Arquivo da categoria: Guardiola

Guardiola esta distante de ser gênio como treinador!

Leia o post original por Nilson Cesar

Claro que Guardiola é um grande treinador mas esta distante de ser gênio. Não existe isso no futebol. Continuo entendendo que o treinador tem 20% de importância ou um pouquinho mais em uma equipe. Essa adoração com Guardiola acho um grande exagero. O atleta de futebol dentro de campo é que tem importância de verdade. Cobra-se muito o treinador e o atleta é poupado. Acho Guardiola muito bom sim, mas o fato é que sem Messi não ganhou uma Champions . Tem que ganhar. Vamos aguardar….

Luxemburgo??? Nem Guardiola dá jeito nessa bagunça!

Leia o post original por Craque Neto

Olha como o futebol dá volta, hein? Até pouco tempo atrás o Sr. Vanderlei Luxemburgo era persona non grata dentro do São Paulo FC. Isso mesmo! Lembro como se fosse hoje dos dirigentes rejeitando publicamente ele como treinador possivelmente pelo perfil de querer mandar e desmandar em tudo. Sobretudo nas negociações de atletas. Esse papel de manager era repudiado por aquela gestão que era considerada exemplo de organização e planejamento. Pois agora em 2018, 25 anos depois do auge profissional do Luxa, ele é considerado o SALVADOR da pátria do Tricolor. Só pode ser brincadeira, né? Em primeiro lugar o […]

O post Luxemburgo??? Nem Guardiola dá jeito nessa bagunça! apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Primeira semana Champions

Leia o post original por Flavio Prado

Vou falar um pouco dos quatro jogos desta primeira semana da fase final da Champions League que já tem dois confrontos decididos.

Basel x Manchester City: Este é um dos confrontos já decididos. Aliás, este já estava definido quando foi determinado pelo sorteio. A diferença entre os times é enorme e ficou provado no campo. Vitória tranquila do time de Guardiola que no momento apresenta o melhor futebol na Europa. Coloco sim como candidato ao título.

Juventus x Tottenham: Foi um belo jogo na Itália. A Juventus começou com tudo, abriu 2×0 em 10 minutos, mas depois foi dominada pelo time inglês. O Tottenham tem uma boa consistência nos seu nível de atuação, time muito bem treinado por Mauricio Pochettino. Destaque mais uma vez para Harry Kane e Eriksen. Acredito na classificação do Tottenham.

Porto x Liverpool: Confronto definido. Atropelamento do Liverpool em Portugal. Mesmo sem Coutinho, o Liverpool segue forte e envolvente no ataque. Mané, Firmino e Salah se completam. A alta intensidade do time faz toda a diferença nas grandes atuações, mas nem sempre é possível jogar neste ritmo, por isso o time de Klopp oscila muito.

Real Madrid x PSG: O jogo mais esperado. A vantagem de 2 gols obtida pelo Real Madrid é importante e pode ter sido decisiva. Ainda acredito que o PSG está na briga, mas em um confronto equilibrado qualquer vantagem faz diferença. Destaque enorme para a atuação de Marcelo e para as mudanças de ZIdane no final do jogo.

Guardiola foi superestimado ou só está passando por um momento difícil?

Leia o post original por Milton Neves

guardiola triste

No dia 18 de dezembro de 2011 eu estava no Estádio Internacional de Yokohama, no Japão, e vi com os meus próprios olhos um dos maiores massacres da história do futebol mundial.

O Barcelona de Guardiola fez “só” 4 a 0 no Santos de Muricy, mas poderia muito bem ter feito sete, oito, nove…

Voltei para o Brasil com a nítida sensação de que Guardiola era um técnico imbatível.

Mas aí ele saiu do fantástico Barcelona e, depois de um período parado, assumiu o não menos fantástico Bayern de Munique.

Na Alemanha, teve poucas derrotas e vencia o campeonato local sem sustos.

No entanto, a equipe de Munique passava longe de encantar como o seu Barça, principalmente em partidas da Liga dos Campeões.

E agora, no Manchester City, disputando a duríssima Premier League, Pep tem passado por diversas situações que ninguém jamais imaginaria.

Neste domingo, por exemplo, contra o médio Everton, o seu City, que conta com estrelas do mundo todo, levou nada menos que um 4 a 0 (fora o baile)!!!

E, pela atual posição na tabela de classificação, não é loucura pensar que o time comandado por ele possa ficar de fora da Liga dos Campeões.

Incrível, não?

Por isso, pergunto a vocês: o mundo superestimou Guardiola?

Ou ele só está passando por um momento ruim?

Opine!

Liga dos Campeões

Leia o post original por Flavio Prado

Definidos os confrontos de oitavas de final da Liga dos Campeões da Europa. Vamos para uma rápida análise dos jogos:

Barcelona X PSG: Barça não vive seu melhor momento, mas é bem melhor que o time francês que nesta temporada não domina seu campeonato nacional como nos anos anteriores. Os franceses ainda se adaptam ao novo técnico e apesar da ótima temporada de Cavani como centroavante, Ibrahimovic faz falta. Palpite: Barcelona

Arsenal x Bayern: Mais uma vez o sorteio foi ruim para os ingleses. Bayern não joga tão bem na atual temporada, mas tem uma grande equipe e deve crescer. Palpite:Bayern

Monaco x Manchester City: Guardiola ainda se adapta ao novo time, a mudança no estilo de jogo é brusca, a chegada de Gabriel Jesus deve ajudar muito, no atual elenco só Aguero faz gol com frequência. Monaco é um time jovem e bem armado, vai dar trabalho. Palpite: Manchester City

Juventus x Porto: Juventus é o único italiano competitivo hoje na Europa, conjunto forte. Porto tem trabalho até mesmo em Portugal. Palpite: Juventus

Borussia Dortmund x Benfica: o time alemão faz grandes jogos, mas ainda oscila muito, tem tropeçado em pequenos na Bundesliga. Benfica tem bom conjunto, mas falta maior qualidade. Palpite: Dortmund

Napoli x Real Madrid: mais um ótimo sorteio para o Real Madrid. O atual campeão deve passar bem. Palpite: Real Madrid

Atlético Madrid x Bayer Leverkusen: o time de Simeone sofre contra times médios, pelo seu estilo reativo. Mas deve passar no sufoco e vai dar trabalho mais uma vez. Palpite: Atlético

Leicester x Sevilla: duelo de estilos opostos. Leicester prefere ficar sem a bola e aposta no contra-ataque. Sevilla de Sampaoli procura propor o jogo e pressionar, gosto mais do estilo espanhol. Palpite: Sevilla

Bayern e City não são mais 100%, Barcelona vira o jogo

Leia o post original por Flavio Prado

(Foto: JAVIER SORIANO/AFP)
(Foto: JAVIER SORIANO/AFP)

Na rodada desta quarta-feira na Liga dos Campeões da Europa, o Bayern e o Manchester City que até então tinham vencido todos os jogos oficiais na temporada, tropeçaram.

O Bayern perdeu em Madrid para o Atlético. Resultado normal, mas um passo importante para o time de Simeone conquistar o primeiro lugar do grupo. Os alemães além de vencer o jogo de volta, precisam ganhar do PSV na Holanda, coisa que o Atlético já conseguiu.

O Manchester City de Guardiola empatou na Escócia com o Celtic, 3×3. Apesar de ter uma postura ofensiva, é difícil um time de Guardiola tomar 3 gols, principalmente contra um time inferior tecnicamente. De Bruyne fará muita falta no período em que ficará afastado.

Na Alemanha, o Barcelona sofreu, mas virou o jogo contra o Borussia Monchengladbach. O time alemão tem ótimo aproveitamento como mandante, abriu o placar e foi perigoso nos contra-ataques. No segundo tempo, o Barcelona cresceu com a entrada de Arda Turan. Na ausência de Messi, o turco é a melhor opção. Neymar fez mais uma boa partida.

E se Gabriel Jesus não fosse embora do Brasil?…

Leia o post original por Antero Greco

Estava aqui a pensar nessa ascensão rápida de Gabriel Jesus, no interesse de gringos no rapazinho e dei uma viajada. Comentário um tanto fora da realidade, mas que, talvez, um dia seja possível…

Pois então, gênios das finanças deste Brasil varonil!

Ministros da Fazenda, Economia e dos Esportes!

Não existe um plano econômico, uma continha de chegada que permita manter no futebol brasileiro o Gabriel Jesus, o Lucas Lima, o Gabigol?

Por que eles têm obrigatoriamente de ir embora?

O Palmeiras não está lotando a sua arena em quase todo jogo? Não tem sócio torcedor a dar com pau? Não vende camisa como água mineral? Não tem patrocinador máster?

Então, não dá para continuar com o menino artilheiro no clube, pagando seu salário, dividindo os gols com os torcedores que não sabem o que é um título brasileiro há muito tempo?

O jogador precisa ficar recebendo ligações de Mourinho, Guardiola e tantos outros treinadores conceituados deste mundo cada vez mais cara-de-pau?

O presidente do Palmeiras, de nobre estirpe financeira, não tem um plano para que o clube se transforme no maior do país, da América do Sul, do mundo? Será que investir em nosso futebol é tão ruim?

O Santos que segurou Pelé não pode segurar Lucas Lima e seu futebol diferenciado, seus passes milimétricos, seus dribles curtos que quebram sistemas defensivos?

Ah, na Europa a TV paga mais.

As ligas são comandadas pelos clubes, os patrocinadores são mais ricos, as confederações não têm presidentes que não podem viajar…

Está certo, mas os europeus não têm um Neymar, não têm um Lucas Lima, não têm um Gabriel Jesus.

A Inglaterra quer, a Espanha quer, a Alemanha quer, o mundo todo quer.

Que Gabriel fique aqui, ganhando bem, fazendo gols, incentivando o surgimento de novos craques.

Aliás, o Palmeiras tem um time sub-20 de encher os olhos. Como o São Paulo também tem. Neste domingo, os dois decidem a Copa Minas Gerais. Está aí um grande jogo para ser visto, mas não avisem o Guardiola, nem o Mourinho.

Tite? Guardiola? Feliz é Fernando Diniz que não tem ninguém para encher o saco

Leia o post original por Quartarollo

Tite? Guardiola? Feliz é Fernando Diniz que não tem ninguém para encher o saco

Dois dos melhores técnicos da atualidade, na minha opinião, vivem semana similar. Cada um num canto do mundo.

Guardiola mais uma vez foi eliminado da Liga dos Campeões. De nada adiantou a posse de bola contra o hermeticamente fechado Atlético de Madrid.

Mesmo em dois jogos não conseguiu se classificar. Foi vaiado no fim de semana porque podia ter sido campeão antecipado na Alemanha, e não seria a primeira vez, e quando saiu do estádio, em Munique, também havia pressão pela eliminação na Liga.

Os gritos de “Fora, Guardiola” são uma afronta ao futebol. Mas ele tem contra si a sombra do técnico anterior      (Jupp Heynckes) que ganhou não só a Bundesliga, mas também Supercopa e Copa da Alemanha e a Liga dos Campeões.

A verdade é que não é preciso ser Guardiola para ganhar jogos e títulos, mas o time dele joga bem futebol e isso é agradável aos olhos, mas nem sempre para quem perde.

Enalteço o trabalho de Simeone no Atético de Madrid. Um técnico tem que saber da limitações da sua equipe e não se expor mesmo. Nada contra, só estou analisando a beleza do jogo e o trabalho em campo.

Como Guardiola fez um trabalho futurista e grandioso no Barcelona, embora sempre diga que o que o seu time jogava  é o que o Brasil jogava em 1982, é sempre cobrado por títulos e espetáculo.

Mas agora só o espetáculo não basta. O futebol é profissional, precisa de dinheiro e para consegui-lo é preciso ganhar também no campo.

Ainda com um crédito incomensurável, Guardiola não fica sem emprego. Vai para o Manchester City, que teve no chileno Manuel Pellegrini um grande treinador.

E Tite? O que tem com isso?

Tite vive uma outra realidade, mas também é um treinador extraordinário e foi eliminado na Libertadores, uma espécie de Liga dos Campeões do lado de cá do mundo.

Viveu, guardadas as devidas proporções, uma semana parecida com a de Guardiola.

Tinha sido eliminado do Paulista há poucos dias e o time no primeiro jogo, em Montevidéu, jogou bulhufas. Foi muito mal, não deu um chute ao gol adversário.

Acabou empatando em casa em 2 x 2 com o Nacional uruguaio e está fora da competição.

Tite começa a ser questionado novamente. É a sina do treinador no mundo todo pelo jeito.

Já ouvi que ele não ganha mata-mata. Mentira, ganhou uma Libertadores invicto e o Mundial no mata-mata. Ganhou Copa do Brasil com o Grêmio contra o próprio Corinthians também no mata-mata.

Na saída do estádio ontem cheguei a ouvir: “Ele não pode escalar Rodriguinho, é muito fraco, podia ter colocado o Guilherme”.

Guilherme? Aquele que todos criticavam e que ainda não se adaptou ao time? Ah, bom, aquele que a mesma torcida queria fora da equipe?

Sempre o de fora é o melhor quando o time perde. “Ah, tem que treinar pênaltis”. Sinceramente você acha que ninguém treina pênaltis no Corinthians? Claro que treina, mas é verdade, não tem dado certo.

Ao contrário de Guardiola, Tite conta com o que tem. Chegou em janeiro para comandar o time que tinha acabado de ser campeão brasileiro (é isso mesmo, se vocês esqueceram o time foi campeão brasileiro há poucos meses) e encontrou o elenco desfalcado por negociações para o exterior.

Teve que repor essas peças com os jogos em andamento. É consertar avião no ar e de vez em quando uma peça ficava pelo caminho.

Quase perdeu Elias e Cássio para o exterior. Daí seriam 9 baixas em relação ao time campeão do Brasil.

Queria ver Guardiola retornando de uma temporada vitoriosa e encontrando o Bayern sem Douglas Costa, Lahm, Neuer, Thiago Alcântara, Robben, Lewandowski e outros mais. Iria embora na mesma hora e ainda chamaria aquilo de imensa falta de profissionalismo.

Agora que ele está indo para o City já enviou a lista de reforços e ela começa só com Neymar e tem outros que não podem passar por equipes brasileiras nem em sonho. Os preços são impraticáveis para nós.

Terá milhões para gastar na montagem do elenco e vai dispensar muita gente boa também. E todos aplaudem.

Acho que Tite gostaria de viver uma situação como essa. Garantia total de emprego por três anos, um salário altíssimo e um dinheirão à disposição para contratar gente boa.

Garanto que não jogaria com Alan Mineiro, Romero, Guilherme e outros. Pensaria mais alto, com certeza.

Por isso que eu digo, feliz mesmo é Fernando Diniz, técnico do audacioso Audax, que já é no mínimo vice-campeão paulista.

Se perder está bom, se empatar está bom e se vencer está ótimo. Não será pressionado, não será cobrado por torcida que o time não tem, não verá seu nome pichado no muro em meio a palavrões, não será obrigado a ouvir insultos e pressões nos vestiários.

Vai continuar a vida e ainda será chamado por nós da imprensa como impetuoso e moderno. Responsabilidade zero.

Mas também não terá os salários de Tite e muito menos os de Guardiola. São os ônus que carregam o bônus. Você ganha mais, também será mais cobrado e precisa vencer mais também.

É o paradoxo do futebol atual e do chamando mundo capitalista. Não há mais romantismo na quentura dos estádios. Só em Osasco para o feliz Diniz.

O “irresponsável” Audax testará o favoritismo do Corinthians

Leia o post original por Quartarollo

O “irresponsável” Audax testará o favoritismo do Corinthians

A maioria dos torcedores independente de time reconhece o bom momento do Corinthians.

Mesmo para os mais despeitados não há como mentir. O time é um dos melhores do momento com um trabalho magnífico de Tite que perde jogadores, arranja outros e vai se adaptando à várias situações que duvido que muito técnico europeu badalado conseguiria suportar.

Imaginem Guardiola chegando de uma temporada para outro e fica sabendo que perdeu 7 titulares? Iria embora imediatamente chamando os dirigentes de amadores.

Aqui os dirigentes não foram amadores porque nada podiam fazer para deter a debandada do elenco, tudo foi legal e dentro do contrato e os chineses se aproveitaram do péssimo momento econômico vivido pelo país.

Tite foi reagrupando o elenco sem grandes estrelas transformando jogadores médios em bons e os bons em excelentes.

O que vale no Corinthians é o coletivo, não há nenhuma grande estrela a não ser o treinador que está mesmo entre os melhores do mundo, na minha opinião.

Sábado o Corinthians testará mais uma vez a sua força. Jogará as semifinais do Paulista em seu estádio, às 18h30, contra o audacioso Audax de Fernando Diniz, que não tem torcida, não tem grandes gastos, paga em dia e não tem pressão nenhuma.

Joga até de forma irresponsável porque não precisa dar satisfação a ninguém além dos seus próprios profissionais e dirigentes.

Ninguém vai pichar muro, destruir sede e ameaçar jogador se o time for eliminado pelo Corinthians.

Se passar ótimo, ficará na vitrine mais duas semanas, se não passar já fez o seu comercial com um jogo coletivo de posse de bola e como eu disse antes, até com alguma irresponsabilidade,o que tornou mais bela sua ótima campanha.

O Audax tem jogador de Seleção? Não tem. O Audax é um primor de time? Não é, mas é um time bem montado.

Fernando Diniz faria a mesma coisa em um time grande? Pode ser, mas tenho minhas dúvidas. Iria perder muito e tenho quase certeza que os dirigentes não segurariam sua onda.

Portanto, diante de tudo isso a responsabilidade é toda do Corinthians. Tem obrigação de vencer e ir às finais do Paulista coisa que não conseguiu no ano passado diante do Palmeiras nos pênaltis dentro do Itaquerão.

Tite terá que se arriscar com marcação na saída de bola do adversário para impedir o toque de bola dele.

Terá que abrir um pouquinho um time que sabe como poucos se defender e sabe o que fazer quando tem a bola nos pés, por isso é bom recupera-la mais perto do gol adversário.

O Corinthians tem 80% de chances de passar pelo Audax num jogo só de semifinal.

Restam 20% para o Audax, o que significa muito para um time atrevido e que não tem medo de ser feliz. Joga sem obrigação e com alegria.

Dunga, Tite, Sampaoli, Imprensa, CBF e onde está a nossa aclamada ética?

Leia o post original por Quartarollo

Dunga, Tite, Sampaoli, Imprensa, CBF e onde está a nossa aclamada ética?

A grande imprensa gosta de vender teorias. Muitas com razão, outras nem tanto.

Sempre diz que um trabalho precisa de sequência. Que técnico não deve ser demitido no meio do trabalho.

Chorou por Marcelo Oliveira que vinha mal no Palmeiras e agora aplaude Cuca que entrou em seu lugar.

Alguns até já estão chegando a conclusão que a troca foi boa, o que prova que nem toda a demissão atrapalha.

Agora os mesmos defensores da continuidade dos técnicos querem Dunga fora da Seleção.

Ele não perdeu, mas jogou um mau segundo tempo contra o Uruguai, no Recife, foi bem no primeiro, e um bom segundo tempo contra o Paraguai, em Assunção, foi mal no primeiro.

Dois resultados de 2 x 2, Normal pela história desses confrontos em Eliminatórias na América do Sul, mas Dunga tem contra si o fato de Neymar não ser contido disciplinarmente na Seleção, o que é função dele e também de Gilmar.

O futebol em si não tem muita diferença do que se joga por aqui. São os mesmos jogadores e se vier outro técnico as convocações serão basicamente iguais.

As últimas informações de bastidores, nem sempre corretas, dizem que Tite foi sondado e teria dito não por não gostar das pessoas que mandam na CBF.

Pelo que sei não foi isso. Ele foi sondado por um dirigente da Federação Paulista se aceitaria assumir a Seleção e respondeu que lá tem um técnico e que ele é técnico do Corinthians.

Não citou nada contra quem está no comando da CBF, mas a notícia fica mais forte dessa forma, por isso alguns postam dessa forma.

O que ficou claro é que Tite foi ético, mas que até aceitaria a Seleção se o cargo estivesse vago, o que não é o caso de momento.

Outra informação diz que Jorge Sampaoli teria se oferecido para ser técnico da Seleção Brasileira.

Mentira. Duvido que Sampaoli tire o celular do bolso para se oferecer. Se alguém o fez, foi um agente que o representa ou gente que sondou essa possibilidade para depois levar dinheiro por indica-lo, como se ele precisasse disso.

Todo mundo sabe quem é o ex-técnico do Chile, mas futebol tem disso. No Palmeiras, na volta de Valdívia até o pai do jogador ganhou comissão.

Mas daí de novo coloco a palavra ética na conversa. É ético um técnico se oferecer para um cargo já ocupado por outro?

A nossa grande imprensa quando é alguém daqui que faz isso cai de pau em nome da ética, mas como está babando por um técnico estrangeiro na Seleção e ainda mais sendo Sampaoli, o salvador do futebol chileno, se esqueceu desse importante detalhe.

Ou seja, vale para uns mas não vale para outros. Se é Vanderlei Luxemburgo que faz isso a casa cai e pedem instalação de CPI contra o cara, mas Sampaoli pode.

Se colocar no mercado é uma coisa, se oferecer para o lugar do outro é outra coisa. E a pergunta é: Será que Sampaoli fez isso mesmo ou vai ser mais uma estória da carochinha do Guardiola querendo a Seleção Brasileira?

Não estou entrando no mérito sobre o trabalho de Tite, Sampaoli e Dunga, até porque os três são bem diferentes e eu prefiro muito mais o primeiro, mas estou analisando de como as coisas são ditas, escritas, inventadas e viram verdades que não se sustentam nem até a segunda página.

O que é certo nesse momento é que Dunga continua técnico da Seleção. Deve ficar até a Copa América centenária e se fizer um bom papel, acho (e daí já é opinião) que ele continua.

O seu problema é a vaidade de querer dirigir a Seleção na Olimpíada. A medalha de ouro nunca conquistada já derrubou muitos outros e Dunga já passou por isso e parece que não aprendeu.