Arquivo da categoria: José Edgard Bueno

Ex-advogado de Najila responde a Neymar pai, e juiz arquiva caso

Leia o post original por Perrone

José Edgard Bueno, primeiro advogado de Najila Trindade (Crédito: Suamy Beydoun/AGIF)

José Edgard da Cunha Bueno Filho, primeiro advogado de Najila Trindade na acusação de estupro e agressão contra Neymar, e seus sócios num escritório de advocacia responderam à interpelação do pai do jogador na Justiça. Treze perguntas sobre a participação deles no episódio, incluindo questões sobre o relacionamento de Bueno com Mauro Naves, tinham sido feitas como parte de uma medida para eventuais ação penal e/ou indenizatória sob a acusação de difamação contra os advogados.

Nesta quinta (11), o juiz Ulisses Augusto Pascolati Júnior determinou o arquivamento dos autos após o autor tomar ciência, considerando prestadas as explicações pedidas por Neymar da Silva Santos na notificação. Nesses casos, é comum o caso ser arquivado depois de os interpelados responderem. Agora, cabe ao pai do astro do PSG decidir se entrará com ação por difamação contra os advogados ou não.

Leia mais:

Davi Tangerino, um dos advogados de Neymar pai, disse ao blog que está de férias, não sabe do andamento dos caso e por isso só poderá se manifestar quando retomar ao trabalho. Por meio de sua assessoria de imprensa, Bueno afirmou que não comentaria o assunto.

Bueno é acusado de tentar extorquir o Neymar mais velho para que Najila não apresentasse queixa contra seu filho. Ao negar essa acusação, o advogado escreveu em carta obtida pelo UOL Esporte que foi vítima de uma armadilha ao se reunir com representantes do jogador para tentar um acordo. Essa e outras declarações motivaram o pedido de explicações na Justiça.

Na resposta à interpelação, sem responder à cada indagação pontualmente, Bueno e seus sócios afirmaram que suas declarações só foram dadas para esclarecer a opinião pública sobre o encontro com representantes de Neymar diante do que chamam de ataque a suas honras, numa referência à acusação de extorsão. Ao mesmo tempo, afirmam que jamais tiveram a intenção de atingir a honra do pai do jogador.

Eles sustentam que a reunião, ocorrida num apartamento de Neymar pai em São Paulo, “teve por objetivo buscar, na via extrajudicial, acordo na esfera cível, acerca dos danos causados, segundo a narrativa” de Najila. Também alegam que queriam evitar eventual ação penal pública na França, onde teriam ocorrido o estupro e as agressões. Neymar nega ter cometido os crimes.

Na resposta, os ex-representantes da modelo também afirmam considerar judicialmente descabido o pedido de explicações feito por Neymar pai. Isso por inexistirem, segundo eles, frases ambíguas ou dúbias que ofendam a honra de Neymar pai e que demandariam esclarecimentos. “Não obstante o presente pedido de explicações pareça prestar-se somente para tentar constranger os interpelados com descabida distribuição de natureza criminal, esses são os esclarecimentos que cumpria aos interpelados responder”, diz o fim da resposta.

Bueno não respondeu se conhece Mauro Naves, demitido da Globo por seu envolvimento no episódio, e se conseguiu com o jornalista o telefone do pai de Neymar, como indica mensagem anexada à interpelação. O blog apurou que advogado e o ex-funcionário da emissora de TV são amigos de longa data.

Para juiz, fama de Neymar não justifica segredo em caso com advogados

Leia o post original por Perrone

Com Pedro Lopes, do UOL Esporte, em São Paulo

Para o juiz Ulisses Augusto Pascolati Júnior, a notoriedade de Neymar não é motivo para decretar segredo de justiça em interpelação judicial feita pelo pai do jogador a ex-advogados de Najila Trindade.

Foram pedidas explicações a José Edgard Bueno e seus sócios advogados sobre declarações dadas a respeito do caso envolvendo acusação de estupro feita por Najila contra Neymar, que nega o crime. Eles foram os primeiros a defender a modelo no episódio.

Entre 13 perguntas, Neymar pai  indaga sobre o suposto envolvimento de Mauro Naves, repórter da Globo, com Bueno, acusado de tentativa de extorsão. Ele rejeita a acusação.

O pedido feito pelos advogados do pai do atleta para decretar sigilo em relação à interpelação foi negado pelo juiz.

“No caso dos autos entretanto, não obstante as pessoas envolvidas – especialmente o jogador Neymar – causem “interesse do público”, não há motivos para a decretação do segredo de justiça, até porque, como mencionado pelo requerente, trata-se de interesse privado”, escreveu o juiz do Juizado Especial Criminal  (SP) em sua decisão. 

“Ademais, não é o fato de ser uma pessoa pública, seja pelo cargo que ocupa ou mesmo porque é altamente conhecida do público, exercendo uma função privada, que a exceção (segredo) deve convolar-se em regra. Assim, indefiro o pedido de segredo de justiça”, completou o magistrado.

O juiz também argumentou que “o processo penal por essência é público e todos os atos processuais, da mesma forma, devem ser praticados de forma pública. Aliás, a publicidade, até para que haja efetivo controle dos atos processuais, é pressuposto de um Estado Republicano”.

Os advogados de Neymar pai tinham pedido o segredo de justiça sob o argumento de resguardar “o interesse privado das partes, inibindo a divulgação indevida de aspectos sigilosos da demanda, sobretudo em vista da ampla repercussão na mídia envolvendo os fatos ora tratados”.

 

Pai de Neymar cobra explicações de primeiro advogado de Najila na Justiça

Crédito: Ueslei Marcelino/Reuters

Com Pedro Lopes, do UOL, em São Paulo

No último dia 7, Neymar da Silva Santos, pai do jogador do PSG, ingressou na Justiça com uma notificação para que José Edgard Bueno, ex-advogado de Najila Trindade, seus sócios e o escritório de advocacia deles apresentem uma série de explicações.

Foram feitas 13 perguntas relativas a declarações dadas por eles sobre o caso em que Neymar Júnior é acusado de estupro por Najila. O atleta nega as acusações. As questões incluem o suposto envolvendo de Mauro Naves.

Leia mais

Bueno, primeiro advogado da modelo no caso, é acusado de tentar extorquir o pai do jogador em troca de não ser formalizada a acusação.  O advogado  nega ter cometido o crime. Diz ter tentado fazer um acordo legal.

A atitude tomada pelo pai de Neymar trata-se de uma “interpelação judicial como medida cautelar preparatória de eventuais ação penal e/ou indenizatória”, como descrito no pedido inicial.

Ou seja, dependendo das respostas, Neymar pai pode processar os advogados.

O Neymar mais velho teve negado pedido para que o caso, no Juizado Especial Criminal na Barra Funda, em São Paulo, ficasse sob segredo de Justiça.

Uma das perguntas é se Bueno conhece Mauro Naves e se conseguiu o contato do pai do jogador por meio do repórter da Globo. O jornalista foi afastado da editoria de esportes da emissora desde que seu nome apareceu no caso.

Uma troca de mensagens, iniciada pelo advogado foi anexada à interpelação.

Bueno escreve: “Mauro Naves falou a meu respeito. Ele disse que você estaria disponível para uma conversa hoje em SP, por volta das 18h. Veja o que é mais confortável para você. Irei sozinho. Posso te encontrar ou se você preferir vir ao meu escritório…”.

Neymar pai responde dando um endereço  para a realização do encontro.

Também é indagado se Bueno confirma que o convite para a reunião foi feito pelo pai do jogoador, como o advogado escreveu em carta recebida pelo UOL Esporte.

Bueno ainda é indagado se confirma conteúdo da carta na qual o pai de Neymar é acusado de preparar “armadilha com o objetivo de criar um álibi para o seu protegido”.

Os advogados de Neymar da Silva Santos perguntam aos ex-defensores de Najila, caso confirmem as declarações, se alguma forma eles se retratam das afirmações. E lembram que havendo retratação parcial ou integral pode não ser dado antamento “às medidas cíveis e criminais cabíveis”.

Além de Bueno, foram interpelados os advogados Francis Ted Fernandes , André Castello Branco Colloto e a Fernandes e Abreu Sociedade de Advogados.

Na última segunda (10), o juiz Ulisses Augusto Pascolati Júnior deu cinco dias para que os interpelados respondam às perguntas.

Até a publicação deste post, Bueno não respondeu ao blog sobre o tema. O blog não conseguiu entrar em contato com os demais advogados.