Arquivo da categoria: juventude

Opinião: Flamengo x Corinthians é único confronto sem favorito na Copa BR

Leia o post original por Perrone

Na opinião deste blogueiro, Flamengo x Corinthians é o único duelo das oitavas de final da Copa do Brasil sem favorito. Os dois times ainda estão em fase de ajustes e se equilibram dentro de campo.

O elenco chefiado por Abel Braga é mais forte, porém a eficiência tática corintiana é capaz de dificultar o desempenho dos principais jogadores rubro-negros. A previsão é de dois jogos equilibrados.

Abaixo, a opinião sobre os demais confrontos.

Palmeiras x Sampaio Corrêa

É o mais desequilibrado. Em tese, o time misto de Felipão dá conta do recado sem sustos.

Internacional x Paysandu

Favoritismo disparado para o Inter, que tem elenco muito mais forte. A qualidade dos gaúchos deve prevalecer.

Atlético-MG x Santos

Pequeno favoritismo para os santistas. Hoje, o time de Sampaoli está num estágio de preparação mais avançado, tem um estilo de jogo bem definido, os jogadores sabem o que fazer com e sem a bola. O Galo ainda está se estruturando.

Grêmio x Juventude ou Vila Nova

Independentemente de quem passar, o time de Renato Gaúcho é favorito. O favoritismo só não é maior pelo futebol que os gremistas têm apresentado recentemente. O tricolor de Porto Alegre repetiu suas dificuldades no empate com o Avaí, nesta quarta (1º), em Florianóplis, pelo Campeonato Brasileiro.

Athletico x Fortaleza

O time paranaense é favorito, está entre os mais fortes do país. No entanto, o confronto é a chance de Rogério Ceni mostrar ser capaz de fazer algo diferente com um elenco tecnicamente inferior.

Cruzeiro x Fluminense

Confronto de treinadores de estilos bem diferentes. Mano Menezes prioriza a marcação e Fernando Diniz o toque de bola vertical. Pequeno favoritismo do time de Mano, que tem um trabalho mais longo no clube e é especialista em mata-matas. Os jogos devem ser bem atraentes por conta das filosofias distintas dos técnicos.

São Paulo x Bahia

Dois times que ainda buscam padrão de jogo. Favoritismo é do São Paulo, que evolui a cada partida e tem um elenco de peso, misturando juventude e experiência. Do lado baiano, porém, Roger Machado mostrou ser capaz de neutralizar times mais fortes. Fez isso na vitória por 3 a 2 sobre o Corinthians, em Salvador, pela primeira rodada do Brasileirão.

 

São Paulo eliminado e sem criatividade

Leia o post original por Flavio Prado

Foto: Rubens Chiri/SPFC
Foto: Rubens Chiri/SPFC

O São Paulo foi eliminado da Copa do Brasil. Perdeu para o Juventude no primeiro jogo no Morumbi e ganhou em Caxias, mas acabou eliminado pelo critério do gol marcado como visitante.

Em Caxias do Sul, o São Paulo precisava de pelo menos 2 gols e fez muito pouco para conseguir. O ano de 2016 do São Paulo é ruim, tem o quarto pior aproveitamento na temporada entre os clubes da série A, no Campeonato Brasileiro tem menos gols marcados que o Santa Cruz, o time sofre muito para criar oportunidades.

Infelizmente o ano de 2016 não é uma exceção, os últimos anos do São Paulo foram difíceis, principalmente fora de campo e isso reflete no campo. O São Paulo precisa se organizar na sua gestão, a política do clube está agitada, muitas decisões acontecem apenas pensando neste lado. Não existe um projeto de futebol, um modelo de jogo, um caminho a ser seguido.

A má gestão influencia e muito nos resultados de campo, não tem jeito, uma coisa está diretamente ligada a outra.

São Paulo precisa amar o São Paulo

Leia o post original por Rica Perrone

Há algum tempo o SPFC se tornou o time da Libertadores. O torcedor comprou esse barulho e até ensaiou deixar de ser uma torcida mimada e ausente para ser referência.  Mas nem toda quarta-feira a noite é Libertadores. Nem tudo acaba quando se sai de uma Libertadores. E tem ano que sequer estaremos na Libertadores. …

Quando se imagina que o SP vai reagir…

Leia o post original por Antero Greco

O São Paulo vive fase complicada. Tenta, tenta e não consegue reequilibrar-se. Vacilou no Paulistão, até surpreendeu na Libertadores e faz figuração no Brasileiro.

Bom, sobrou a Copa do Brasil para salvar a lavoura de uma temporada ruim. Daí, recebe o Juventude, hoje na Série C, e o que acontece? Perde por 2 a 1. Derrota constrangedora no Morumbi, na noite desta quarta-feira, e risco de cair fora da competição logo na fase em que estreou. Está obrigado a ganhar por dois de diferença na volta, no dia 21 de setembro.

O Juventude veio como quem não tem nada a perder. E disposto a atazanar a vida tricolor. Deu pra lá de certo. A equipe dirigida por Antonio Carlos Zago, antigo zagueiro são-paulino, jogou certo, sem inventar e com tiros no alvo. O primeiro deles aos 9 minutos, num ataque bem elaborado e com chute maroto de Roberson, que enganou Denis.

A desvantagem deixou o São Paulo atônito. O técnico Ricardo Gomes colocou em campo a formação que considera ideal, com Lugano, Michel Bastos e Buffarini no banco. Lá estavam Maicon, Cueva, Chavez, João Schmidt e outros que tinham a missão de iniciar com eficiência a caminhada para um título inédito.

O nervosismo ficou evidente, mesmo com a boa vontade dos jogadores. O São Paulo apertou, pressionou, tentou empurrar o adversário gaúcho para o próprio campo. Abusou de cruzamentos, arriscou-se a tomar o segundo. Mas, de tanto insistir, empatou aos 39 minutos, e num cruzamento de Carlinhos que Chavez completou de cabeça.

Alívio? Nem tanto. Ricardo mexeu no time na etapa final, a começar pela saída de Schmidt e a entrada de Michel Bastos. A toada se manteve, com mais bolas na área do Juventude, que percebeu a estratégia e recuou com tudo. E, assim como no primeiro tempo, não precisava expor-se. Ao contrário, basta esperar falha do São Paulo, que apareceu na forma de pênalti, cobrado e convertido por Roberson: 2 a 1. E tome vaias do pequeno público no estádio.

Jogadores e treinador são-paulinos saíram de campo com a leve desconfiança de que a bronca da torcida só tende a crescer.

Grêmio em águas calmas na Libertadores

Leia o post original por Antero Greco

Houve um momento em que se temeu o risco de o Grêmio não seguir em frente na Libertadores. Temor despertado por derrota na estreia (contra o Toluca) e mais dois empates em quatro jogos.

A nuvem foi espantada na rodada passada, com vitória por 3 a 2 sobre a LDU, fora de casa. E, para fechar bem a fase de grupos, 1 a 0 sobre o Toluca, na noite desta terça-feira, em Porto Alegre. Com 11 pontos, a equipe de Roger Machado avançou com firmeza e confiança para as oitavas de final. Junto com Corinthians e Galo forma o trio brasileiro que continua na corrida pelo título. O São Paulo decide a sorte nesta quinta-feira, contra The Strongest, em La Paz.

O jogo na arena tricolor foi rotina, mera formalidade, já que os dois entrarem em campo classificados. Os mexicanos, com 13 pontos, se deram o luxo de atuar com time reserva. O técnico Cardoso considerou mais conveniente poupar titulares para desafios complicados no campeonato deles. O Grêmio deu refresco para algumas peças importantes no segundo tempo.

A partida foi morna, sem sobressaltos, com o Grêmio a manter o controle do começo ao fim. Fez o gol da vantagem com Ramiro e nem se incomodou em forçar o ritmo. Do lado de lá, o Toluca queria que o mundo acabasse em barranco e sequer testou os reflexos de Marcelo Grohe.

Não foi exatamente jogo de compadre, porque não havia combinação de resultados que pudesse prejudicar outros concorrentes (LDU e San Lorenzo já estavam fora).  Mas prevaleceu espírito relaxado, desarmado, cada qual a pensar nos próximos desafios. O Grêmio, por exemplo, volta à ativa em menos de 48 horas – na quinta-feira, tem o Juventude pelo Campeonato Gaúcho. Por isso, cumpriu o ritual que dele se esperava e vida que segue.

Importante, para o torcedor, foi a classificação. E, junto com ela, a certeza de que o time tem nível para topar com qualquer rival a partir das etapas de mata-mata. O Imortal está vivíssimo na busca da América.

 

Time do Inter ainda não tem formação

Leia o post original por Débora Cademartori

Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

Qualidade colorada

O Inter tem bons jogadores. Seus dirigentes fizeram contratações importantes. Mas o time não está formado. Nem quando joga com titulares, nem quando usa reservas. Verdade que a maioria dos jogadores contratados chegaram fora da melhor condição física. Alguns ainda não estão bem. Mesmo assim, se poderia esperar mais do Inter. Ontem, no Alfredo Jaconi, foi pior do que o Juventude e mereceu perder. Foi a primeira derrota no Gauchão e deixou o time numa situação humilhante na tabela do campeonato. O que não se consegue ver é um time pensado, com jogadas e competitividade. Diego Aguirre tem a tarefa de ajustar a equipe. Na quarta-feira será contra o Aimoré, com titulares. Mais uma oportunidade para se ver o Inter jogar com qualidade. Sobre Lisandro López, foi razoável em sua estreia.

 

Recuperação

Depois de duas derrotas e um empate nos últimos três jogos na Arena, veio, finalmente, uma vitória do Grêmio. Um gol olímpico – em frango do goleiro Renan, do Caxias – deu inicio à vitória gremista. Mamute foi um atacante de qualidade e fez um belo gol. Marcelo Hermes foi, igualmente, surpresa agradável, além de Marcelo Oliveira, que também foi destaque. A melhor nota dou para a torcida do Grêmio. Apesar de vexames repetidos, foi em grande número na Arena ver o time jogar. E ajudou na vitória.

 

Juventude

Uma boa lição para técnicos bem mais famosos e que ganham fortunas foi dada pelo técnico Antônio Picoli. Começou faceirinho o Gauchão e afundava com seu time. Voltou atrás, recheou seu meio-campo, e as vitórias se multiplicaram. Ontem, quando terminou o jogo contra o Inter, Picoli era o líder do campeonato. Os treinadores precisam aprender que, quando não dá certo, é preciso mudar. O ex-zagueiro do Juventude nos deu um belo exemplo.

 

DEMMMAAIIISS

Gostei muito do Mamute no Gre-Nal e também no jogo de sábado, contra o Caxias. Atacante com muita força, joga pelo lado. Falta a ele a companhia indispensável que dará Braian Rodríguez. Começo a achar que Mamute poderá ser uma importante solução para os problemas ofensivos do Grêmio. É claro desde que o Felipão o deixe no time por mais alguns jogos.

 

De menos

Picoli sentiu dores no peito no segundo tempo e teve de abandonar o jogo. Atendido por paramédicos, voltou minutos depois. Antes, havia tido chilique com o árbitro Anderson Daronco. Desnecessário. Picoli tem sido um dos grandes treinadores deste Gauchão e não precisa buscar soluções em atritos com a arbitragem. Futebol se ganha no trabalho, na inteligência.

Insultos

Leia o post original por Pedro Ernesto

Não foram poucas as manifestações sobre o gol anulado do Juventude. Somos assim. Discutimos tudo. Não seria numa final de Gauchão que a discussão deixaria de acontecer, principalmente em função do polêmico gol anulado. Pelo que vi das imagens, tive certeza de que o árbitro havia errado. Nada mais do que isso. Mas vi ontem uma outra imagem que esclarece melhor.

Em primeiro lugar, é importante dizer que a colocação de Márcio Chagas da Silva era perfeita e foi ajudado pela circunstância de que não havia ninguém na frente de Diogo Oliveira e Willians, que disputaram a bola com vantagem para o meia do Juventude. A imagem mostra, claramente, o empurrão. Ele apitou corretamente, anulando o gol. Mas é somente a minha opinião. Que, aliás, não vai alterar o resultado. Mas que bom que o árbitro acertou. É melhor assim. Ainda que eu entenda que futebol é um jogo de erros e acertos. Aceito tudo muito naturalmente.

Presidente

Giovanni Luigi não se engana. Ainda durante a festa no Centenário, comentou sobre a necessidade de reforços para o Brasileirão, que começa dia 25. A contratação mais aguardada e que soa como clamor do técnico Dunga é a de um meia.

O Colorado só tem D’Alessandro. Todos os outros são menos do que a necessidade de um time com ambição de título. E, como diz o técnico, não se trata de substituto de D’Ale, mas um meia para disputar posição com ele. Uma contratação difícil, cara e que serve como desafio importante para os dirigentes do Inter.

Werley

Ele é mais do que um zagueiro. É também um goleador. Já decidiu jogos importantes, com seus gols. E também marcou em Gre-Nais. Mais do que isso. Se Werley não puder jogar, a dupla de zaga do Grêmio será formada por Bressan e Gabriel.

O primeiro já tem certa experiência, pois foi obrigado a entrar em algumas fogueiras e não se queimou. Já com Gabriel a situação é diferente. Entrou contra o Santa Fe, mas os colombianos estavam retrancados. Não será assim em Bogotá. Lá, eles atacarão e é preciso estar bem estruturado atrás. Werley seria um reforço importante.

Você sabia?

* Que a iluminação do Centenário é o que precisa ser melhorado por Inter e Caxias?

* Que, além de um meia, o Inter quer mais um zagueiro e um atacante?

* Que Márcio Chagas foi eleito o melhor árbitro do Gauchão na eleição de programa Esportes ao Meio-Dia, apresentado por Silvio Benfica na Rádio Gaúcha?

* Que essa eleição é feita jogo a jogo e retrata com fidelidade quem foi bem na competição?

Tricampeão

Leia o post original por Pedro Ernesto

Não foi fácil. Não foram poucos os problemas. Não faltaram emoções fortes. Mas tudo isso acabou no tricampeonato do Inter. O Juventude teve uma postura defensiva, sem abrir mão do contra-ataque. Por essa razão, foi ele, o Juventude, que teve as chances de gol. E teve até um gol anulado por Márcio Chagas da Silva que, segundo a maioria dos colegas que ouvi ontem no Centenário, foi legítimo.

O Inter teve imensa dificuldade para atacar, Fabrício foi lançado muitas vezes e nada contribuiu. Gabriel também não foi muito efetivo no ponto de vista ofensivo, D’Alessandro foi bem marcado e não conseguiu criar. O Juventude não foi violento. Somente teve forte marcação e boa postura defensiva. Tudo isso complicou o Inter, que teve que levar a decisão para os pênaltis.

Reforços

Em meio à festa do tri, o próprio presidente Giovanni Luigi deixou claro que o Inter precisa se reforçar. Em boa hora, o presidente colorado não se ilude e mira a realidade. Um meia é a pretensão inicial.

Mas pode sair a venda de Leandro Damião e será preciso contratar substitutos importantes. O Colorado chegou ao tri com justiça. Mas demonstrou algumas deficiências que precisam ser sanadas. Essas são as palavras do presidente.

Juventude

O time caxiense reclama muito do gol anulado ainda no primeiro tempo. Talvez tenha razão.

O time conseguiu ser grande no campeonato todo e no jogo final. Ao longo de toda a competição, perdeu apenas duas partidas – uma delas para o Inter, no segundo turno. Um time jovem, com a maioria saída das categorias de base, com custo baixo ao clube, mas de boa qualidade. O Juventude também precisa se reforçar para disputar Série D e subir para a C, seu grande objetivo na temporada.

Você sabia?

* Que Márcio Chagas alegou empurrão de Diogo Oliveira em Willians para anular o gol do Ju?

* Que Lisca, reclamando do árbitro, afirmou que perdeu R$ 120 mil com a derrota nos pênaltis?

* Que a iluminação do Estádio Centenário é deficiente e precisa ser arrumada para os jogos do Brasileirão?

* Que o Inter é tricampeão, chega a 42 títulos estaduais e leva Dunga à sua primeira conquista como técnico de clube?

Finalistas

Leia o post original por Pedro Ernesto

O Inter foi muito melhor do que o Veranópolis no primeiro tempo. Ganhou de 1 a 0 e poderia ter feito mais um ou dois gols com naturalidade. Na segunda etapa, baixou o ritmo mas não correu risco porque o Vec não conseguiu atacar e ainda ficou com nove homens. Uma vitória tranquila, sem sobressaltos, o que já era esperado pela diferença dos dois times.

Já no sábado, não era esperada a vitória do Juventude. Mas o Grêmio teima em desmentir todos aqueles que pensam futebol. Quando a gente imagina que virá a vitória, ela não vem, como aconteceu no Jaconi e já tinha acontecido muitas vezes. O Ju é um time barato – sua folha é de R$ 230 mil -, tem a maioria de jovens e um treinador que sabe colocar seu time em campo. Encarou o Grêmio e ganhou nos pênaltis fazendo a grande festa da sua torcida. Agora tem o Inter pela frente.

Derrotados

Do Veranópolis pouco se poderia esperar. É um time de verão – está fechando antes de abril terminar suas portas – e não tem estatura para encarar o Inter fora de seu pequeno estádio.

Mas o Grêmio, de um treinador consagrado e dos grandes investimentos feitos pela sua direção, deixa sua torcida irritada e indignada. Vanderlei Luxemburgo pouco explica nas suas entrevistas e só lembra que tudo é normal no futebol. Ele tem razão quando lembra que um time se faz com tempo, com repetição de jogos. No entanto, é bom lembrar que maio já está começando.

Quarta-feira

É feriado, dia 1º de maio, o Dia do Trabalhador. Grêmio e Inter têm jogos importantes. O Tricolor recebe aquele que foi o segundo melhor time da Libertadores na primeira fase, o Santa Fe, da Colômbia. Espera-se que jogue mais. O primeiro grande castigo foi ficar fora do Gauchão. Não pode fracassar novamente.

O Inter vai a Recife jogar contra o Santa Cruz, que é um grande clube, que tem grande torcida, mesmo que não tenha o mesmo time do Colorado. Mas não é nenhuma barbada.

Você sabia?

* Que a direção colorada pode estar levando o jogo final contra o Juventude para a Arena Alviazul, do Lajeadense?

* Que o vestiário colorado entende que seria dar luz ao Juventude jogando na sua cidade?

* Que a Arena vai lotar na quarta, mas o torcedor espera muito mais do time do Grêmio?

* Que três componentes do conselho de administração do Grêmio pedem ao presidente Fábio Koff a saída de Vanderlei Luxemburgo do Grêmio?