaixar os Estaduais? A fórmula do Brasileiro vai ser mantida? Os brasileiros que estão na Libertadores conseguem disputar a Copa do Brasil?

Aí tem um outro cenário: volta em julho. Aí não tem jeito para os Estaduais. Como ficam as outras competições? O Brasileiro consegue manter as datas para terminar em pontos corridos?

A gente tem que ir analisando o cenário de duas em duas semanas para ver o que acontece. Não tem como preencher agora todas as lacunas de questionamento que existem agora.

Blog – Não adianta nem perguntar o que você acha de transformar parcialmente o Brasileirão em mata-mata.

Prass – Não dá, precisamos esperar para ver o que vai acontecer. Outro dia ouvi o presidente de um clube do Rio de Janeiro falando que por respeito aos clubes pequenos tem que terminar o Estadual. Sim, tem que acabar. Mas, e se não tiver data? Não é uma questão de querer prejudicar ou beneficiar alguém. É uma coisa que é matemática. Quando for liberado para voltarem os jogos, provavelmente ainda na volta sem público, vamos ter que sentar e analisar o campeonato.

Dá pra encaixar o Estadual, a Copa do Brasil, a Libertadores, o Brasileiro. Vamos ter que sentar e ver como vai ser.

Vai ser ruim pra todo mundo, pra televisão, pros clubes, pros jogadores, vai quebrar o calendário do ano, de repente férias… Mas não tem o que fazer. 

Blog – Acha que os jogadores estão organizados, unidos pra retomar essa discussão? Porque existe um problema histórico de união entre jogadores.

Prass – Não é nem questão de desunião, é questão de omissão, de comodismo. Não é querer desmerecer ninguém, mas quem vai decidir isso, quem tem voz ativa são os jogadores da primeira divisão que estão no topo da pirâmide. Isso a gente tem que saber. Porque são jogadores que têm maior poder de barganha, tem um posicionamento mais forte, mais condições de ponderar alguma coisa. Até porque o campeonato mais importante e mais lucrativo é o Brasileiro. Então, são jogadores que têm uma condição melhor, mas muitas vezes, por comodismo, não se preocupam em discutir, em debater muito.

Às vezes acontecem esses eventos, como essa pandemia e aí começa a se discutir um monte de coisa. Acho que a gente peca nisso aí. A gente precisa de uma pandemia dessas pra levantar alguns questionamentos no futebol brasileiro que já são de décadas.

A gente, não sei por qual motivo, não só jogadores, clubes, federações e até o governo mesmo nunca botou o dedo na ferida. Agora, por causa de uma pandemia, começam a discutir. A gente tinha que discutir isso mais profundamente em momentos de maior calmaria.

Blog – Colocar o dedo na ferida, você se refere principalmente a calendário?

Prass – A tudo. Todo mundo sabe que o futebol brasileiro é um produto subaproveitado, é nítido. Os caras buscam aqui os melhores jogadores, tem um campeonato muito equilibrado. Acho que é mal vendido, mal trabalhado. Os clubes são muito mal administrados, não têm um norte, um regulamento, um código de conduta que devem seguir, não tem o fair-play financeiro que na Europa já tem faz muito tempo.

Isso é impossível de se conceber. Estão pensando num modelo de fair-play. O Bom Senso FC levantou essa bola lá em 2013. E o Brasil não tem nada ainda, a gente vê cada barbaridade que é brincadeira.

Blog – Acha que o futebol brasileiro pode sair da pandemia mais preocupado com essas questões?

Prass – Não sei. Nessa primeira abordagem não vejo isso. Vejo os caras mais preocupados com o momento. Não tá errado também porque a emergência é agora. Tomara que surja uma semente de alguma coisa mais construtiva, mais duradoura. Não uma coisa só pra apagar incêndio.

Blog – Claro que todas as categorias são importantes, mas você acha que num momento de crise como o de agora, por causa da imagem de que jogador ganha bem, as autoridades acabam esquecendo dos jogadores desempregados, de jogadores que se aposentaram e enfrentam dificuldades financeiras… É uma categoria que fica meio esquecida?

Prass – Não é esquecida, não. Dá pra usar a palavra preconceito. Porque se cria esse estereótipo de jogador, que é o que tu vê na televisão. A televisão não passa a Série D do Campeonato Brasileiro. Tu pega a internet nas férias tem lá: ‘veja as férias dos jogadores, mas aparece só Neymar, Cristiano Ronaldo, Messi, Gabigol. Eles não mostram as férias do fulaninho que está na quinta divisão.

Isso contribui muito para formar o estereótipo do jogador. Aconteceu aqui no Estado do Ceará. O sindicato fez uma campanha pra doar cestas básicas pra ex-atletas e atletas que estão desempregados, e um dos atletas relatou que no bairro dele tinha tido uma distribuição de cestas básicas. Mas disseram que pra casa dele não precisava porque ele é jogador de futebol. Quer dizer, é uma visão distorcida. Se tu for ver por aí tem dados de quanto por cento dos jogadores ganham mais de dez salários mínimos. É um ponto alguma coisa por cento.

Prass – Como reverter isso?

Aí depende muito mais da própria mídia do que dos jogadores. Eu sempre brinquei, porque os caras não fazem um reality, um mês acompanhando a vida do Joãozinho que joga lá na série D para ver como ele faz desde o começo do ano, como ele faz a preparação dele, como ele faz pra pagar as contas, como é a vida dele. Porque do Cristiano Ronaldo, do Messi todo mundo já sabe.

Blog – No futebol cearense há jogadores que foram afetados pelos efeitos da pandemia?

Prass – Tem, sim. Tem jogadores que já foram dispensados pelos clubes. Jogadores que tinham contrato, mas os clubes rescindiram porque não tinham dinheiro para pagar. O cara tinha três meses de contrato e cumpriu só um mês e meio, o campeonato parou, aí o cara fica desempregado, não recebe. Já é corriqueiro no futebol brasileiro tu jogar e não receber. Numa situação econômica dessas, imagina, deve ter triplicado o número de casos.

Blog – Vocês estão fazendo alguma coisa para ajudar esses jogadores?

Prass – Através do sindicato, estamos fazendo na medida do possível, conforme o sindicato passa pra gente.

Opinião: São Paulo coloca em xeque quatro pilares do Palmeiras

Leia o post original por Perrone

Ao eliminar o Palmeiras no Allianz Parque e se classificar para a final do Campeonato Paulista, o São Paulo colocou em xeque quatro pilares do adversário. São pontos de confiança da torcida alviverde que estão sob discussão.

Leila Pereira e Crefisa

Com o apoio da empresária e suas empresas, o Palmeiras muitas vezes foi colocado como time quase imbatível. O clube alavancou suas receitas e passou a ser um adversário duro em todas as disputas por bons jogadores. Nos últimos cinco anos, o alviverde investiu cerca de R$ 314, 9 milhões em reforços. São aproximadamente R$ 194,6 a mais do que o valor gasto pelo São Paulo. Não chegar na final do Estadual, algo alcançado na temporada passada com um vice-campeonato, deixa dúvidas sobre até onde vai o poder dos milhões despejados por Leila para fazer o Palmeiras ganhar tudo. Tanto que palmeirenses que protestaram depois da eliminação cantaram: “eu não sou otário, vai tomar no ** esse time milionário”.

Fernando Prass

Existem alguns jogadores nos quais a torcida deposita toda a sua confiança em determinadas situações. Esse é o caso de Fernando Prass nos pênaltis. Sempre foi uma segurança para o palmeirense ter Prass na meta nas disputas de pênaltis. Ele não teve culpa na eliminação, chegou a fazer defesa de cobrança, mas não foi o herói capaz de impedir a derrota de seu time. Do outro lado, Volpi brilhou mais.

Felipão

Luiz Felipe Scolari reforçou a fama de ser “o cara” para a torcida do Palmeiras com a conquista do título brasileiro do ano passado. Em seus trabalhos pelo clube, o torcedor aprendeu a confiar em seu estilo de jogo e esperar pelos resultados. Em disputas de mata-mata, então, sua fama de especialista se tornou mítica. Desde o início de 2019, Felipão sofre críticas de parcelas da imprensa e da torcida por não fazer o time jogar em alto nível. As queixas aumentaram imediatamente após a queda na semifinal estadual.

Allianz Parque

A confiança do palmeirense em seu estádio como caldeirão capaz de derreter os adversários sofrera duríssimo golpe com a perda do título paulista de 2018 para o Corinthians. A vaga para a final arrancada pelos tricolores lá dentro abala mais essa fama de alçapão.

Quem deve jogar no gol do Verdão?

Leia o post original por Craque Neto

O Palmeiras tem vivido uma disputa natural e sadia pela titularidade no gol. Fernando Prass, ídolo do clube e considerado titular do time desde o início de 2013, vem perdendo espaço graças a algumas falhas individuais. Já o até então reserva Jaílson, que desembarcou no Verdão em 2015, só foi ter oportunidade pra valer com a lesão do colega no Brasileirão do ano passado. E aproveitou para brilhar! Não só foi decisivo como conseguiu se manter invicto na campanha do pentacampeonato alviverde do clube. Prass recém completou 39 anos e só trabalhou em times grandes ao longo da carreira. Jaílson […]

O post Quem deve jogar no gol do Verdão? apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Vamos perder a Copa por causa de goleiro, hein?! Fica esperto…

Leia o post original por Craque Neto

Quem não se lembra da Copa de 2010, na África do Sul, quando Júlio César, principal goleiro brasileiro da época, falhou em um dos lances que gerou o segundo gol da Holanda e eliminou o Brasil nas quartas-de-final da competição? Lembram disso? Pois é, muita gente pode não acreditar, mas a posição de goleiro é fundamental para a construção de um grande time. Desde que o esporte foi inventado por Charles Miller é assim. Tanto é que existe até aquele ditado popular: “Todo grande time começa por um grande goleiro!”. E acho que o Tite, atual técnico da Seleção Brasileira, […]

O post Vamos perder a Copa por causa de goleiro, hein?! Fica esperto… apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Palmeiras vence o Grêmio e Corinthians já liga o sinal de alerta!

Leia o post original por Milton Neves

Palmeirense, aceite, não foi pênalti no Egídio!

O árbitro foi perfeito em marcar a falta, que aconteceu fora da área.

E antes que você reclame, saiba que o Palmeiras é muito grande pra ficar suplicando por um “pênaltizinho mequetrefe”.

Se fosse contra o Corinthians, aí sim, podiam chorar à vontade!

Deixando de lado as reclamações alviverdes, o time foi muito bem, resistiu ao jogo duro do rival.

Tá certo que o Grêmio poupou alguns titulares, por conta da Libertadores, mas é nesses momentos que vemos quem está em melhor condição de passar à frente do Timão.

O Tricolor Gaúcho até que levou perigo ao gol de Fernando Prass, mas não obteve sucesso nas poucas investidas.

Já o Verdão, pressionou e desperdiçou cada chance…

Esse Borja, viu? Vou te contar…

Tanto que o único gol da partida foi contra, uma infelicidade do zagueiro gremista.

Com a vitória, o Palmeiras dá mais um importante passo em sua reabilitação.

E você torcedor, acredita que Cuca vai repetir o feito de 2016?

OPINE!!!

“Mistão” do Palmeiras sofre e perde para a Chape; Fla atropela o Atlético-GO; e “monstro” no gol, Vanderlei merece Seleção!

Leia o post original por Milton Neves

A partida foi um tanto quanto morna, mas com lampejos apimentados.

Mesmo melhor no duelo, a Chapecoense suou para vencer o “mistão” palmeirense.

Mas se engana quem pensa que o time escalado por Cuca era fraco.

Pois até o reserva do reserva, tem condições de jogar e ser titular em qualquer clube.

Por isso que foi difícil para a Chape bater o Palmeiras, que veio com outra proposta.

Apostou apenas nos contra-ataques, todos sem sucesso!

A falta de entrosamento, pode servir como justificativa. Não para o torcedor!

Com um maior domínio, os donos da casa cresceram e só não ampliaram, porque Fernando Prass estava inspiradíssimo.

E essa derrota pode fazer falta lá na frente para o Palmeiras, hein, Cuca?

Foi uma boa ideia poupar alguns titulares?

E se o time for eliminado na Libertadores, a culpa cai sobre quem?

Atlético-GO 0 x 3 Flamengo

Santos 1 x 0 Coritiba (mais cedo, às 16 horas)

O Santos jogou para o gasto e alcançou seus objetivos na Vila Belmiro.

David Braz fez o tento salvador, um pouco questionável, mas o lance foi tudo normal.

Após isso, só deu Vanderlei!

O goleiro santista, que merece Seleção, salvou o Peixe de uma goleada catastrófica.

E mais, até pênalti ele defendeu, evitando o empate no finzinho do segundo tempo.

OPINE!!!

Invenções de Tite podem colocar Copa a perder

Leia o post original por Craque Neto

O técnico Tite convocou nessa sexta-feira o grupo da Seleção Brasileira que vai disputar dois amistosos contra Argentina e Austrália nos próximos dias 9 e 13 de junho. Como já era esperado ele poupou grandes nomes como o atacante Neymar e os laterais Daniel Alves e Marcelo. Todos os três afirmo sem medo de errar que já estão na Copa da Rússia no ano que vem. O que me surpreendeu pra dizer bem a verdade foi a ausência do goleiro Cássio. O corintiano já vinha merecendo há um bom tempo uma oportunidade. Está evidente que se ele não foi agora, […]

O post Invenções de Tite podem colocar Copa a perder apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Bigode e Jean salvam o Palmeiras na Libertadores! Apesar da vergonha no final…

Leia o post original por Craque Neto

Que jogo esse do Palmeiras na Libertadores, hein? Nunca vi um time ir tão rápido do céu ao inverno. No primeiro tempo a equipe do técnico Eduardo Baptista passou vergonha e viu o Peñarol deitar e rolar jogando em Montevidéu. Abriu 2 a 0 e poderia até ter sido mais tamanha a apatia da boleirada dentro de campo. A impressão que tive é que psicologicamente os jogadores estavam até abalados por todos os problemas internos que vinham acontecendo nos últimos dias. Mas a equipe que voltou para o segundo tempo nem parecia a mesma. Pelo amor de Deus! Jogadas de […]

O post Bigode e Jean salvam o Palmeiras na Libertadores! Apesar da vergonha no final… apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Santos e Palmeiras . Jogo espetacular!

Leia o post original por Nilson Cesar

Santos e Palmeiras fizeram um espetáculo maravilhoso na Vila Belmiro. Vitória do Palmeiras 2 x 1. Se  fosse o Santos o vencedor seria justo também. O Palmeiras têm um elenco melhor e isso acabou sendo determinante no resultado final, além é claro da atuação excepcional do Fernando Prass. São as duas melhores equipes do futebol brasileiro. Irão brigar por títulos durante a temporada. Dorival Jr não têm nenhuma culpa. O Santos completo é muito forte. O Palmeiras prova que pode evoluir muito durante a temporada, e na minha opinião é o favorito para conquistar a Libertadores da América. Jogo espetacular vivemos na Vila Belmiro.

Prass ou Jailson: quem deve ser o titular do Palmeiras em 2017?

Leia o post original por Milton Neves

jailson prass

Do começo de 2015 até a metade de 2016, Fernando Prass viveu, aos 37 anos, o melhor momento de sua carreira.

Não à toa foi escolhido para representar o Brasil nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.

Mas, aí, o goleiro que fez o palmeirense esquecer São Marcos se machucou.

Os torcedores alviverdes chegaram a perder o sono pensando que a lesão de Prass poderia acabar com o sonho do título brasileiro.

E então o também veterano Jailson assumiu a meta do Palmeiras e “pegou até pensamento”.

Não é exagero dizer que o arqueiro foi um dos grandes destaques do time de Cuca na campanha vitoriosa do Brasileirão do ano passado.

Mas, e agora, que os dois estão 100%, quem Eduardo Baptista deveria escalar como titular?

Fernando Prass?

Ou Jailson?

Opine!