Arquivo da categoria: lucro

Em um jogo Vasco fatura 74% do total até então

Leia o post original por RicaPerrone

São apenas 366 mil reais. Nada que deixe um clube rico, sequer pague as dívidas.  Mas o Vasco saiu do Maracanã neste sábado com este valor no bolso, já descontados todos os impostos, parte do consórcio, entre outros.

A soma não seria notada não fosse um dado curioso.  Nos treze jogos que fez como mandante na série B em 2014 até então, o Vasco havia lucrado apenas 497 mil reais.  Ou seja, em uma partida no Maracanã o Vasco conseguiu 74% do que arrecadou até aqui no campeonato.

Com um agravante. Dos treze jogos como mandante e venda de ingressos, em cinco deles o Vasco pagou pra entrar em campo.

A renda total do jogo no Maracanã ultrapassou 1,3 milhão. E mesmo com a pífia margem de 28% do total, o Vasco já teria levado a melhor sobre os rivais, que em média levam 17% da renda total do Maracanã.
Captura de Tela 2014-11-10 às 19.22.55Captura de Tela 2014-11-10 às 19.23.08

abs,
RicaPerrrone

Brasil está dando o máximo. O que vier é lucro

Leia o post original por Mion

A realidade com ou sem dor.

A realidade com ou sem dor.

     O Brasil está na final. A partir de agora o que vier é lucro. Além de uma equipe em formação, todo brasileiro sabe das limitações. A cada jogo fica mais evidente a falta de talento, exatamente porque enfrenta adversários mais qualificados. A boa notícia reside na evolução tática. Em tempo recorde Felipão conseguiu dar uma cara à seleção. Os jogos estão fortalecendo o conjunto e os treinamentos já surtem efeitos.

Na decisão pesará também a camisa. O Brasil já ganhou outros títulos sem ter um timaço de bola. A maior dificuldade continua sendo a meia-cancha. Não tem armadores e as ligações diretas são uma constante. Oscar continua sendo a maior esperança, entretanto passa por uma fase sem brilho, talvez cansado por ter jogado mais de 70 jogos nesta temporada. A defesa também é uma incógnita, até concordo individualmente os quatro estão entre os melhores do mundo, porém juntos não conseguiram dar a estabilidade esperada.

Como disse no começo, o Brasil representou dignamente a sua camisa. Chegou à final e convencendo, não foi por acaso. O torcedor espera pelo título, para o brasileiro o segundo lugar tem o mesmo valor de ficar em último. Na atual fase de reestruturação acredito que até a torcida irá refletir melhor em caso de derrota e dará crédito a Felipão e jogadores porque fizeram por merecer. Estão no caminho certo e cada um está dando o seu melhor.

Mercadão da bola não perdoa: só vale grana

Leia o post original por Mion

A realidade com ou sem dor segundo a jornalista kauana Batista

A realidade com ou sem dor segundo a jornalista kauana Batista

      Como todos já sabem o futebol hoje não é mais como décadas atrás, onde só era um esporte que trazia motivação, diversão e fazia com que todos vibrassem de uma mesma forma, sem grandes rivalidades. E era apenas um esporte. Mas hoje ele não passa de um mero produto onde os jogadores são desvalorizados ou muito valorizados e também simplesmente descartados.

Podemos dizer que já tivemos muitas polêmicas em nosso mercado do futebol, e muitos jogadores pulam de clube em clube, são raros aqueles que permanecem em um time, podemos até contar nos dedos, como Marcos goleiro do Palmeiras, hoje já aposentado, mas continua no clube na parte administrativa esse tem histórico, outro Goleiro, mas que ainda atua e mantém uma boa forma é Rogério Ceni, além de goleiro um excelente batedor de falta que tem uma carreira brilhante no Clube São Paulino. E também aqueles que pareciam se manter em um time, mas foram facilmente vendidos, como Kleber hoje no Grêmio, o mais polêmico e atual Paulo Henrique Ganso, mas isso é só para dizer que nenhum se livra do poder lucrativo que o futebol oferece.

Além de mudar de clube, têm aqueles que mudam de país, por dinheiro, são rapidamente vendidos, na maioria das vezes até sem se firmar em bom Clube brasileiro, esses são os que mais podem acabar sofrendo, pois chegam lá no exterior e na maioria das vezes ficam no Banco, ou depois de um tempo, já não valem mais para o Clube, que nem os vende, mas nem os usam. O futebol hoje virou tanto a cabeça de todos que hoje o talento e a harmonia do futebol já nem vale mais, se junto não vier lucro financeiro.

Posso aqui até citar a “máfia” que virou a nossa grande CBF que com o ex-presidente Ricardo Teixeira, mostrou visivelmente que o importante era o dinheiro, a venda e não mais o profissional, com ele veio as descredibilidade e desconfianças em cima da CBF. Foram tantos os problemas e denuncias que ele deixou o cargo, mas independente disso não é a saída de um e de outro que os problemas mudam.

Mas voltando ao mercado da bola, vamos falar de um jogador que se tornou um ídolo para todas as gerações, um argentino, o Lionel Messi, que aos 25 anos foi eleito o melhor jogador do mundo quatro vezes consecutivas e o melhor jogador do Barcelona que apostou em seu talento desde os 13 anos, ele já estava lá treinando e mostrando que seria um brilhante profissional, e hoje nada mais que merecido renovou seu contrato com o time até 2018, e óbvio garantindo uma fortuna no seu bolso de uns trinta milhões por ano e se algum clube quiser comprá-lo terá que desembolsar mais de seiscentos milhões pelo craque. Qual será o segredo desse jogador e do Barcelona que consegue o mantê-lo? Fica minha questão.

E para finalizar, porque os nossos jogadores brasileiros não conseguem ter este mesmo destino de garantia de auto estima e valorização em clube brasileiro, e se que se mantenham no Brasil, o que falta para isso acontecer? Vamos lembrar que a seleção brasileira hoje não é a mais favorita, mas todos ainda apostam nela, e para isso temos antes apostar nos nossos clubes e jogadores daqui e aproveitá-los e não descartá-los, esse é o mundo da bola que tem muito a mudar. (Artigo da jornalista Kauana Batista Ferreira da RIC TV)

Pitaco do Mion – Agradeço à jornalista Kauana pela colaboração. Concordo e assino embaixo das verdades escritas. Valeu, Kauana! 

Sem dar valor à base, Corinthians é o segundo clube que mais gasta no mundo! Enquanto isso, graças ao jovem Lucas, que o Tricolor “tomou” do Timão, o São Paulo é o líder mundial de arrecadação!

Leia o post original por miltonneves

Com os cofres cheios, o Corinthians foi às compras para reforçar ainda mais seu elenco para 2013.

Segundo o site alemão “Transfermarkt”, nomes caros como Renato Augusto Gil e Alexandre Pato alçaram o Timão para o segundo lugar entre as equipes que mais gastaram no mundo.

No total, o Alvinegro desembolsou 22,375 milhões de euros, só atrás do novo rico PSG, que gastou a “bagatela” de 40 milhões de euros.

E pensar que todo o dinheiro dos franceses teve o mesmo destino: o Morumbi.

Ainda segundo o portal europeu, a venda de Lucas impulsionou o São Paulo para o topo da lista das equipes que mais lucraram com negociações nesta janela de transferências.

E vale lembrar que o Tricolor “tomou” o garoto que até 2011 era conhecido como “Marcelinho”, em alusão ao ídolo alvinegro, Marcelinho Carioca.

Sinal que o trabalho de categorias de base é valorizado e dá certo no clube.

Em contrapartida, o Corinthians abandonou sua juventude.

Apesar de ser o atual campeão da Copa São Paulo de Futebol Junior, o clube prefere correr atrás de jogadores já consagrados e acaba esquecendo as “pratas da casa”.

Nenhum jogador revelado na base está presente no time titular.

Assim, o Corinthians acaba como “Cemitério de Elefantes”: pagando caro pelos refugos que a Europa não quer mais.

Este pensamento imediatista do Timão é o principal culpado da falta de jovens no time?

Ou a safra corintiana não corresponde bem as expectativas?

Opine!

Endinheirado

Leia o post original por Pedro Ernesto

* Leonardo Oliveira, interino


Em reportagem do site globoesporte.com, o consultor de marketing e gestão esportiva Amir Somoggi listou os clubes brasileiros que mais arrecadaram com vendas de jogadores entre 2003 e 2011. O Inter, disparado, foi o que mais contou dinheiro nestas nove temporadas. Somou R$ 411 milhões. O São Paulo vem em segundo, com R$ 287 milhões. O Grêmio é o sétimo, com R$ 154 milhões.

A estratégia do Inter sempre foi clara. Forma, lapida jogadores, os faz brilhar e vende. Assim, ganhou Mundial e duas Libertadores. A liderança do “banco” colorado deve aumentar quando contabilizadas as vendas de 2012, no caso, Oscar. A fórmula, portanto, segue sendo usada. O erro em 2012 foi na aplicação dessa dinheirama toda.


Luís Ricardo

As primeiras notícias do Ano-Novo dão conta de que Luís Ricardo, ex-Portuguesa, será a primeira contratação do Internacional. É um lateral-direito de trajetória curiosa. Despontou no interior paulista como atacante. Fazia o estilo veloz e goleador.

Chegou a ser oferecido ao Grêmio quando atuava na Ponte Preta. Virou lateral pelas mãos de Silas, no Avaí. Lateral, não, ala. Só depois é que recuou de vez. Luís Ricardo é uma aposta. Nada mais do que isso.


Inglaterra

O feriadão com futebol foi para inglês e o mundo ver. Nos últimos 11 dias, o campeonato da terra da Rainha Elizabeth teve quatro rodadas. Como a bola parou no mundo inteiro, a Liga Inglesa reinou soberana nas tevês mundo afora.

Uma baita exposição, aula de marketing esportivo. É uma tradição por lá o futebol nas festas de fim de ano. Os jogadores entram em campo sem reclamar. E com o bolso forrado pelos salários milionários. Futebol é negócio. E tratado como tal por lá.


Você sabia?

– Que a Federação Gaúcha de Futebol definiu que a Segundona terá a mesma fórmula da Primeira Divisão?

– Que serão dois grupos de oito clubes na disputa dos títulos dos dois turnos?

– Que três times sobem para a elite e três caem para a Terceirona?

– Que o Gaúcho, de Passo Fundo, vendeu o Estádio Volmar Salton, quitou as dívidas e começa neste ano a erguer arena para 10 mil pessoas?

Fábrica colorada de gols só dá lucro

Leia o post original por Mion

Da fábrica colorada de goleadores, Pato foi quem atingiu o estrelado mais rápido.

Quando o Internacional vendeu Nilmar havia um consenso da dificuldade de revelar outro goleador tão talentoso. Rafael Sóbis desmentiu esta afirmação. Sóbis também saiu, logo em seguida surgiu Alexandre Pato e assim foi até chegar no Leandro Damião.

Nem me atrevo a dizer que será um péssimo negócio vendê-lo, porque o Inter deve ter outro prontinho. Dos quatro, três – Nilmar, Pato e Damião – são oriundos do interior do Paraná. Coritiba e Atlético estavam com eles bem pertinho. É questão de ter visão e o Inter tem.

Não dá para falar em sorte ou mesmo coincidência. O colorado recolhe os frutos daquilo que vem plantando há muitos anos. É um exemplo a ser seguido pelos clubes brasileiros. Todo excelente jogador custa caro, mas o centroavante goleador sempre é valorizado bem acima de qualquer outra posição. Nos próximos anos estes centroavantes formados pelo Inter juntos, chegarão aos mil gols, custaram uma mixaria e ainda renderam milhões de reais. Quer melhor negócio?