Arquivo da categoria: Leila Pereira

Caso Blackstar: Palmeiras diz em ação que foi claro o risco de Crefisa sair

Leia o post original por Perrone

Em ação judicial na qual o ex-vice-presidente Genaro Marino contesta sua suspensão do clube por um ano, o Palmeiras alega que correu grave risco de perder o patrocínio da Crefisa no ano passado.

A chance de ficar sem a poderosa parceira foi citada no processo pelos advogados palmeirenses para justificar o procedimento que culminou com a punição a Genaro, candidato derrotado por Maurício Galiotte no pleito de novembro de 2019. Às vésperas da votação, o opositor apresentou ao clube proposta da Blackstar, empresa disposta a pagar R$ 1 bilhão por um contrato de patrocínio válido por dez anos. Após ser reeleito, o atual presidente cancelou as negociações acusando a companhia de apresentar garantias bancárias falsas.

Na contestação que a defesa do Palmeiras apresentou em relação às alegações de Genaro e outros cartolas punidos, é alegado que o caso precisou ser investigado, após pedido de conselheiros, porque a proposta teria influenciado o voto de parte dos eleitores. “Além disso, houve claro risco de perda da renovação do atual patrocínio da associação, situação grave na visão dos associados”, aponta trecho do documento apresentado à Justiça.

Procurada por meio de sua assessoria de imprensa, Leila Pereira, presidente da Crefisa, afirmou que não se manifestaria sobre o assunto. Depois de Galiotte fechar as portas para a Blackstar, a atual atual patrocinadora renovou com o alviverde, ao lado da FAM, também controlada por Leila e seu marido, José Roberto Lamacchia, até 2021.

O casal integra o Conselho Deliberativo do Palmeiras, está alinhado com Galiotte e Leila deve ser apoiada por ele como candidata à presidência do clube. Por sua vez, Genaro afirma que a suspensão tratou-se de uma retaliação política. Ele nega que as garantias apresentadas pela Blackstar eram falsas.

Na ação na Justiça, os conselheiros Ricardo Galassi e José Carlos Tomaselli, advertidos pelo conselho por participação no caso Blackstar, tentam junto com Genaro anular a reunião do conselho em que o trio foi punido.

Entre seus argumentos, o ex-vice alega que foi suspenso como conselheiro, não como associado e que não foi atingido o quórum exigido na reunião em que foi determinada sua suspensão. O departamento jurídico do Palmeiras contestou as duas afirmações.

A defesa palmeirense também cita a autonomia da agremiação para definir suas regras internas e a obrigação de associados, como Genaro, de seguirem o regulamento. “Logo, não compete ao poder judiciário intervir, de modo a suprimir o procedimento administrativo previsto no próprio estatuto social do clube, notadamente quando exercido amplo direito de defesa”, afirmam os advogados do Palmeiras. Genaro alegou na ação que seu direito de defesa foi prejudicado durante o procedimento interno.

STF nega habeas corpus para Mustafá em acusação de revenda de ingressos

Leia o post original por Perrone

Com Danilo Lavieri, do UOL, em São Paulo

A ministra Cármen Lúcia, do STF (Supremo Tribunal Federal) negou seguimento ao habeas corpus impetrado pela defesa de Mustafá Contursi em caso no qual ele é acusado de envolvimento na venda ilegal de ingressos cedidos pela Crefisa para jogos do Palmeiras. No HC os advogados do ex-presidente palmeirense pediam o trancamento da ação penal.

De acordo com publicação do site do STF na última terça (29), para tentar trancar o processo, os advogados de Mustafá alegaram que o Estatuto do Torcedor define como prática criminosa vender ingressos por preços superiores aos estampados no bilhete. Completaram a tese afirmando que a denúncia contra o ex-dirigente da agremiação não informa o valor de face do tíquete e nem especifica qual é o bilhete objeto da acusação.

Ainda segundo o site do STF, outro argumento foi o de que “não é verossímil que uma das pessoas mais representativas do futebol nacional” seja acusada de “cambismo” na velhice. Os advogados também alegaram que a denúncia fere “a garantia constitucional de dignidade à pessoa humana e proteção especial prevista no Estatuto do Idoso”. Isso porque, segundo seus defensores, aos 78 anos, o ex-presidente não tem antecedentes criminais.

Em sua decisão, conforme relata o site do supremo, Carmen Lúcia afirmou que não poderia ser autorizado o “prosseguimento do habeas corpus no STF porque o Tribunal de Justiça de São Paulo não julgou o mérito do HC lá impetrado”. Ela também reforçou a negativa ao HC lembrando que Mustafá não está preso e nem submetido a uma medida cautelar. Desde o início, o ex-presidente do alviverde nega que tenha revendido ingressos ou repassado os tíquetes para cambistas.

Vale lembrar que o ex-dirigente palmeirense era aliado de Leila Pereira e do marido dela, José Roberto Lamacchia, donos da Crefisa, patrocinadora do clube e responsável por ceder os ingressos para ele. Porém, por conta de questões políticas do clube, o cartola virou desafeto do casal.

Quatro estratégias de Galiotte para combater crise palmeirense

Leia o post original por Perrone

Para aliados de Maurício Galiotte, o presidente palmeirense conseguiu evitar que a crise no clube provocada pela eliminação na Libertadores diante do Grêmio seguida pela derrota por 3 a 0 para o Flamengo, no Maracanã, pelo Brasileiro, fosse ainda maior. Na tentativa de evitar estragos mais profundos do que a quedade Luiz Felipe Scolari, uma série de medidas foi adotadas. Confira abaixo as principais.

1 – Rápida assinatura com Mano Menezes

Tomada a decisão de demitir Felipão, a meta da diretoria capitaneada por Galiotte foi fechar rapidamente com Mano. A intenção era evitar especulações, a impressão de que o time estava sem rumo e impedir o avanço da rejeição de torcedores e conselheiros ao treinador escolhido. O acordo levou menos de duas horas para ser alinhavado logo depois do anúncio da saída de Scolari, conforme apurou o blog. Os que eram contra a contratação do ex-treinador de Cruzeiro, Corinthians, Flamengo e seleção brasileira ficaram impotentes diante do comunicado do Palmeiras de que ele já tinha sido efetivado, feito no dia seguinte.

2 – Silêncio

Galiotte adotou a estratégia de não responder publicamente às críticas feitas a ele e a Alexandre Mattos por Seraphim Del Grande, presidente do Conselho Deliberativo. As queixas estavam em um áudio enviado a sócios e conselheiros, mas que acabou vazando. O presidente palmeirense também evitou cobrar Del Grande, seu aliado político para fazer oficialmente uma retratação.

A avaliação do presidente do clube e de seu estafe foi de que um pronunciamento sobre o tema reforçaria a tese de que os dois estavam rachados. O silêncio foi seguido de uma manobra para demonstrar sintonia entre ambos. Del Grande foi convidado para participar de uma reunião de diretoria, como mostrou o UOL Esporte. A ideia era de que ao aparecer ao lado do presidente do clube, ele mostraria ainda estar alinhado com a gestão. Além disso, seria natural que o líder do conselho deliberativo desse explicações aos presentes, o que acabou acontecendo.

3 – Alexandre Mattos

No auge das cobranças de torcedores e conselheiros pela demissão do diretor de futebol do Palmeiras, Galiotte optou por uma defesa discreta do funcionário. A análise foi de que quanto mais o principal dirigente alviverde falasse sobre o tema, mais lenha jogaria na fogueira. A estratégia foi manter a rotina de Mattos de participar das apresentações de novos contratados do clube, mas de maneira também discreta.

Na apresentação de Mano Menezes, o cartola remunerado entregou para o treinador um livro sobre a história do clube, como faz com jogadores que chegam à Academia. No entanto, ele não teve protagonismo no evento, diferentemente do que ocorreu na chegada de Ramires, por exemplo. Mattos foi o responsável por apresentar o volante, com direito a discurso. Com Mano, esse papel coube a Galiotte. Assim, o diretor de futebol ficou menos nos holofotes num momento de extrema pressão. Ao mesmo tempo, a simples presença dele ao lado do presidente demonstrava que sua demissão não estava em pauta.

4 – Leila Pereira

Outro momento tenso nos bastidores do Palmeiras aconteceu quando Leila Preeira, presidente da Crefisa, patrocinadora alviverde, respondeu a um torcedor em rede social que não é responsável por contratações ou por escalar o time. Parte dos conselheiros do clube passou a farejar uma possível discordância entre a empresária e Mattos, o que consequentemente a colocaria em rota de colisão com o presidente.

De novo, Galiotte não fez alarde. E, como faz em momentos relevantes, recebeu Leila e o marido dela, José Roberto Lamacchia, dono da Crefisa, para participar da apresentação de Mano. A aparição do casal ao lado do cartola pode ser interpretada como uma resposta aos comentários de conselheiros sobre um suposto atrito entre eles.

A postura da empresária, que evitou comentar a respeito da  pressão sobre Mattos, foi comemorada por apoiadores de Galiotte, já que não houve novo incêndio para ser apagado. Vale lembrar que Leila, assim como seu marido, é conselheira do clube. Ela é cotada para ser apoiada pelo atual presidente para se candidatar a ocupar a principal cadeira no clube.

Felipão caiu! Mas ele não é o maior responsável pela crise no Palmeiras, viu!?

Leia o post original por Craque Neto 10

A Sociedade Esportiva Palmeiras decidiu nesta segunda-feira (2) pela demissão do técnico Luiz Felipe Scolari. Ela acontece após o passeio que o Verdão levou do Flamengo no Maracanã, na derrota por 3 a 0 pelo Brasileirão. Mas coincidentemente a queda do treinador ocorre após uma publicação esquisita da Sra. Leila Pereira, presidenta do patrocinador do clube, onde ela diz que não tem culpa pela má fase porque ‘não escala o time e nem contrata jogadores’. Ou seja, pra mim era evidente que ela já estaria sabendo da demissão do Felipão. Por mais que tenham tirado ele do comando eu acho […]

O post Felipão caiu! Mas ele não é o maior responsável pela crise no Palmeiras, viu!? apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Palmeiras virou mesmo o time mais antipático do Brasil?

Leia o post original por Craque Neto 10

Nesta segunda-feira meu amigo Walter Casagrande Jr. disse na TV Globo algo importante que vale repercutir aqui com os leitores do Blog. Ele afirmou que todo esse excesso de grana e Arena nova e moderna transformou o Palmeiras em um clube antipático. Ou seja, ostentam contratações milionárias – muitas vezes com três jogadores para cada posição – e os discursos de seus jogadores e dirigentes fizeram com que o Brasil inteiro ficasse contra o Verdão. Apesar de não negar minha alegria de ver o Palmeiras ser eliminado da Libertadores e renovar o estigma de ‘SEM MUNDIAL’, não consigo esconder que […]

O post Palmeiras virou mesmo o time mais antipático do Brasil? apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Racha em dia de festa! Que coisa, hein?

Leia o post original por Craque Neto 10

Nessa segunda-feira, dia 26 de agosto, a Sociedade Esportiva Palmeiras comemora 105 anos de uma longa e rica história. Muita gente deve achar que não gosto do clube por ser corintiano e brincar com esse lance de rivalidade. É claro que tive rusgas com alguns personagens ligados ao Verdão, mas nem de longe o tenho como inimigo. Muito pelo contrário! Sempre disse que tenho uma baita gratidão pelo Palmeiras por ter sido o primeiro clube grande a acreditar de fato no meu futebol. Foi quem comprou meu passe em 89 e acreditou no meu talento. Pelo time alviverde vesti a […]

O post Racha em dia de festa! Que coisa, hein? apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Acabou a magia do líder? E aí ‘Mamãe’???

Leia o post original por Craque Neto 10

Alguém aí viu o jogo entre Ceará e Palmeiras no Castelão? Que vergonha, hein? O Felipão lançou a campo seus titulares e deu branco nos caras. Não viram a cor da bola e levaram um vareio monstruoso do Vovô, que merecidamente construiu a vitória por 2 a 0 e DESTRUÍRAM com a invencibilidade alviverde. Sinceramente queria entender o que aconteceu com o tão poderoso líder do Brasileirão? Aquela equipe milionária, tão exaltada, que não perdia de ninguém e nem sequer levava gol. Só consigo enxergar que é puro psicológico, ou em outras palavras, aquela baita ‘PIPOCADA’ né? Poxa, descansaram e […]

Sindicato de Mustafá obtém vitória contra dono da Crefisa. Cabe recurso

Leia o post original por Perrone

O sindicato presidido por Mustafá Contursi, ex-presidente do Palmeiras, obteve, nesta quinta (18), vitória na Justiça contra cobrança de R$430 mil, mais correção monetária, feita por José Roberto Lamacchia, dono da Crefisa. Cabe recurso.

A 32ª  Câmara  de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo considerou procedente recurso do Sindicato Nacional das Associações de Futebol Profissional e Suas Entidades Estaduais e Ligas contra decisão em primeira instância, no ano passado, que o obrigava a pagar a quantia a título de empréstimo.

Mustafá alega que houve uma doação por parte dos proprietários da Crefisa, versão  aceita pela Justiça nesta quinta. Lamacchia, que afirma ter feito um empréstimo, deve recorrer.

Por meio de sua assessoria de imprensa, Leila Pereira, mulher de Lamacchia e presidente da Crefisa, disse:  “não comentamos a decisão. E, nesse caso, ainda cabe recurso.”

O ex- presidente palmeirense e o casal de patrocinadores do clube se tornaram desafetos após divergências sobre mudanças estatutárias no Palmeiras.

Palmeiras leva mais de patrocínio do que SPFC, Santos e Corinthians juntos

Leia o post original por Perrone

Os balanços dos quatro maiores clubes paulistas referentes a 2018 mostram que o Palmeiras faturou mais em patrocínio e publicidade do que Corinthians, Santos e São Paulo juntos.

O alviverde, embalado pelo apoio da Crefisa e da Fam, dos conselheiros José Roberto Lamacchia e Leila Pereira, registrou arrecadação de R$ 95.476.000 vendendo suas propriedades publicitárias.

Ao mesmo tempo, juntos, Corinthians, São Paulo e Santos arrecadaram com patrocínio e publicidade R$ 93.238.000. A vantagem palmeirense sobre o trio foi de R$ 2.238.000.

Sem patrocinador máster, o Corinthians embolsou R$ 42.804.000. Por sua vez, o São Paulo registrou R$ 23.269.000 recebidos com patrocínio e publicidade, sem contar esse item no Morumbi. O Santos arrecadou no ano passado R$ 27.165.000 com esse filão. Desse valor, R$ 8.341.000 vieram de fora do departamento de futebol.

 

Opinião: São Paulo coloca em xeque quatro pilares do Palmeiras

Leia o post original por Perrone

Ao eliminar o Palmeiras no Allianz Parque e se classificar para a final do Campeonato Paulista, o São Paulo colocou em xeque quatro pilares do adversário. São pontos de confiança da torcida alviverde que estão sob discussão.

Leila Pereira e Crefisa

Com o apoio da empresária e suas empresas, o Palmeiras muitas vezes foi colocado como time quase imbatível. O clube alavancou suas receitas e passou a ser um adversário duro em todas as disputas por bons jogadores. Nos últimos cinco anos, o alviverde investiu cerca de R$ 314, 9 milhões em reforços. São aproximadamente R$ 194,6 a mais do que o valor gasto pelo São Paulo. Não chegar na final do Estadual, algo alcançado na temporada passada com um vice-campeonato, deixa dúvidas sobre até onde vai o poder dos milhões despejados por Leila para fazer o Palmeiras ganhar tudo. Tanto que palmeirenses que protestaram depois da eliminação cantaram: “eu não sou otário, vai tomar no ** esse time milionário”.

Fernando Prass

Existem alguns jogadores nos quais a torcida deposita toda a sua confiança em determinadas situações. Esse é o caso de Fernando Prass nos pênaltis. Sempre foi uma segurança para o palmeirense ter Prass na meta nas disputas de pênaltis. Ele não teve culpa na eliminação, chegou a fazer defesa de cobrança, mas não foi o herói capaz de impedir a derrota de seu time. Do outro lado, Volpi brilhou mais.

Felipão

Luiz Felipe Scolari reforçou a fama de ser “o cara” para a torcida do Palmeiras com a conquista do título brasileiro do ano passado. Em seus trabalhos pelo clube, o torcedor aprendeu a confiar em seu estilo de jogo e esperar pelos resultados. Em disputas de mata-mata, então, sua fama de especialista se tornou mítica. Desde o início de 2019, Felipão sofre críticas de parcelas da imprensa e da torcida por não fazer o time jogar em alto nível. As queixas aumentaram imediatamente após a queda na semifinal estadual.

Allianz Parque

A confiança do palmeirense em seu estádio como caldeirão capaz de derreter os adversários sofrera duríssimo golpe com a perda do título paulista de 2018 para o Corinthians. A vaga para a final arrancada pelos tricolores lá dentro abala mais essa fama de alçapão.