Arquivo da categoria: Gilson Kleina

Zebra em busca do primeiro título na história

Leia o post original por Craque Neto

E não é que depois de anos de decisões do Paulistão e vários títulos acumulados, o Santos, atual campeão, caiu nas quartas-de-final? Quem alcançou essa proeza foi a Ponte Preta, clube centenário que ainda busca sua primeira taça no futebol profissional. E nesta segunda os dois times fizeram um baita jogo no Pacaembu. Disputado ao extremo mas o Peixe jogou melhor os 90 minutos e mereceu vencer a partida. Pra falar a verdade merecia até um resultado mais elástico. Só que também não dá pra tirar os méritos da Macaca de Campinas, que de fato tem uma equipe extremamente competitiva. […]

O post Zebra em busca do primeiro título na história apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Bauza vai dando cara (boa) ao SP

Leia o post original por Antero Greco

Quando o jogo começou no estádio Couto Pereira, muitas dúvidas passeavam pelo ar frio de Curitiba: o São Paulo de Edgardo Bauza, mesmo desfalcado, jogaria bola? E Alan Kardec? Marcaria um gol após 25 jogos de jejum? O artilheiro Kleber faria a festa da torcida do Coritiba mais uma vez? E Gilson Kleina seria ainda o técnico ao final da partida? Para completar: o jogo com esses ingredientes seria bom?

 Foi bom.

 O empate de 1 x 1 não encheu os olhos da torcida com técnica refinada ou grandes jogadas, mas teve emoção, disputa constante e muitas oportunidades de gol. Kleber e Alan Kardec não balançaram as redes, nem jogaram bem.

 Gilson Kleina, embora seu time tenha saído na frente do placar, vai continuar sofrendo a pressão da torcida e com certeza não vai resistir se o Coritiba perder do Grêmio no fim de semana.

 E Edgardo Bauza? Bem, este está com a bola toda.

 Claro que a torcida são-paulina está de olho nas semifinais da Taça Libertadores, que começam em julho. Acontece que torcedor nenhum quer ver seu time perdendo pontos no começo do Campeonato Brasileiro para depois correr feito doido para fugir do rebaixamento.

 Mas com sabedoria, ele poupa um jogador, descansa outro, recupera outro, dá moral a atletas que estão em má fase e arma a equipe de acordo com o adversário. O São Paulo não se acovardou contra o Coritiba, exigiu muitas defesas do goleiro Wilson e só mostrou mesmo falhas na sua zaga, onde Lucão deu algumas vaciladas comprometedoras.

 Com inteligência, quando sofreu o gol de Alan Santos, mexeu rapidamente na equipe: trocou Auro por Rogério e recuou Wesley para lateral. E foi Rogério quem recebeu na entrada da área, limpou o lance e bateu forte, surpreendendo o goleiro que nada pode fazer dessa vez.

 No fim de semana, vamos ver como Bauza armará o seu time para pegar o Palmeiras. Vale a pena prestar atenção nesse técnico, que sabe muito de futebol.

(Com participação de Roberto Salim.)

Osório perde 100% que herdou no Morumbi

Leia o post original por Fernando Sampaio

rib5426_3O São Paulo perdeu dois pontos em casa.

Não teve competência para segurar a vitória.

Perdeu a liderança jogando como mandante.

O primeiro tempo foi arrastado, o São Paulo exagerou nos passes laterais, faltou pegada, teve posse de bola mas criou apenas três oportunidades. Aos 14′, Souza teve a primeira chance. Aos 24′, Pato marcou, gol anulado. Aos 27′, Vagner saiu mal, Ganso quase marcou. O Avaí, mesmo retrancado, teve duas oportunidades, uma claríssima.

Para quem busca título brasileiro, jogando em casa contra uma equipe modesta, foi muito pouco.

No segundo tempo Gilson Kleina ganhou o duelo tático do Osório.

O São Paulo voltou ligado, pressionando. Aos 3′, Michel Bastos soltou a bomba, Vagner fez uma defesa espetacular. Aos 9′, Sousa abriu o placar. O jogo parecia resolvido. Parecia. Kleina mexeu bem, colocou André Lima e Rômulo. Osório colocou Edson Silva. Estava preocupado com a bola aérea. Foi mal. O Tricolor piorou e passou a ser dominado.

O Avaí passou a ter o domínio do jogo, pressionou, Renan Ribeiro trabalhou bastante e foi garantindo o resultado. Apesar da avenida no contra-ataque Centurión continuou no banco. Quando entrou, entrou no lugar do Pato. As duas substituições do Osório atraíram o Avaí, o time catarinense aumentou o domínio, quase levou o segundo no contra-ataque, e no final empatou.

Osório não fez uma boa estreia no Morumbi.

Contra o Grêmio, escalação e alterações ainda eram do Milton Cruz.

O São Paulo perdeu a liderança.

O Avaí conseguiu mais um ponto importante fora de casa.

 

Share This:

Internacional 1 x 0 Avaí

Leia o post original por Mauro Beting

O Corinthians está 100% mesmo jogando ou com reservas ou com titulares que têm atuado como reservas.

O Galo fez bonito com o mistão contra o Palmeiras, em São Paulo, e fez linddo com força e carga máxima contra o Galo.

O Inter perdeu feio com os reservas na Arena da Baixada.

Sofreu para ganhar com um gol do reserva dos reservas Vitinho contra o ajustado Avaí de Kleina.

Mas venceu.

É  o time, hoje, que melhor joga no Brasil. Ou que mais vence.

Também pelo elenco montado e pelo time remontado de Diego Aguirre.

Tem medalhão que nem é banco. Tem cancha imberbe que está batendo bola de gente grande. Tem pra tudo e pra quase todos com Aguirre.

Tem de respeitar cada vez mais o Inter.

Crise do Palmeiras: Brunoro denuncia ameaça de morte

Leia o post original por Quartarollo

Hoje o Esporte em Discussão, da Jovem Pan, recebeu José Carlos Brunoro, executivo do Palmeiras. Ele está confiante na recuperação do time no Brasileiro. Acha que não é elenco para ser campeão, mas nem para cair. Dá para brigar no … Continuar lendo

Mustafá se vê usado na escolha de novo técnico do Palmeiras

Leia o post original por Perrone

Segundo conselheiros do Palmeiras, o ex-presidente Mustafá Contursi vetou a contratação de Vanderlei Luxemburgo por considerar o treinador caro demais. Em entrevista ao blog, no entanto, ele negou interferência na escolha do substituto de Gilson Kleina. Leia abaixo.

Qual sua posição sobre a escolha do próximo treinador do Palmeiras?

Não tenho preferência e nem indicação. É problema de ordem administrativa. É que sou figurinha carimbada. Talvez quando alguém queira provocar uma situação me coloque no meio do furacão. Talvez pra dizer: “não vou trazer porque ele não quer”. Ou: “vou trazer porque o Mustafá não quer, vou mostrar que eu mando”. Não tenho nada com isso.

Mas o COF (Conselho de Orientação e Fiscalização) deixou claro que é importante pagar o mesmo que a antiga comissão técnica ganhava.

Não discutimos isso. Discutimos todo mês que o clube continua aumentando seu endividamento e não temos como suportar essa situação. É mais uma coisa que é feita ao contrário das minhas opiniões pra mostrar que eu não tenho nenhuma importância no clube. Faz sete oito anos que estou advertindo que o clube está indo para um caminho sem volta pelo seu endividamento e pela queda de receitas. Mas continuam aumentando o endividamento. Se eu tivesse tanta influência para escolher treinador, estaríamos equilibrados financeiramente.

Dá para fazer redução drástica de despesas e ter um time competitivo?

Não se gasta só no time. Não sei quanto existe de desperdício num monte de gente, num monte de contratos de serviço. Onde tem 30 elementos, talvez funcione só com um numa emergência. Precisa ter um plano de emergência. Você lembra quando eu sofria ataques fantásticos? Um deles vinha por parte desses histéricos que levaram o clube à essa situação vergonhosa e eles estão por lá, gravitando até hoje. Para desmoralizar os meus princípios de administração, eles diziam que o clube não é banco para ter dinheiro aplicado. Dinheiro é para gastar, diziam. Isso estava aí na internet, colocado por esses anônimos que estão aí até hoje. Agora é pior porque somos banco para pagar R$ 20 milhões de juros por ano. O que seria mais recomendável: ter recursos para poder se impor nas negociações ou agora, de chapéu na mão, sair pedindo favores? Esses caras estão até hoje por aí, formando opinião, com os mesmos sites, com os mesmos pseudônimos, com as mesmas siglas, UVB, 3VB, Palmeiras Todo Dia, Pró-Palmeiras. Eles não admitem a desgraça que causaram ao clube com suas opiniões.

Agora estão pensando no Luxa!? Ahhhhh….tá!

Leia o post original por Neto

Luxemburgo pode voltar ao Palmeiras

Luxemburgo pode voltar ao Palmeiras

Engraçado como são as coisas. Há poucos meses dei a informação na Band de que a direção do Palmeiras estava louquinha para trocar o Gílson Kleina pelo Vanderlei Luxemburgo. Sobretudo para ter um treinador de mais nome e experiência no ano do centenário do clube. Aí veio Brunoro desmentir na rádio e o presidente Sr. Paulo Nobre me ridicularizar no Jogo Aberto. Incapaz de dizer na minha cara, entrou por telefone no outro programa negando tudo isso. Dizendo que era um absurdo e que ele jamais pensaria na volta do Luxa.

Ficaram ‘P…’ da vida comigo. Não bastasse isso, depois que dei a informação de que o zagueiro Henrique entrou na justiça contra o clube por salários atrasados, esses caras tiveram a atitude ditatorial de proibir a ida dos jogadores do Palmeiras nos ‘Donos da Bola’. Ok. O mundo gira e pra minha surpresa ando lendo por aí que os dirigentes alviverdes estão pensando em contratar o Luxemburgo. É brincadeira???

Não bastasse isso o Palmeiras perdeu uma grana preta com a saída repentina do Henrique. Ainda mais agora que ele foi convocado para a Copa. Quanto não estaria valendo seus direitos federativos?

A verdade é que compreendo o destempero histórico dos palmeirenses comigo. Até pela identificação que tenho com o Corinthians. Mas podem ter certeza de uma coisa: não estou na mídia pra enganar ninguém. Digo apenas as coisas que acontecem. E cada um acredita em quem quiser.

A mentira ou o migué tem perna curta. Ah, Paulo Nobre, e continua com esse seu ‘head’ de comunicação que você vai longe, viu?

Kleina não basta

Leia o post original por RicaPerrone

Gilson Kleina tem 46 anos, é técnico há 13. Nunca fez nada de muito destaque, passou por 16 clubes sendo o Palmeiras seu primeiro grande.

Fez um ano de 2013 onde não  jogou uma boa Libertadores, nem péssima. Comum.

Um estadual comum. Nem chegou a final.

Um brasileirão da série B comum, campeão, com o maior número de derrotas de um time grande na série b.

Fez novo estadual comum, nem na final, e começa um brasileirão sem encontrar substitutos para incrível perda de “Alan Kardec”, que com todo respeito, não pode causar todo este transtorno a um clube como o Palmeiras.

Prestes a ver sua casa reerguida e imponente como deve ser, o Palmeiras precisa se enxergar como de fato é.

Grande, diferenciado, incomum.

Kleina não é ruim. É comum.

Não dá pra imaginar o líder de um clube dos mais vencedores do mundo na figura de alguém tão comum.

Para ser Palmeiras foi preciso se diferenciar ao longo da história até ter chegado ao fundo do poço, quando se tornou “mais um” temporariamente.  Não é este o destino, a história, menos ainda a expectativa.

Para um Palmeiras enorme, um líder no mínimo diferenciado.

Não era Gilson Kleina.

Que não foi mal. Foi comum.

Imperdoável num time grande.

abs,
RicaPerrone