Arquivo da categoria: levir culpi

Opinião: Galo precisa definir se quer treinador de tiro curto ou longo

Leia o post original por Perrone

Por filosofia, este blogueiro tende a ser contra mudanças de treinadores durante a temporada. Porém, no caso de Levir Culpi, o Atlético-MG acertou na opinião do blog. A derrota por 4 a 1 para o Cerro Porteño, na última quarta (10), pela Libertadores, deu a dimensão do desgaste entre o treinador e o elenco. Mudar era a única saída.

Agora a diretoria do Galo precisa pensar se quer alguém para tentar uma rápida guinada ou para preparar um trabalho mais profundo, a longo prazo. No Brasil, não faltam especialistas no arroz com feijão, que promovem rapidamente uma mudança significativa. Estes, no entanto, costumam ter prazo de validade muito curto. Muitos são técnicos de uma nota só.

O ideal para o Atlético-MG seria um treinador com ideias claras de jogos, métodos simples, mas com vasto repertório para aplicar conforme a equipe for evoluindo. Isso, em tese, garantiria um trabalho mais consistente e duradouro.

Atualmente, a equipe mineira não tem padrão de jogo definido. Por isso, a simplicidade nos primeiros dias de trabalho ajudaria o time a ter uma cara. É preciso que a equipe possua objetivos táticos definidos e esteja preparada para reagir às situações de jogo. Ajudará muito se o futuro técnico for desses caras que conseguem ler o jogo rapidamente.

Ele também terá que mostrar conhecimento para conquistar a confiança de jogadores, principalmente os mais experientes, como Victor, Elias e Ricardo Oliveira. Boleiros rodados assim não costumam ter paciência com treinadores inseguros. O escolhido precisará de pulso firme para não perder o comando do vestiário. Tudo isso significa que a melhor opção é alguém da velha guarda? Não necessariamente. É possível técnicos jovens reunirem essas características. A missão atleticana é escolher bem, porque mais uma troca neste ano pode comprometer a temporada.

Santos sofre derrota em ação na qual ex-preparador cobra mais de R$ 375 mil

Leia o post original por Perrone

No último dia 7, o Santos sofreu derrota na Justiça do Trabalho em ação movida pelo preparador físico Rodolfo Mehl, demitido em 2017 ao lado de Levir Culpi. A 5ª Vara do Trabalho de Santos deu 15 dias a partir da notificação para o clube pagar mais de R$ 375 mil a seu ex-funcionário. A decisão ainda pode ser modificada.

O juiz Wildner Izzi Pancheri rejeitou liminarmente embargos do Santos à execução (ação pela qual o devedor discorda de questões relativas ao pagamento ao credor). Ele também deferiu pedido de Mehl para a execução definitiva de valores que não foram objeto de recurso (os demais são alvos de execução provisória).

Os cálculos apresentados pelo magistrado são: R$ 375.274,24 de valor principal líquido, R$ 642,34 de contribuição previdenciária, R$ 22.156,77 de imposto de renda R$ 25.120,41 de honorários advocatícios e R$ 19.845.000 de contribuição previdenciária patronal.

“A execução provisória deve prosseguir até a penhora, parando ao alcançar esta fase processual, uma vez que o julgamento dos embargos pode tornar-se inócuo, caso a sentença seja modificada por meio de recurso. Além disso, não há penhora concretizada nestes autos garantindo o Juízo”, escreveu o juiz.

Dirigente calça 40 ou não?

Leia o post original por Craque Neto

Na última quinta-feira, dia 26 de outubro, o Sr. Modesto Roma Jr., presidente do Santos, esteve nos estúdios da TV Bandeirantes para ser sabatinado sobre as coisas que estavam acontecendo no clube. Logo de cara o ex-goleiro e comentarista Velloso perguntou sobre a incrível história da demissão e recontratação do técnico Levir Culpi em questão de minutos. Algo que nunca tinha visto na minha vida. E não é que dirigente falou que tinha se precipitado? Que errou na atitude e corrigiu a tempo? Pois no jogo seguinte, a derrota no clássico para o São Paulo, ele pega e DEMITE de […]

O post Dirigente calça 40 ou não? apareceu primeiro em Craque Neto 10.

A culpa de Levir

Leia o post original por Antero Greco

Descer a ripa em cartola é esporte de preferência nacional. Em grande parte das vezes, merecem; eles fazem muita lambança. Vez ou outra acertam, oras, porque ninguém é de ferro.

Modesto Roma, do Santos, não foge à regra.

Desta vez, porém, tendo a não discordar dele, na “segunda” demissão de Levir Culpi em menos de dez dias – agora pra valer. A decisão irrevogável foi tomada no sábado, depois da derrota por 2 a 1 para o São Paulo. Elano, como era previsto, assume interinamente até o final do Brasileiro.

Na verdade, Modesto errou de novo. Porque deveria ter mantido a dispensa de Levir na outra semana. Havia voltado atrás a pedido dos jogadores, então fechados com o “professor”. Dera um voto de confiança ao chefe da equipe e ao elenco.

Levir, no entanto, chegara ao limite. O Santos empacou de uns tempos para cá. Embora tenha 53 pontos e teoricamente continua na briga pelo título, o futebol que mostra está longe de empolgar. Ah, os números com o treinador não são ruins: 14 vitórias, 12 empates, 5 derrotas.

Desculpem-me os que acham essa estatística satisfatória, mas não é. Por quê? Porque há excessivo número de empates. E está mais do que provado de que empate não leva a lugar nenhum. No máximo, serve para curiosidades do gênero “Time tal está há tantos jogos sem perder”…

O Santos não sai do lugar, mesmo com a ressalva de que “está na zona de Libertadores” etc e tal. Também não vale alegar que “Levir foi longe demais com esse elenco”. O grupo de atletas não é de primeiríssima grandeza – e, como demonstra o campeonato, ninguém tem uma tropa fora de série. Está o líder Corinthians para comprovar.

O Santos não é de agora que se comporta de forma indolente. Vive mais de lampejos individuais do que de estratégia bem definida. Depende da inspiração de Lucas Lima (que anda em baixa), da instabilidade de Bruno Henrique, do oportunismo de Ricardo Oliveira, dos milagres de Vanderlei no gol.

A oscilação tem sido enorme, e não há como aliviar para Levir; ele tem culpa, com perdão do (quase) trocadilho involuntário.

Para quem gosta de cifras: não é por acaso que deixou para trás a imagem de “equipe ofensiva”. Com 33 gols a favor, é o 15.º ataque da Série A. O fato de a defesa ser a segunda menos vazada (22 gols) ameniza, mas não tranquiliza. Para ser campeão precisa, também, fazer gols, de preferência muitos.

Levir merece descanso. E Elano necessitará de sorte para mostrar competência na emergência.

 

Tricolor não cai mais! E eu avisei o Levir, hein?

Leia o post original por Craque Neto

São Paulo e Santos entraram no Pacaembu para fazer o duelo dos invictos no estádio. O Peixe não perdia ali desde 2014, um baita recorde de mais de 20 partidas sem saber o que era derrota! O Tricolor esse ano também só acumulava bons resultados por ali. Eu sinceramente acreditava mais no poder ofensivo santista que até então era vice-líder do Brasileirão ao lado do Palmeiras. Mas não é que o São Paulo começou o clássico com tudo? Já abriu dois gols de vantagem rapidamente e dificultou demais a vida do time do Levir Culpi. Deu pra notar inclusive que […]

O post Tricolor não cai mais! E eu avisei o Levir, hein? apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Opinião: desempenho não justifica demissão de Levir, mas técnico deu brecha

Leia o post original por Perrone

Apesar de o Santos ter jogado muito mal na derrota por 2 a 1 para o São Paulo neste sábado, a situação da equipe no Brasileirão não justifica a demissão de Levir Culpi. É desnecessário trocar a comissão técnica de uma equipe que está na terceira posição a seis pontos do líder. Parece gesto de cartolas pressionados por torcedores e conselheiros.

Porém, o treinador deu brecha para sua demissão independentemente da posição na tabela. Levir poderia ter sido maleável na questão das folgas do elenco. Por mais convicção que ele tenha na necessidade de descanso dos jogadores, se os patrões estavam reclamando, ele poderia ter cedido. Bastava uma conversa franca com a diretoria expondo os riscos para os atletas em caso de mudança de programação e deixar claro para os cartolas que faria a alteração a pedido deles.

Mas o treinador manteve-se irredutível e ainda cutucou os dirigentes ao dizer neste sábado que se eles não quisessem repouso para o time poderiam trazer outra comissão técnica. Acabou demitido.

A decisão de manter a reapresentação do elenco para a próxima terça mesmo depois de ter sido criticado no clube por dar dois dias de folga na semana passada, sinaliza que Levir não estava preocupado com o risco de perder o emprego. A leitura é de que ele entende que se for para fazer concessões, prefere deixar o cargo.

O saldo da dividida com os cartolas é a degola com 13 vitórias, 12 empates e 5 cinco derrotas. Se foi bom ou ruim para o Santos a curto prazo, os próximos resultados dirão.  A certeza é de que o episódio mostra falta de jogo de cintura por parte do técnico e do presidente Modesto Roma Júnior para lidar com a situação. Carência incompatível com o nível de profissionalismo exigido pelo futebol.

 

São Paulo mereceu, venceu e convenceu

Leia o post original por Fernando Sampaio

São Paulo mereceu, venceu e convenceu, Santos empaca

O São Paulo venceu e convenceu.

Mereceu.

Foi um belo clássico.

O Tricolor dominou o primeiro tempo, fez dois a zero, dois golaços, levou um no rebote de escanteio, teve a chance de matar o jogo no segundo tempo mas a trave deixou o Peixe vivo no jogo até o final.

Hernanes e Cuevas fizeram a diferença.

Apesar dos cornetas, Dorival está ganhando jogos importantes e fugindo do rebaixamento. É óbvio que treinador não é o principal responsável pelas vitórias, assim como não é também o principal culpado nas derrotas. Portanto, se metem o pau nas derrotas precisam agora elogiar nas boas vitórias.

Hernanes foi a contratação que salvou o São Paulo.

Fez total diferença. Hoje duas grandes assistências. Petros, Jucilei, Arboleda, Militão, Pratto, Caio… O time atual é bom. Poderia estar numa situação bem melhor mas sofreu muito durante a temporada. Rogério Ceni foi um atraso. A diretoria está perdida há anos. Algumas contratações foram ridículas. Agora sim, finalmente o clube está vendo uma luz no fim do túnel.

Se o São Paulo mantiver elenco e treinador poderá sonhar mais alto em 2018.

O Santos está ficando mais longe do título. Ricardo Oliveira ainda luta mas Lucas Lima foi uma piada. Está insatisfeito ou boicotando o treinador? Levir Culpi está levando a culpa. Incrível, sempre a culpa é do treinador. O Peixe está numa colocação bem acima do esperado com este elenco.

 

 

Por que NINGUÉM dá o FAVORITISMO para eles?

Leia o post original por Craque Neto

Não tem como mudar o foco! A única coisa que se fala nas rodas de futebol é a queda de rendimento do Corinthians e a ascensão do Palmeiras nessa reta final. E aí, quem vai faturar esse Brasileirão??? O curioso é que uns defendem a vantagem que o Timão ainda tem de seis pontos na liderança. Outros apontam o Verdão como provável campeão por estar embalado e ainda ter o confronto direto. Mas NINGUÉM lembra que o Santos também está firme e forte nessa disputa. Isso mesmo! Para os mais desavisados o Peixe tem os mesmos 53 pontos e divide […]

O post Por que NINGUÉM dá o FAVORITISMO para eles? apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Levir nunca pediu para sair do Santos, diz Modesto Roma Jr.

Leia o post original por Craque Neto

Para Modesto Roma Jr., presidente do Santos, a polêmica que envolveu a suposta demissão de Levir Culpi, técnico santista, foi uma precipitação da diretoria.

O post Levir nunca pediu para sair do Santos, diz Modesto Roma Jr. apareceu primeiro em Craque Neto 10.