Arquivo da categoria: governo

Uber escancara a burrice

Leia o post original por Rica Perrone

Eu tenho uma teoria de que um dos maiores problemas do Brasil é como ele se trata como bebê e, portanto, não cresce. Aqui nós temos que pedir permissão pra tudo, até pra apostar nosso próprio dinheiro.

Aqui não posso fumar maconha, porque faz mal. Não posso levar um rojão no estádio, pois posso apontar pro lado errado e machucar alguém.

Não posso nada, para que sempre alguém tenha controle dos erros que eu possa cometer. Eu jamais vou aprender a arcar com as consequências do que faço se as causas são mais culpadas do que eu.

E então surge o Uber. Um tapa na cara de um país onde ser empregador ou patrão é uma função que lhe coloca imediatamente como vilão aos olhos da lei.

No país dos direitos trabalhistas, um sujeito não pode sugerir trabalhar por conta própria e ter sua condição de vida determinada pelo seu esforço. É um absurdo! Onde ficam os 20% do governo, os 20% de quem arrumou o ponto, os 20% de quem era dono da permissão pra ter o taxi, e mais os 20% daquele rolê a mais que damos com o gringo?

O brasileiro é tão domesticado a ver o mundo como um funcionário fodido que não enxerga nem as oportunidades que aparecem no seu nariz.

Sou taxista. Eu pago diária, impostos, uma taxa pro ponto, outra grana pra ter o direito de ser taxista, já que as permissões legais estão nas mãos de uma máfia há décadas e décadas.

Um cara do meu lado abre uma possibilidade de eu comprar meu carro e trabalhar livre disso tudo e ganhar meu dinheiro honesto sem ter que dividir com tanta gente que não merece.

O que eu faço?

Enxergo a oportunidade de barganhar com isso no meu trabalho e melhoro minha renda ou reclamo da concorrência e peço ajuda aos caras que me comem diárias absurdas pra distribuir na máfia dos taxistas?

O taxista não consegue entender que, embora seja justo que o Uber seja cobrado com impostos, o que está acontecendo é a abertura do mercado que ele trabalha.

Na cabeça do brasileiro médio as coisas não funcionam com fins lucrativos mas sim com algum ideal.

O Uber é a libertação do taxista. E ele, limitadíssimo em sua visão de negócio, fecha com a máfia que o extorque para protegê-la.

Os taxis vão ganhar ainda algum tempo, afinal, é nas mãos dos praças dos governantes que estão a porra das licenças. Mas a vitória dos taxis será a maior derrota dos taxistas, que imploram por pagar as taxas e serem estuprados pela máfia ao invés de receber bem a oposição a ela.

Falta ao brasileiro o direito de ganhar dinheiro, o prazer em tê-lo e a não ostentação em se foder.

abs,
RicaPerrone

Se não tem remédio, remediado está

Leia o post original por Rica Perrone

Governo do Rio de Janeiro, pare de se fazer de idiota. O cenário é tão claro que chega a dar pena de existir ainda uma discussão.  Flamengo e Fluminense sustentam o Maracanã, logo, eles são não os maiores interessados mas sim os únicos que podem dizer “sim” ou “não” pra alguma coisa. Se os clubes …

Assembleia de SP autoriza empréstimo de R$ 360 mi para região do Itaquerão

Leia o post original por Perrone

A Assembleia Legislativa de São Paulo aprovou nesta terça projeto de lei que permitirá ao Governo do Estado fazer um empréstimo de até R$ 360 milhões para investir na região do futuro estádio do Corinthians.

A nova lei permite que o governo assine contratos de empréstimos com instituições financeiras internacionais e com as que são controladas pela União para investir em projetos específicos. Um deles é o Polo Institucional de Itaquera,.

O governo se comprometeu a investir na região R$ 397,9 milhões. Mas até agora, com a Copa do Mundo próxima,  só colocou R$ 37,9 milhões.  Por isso, houve esforço para aprovar rapidamente o projeto que permite os empréstimos internacionais. Ao todo, contando outras regiões, operações de R$ 3,3 bilhões devem ser feitas para permitir investimentos em transporte na cidade.

De acordo com o Diário Oficial de São Paulo desta quarta, o governo estadual avalia que 7,4 milhões de moradores serão beneficiados com as obras viárias na área em que está sendo construído o estádio corintiano.

O orçamento das obras na região já estourou em R$ 52 milhões. O custo, incluindo investimentos da prefeitura e do governo, está estimado agora em 530,2 milhões.

Chove denúncias de corrupção e Governo se faz de surdo

Leia o post original por Mion

Paolo Rossi, herói italiano na Copa de 82 e carrasco do Brasil cumpriu dois anos de suspensão por atos ilícitos. Lá tem papo nem para os craques famosos.

Paolo Rossi, herói italiano na Copa de 82 e carrasco do Brasil cumpriu dois anos de suspensão por atos ilícitos. Lá não tem papo nem para os craques famosos.

        O dirigente do Sport, Luciano Bivar fez sérias denúncias, afirmou ter pago para um lobista promover a convocação de Leomar à seleção brasileira. Isso aconteceu na década de 90 e não mereceu nem investigação de órgãos oficiais. Alguns dias depois o desmentido não valeu nada. Na verdade quis salvar sua pele porque estaria liquidado no futebol. Lembram do político que levava dólares na cueca? Qualquer pessoa com um pingo de inteligência sabe muito bem que principalmente nos últimos 20 anos o futebol retrocedeu gradativamente em tudo. Ninguém dá cheque visado ou recibo para corromper, evitar provas materiais é passo básico para corruptos e corrompidos. Por Bivar apenas falou, mas não tem provas. Por isso pipocou.

As denúncias são diversas, chovem todo dia. Algumas ainda mais fortes. Denúncias de corrupção nas Copas de 1998 e 2002 fazem parte da série de dúvidas da ética e honestidade no futebol. Dizem que os dois Mundiais foram negociados. Nos bastidores afirmam que em 98, alguns jogadores brasileiros (os principais) receberam uma bela grana de um patrocinador para “abrir as pernas” para a França. O país sediava a Copa e passava por dificuldades políticas e econômicas. A conquista da Copa deu um novo impulso na recuperação francesa.

Além da grana, os jogadores receberam a garantia do patrocinador de que estariam na Copa de 2002 e o Brasil conquistaria o tal penta. Edmundo chegou a insinuar falta de vontade de alguns jogadores em ganhar aquela decisão. A partir dali nunca mais foi convocado para a seleção e sua carreira entrou em decadência.

Coincidência ou não, apesar do fracasso de 98 aquele grupo disputou a Copa seguinte e realmente o Brasil foi penta. E tem gente que o patrocinador e a mídia transformaram em herói. O povão vibrou como nunca, achou que era tudo verdade. Até agora não houve uma investigação para comprovar se tudo não passou de fofoca ou aconteceu mesmo.

Recentemente dezenas de denúncias graves contra a CBF e Ricardo Teixeira. O presidente saiu meio “foragido”, está bem escondidinho e o poder público fez de conta que não tinha nada haver. A honra do futebol e do Brasil estão em xeque. Pior do que toda esta sujeira, as maiores autoridades do país simplesmente ignoram. A Itália deveria servir de exemplo. A crise chamada de “Totonero” em 1980, que enviou o Milan para a segunda divisão e custou dois anos de suspensão ao craque e ídolo Paolo Rossi- em 82 herói do título na Copa e carrasco do Brasil- ou o do “Calciopoli”, o escândalo de partidas manipuladas que fez a Juventus perder dois títulos (2005 e 2006) e rebaixou o clube para a Série B. Por coincidência, nas duas vezes em que a Itália foi afetada por casos assim terminou por vencer uma grande competição, as Copas do Mundo de 1982 e 2006. Restabelecida a dignidade a Itália voltou mais forte. Lá não tem papo, fez sujeira recebem suspensões pesadas ou vai em “cana”.

O futebol brasileiro perdeu toda a credibilidade. Sinceramente não acredito mais na conquista de qualquer título, sempre fica aquele pingo de dúvida sobre a ação de manipulações desonestas por trás. Não isento nem a Libertadores… deve correr muita grana, por isso geralmente após ganhar estes títulos os vencedores no ano seguinte enfrentam algumas dificuldades financeiras e não investem tanto. Colocam o pé no freio. Para ser campeão tem gastar muitas vezes o que não tem. Corrupção limpa os cofres dos clubes brasileiros.

Até quando persistirá este sentimento de desconfiança? Já passou da hora, do Governo brasileiro e Ministério Público intervirem na CBF, enfiar a Polícia Federal em uma grande operação, pente fino geral na entidade. Instaurar uma sindicância, esmiuçar dados de cada computador, documentos, investigar a vida dos dirigentes… enfim, fazer um raio-X radical. Só após isso ocorrer voltarei a acreditar que os melhores vencem e não temos empresários pagando por convocações ou patrocinadores comprando Copas, Campeonatos Brasileiros e Libertadores. Enquanto não desbaratarem as quadrilhas que dominam o futebol brasileiro tudo não passará de um mundo surreal, falso e inescrupuloso.

A “avalanche gremista” é uma vergonha! Além de ser motivo de gozação de colorados e dos torcedores de todo país! Que as autoridades gaúchas HOJE proíbam definitivamente este “encoxa-encoxa” fazedor de vítimas!

Leia o post original por miltonneves

Faltou pulso firme ao Ministério Público gaúcho.

A “avalanche gremista” nunca deveria ter sido liberada na Nova Arena.

Devidamente proibida em novembro de 2012 pelo Coronel Alfeu Freitas, da PM de Porto Alegre, a comemoração tricolor é de péssimo gosto.

Além, é claro, de ser isoladamente uma vergonha, um grande motivo de gozação dos colorados e de todos os torcedores do país.

Mas a diretoria do Grêmio foi atrás do governador Tarso Genro e pediu que o “deslizamento de gente” fosse novamente aceito dentro de seu moderno estádio.

E isso tudo apenas três dias depois da maior tragédia que o Rio Grande do Sul já viveu, no lamentável caso de Santa Maria.

Na Arena, foi imprudência e descaso com o bem-estar do torcedor.

Até quando vamos esperar as coisas terríveis acontecerem para correr atrás das providências?

Que as autoridades gaúchas HOJE proíbam definitivamente este “encoxa-encoxa” fazedor de vítimas!

PS: a diretoria do Grêmio emitiu uma nota nesta tarde informando que a arquibancada onde ocorreu o incidente será temporariamente fechada.

O que você acha da “avalanche gremista”?

Opine!

Patrocínio de agência ligada a ministério reforça DNA estatal da Copa-14

Leia o post original por Perrone

O Governo Federal reforça o DNA estatal da Copa de 2014 com a Apex Brasil, nova patrocinadora nacional do mundial e da Copa das Confederações. A Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos é ligada ao Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior.

Ela tem em seu Conselho Deliberativo representantes dos ministérios do Desenvolvimento e das Relações Exteriores e do BNDES, banco também ligado ao Governo Federal.

A novidade, anunciada pela Fifa nesta quarta, ajuda a ratificar que não passou de ilusionismo a “Copa privada” anunciada um dia por Ricardo Teixeira. COL (Comitê Organizador Local) e governos Federal, Estaduais, Municipais só não aparecem juntos quando o tema é quem está sujeito à fiscalização dos órgãos que controlam gastos com dinheiro público.

Espionagem brasileira atrapalha comercialmente empresas e governo inglês

Leia o post original por Perrone

 A apropriação indevida de documentos da Olimpíada de Londres por gente do Comitê Rio-16 atrapalhou comercialmente empresas inglesas e o governo inglês. As autoridades da Inglaterra se comprometeram a ajudar suas parceiras a vender tecnologia olímpica.

 Obviamente, o empresariado brasileiro é o alvo principal, já que irá prestar serviços semelhantes para os Jogos de 2016. Ora, se o comitê brasileiro consegue parte dessa tecnologia de graça, não faz sentido pagar por ela. Sem falar no risco de quem botou a mão no material vender tudo por preço mais baixo, de maneira ilegal. Vale lembrar que existe um acordo de cooperação entre os dois comitês, mas nem tudo faz parte dele.

Assim, o episódio da espionagem brasileira deixou o comitê londrino e o governo local numa saia justa com seus parceiros. O tamanho do estrago será medido agora, momento em que a iniciativa privada inglesa, com apoio governamental, entrara em cena para vender seus conhecimentos aos brasileiros.

Governo gasta R$ 19 milhões só com passarela de acesso ao Itaquerão

Leia o post original por Perrone

A passarela que permitirá o acesso dos torcedores ao Itaquerão (marca registrada pelo Corinthians) custará R$ 19 milhões para os cofres públicos. O Governo do Estado vai executar a obras. Serão necessárias desapropriações, que ficarão sob responsabilidade da prefeitura.

As informações foram divulgadas pelo Governo do Estado e pela Prefeitura, que falam com orgulho da passarela, a maior da cidade, com 185 metros de extensão e um vão livre de 110 metros.

 O site oficial da prefeitura, porém, não dá detalhes sobre as desapropriações. Mas cita outras obras na região. O município anunciou que colocará R$ 132,3 milhões no projeto do Complexo Viário do Polo Institucional de Itaquera, que tem vida independente do estádio. O Governo investirá mais R$ 345,9 milhões. As autoridades defendem o projeto afirmando que 2,4 milhões de habitantes serão beneficiados.