Arquivo da categoria: Flamengo

SP põe fim ao “super” Flamengo?

Leia o post original por Craque Neto 10

Fim de jogo! O supertime do Flamengo, megavalorizado com a baita temporada que fez em 2019 e no início de 2020, levou um CHOCOLATE do São Paulo no Morumbi, perdeu por 3 a 0 – fora o baile! – e está eliminado da Copa do Brasil. Mais uma derrota doída já que os cariocas só […]

O post SP põe fim ao “super” Flamengo? apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Tricolor ‘matou’ estreia de Rogério Ceni no Mengão

Leia o post original por Craque Neto 10

Flamengo e São Paulo fizeram o duelo mais aguardado e disputado das quartas-de-finais da Copa do Brasil 2020. O primeiro tempo foi marcado pela força do ataque rubro-negro, que praticamente dominou os principais lances. Só o Gabigol teve umas duas chances claras de gol. Aliás ele chegou a fazer um gol anulado pelo ‘VAR’. Bem […]

O post Tricolor ‘matou’ estreia de Rogério Ceni no Mengão apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Sacanearam o gringo?

Leia o post original por Craque Neto 10

O Flamengo anunciou na tarde desta segunda-feira (9) a demissão do espanhol Domenéc Torrent, o popular Dome. Pois é, apesar de estar fazendo um bom trabalho e superando os contratempos de convocações e lesões, ele vinha liderando o time rubro-negro na ponta da tabela do Brasileirão (terceiro lugar, com um ponto a menos que o […]

O post Sacanearam o gringo? apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Rogério Ceni tem tudo para ser campeão no Flamengo .

Leia o post original por Nilson Cesar

O Flamengo contratou um grande treinador e tem também o melhor elenco do futebol brasileiro . Pode ser um casamento perfeito . Rogério tem tudo para ser campeão no Mengão . Achei uma ótima contratação . Ficou claro que o Dome não tem ainda condições de dirigir uma equipe do tamanho do Flamengo . Ele foi auxiliar técnico . É muito diferente ser treinador . Rogério é vencedor e já se consolida como…

Fonte

São Paulo pode ressurgir para títulos .

Leia o post original por Nilson Cesar

O São Paulo fez uma grande exibição no Maracanã e goleou o Flamengo por 4 x 1 . Se os jogadores acreditarem de verdade , o time pode sim brigar por títulos . A equipe vem evoluindo e mostrou como vencer o bicho papão Flamengo . Os demais são todos semelhantes . Manter a regularidade e a mesma pegada é o desafio que terá o tricolor . Fernando Diniz me parece que vem evoluindo como treinador .

Fonte

Atropelado por um bonde sem freio!

Leia o post original por Craque Neto 10

Participei hoje da transmissão da partida entre Corinthians e Flamengo pela minha rádio na Web (www.youtube.com/radiocraqueneto) e vi algo que não tinha visto ainda esse ano: o Mengão simplesmente atropelou o Timão sem dó nem piedade em plena Arena em Itaquera. Logo nos primeiros minutos já tive a impressão de que parecia um duelo de […]

O post Atropelado por um bonde sem freio! apareceu primeiro em Craque Neto 10.

São Paulo deve ser eliminado da Libertadores hoje a noite !

Leia o post original por Nilson Cesar

Qualquer outro resultado que não seja a derrota do São Paulo na Argentina para o River Plate , será para mim uma enorme surpresa . O time tricolor é instável demais e não inspira nenhuma confiança . O São Paulo vem cometendo inúmeros erros de gestão e isso acaba influenciando muito dentro de campo . O River Plate é mais time e muito mais cascudo . River e Boca para mim são os favoritos para a…

Fonte

Funcionários do Fla se incomodam com postura do clube em recentes polêmicas

Leia o post original por Perrone

Com Pedro Ivo Almeida, do UOL, em São Paulo

As críticas à postura da diretoria do Flamengo feitas nos bastidores por presidentes de outros clubes da Série A começaram a ecoar na Gávea.

De acordo com pelo menos quatro funcionários de diferentes departamentos do rubro-negro ouvidos pela reportagem há entre parte dos empregados clube incômodo com atitudes dos dirigentes que colocaram outras agremiações contra o Flamengo.

A crítica interna é semelhante à externa. O ponto central é de que a atual gestão “olha apenas para o próprio umbigo” e tenta impor sua vontade, ignorando interesses em comum dos clubes.

De acordo com a queixa, isso dificulta o trabalho desses funcionários quando eles tentam desenvolver ações com outros clubes ou realizar operações comerciais que dependem de uma boa rede de relacionamentos no meio.

Um dos profissionais ouvidos disse que está muito difícil trabalhar no Flamengo por conta de atitudes recentes da diretoria que teriam isolado a agremiação e por causa do ego de alguns cartolas.

Por sua vez, o clube diz desconhecer as críticas de empregados. Ao blog, o departamento de comunicação rubro-negro afirmou que o Flamengo acabou de fechar uma parceria com o Vasco para a transmissão de jogos do sub-20. O acordo é visto como uma demonstração de que não há dificuldade em desenvolver ações em conjunto.

Isolado?

Dois presidentes de clubes da Série A descreveram para o blog o Flamengo como isolado em relação às demais agremiações por priorizar seus interesses sem pensar no bem coletivo.

O fato de os outros 19 clubes da primeira divisão terem votado contra a volta de público em outubro em videoconferência organizada pela CBF no último sábado é usado para  defender que há isolamento.

O presidente Rodolfo Landim não participou da sessão à distância. Em nota, o Flamengo justificou a ausência alegando, entre outros motivos, “que entende que o tema em pauta é estranho à competência dos clubes e da CBF, não havendo nada a sugerir, nem decidir, em matéria cuja atribuição é privativa das autoridades públicas locais, conforme, inclusive, já decidiu o Supremo Tribunal Federal”.

O auge da irritação dos demais dirigentes com a diretoria comandada por Landim aconteceu no último fim de semana em virtude do pedido de adiamento da partida contra o Palmeiras devido ao surto de covid-19 entre os flamenguistas.

A marcação de uma reunião dos times da Série A para discutir possíveis retaliações ao Flamengo chegou a entrar em pauta antes de o jogo ser confirmado pela Justiça.

Presidente de uma dessas agremiações disse ao blog que os clubes entendem a importância do Flamengo, mas que o rubro-negro também precisa entender e respeitar a voz da maioria.

O fato de dirigentes do Flamengo terem costurado com Jair Bolsonaro a MP do mandante sem consultar as outras agremiações engrossa o caldo de rejeição à diretoria do clube.

Essa nuvem de mágoas é carregada também pelo imbróglio entre Flamengo e Globo, que culminou com a decisão da emissora de rescindir o contrato para a transmissão do Estadual do Rio.

A Globo tomou a decisão depois de o rubro-negro ter transmitido em suas redes sociais partida com o Boa Vista. Segundo a empresa, a transmissão, baseada na MP do Mandante, desrespeitou o contrato.

Cartolas críticos de Landim alegam que esse é um exemplo de como o clube da Gávea só se importa com seus interesses.

O que diz o Flamengo?

Para o rubro-negro há exageros e avaliações erradas em críticas feitas à atitudes da diretoria.

Contra o argumento de que o Fla só pensa nele, o departamento de comunicação usa o contrato de direitos internacionais de transmissão do Brasileirão como exemplo.

A explicação é que o clube tinha uma proposta de exclusividade vinda da China, mas preferiu assinar contrato coletivo com outra empresa recebendo o mesmo que os demais times.

A ideia de isolamento do rubro-negro é rejeitada com a alegação de que rotineiramente o Flamengo lida com as outras agremiações de forma parceira.

Também de acordo com o departamento de comunicação, o rubro-negro não força a barra pela volta do público agora, mas entende que é o momento de a ideia ser debatida.

A respeito dos direitos de transmissão do Estadual, o entendimento é de que simplesmente não havia contrato em vigência com a Globo e o Flamengo não concordou com o valor final oferecido, sem interesse em prejudicar outras equipes. Já a MP é vista como um benefício para todas as agremiações.

 

Disputa por realização de Palmeiras x Fla reflete atraso do futebol do país

Leia o post original por Perrone

Guerra de liminares, cartolas dando tapas na mesa e bairrismo exacerbado. Os efeitos da pandemia de covid-19 reforçam que danosas práticas do passado seguem vivas no futebol brasileiro.  A embolorada forma de gerir a modalidade no país corrói a fina camada de verniz de profissionalismo pincelada pelos cartolas.

A disputa nos tribunais em torno da realização ou não de Palmeiras x Flamengo, neste domingo (27), simboliza o estado medieval de nosso futebol. O imbróglio é digno de Eurico Miranda, Caixa D’Água, Farah, Nabi e tantos outros nomes, apelidos e sobrenomes que protagonizaram disputas nas quais a demonstração por poder era o que valia.

No caso atual, as tintas do bairrismo estão impressas na disputa entre Palmeiras e Flamengo. O que deveria ser visto sob a ótica da saúde dos jogadores virou questão esportiva e clubística.

A pauta deveria ser o risco de novas contaminações devido ao surto de covid-19. Mas a coisa descambou para a rivalidade ente Palmeiras e Flamengo e o confronto direto entre a cúpula paulista da CBF e o time carioca.

No fim de semana de mais uma rodada do Brasileirão, jornalistas se importaram mais com advogados e magistrados do que com jogadores e treinadores. Uma repetição da fórmula que teima em desvalorizar nosso futebol.

Sentimos o cheiro de mofo também quando a primeira reunião para debater a volta do público nos estádios precisou ser encerrada por causa de uma discussão entre o paulista Rogério Caboclo, presidente da CBF, e Rubens Lopes, presidente da Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro.

As câmeras dos computadores que permitiram a moderna videoconferência registraram o velho bairrismo, tão comum nos anos 1980. A diferença é que agora a CBF está nas mãos dos paulistas. Vale lembrar que, em tese, a Ferj defendia exclusivamente o Flamengo, principal interessado no retorno do público já em outubro.

A sensação de que o grande duelo do futebol nacional é travado entre Confederação Brasileira e Flamengo foi reforçada no último sábado com a decisão do rubro-negro de não participar da reunião na qual os outros 19 clubes da Série A do Brasileiro se manifestaram contra o retorno dos torcedores agora.

O rubro-negro se apoia na decisão de prefeitura e governo do Rio de permitir a presença da torcida em sua partida contra o Athletico, no próximo dia 4. Ou seja, não saímos ainda do tempo de que ter alianças com políticos faz parte do jeito de administrar o futebol brasileiro.

Enquanto vemos cartolas darem de ombros para jogadores e demais funcionários infectados pelo novo coronavírus, admiramos o sucesso da bolha montada pela NBA para existir durante a pandemia.

É como se o basquete norte-americano fizesse parte da animação de temática futurista “Os Jetsons”, e o nosso futebol estivesse no roteiro de ” Os Flintstones”.

Nossa defasagem em relação ao esporte bem gerido de outros países só fará aumentar a cada ano a quantidade de meninas e meninos que vemos com camisas de clubes europeus.

E não são só as crianças que se afastam de nossos times. Cada vez mais mulheres e homens de negócios empregados em grandes empresas preferem evitar patrocinar os times brasileiros. Claro, quem vai querer colocar seu nome numa página amarelada e que já deveria ter sido arrancada faz tempo?

Porém, em vez de olharem para o que acontece ao redor, muitos dos dirigentes brasileiros preferem dar atenção a seus próprios umbigos. Não importa se existe uma pandemia.