Arquivo da categoria: lucão

Lucão, respire fundo e tome sua decisão!

Leia o post original por Craque Neto

Acabou o jogo do São Paulo neste domingo – e a consequente derrota para o Atlético/MG por 2 a 1 – para uma enxurrada de torcedor pegar no pé do zagueiro Lucão, responsável direto pelo resultado já que o gol da vitória do Galo saiu em uma afastada de bola mal feita no Morumbi. Andei perguntando para alguns amigos, fãs do Tricolor, e é quase unânime a rejeição deste jogador. Mas posso falar a verdade? Acho até um pouco de exagero. Vejam bem, o Lucão é menino. Acabou de completar 21 anos. Foi formado dentro do clube e passou por […]

O post Lucão, respire fundo e tome sua decisão! apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Lucão e Casemiro na Seleção

Leia o post original por Fernando Sampaio

15-Lucão-LEVI BIANCO-BRAZIL PHOTO PRESS-ESTADÃO CONTEÚDOTite chamou Lucão.

Óbvio, o garoto tem potencial.

A imensa maioria dos são-paulinos não concorda.

Sorte que são torcedores, não técnicos.

Há anos, tenho a mesma opinião dos treinadores profissionais.

Lucão jogou na Seleção Brasileira Sub-17, Sub-20, Sub-23 e agora na Principal.

Foi convocado por treinadores diferentes.

Lucão estreou no time titular do São Paulo em 2013, aos 17 anos. Embora zagueiro, marcou seus primeiros gols em 2014. Aos 19 anos virou titular, escalado por todos: Muricy, Osório, Milton Cruz e Doriva. Em 2016, jogando num dos piores elencos na história do clube, principalmente no setor defensivo, foi escolhido para Cristo pela torcida.

Igual Casemiro.

Casemiro sempre teve potencial. Eu ficava maluco quando a torcida pegava no pé. Era muita falta de visão. Como todo garoto, precisava de amadurecimento. Óbvio. Não existe garoto com cabeça de velho aos 18 anos. Amadurecimento faz parte da vida. Encheram tanto o saco que o cara foi embora.

Há anos o Morumbi virou “cemitério de jogadores”.

Todos que trabalham lá sabem disso. Não criei o termo. A lista é imensa. Vários jogadores saíram e foram ser campeões em outros clubes. Vários deles estão jogando no Brasil e seriam facilmente titulares no elenco atual.

O são-paulino ficou mal acostumado após tantas conquistas. Soberano virou Soberba. A diretoria foi frouxa, acatou os cornetas, e queimou vários profissionais. Dentro e fora de campo. Andrés Sanchez fez o contrário. Não deu ouvidos aos cornetas, bancou Tite e o elenco que deu vexame em Tolima. Ganhou tudo. Provou que quanto mais blindado o clube for em relação aos cornetas passionais melhor será o resultado.

Lucão deu sorte. O garoto está longe dos cornetas, não participa da defesa tricolor mais vazada dos últimos anos no Brasileirão e ficou fora da luta contra o rebaixamento. A tarefa ficou com Maicon, idolatrado pela torcida como Osvaldo, e seus companheiros de defesa Hudson, Lugano, Bruno, Mena e Carlinhos. Meu Deus.

Lucão ganhou uma chance para resgatar a confiança.

Parabéns e boa sorte !!!

São Paulo acertou com Maicon? E a ausência do Ganso?

Leia o post original por Fernando Sampaio

ganso foraNo último post do São Paulo, recebi uma pergunta do internauta Tiago.

O que você achou da contratação do Maicon?

Pergunta interessante.

Os profissionais que trabalham no futebol, aqueles com quem converso, acharam loucura. Lucão é jovem, tem potencial. Maicon não é mais criança. Dificilmente será vendido por um valor maior no futuro. Neste sentido, pensando em termos de futuro, “investimento”, pareceu loucura mesmo.

Mas a negociação não foi feita pensando no retorno financeiro.

Foi feita pelo momento, necessidade imediata.

A contratação do Maicon com certeza foi decidida pelo momento atual. Não acredito que o São Paulo pagaria tudo isso se estivesse fora da Libertadores. O Porto estava certo, aproveitou a situação e cobrou caro. O desespero contou na negociação.

A curto prazo achei uma boa, a longo prazo tenho dúvidas.

A Inter de Milão esteve aqui atrás do Lucão. O São Paulo não vendeu. Claro, o garoto passou por todas as seleções de base do Brasil. Raríssimos jogadores atuaram tantas partidas como titular do São Paulo aos 19 anos. Lucão pode virar Casemiro. Se no futuro vingar nas grandes equipes da Europa vamos ouvir a desculpa: “Ah, lá virou profissional, blá, blá, blá..” .

Bobagem, o jogador vai amadurecer com a idade.

Maicon era reserva do Porto. Foi emprestado. Chegou aqui e arrebentou. Enquanto isso, Lucão foi queimado pela torcida. Faz parte da vida. Subiu num dos piores São Paulo da história, jogando ao lado de Denis, Bruno, Carlinhos, Hudson e Cia. Não teve a oportunidade de jogar numa equipe experiente, como vários zagueiros do Corinthians que acabaram vendidos.

Faz total diferença no primeiro ano de profissional jogar com Cássio, Gil, Fábio Santos, Ralf, Elias, Renato Augusto…

Hoje, a contratação do Maicon deve ser comemorada.

Daqui há alguns anos não sei se estaremos pensando da mesma forma.

Futebol tem muita paixão e emoção, muito pouca razão.

Ganso está fora.

Complicado, mas o São Paulo não pode depender só do Ganso. Para chegar na final da Libertadores é preciso mais que isso. Ganso não é Neymar ou D’Alessandro que já decidiram Libertadores.  O Atlético Nacional tem muito mais problemas, está sem ritmo de jogo, mudanças no elenco… Maicon, Calleri e Michel Bastos tem condições de fazer a diferença. Mena é fraco mas é experiente, está voltando de uma conquista importante, confiante. Bauza e Lugano fazem diferença fora de campo.

Enfim, acredito no São Paulo mesmo sem Ganso.

A culpa de Lucão

Leia o post original por Quartarollo

Coitado do Lucão. É de dar dó e quando se tem esse sentimento por um ser humano é a pior coisa que existe, chega a ser cruel.

Mas Lucão falhou feio, foi bisonho, foi imperdoável, foi grotesco, coisa de jogador juvenil que dizem que ele ainda é, mas que não deveria ser mais.

Já está bem rodadinho para tomar decisões melhores numa jogada como aquela.

De quem a culpa? Primeiramente do próprio Lucão, é claro, mas quem o apresentou como craque também tem a sua culpa.

Estou ouvindo desde ontem muitas críticas ao zagueiro. Eu também critiquei, o seu erro é inaceitável para um jogador profissional.

É só pensar, o São Paulo estava pressionado por aqueles 6 x 1 do ano passado, chegou ao Itaquerão para tentar não perder e se perdesse pelo menos de pouco, se fechou e marcou a saída de bola do Corinthians.

Se postou bem no jogo e se não tinha nenhuma grande chance, o Corinthians também tinha problemas para sair lá de trás por conta da boa marcação alta dos sãopaulinos.

Aí aparece Lucão e dá um gol de bandeja para o inimigo e tem gente que acha cruel criticar o menino.

Ele jogou tudo por água abaixo, o time sentiu demais o impacto, a pancada do “inimigo” na trincheira, contra isso não tem defesa.

Foi protegido pelos companheiros quando deixou o campo, não falou e nem se explicou com ninguém, mas devia ser mais protegido dentro do campo onde seu futebol embora decantado jamais apareceu.

Ah, mas ele foi jogador de todas as categorias de base do Brasil e tem futuro. Tomara que tenha, mas tem um cem número de jogadores que foram ótimos na base, e definharam no profissional.

Ouço todos os dias que ele só tem 18 anos. Não é verdade, já vai fazer 20 no dia 23 de março, portanto já está na estrada há mais tempo que outros que estão por aí.

A culpa é também do São Paulo que montou de forma errada o seu elenco no setor defensivo.

Foi buscar um veterano que não joga nunca e quando jogar não será nunca um primor.

Suas apostas foram erradas. Era preciso um zagueiro de verdade para compor o elenco.

A aposta, mais filantrópica do que esportiva em Breno, parece não sair do lugar. Ele tem vários problemas de contusões por causa do tempo que ficou preso, na Alemanha.

Culpa também nossa, da imprensa. Nós pregamos todos os dias que o zagueiro tem que sair jogando.

Queremos que todos os times do país tenha a posse e o toque de bola do Barcelona e Barcelona só existe um no mundo.

Mas nem zagueiro do Barcelona tentaria sair jogando naquele lance. Com certeza daria um chutão para tirar da área ou tentaria lançar para alguém na beirada do campo já que o time catalão sempre bem distribuído no gramado.

Sair jogando bonito é ótimo de se ver, mas só vale para quem sabe e mesmo assim às vezes é arriscado demais.

Que Lucão aprenda a lição. Ontem ele foi péssimo e não vou aliviar porque é um garoto.

Ele já é bem grandinho para saber que errou feio. Vai lamber as feridas por um tempo e será muito difícil reconquistar a confiança de todos. Agora o problema é dele.

São Paulo caiu só por erro de Lucão?

Leia o post original por Antero Greco

Amigo são-paulino. Você está convencido mesmo, pra valer, que seu time perdeu para o Corinthians por causa de falha do Lucão no primeiro gol? Tem certeza de que esse lance selou o destino do clássico? Ou será que, dessa forma, você encontra consolo para o resultado ruim?

Vamos falar um pouco a respeito disso.

Lucão errou feio na jogada – com dois chutes tortos, o primeiro pegou no Mena e o segundo foi um passe espetacular para Lucca abrir o placar. O rapaz achou que o Dênis estava na jogada e receberia a bola, para despachá-la em seguida. Calculou mal, não olhou direito para trás. Mais tarde, atrasou errado de novo; mas, dessa vez, Dênis deu um bico pra longe.

Ok, o zagueiro foi desastrado. Daí a concentrar nele os 2 a 0 vai distância e embute reações antigas. Uma delas é a necessidade de termos heróis e vilões no futebol. Na partida deste domingo, no Itaquerão, o papel principal ficou para Cássio, com duas defesas bacanas, enquanto a parte do malvado foi para Lucão. Isso ajuda nas manchetes e nas mesas-redondas.

Mas, pense comigo: até o momento do gol o São Paulo jogava bem? Era superior ao Corinthians? Ameaça o rival? Pressionava, ia pra cima, dava calor em Cássio? Ou, ao contrário, era confuso, sem ousadia, pouco criativo, num repeteco do que fez no ano passado?

Fico com a segunda parte. O São Paulo estava previsível, travado e sem graça. Não despencou por causa do gol na falha de Lucão. E, se estivesse bem, teria forças para sair da desvantagem, superar a mancada individual, e não o fez. Tem mais: no segundo gol, quem pulou errado foi o Ganso. Ora, por que não dizer também que, com falha de Ganso, o São Paulo perdeu?

Não quero aliviar pra jogador nenhum. Só me preocupam os rótulos que se dão no futebol. Lucão pode não ser craque, mas jogar na conta dele uma apresentação ruim é simplista e desvia o foco principal. E outra: o que jogaram Michel Bastos, Ganso, Hudson, Centuriòn, Calleri, Mena e companhia?

O São Paulo foi um desastre e não ruiu por causa, apenas, de Lucão.

Veja bem: escrevi “foi” um desastre e não “é” um desastre. Ainda há muito caminho para a recuperação. Edgardo Bauza terá trabalho – e vamos ver se terá, também, atrevimento. Nos jogos até agora o São Paulo é muito comportadinho, sem nada de diferente.

 

São Paulo continua correndo para salvar o ano perdido

Leia o post original por Quartarollo

Foi uma vitória importantíssima do São Paulo sobre o Figueirense, 3 x 2, de virada agora há pouco, no Morumbi.

Vitória que mantém o time em quarto lugar do Campeonato Brasileiro com 59 pontos ganhos, não será alcançado amanhã nem que o Santos vença o Vasco da Gama e tem tudo para confirmar a Libertadores-2016 salvando um ano que estava perdido.

O time foi muito vaiado principalmente pela torcida organizada por causa dos 6 x 1 que tomou do Corinthians e porque permitiu a virada do Figueirense para 2 x 1 quando estava comandando o marcador inicial.

Sobrou para o garoto Lucão. Vaiaram demais o zagueiro. Assim ele não vai conseguir jogar o futebol que dizem que tem.

A culpa pelo estado atual do São Paulo não é dos garotos, é de gente mais graúda do elenco e muita gente da diretoria. A torcida está pegando no pé do lado mais fraco da situação. Estão vaiando as pessoas erradas.

Luís Fabiano viveu momentos emocionantes. Chorou ao ouvir o Hino Nacional, fez um gol, beijou o distintivo do clube e disse adeus ao Morumbi.

Só tem mais um jogo para disputar e depois deixa o tricolor como o terceiro maior artilheiro da história do clube, mas com poucas conquistas no seu currículo.

Além dele, Alexandre Pato também se despediu do estádio e dos mais de 20 mil torcedores que foram ver o jogo do tricolor.

Ele deve voltar para o Corinthians ou o mais certo é que vá mesmo para o futebol inglês já que quer voltar a atuar na Europa e seus salário são europeus.

Rogério Ceni não pôde jogar por contusão e não volta mais ao Morumbi em Campeonato Brasileiro. Foi uma despedida longe do gramado.

E talvez nem volta mais a jogar só passando para dizer adeus dia 11 de dezembro numa festa só para ele.

Os outros gols do tricolor hoje foram marcados por Alan Kardec e Thiago Mendes.

Kardec, apesar do pênalti perdido contra o Corinthians, tem entrado bem e pode ser um jogador muito eficiente para a próxima temporada.

O São Paulo se beneficiou também do empate entre Fluminense 1 x 1 Internacional, no Maracanã, o que deixou o time gaúcho com 57 pontos ganhos e na última rodada vai receber o Cruzeiro, no Beira Rio.

O São Paulo vai à Goiânia enfrentar o Goiás e só depende dele para confirmar presença no G-4 para a Libertadores-2016.

Se vencer estará qualificado, se empatar vai depender do resultado do Internacional.

Robinho se aproveita de novo de falha de Rogério Ceni, faz um golaço e empata um jogo perdido

Leia o post original por Quartarollo

Os grandes também fracassam. Rogério Ceni falhou em momento decisivo hoje à tarde, no Morumbi.

Juan Carlos Osório não quer mais que se quebre a bola nos atacantes. Tem que sair jogando lá de trás.

Eu acho isso muito bom, mas às vezes existe o preciosismo e a confiança exagerada de quem sabe tanto.

Rogério Ceni poderia ter esquecido essa regra de Osório e ter dado um bico na bola para a lateral quando Alecsandro abafou em cima dele para atrapalho-lo na reposição depois de receber uma bola podre de Lucão.

Resultado, a reposição saiu deficiente e Robinho lembrando o gol do Campeonato Paulista naquela goleada sobre o time que era dirigido por Muricy, de novo fez um gol por cobertura se aproveitando da falha do goleiro.

Hoje foi mais de perto, é verdade, mas o meia bateu com muita categoria e até esperava que Rodrigo Caio fizesse o pênalti, mas o zagueiro não quis se arriscar a ser expulso.

O pior de tudo é que foi no último minuto. O tricolor não teve tempo para reagir e Anderson Daronco apitou o fim de jogo.

Placar final, 1 x 1, no Morumbi, e o Palmeiras festejando o empate como se fosse uma vitória porque não jogou nada, foi muito mal e totalmente dominado pelo São Paulo.

Não foi um grande jogo, foi sim movimentando, mas careceu de técnica e habilidade em muitos momentos.

O São Paulo foi melhor e criou mais chances de gol e só marcou graças a uma cochilada do garoto Gabriel Jesus que ficou esperando a bola sair para ganhar escanteio depois de dois bons momentos do Palmeiras.

Thiago Mendes acreditou até o fim e armou o contra-ataque com Ganso que acabou num chute de pé direito do canhoto Carlinhos que venceu Fernando Prass, que para mim poderia ter feito algo mais na jogada.

Houve um lance no primeiro tempo em que o goleiro errou a reposição e teve que sair para tentar matar a jogada com o atacante Rogério.

Prass tocou a mão na bola, mas embora as pernas estivessem fora da área, a mão estava dentro e não foi passível de expulsão. Na sequência o atacante perdeu o gol praticamente feito.

O Palmeiras abusou dos chutões para repor a bola em jogo e isso facilitou a vida do São Paulo.

Com o empate o Palmeiras continua no G-4 com 45 pontos ganhos e deixa o São Paulo atrás tendo agora o Santos entre os dois.

Juan Carlos Osório não quis mais falar após a partida sobre sua possível saída para o México e a diretoria diz que conversou e se entendeu com o treinador.

Os dirigentes botaram panos quentes e entenderam que foi apenas sobre algo pontual, mas no Fim de Jogo, da Jovem Pan, o dirigente Ataíde Gil Guerrero admitiu que Osório fala demais e que só não brigou com ele por enquanto no São Paulo, com os demais já se desentendeu em algum momento.

 

 

 

São Paulo vence e estabelece mais um recorde de público

Leia o post original por Fernando Sampaio

sp3x1coritibaO São Paulo venceu mas não convenceu.

O Coritiba deu mais trabalho que o esperado.

Apesar do placar, o Tricolor não teve o domínio do jogo.

Osório reconheceu na entrevista.

O treinador colombiano entrou com um time bastante ofensivo, escalou cinco que atacam muito e marcam pouco: Michel, Pato, Ganso, Luis Fabiano e Centurión. Coletivamente o Coritiba funcionou mais, individualmente o São Paulo decidiu o jogo. O placar só foi definido no último minuto, na última meia hora o jogo esteve indefinido.

Pato e Lucão foram os destaques na vitória.

O atacante fez dois. O zagueiro, além dos dois lançamentos nos dois primeiros gols, correu atrás de todo time do Coritiba junto com Tolói. A dupla de zaga hoje merecia bicho dobrado, principalmente no segundo tempo, quando correram e seguraram o resultado.

O jogo foi aberto.

O Coritiba teve a primeira oportunidade. Aos 8′ Marcos Aurélio bateu fora. O São Paulo não estava bem, não tinha posse de bola, estava ansioso, bem marcado, até que Lucão fez um belo lançamento, Pato dominou, levou na linha de fundo, cruzou e Centurión impedido abriu o placar.

Apesar do gol, o São Paulo não embalou. O Tricolor teve seu melhor momento a partir dos 39 minutos, quando Centurión fez o segundo gol, mal anulado. Desta vez o argentino não estava impedido. No último minuto, Lucão lançou, Pato marcou.

Ney Franco mexeu bem no intervalo. Colocou Negueba. Osório respondeu, colocou Matheus Reis. O garoto entrou mal, fez uma jogada maluca, precipitada, perdeu a bola e o time levou o gol pela lateral esquerda. Aos 15′ Negueba lançou, Ceni saiu, Marcos Aurélio chegou antes, driblou e diminuiu o placar.

O jogo pegou fogo.

Apesar da pressão o Coritiba não teve chances. Tolói e Lucão trabalharam dobrado. João Schimdt e Rodrigo Caio idem. Ganso saiu vaiado. Boschillia entrou, o time melhorou, Pato marcou e matou o jogo. No último lance Luis Fabiano dominou no peito, quando foi finalizar o árbitro apitou o final de jogo. Ridículo.

Arbitragem fraca.

O São Paulo colocou 59.612 pessoas no Morumbi. Este é o novo recorde do Brasileirão 2015. O público superou os 58.627 de São Paulo x Cruzeiro, recorde do Brasileirão em 2014. Mas o recorde na temporada continua sendo São Paulo x Cruzeiro pela Libertadores, com 66.214 pessoas.

Bom domingo.

Share This:

Luís Fabiano virou um estranho no ninho

Leia o post original por Quartarollo

Outrora um centro-avante de recursos técnicos invejáveis, velocidade, arranque e presença na área.

Era assim Luís Fabiano que chegou a ser considerado em 2010 o melhor centro-avante do mundo quando jogava pelo Sevilha.

Agora está dando dó vê-lo em campo. Totalmente fora do jogo, um estranho no ninho.

Não tem mais nenhuma condição de figurar como titular do São Paulo a não ser pela sua história no clube.

Pelo futebol que tinha deveria ter ganhado mais títulos. Mas sempre foi intempestivo, provocador e acabou ganhando merecidos cartões vermelhos.

Seu último grande momento foi em 2010 sob o comando de Dunga na Copa do Mundo da África do Sul.

Fez também eliminatórias brilhantes pela Seleção Brasileira.

Voltou para o São Paulo contundido, parece nunca ter recuperado a melhor forma e hoje é apenas uma sombra do que foi.

É triste falar assim de um jogador, mas aos 34 anos suas perspectivas são bem baixas.

Ele lembra o fim de carreira do grande Reinaldo, ídolo do Atlético Mineiro e artilheiro genial, quando já no ocaso foi emprestado ao Palmeiras. Ficou seis meses e não fez nenhum gol.

Tinha dificuldade até para subir as escadas do antigo Parque Antártica. Uma judiação para quem foi um dos maiores da história.

Hoje contra o Fluminense, Luís Fabiano ficou perdido no ataque sem dar opção aos companheiros e sem nenhuma mobilidade. Foi totalmente nulo e tem sido assim já de um tempo para cá.

O empate de 0 x 0 também aconteceu por faltar um grande atacante dentro da área para o tricolor.

O jogo não foi dos melhores e acabou sendo um placar justo.

Osório terá muito trabalho para resolver os problemas do time, mas o São Paulo pelo menos não está muito longe do chamado G-4. Ainda dá para chegar lá.

Michel Bastos saiu xingando quando foi substituído lembrando Valdívia do sábado que não gostou de sair para dar lugar a Mathias Fernandez na final da Copa América.

Mas ambos deviam perceber que não estavam mais rendendo nada para o time.

O segundo tempo de Bastos chegou a ser grotesco. Tinha mesmo que sair.

Ganso foi o melhor jogador do São Paulo. Pelo menos procurou o jogo e se apresentou o tempo todo.

O Fluminense fez a sua parte. Veio procurando pelo menos o empate e levou o ponto precioso para o Rio de Janeiro mantendo-se na zona da Libertadores como quarto colocado. O São Paulo está quatro posições abaixo.

Osório colocou Thiago Mendes como lateral e Lucão como volante. Os zagueiros foram Tolói e o tosco Edson Silva.

Na lateral-esquerda o estabanado Reinaldo que na minha opinião fez um pênalti em Gerson não anotado por Leandro Pedro Vuaden ainda no primeiro tempo.

Tentou consertar as coisas com Rodrigo Caio que entrou aos 7 minutos do segundo tempo no lugar de Edson Silva.

O que não entendi é porque Osório esperou começar o segundo tempo para fazer a alteração. Já podia ter feito no intervalo.

O São Paulo completou 4 jogos sem vencer sob o comando do novo treinador e foi vaiado no fim do jogo.

Pouco mais de 10 mil pessoas estiveram no frio Morumbi. O suficiente para fazer barulho contra o time.

O que não entendi também foi a atitude de 4 ou 5 idiotas que ficaram esperando Lucão descer para os vestiários para xinga-lo de nomes infames.

O jogador não fez nada de errado. Jogou até bem de volante e é uma boa revelação do tricolor.

O que será isso? Paixão não correspondida ou coisa encomendada?

 

 

 

Share This:

Diretores do São Paulo cobram de Osório habilidade com jovens jogadores

Leia o post original por Perrone

Carlos Miguel Aidar evitou atrito com Juan Carlos Osorio no momento em que o treinador afirmou para o  não ter sido avisado antes de sua contratação do desmanche no time. O presidente do São Paulo explicou ao técnico a difícil situação financeira do clube e relatou que precisa aproveitar as oportunidades de mercado.

Porém, diretores são-paulinos pegam mais pesado com o colombiano. Eles afirmam que, enquanto negociava sua ida para o Morumbi, o treinador deixou claro que gostava de trabalhar com atletas da base. Entendem, então, que está 1 a 1. Se o técnico ficou surpreso com as saídas de Souza, Paulo Miranda, Denilson e Dória, os dirigentes não esperavam queixa de quem havia demonstrado interesse em lançar jovens atletas.

O resultado é que cartolas do clube aumentam a pressão para que Osorio obtenha bons resultados escalando jogadores formados no CT de Cotia. Na avaliação dos dirigentes, a safra é promissora e o técnico não tem do que reclamar. Entre os novatos que os diretores são-paulinos mais confiam está o zagueiro Lucão. Ele falhou no primeiro gol na derrota por 2 a 1 para o Atlético-PR, na última quarta, e foi alvo de críticas do meia Paulo Henrique Ganso.

Nesta sexta, Osório declarou em entrevista coletiva discordar da quantidade de atletas vendidos pelo clube. Disse ter garimpado talentos nas categorias de base. Mas mostrou preocupação com a falta de experiência de parte do time com a seguinte afirmação: “Aqui, no elenco que temos agora, há 12 jogadores, no máximo 15, com 100 jogos ou mais. O resto 50 ou menos. Cada um tire sua conclusão”. É justamente o tipo de declaração que diretores do clube não esperavam após conhecerem o discurso do treinador antes de assinar contrato.