Arquivo da categoria: Fluminense

O Maraca é… nosso?

Leia o post original por Rica Perrone

São três assuntos numa só canetada. O Maracanã volta pro Governo num “me dá aqui!” e foda-se? É tão fácil assim contratualmente se romper algo que está acordado e em vigor? Se sim, e parece que sim, quem vai gerenciar é o governo. Porque a gente acha que justo o governo fará algo melhor que…

O Maraca é… nosso?

Leia o post original por Rica Perrone

São três assuntos numa só canetada. O Maracanã volta pro Governo num “me dá aqui!” e foda-se? É tão fácil assim contratualmente se romper algo que está acordado e em vigor? Se sim, e parece que sim, quem vai gerenciar é o governo. Porque a gente acha que justo o governo fará algo melhor que…

Opinião: Corinthians erra ao aceitar emprestar Léo Santos

Leia o post original por Perrone

O Fluminense anunciou neste domingo (24) que entrou em acordo para receber o zagueiro corintiano Léo Santos por empréstimo. Na opinião deste blogueiro, deixar de contar com um de seus defensores neste momento é um erro do Corinthians, uma precipitação.

Antes de avaliar se o jovem formado na base alvinegra é ou não o mais fraco dos beques do time há outras questões. A principal delas é o fato de a defesa ser o ponto frágil da equipe até agora. São gritantes as falhas de Henrique, principalmente. Nesse cenário, não é hora de sair emprestando zagueiro. Fábio Carille precisa do maior número de opções possível para tentar arrumar a defesa.

Outra questão é: quantos zagueiros um time precisa para disputar a temporada brasileira? Com Léo Santos o Corinthians contava com cinco, mesmo número de zagueiros mantidos por Palmeiras e Santos, por exemplo. Mas acaba de chegar o uruguaio Bruno Méndez, de 19 anos. Passariam a ser seis atletas para a posição já que não me parece fazer sentido deixar Méndez no time Sub-20.  Se o clube considera impossível manter essa quantidade de beques, então, chegamos na análise sobre Léo Santos e seus outros companheiros.

Claramente, ele ainda não é um jogador pronto. Precisa amadurecer. Mas tem bom potencial, principalmente por ser um zagueiro técnico. Aparentemente, o excesso de confiança dele mesmo em sua condição técnica o atrapalha gerando riscos desnecessários e, eventualmente, erros. Algo a ser trabalhado.

Na comparação com os outros jogadores da posição que já estavam no clube, seguramente avalio que hoje ele não é melhor do que Marllon e nem pior do que Henrique. Com Manoel e Pedro Henrique briga pela posição. Se alguém precisava sair para abrir espaço para o uruguaio, eu escolheria Henrique. Pedro Henrique seria minha segunda opção. Não consigo ver uma justificativa para saída de Léo Santos. Ele vai ter mais oportunidades no Fluminense? Se for isso, ganha o jogador, perde o Corinthians.

MP do Rio abre inquérito sobre tumulto no Maracanã

Leia o post original por Perrone

O Ministério Público do Rio de Janeiro instaurou inquérito civil para apurar os tumultos no Maracanã, no último domingo, por conta da final da Taça Guanabara, entre Vasco e Fluminense.

A disputa pelo local que seria ocupado pelas torcidas no estádio chegou a provocar ordem da Justiça para que o jogo fosse com portões fechados. A decisão foi alterada já com a final em andamento e houve tumulto com torcedores do lado de fora.

O inquérito foi aberto nesta quarta (20) pelo promotor Júlio Machado Teixeira Costa da 5ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva de Defesa do Consumidor e do Contribuinte da Capital. Ele deu 30 dias para os clubes, a Federação do Rio, o consórcio administrador do Maracanã e o Batalhão de Polícia do Torcedor responderem com comprovantes  às seguintes perguntas:

1 – A que atribui o tumulto generalizado?

2 – Quais as providências tomadas para evitar o tumulto e reprimir a desordem especificando a quem atribui a responsabilidade pela ocorrência?

3 – Quais as providências adotadas para que episódio semelhante não se repita?

Esse futebol carioca é uma VÁRZEA, hein?

Leia o post original por Craque Neto

Todo mundo sabe que desde que Charles Miller trouxe a bola para o Brasil o que impera no futebol carioca é a bagunça. E o que aconteceu hoje na final da Taça Guanabara é digno de pena. Tanto a torcida do Vasco, quanto a do Fluminense, os finalistas do primeiro turno do Rio, brigaram para ocupar o setor Sul do Maracanã. Sinceramente achei uma frescura danada, mas os dois lados alegam uma certa tradição nisso aí. Baita FRESCURA! A verdade é que a única pessoa que acertou em cheio nessa história foi a desembargadora de plantão no TJRJ (Tribunal de […]

O post Esse futebol carioca é uma VÁRZEA, hein? apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Briga por locais de torcidas em final no Maracanã mostra poço sem fundo

Leia o post original por Perrone

A briga pelo espaço das torcidas no Maracanã na final da Taça Guanabara indica que o futebol do Rio de Janeiro está metido num poço sem fundo. Quando achamos que já vimos de tudo, acontece a disputa entre Fluminense e Vasco que ameaça deixar o jogo deste domingo (17) como portões fechados apesar de ingressos já terem sido vendidos.

Em meio ao luto do país pela morte de dez meninos no incêndio no CT do Flamengo, os cartolas dos dois clubes e da Federação do Rio, além dos gestores do estádio, mostram que são capazes de brigar por coisas menos importantes enquanto temas realmente urgentes esperam por soluções. Em vez de cuidarem de problemas que possam evitar novas tragédias ou simplesmente tratarem de estacar a decadência do futebol do Rio de Janeiro, eles agem como crianças que brigam para ver quem senta no banco da frente do carro.

A bagunça na decisão empurra o futebol do Estado ainda mais para baixo no poço sem fim. O torcedor precisa ser muito apaixonado para continuar interessado em ir aos jogos do Campeonato Carioca diante de tanta esculhambação. Os dirigentes talvez apostem que a paixão do fã por seu clube resista a todo tipo de desrespeito. Pode até ser que isso aconteça com a velha guarda. Mas, e os mais jovens, com tanta oferta de futebol internacional de excelente nível ao vivo, em todo o tipo de plataforma? Sem o mínimo de organização é difícil disputar o coração da molecada com os gigantes europeus. Claro que isso não vale só para o Rio de Janeiro. O futebol brasileiro em geral judia de seus seguidores e corre o mesmo risco a longo prazo. A diferença é que no Rio o esporte mais popular do mundo parece estar num estado de putrefação mais avançado.

Diante de tanta infantilidade demonstrada por quem deveria agir com responsabilidade, impossível não temer novas tragédias.