Arquivo da categoria: Luiz Gustavo

Tite não é salvador do futebol brasileiro

Leia o post original por Quartarollo

Adenor Leonardo Bachi, 54, anos de idade, é conhecido pelo apelido de Tite e para alguns também deveria ser o salvador do futebol brasileiro.

A cada derrapada da Seleção de Dunga, Tite é lembrado em todas as esquinas do país.

Ele é o primeiro, segundo, terceiro, quarto e quinto da lista depois vem os outros.

É uma referência elogiosa ao seu trabalho, mas é também uma clara demonstração de como anda o prestigio dos treinadores brasileiros atualmente.

Não que Tite não mereça, muito pelo contrário, é merecedor de elogios pelas suas atitudes dentro e fora do campo.

Hoje eu particularmente o coloco entre os melhores do mundo.

Faz o time jogar a sua moda, tem o elenco do Corinthians nas mãos e melhorar a conduta e o futebol dos seus comandados.

Com ele cresceram no ano passado Renato Augusto, Gil, Malcon e até Vagner Love que se soltou no final da temporada.

Agora apesar dos muitos desfalques, o seu time continua jogando bem e ganhando também.

Tite, no entanto, não vai salvar sozinho a Seleção e muito menos o futebol brasileiro.

Se Dunga cair e Tite aceitar convite para dirigir a Seleção, nada se modificará de uma hora para outra.

Tite gosta de preparar bem seus times, de treinar, de repetir e insistir nas mais variadas jogadas.

É claro que na Seleção ele pode convocar os jogadores que mais podem se adaptar ao que tem na cabeça, mas mesmo assim há dificuldades.

Não há tempo para treinamento. O mais razoável seria usar entrosamentos já existentes em algumas equipes, coisa que todo o técnico de Seleção se nega a fazer para não dar ponto a outro companheiro de profissão.

Além disso, Tite não vai convocar grandes novidades. Pode deixar em casa Luiz Gustavo, Fernandinho e outros tão criticados, mas basicamente o que Dunga vem convocando é que está aí mesmo. A geração é muito fraca e além de Neymar não há nada de tão especial.

A esperança, caso ele assuma, é que Tite melhora a produção de alguns jogadores. Diante disso, um jogador médio pode ficar bom e um bom vira craque.

No Corinthians ele faz jogar Romero, que é ruim de doer, faz jogar Rodriguinho, faz jogar Guilherme Arana, faz jogar Uendel e faz jogar Fagner, entre outros.

Essa é a missão do técnico. Ter um esquema tático forte com variações boas e melhorar o elenco que tem nas mãos. Na Seleção Brasileira isso é quase que impossível.

Sendo assim, a Seleção prejudicaria o futebol brasileiro. O time da CBF não iria melhorar da noite para o dia e o melhor time do país, o Corinthians, ficaria órfão do melhor treinador da sua história. Não seria bom para ninguém.

Brasil não resiste e perde do ex-freguês Chile

Leia o post original por Fernando Sampaio

chile x brasilO Brasil foi além das minhas expectativas.

A Seleção Brasileira deixou a sensação de que poderia ter saído na frente.

Eu não esperava isso.

A Seleção Chilena está num estágio bem mais avançado. Sampaoli, além de ser um treinador diferenciado, começou o trabalho em 2012. Os frutos estão sendo colhidos agora. Campeão da Copa América, time mais entrosado, confiança, qualidade, Sanchez e Vidal acima da média, com certeza esta é a melhor seleção do país de todos os tempos.

Em casa achei que seria domínio total.

Não foi.

O Brasil estava bem organizado, sofreu a esperada pressão no início depois equilibrou o jogo e levou perigo ao adversário. O time mostrou marcação encaixada, transição rápida, atacantes de velocidade…. William fez uma bela partida. A defesa estava segura, a bola na trave foi de fora da área. É absolutamente normal o Chile criar uma grande oportunidade.

No segundo tempo o jogo ficou aberto e continuou equilibrado até a saída do Valdívia.

Mesmo com a saída de David Luis o time continuou firme. Marquinhos não estava bem. Os ataques do Chile pelo lado do Marcelo tornaram-se mais intensos e perigosos. Oscar estava bem na função tática mas o último passe estava um desastre. O meia atacante puxou bons contra-ataques pela esquerda mas desperdiçou a possibilidade de criar boas oportunidades.

Quando Valdívia saiu o jogo mudou. O chinelinho chileno era a esperança do Brasil. A maioria dos ataques brasileiros saíram de seus passes errados. Quando Sampaoli mudou twittei que Dunga poderia colocar Lucas Lima e Ricardo Oliveira. Não vou fazer o exercício do “outrismo” e dizer que isso mudaria o jogo. Não dá pra saber. A diferença é que o jogo ainda estava 0x0, a dupla santista entraria descansada e teria mais tempo em campo para criar alguma jogada.

O Chile cresceu com a saída de Valdívia e marcou com Vargas.

Ricardo Oliveira entrou bem e teve duas chances de empate. No final Dunga foi para o tudo ou nada e tirou Luiz Gustavo. A defesa ficou exposta, Alexis Sánchez aproveitou e matou o jogo.

Resultado normal.

O Chile não vencia o Brasil desde 1993.

A última vitória aconteceu justamente um ano antes do Brasil conquistar o tetracampeonato nos Estados Unidos. Parreira, Cafu, Roberto Carlos, César Sampaio, Edmundo, Zinho e Cia perderam de 3×2. No ano seguinte o Brasil foi campeão mundial quebrando um jejum de 24 anos. Portanto, muita calma quando analisar só o resultado isolado.

 

Foto: Mario Ruiz/EFE

O medroso Dunga joga para empatar, perde para o Chile e toma olé no fim do jogo

Leia o post original por Quartarollo

Claramente o técnico Dunga montou um esquema para tirar a bola do Chile e jogar pelo empate agora há pouco. em Santiago. Sem a bola, o Chile não teria como armar suas principais jogadas.

A ideia era boa, mas não durou os 90 minutos. Dunga também foi medroso quando podia tentar decidir o jogo.

Deu certo até certo ponto no primeiro tempo embora tenha levado uma bola na trave no finalzinho chutada por Sanchez.

O Brasil conseguia dominar o meio-campo, mas Elias por ordem do técnico jamais saiu da cabeça de área e na única vez que tentou não foi servido por Hulk que preferiu chutar e desperdiçou o lance.

David Luiz saiu contundido no primeiro tempo. Para variar sempre ansioso não conseguia chegar inteiro para cobrir as descidas de Isla nas costas de Marcelo. Acabou se machucando em uma dessas coberturas.

A virada de bola para Isla foi a principal jogada do Chile na Copa América e parece que Dunga não sabia que isso ia acontecer de novo.

Entrou no lugar de David, o baixinho ex-corintiano Marquinhos que tem mais fama que bola. Continua sendo uma boa promessa depois de tanto tempo.

Willian fez grande partida, mas faltou-lhe companhia no meio-campo. Oscar esteve muito enrolado o jogo todo apesar de alguns toques individuais de classe, mas falta-lhe coragem para chutar a gol.

Teve duas chances e ficou procurando alguém para passar a responsabilidade.

O gol chileno aconteceu depois de uma falta sem necessidade do estabanado Luiz Gustavo.

Na cobrança de Mathias Fernandez, que mais uma vez substituiu um Valdivia que joga só para ele em metade do jogo, Vargas apareceu e fez o gol.

Marquinhos não conseguiu marcar o atacante chileno. Ficou totalmente perdido na jogada e foi festa para o confiante Chile que já tinha metido outra bola na trave com Isla pouco antes.

O Brasil teve bons contra-ataques no segundo tempo como previa e como queria Dunga, mas o treinador não teve coragem de escalar já no intervalo um centro-avante de ofício.

Ficou especulando o empate e quando tomou o gol mandou Ricardo Oliveira se aquecer. Dunga demorou demais para mexer no time.

O artilheiro do Brasil na temporada só jogou 15 minutos e mesmo assim arriscou dois chutes fracos contra o gol de Bravo, coisa que a Seleção não tinha feito nenhuma vez no segundo tempo.

Depois para tentar aproveitar o entrosamento do Santos, Dunga botou em campo o meia Lucas Lima que nem teve tempo de esquentar. Praticamente nem tocou na bola.

O segundo gol chileno já estava pendurado há muito tempo e aconteceu através de Sanchez depois de mais uma bola perdida pelo Brasil no meio-campo.

O Brasil vai se classificar para a Copa-2018, mas vai sofrer e terá que ser mais corajoso em alguns jogos como o de hoje.

Jefferson continua sendo o goleiro que não passa confiança nenhuma na minha opinião.

Daniel Alves ainda é o melhor lateral-direito que nós temos e Miranda é titular absoluto na zaga.

Na lateral-esquerda não adianta discutir. Só tem Marcelo por enquanto.

Mas a partir daí dá para discutir alguns jogadores. Luiz Gustavo fez muitas faltas bobas e mereceu o amarelo que recebeu.

Elias precisa jogar saindo rápido como o elemento surpresa que é no Corinthians. Não pode ficar tão amarrado na cabeça de área, é um desperdício para a Seleção.

Oscar não é bom nem ruim. É o chamado bonzinho que todo mundo acha que é craque, mas não resolve.

Willian pelo menos quis a bola e tentou jogar o tempo todo, mas fica muito no lado do campo. Precisa entrar mais na área e chutar também de fora dela.

Douglas Costa mostra que é bom jogador, mas hoje foi muito marcado. Fez algumas jogadas individuais, mas precisa arriscar mais como no Bayern de Guardiola, mas será que Dunga deixa? Essa é a questão.

Hulk corre muito, é muito forte, é desprendido, joga para o time, mas……..

Nesse tipo de jogo em que não dá tempo de treinar, Dunga deveria aproveitar o entrosamento de alguns jogadores.

Tipo Elias e Renato Augusto no Corinthians e Lucas Lima e Ricardo Oliveira no Santos. Garanto que sairia coisa melhor.

Eles atravessam bom momento aqui no Campeonato Brasileiro e não tem medo de arriscar no gol adversário.

Jogam em times que estão fazendo gols e quem sabe com gols a Seleção não consiga vencer alguém, não é Dunga?

Hoje o Brasil bem que mereceu ouvir os gritos de olé no fim do jogo enquanto o Chile com categoria tocava a bola quase zombando da nossa Seleção.

 

Resultado para encorajar a seleção

Leia o post original por Antero Greco

Dunga pode tirar uma grande lição dos 3 a 1 de virada da seleção sobre a França, o amistoso disputado na noite desta quinta-feira, em Paris. O resultado serve para animar o grupo, ainda em fase de reconstrução depois do fiasco na reta final do Mundial. E não só. Tem tudo para tornar-se um estímulo para abrir caminho novo até a disputa da Copa de 2018 na Rússia.

E qual é a senda que surgiu? A de que a seleção não precisa manter-se dependente de Neymar, como tem ocorrido nos últimos anos. Com Mano, com Felipão e mesmo com Dunga, a tática frequente tem sido a de toca pro Neymar e seja o que Deus quiser.

Isso é bom e péssimo. O lado positivo está no fato de que se confia no talento de Neymar, o único brasileiro acima da média nos dias de hoje. Por outro, joga-se enorme responsabilidade em cima de apenas um homem. Quando ele não estiver bem, ou for marcado com eficiência, some. E, por extensão, desaba o esquema da seleção.

Esse erro ocorreu no primeiro tempo, em que os franceses se fecharam, não deram espaço e o desafogo só vinha com Neymar. Sem nada de prático. Na única jogada bem elaborada, veio o empate com o Oscar, numa trama da qual o Neymar também participou.

O melhor ficou para a segunda parte. O Brasil mais solto e com variação no toque de bola virou com o próprio Neymar e consolidou a vitória com Luiz Gustavo. Ou seja, é preciso dar chance para que mais gente cresça e apareça. É necessário incentivar Elias, William, Oscar, Firmino e outros a se desinibirem, a tomarem iniciativa, a ousarem. Assim, cai essa dependência do Neymar.

Será bom para todos – sobretudo para Neymar, que ficará mais livre para infernizar os adversários. A bola está com Dunga, que ele saiba o que fazer com ela.

 

Por que não apostar em Hernanes?

Leia o post original por Neto

Hernanes não tem tido muitas oportunidades na Copa

Hernanes não tem tido muitas oportunidades na Copa

Apesar de ter garantido a classificação para as quartas da Copa do Mundo, a Seleção Brasileira não tem mostrado um futebol muito convincente do ponto de vista técnico e tático. E acho que isso está acontecendo muito em função da instabilidade do meio-campo. Com a má fase de Paulinho, que era o ponto chave no setor, a bola tem chegado com pouca qualidade lá na frente.

Para tentar corrigir o Felipão arriscou colocar o Fernandinho no lugar do ex-corintiano. Não surtiu efeito. Tanto é que contra o Chile sofremos como nunca. Fiquei então pensando: por que não dar uma chance ao Hernanes para substituir o suspenso Luiz Gustavo? Poxa vida! Esse menino vem jogando demais desde que deixou o São Paulo, onde venceu um Brasileirão atrás do outro. Na Itália brilhou com intensidade no Lazio o que lhe rendeu uma transferência à Internazionale de Milão.

Ele executa muito bem a função de combate e chega com frequência na frente. Poderia tranquilamente fazer o papel de segundo homem de meio. Podendo avançar e fazer o terceiro. Isso liberaria até o Oscar para ficar como uma espécie de ponta-de-lança.

Isso é tão óbvio para meus olhos que me estranha ver essa desconfiança do técnico brasileiro. Pra falar a verdade o Hernanes já era o cara ideal para substituir o Paulinho. Ele poderia ter trocado um pelo outro sem mexer muito na organização do time. Mas a mente defensiva do Felipão não o permitiu enxergar. É brincadeira?

Arigatô, Nishimura e agradecimentos também para Neymar e Oscar

Leia o post original por Quartarollo

Ah, se não fosse o japonês. Ah, se não fosse o Neymar. Ah, se não fosse o Oscar. Ah, se não fosse Felipão. Ah, se não fosse o Brasil. Todos esses detalhes devem ser analisados, mas o árbitro japonês Nishimura mudou … Continuar lendo

Em duelo desigual, Brasil goleia a fraquíssima Austrália. Palmeiras ganha e retoma a liderança da Série B, Inter se aproxima do G-4 e Grêmio conta com apito para derrotar a Lusa

Leia o post original por Milton Neves

Foi muito fácil. Irritantemente fácil…

A seleção brasileira enfrentou a seleção australiana e não teve nenhuma dificuldade para fazer 6 a 0, em Brasília.

Dois gols de Jô, um de Neymar, um de Ramires, um de Pato e um de Luiz Gustavo.

É o tipo de jogo em que fica difícil fazer qualquer avaliação, tamanha a diferença entre os times.

Lembrou o último confronto entre Barcelona e Santos. Mas isso eu não gosto nem de lembrar…

De qualquer forma, apesar da fragilidade do adversário, Jô mostrou que tem estrela, que a camisa amarela não lhe pesa nada.

E, no último gol, de Pato, categoria de Hernanes, com um passe de “cavadinha” para Neymar, que cruzou para a conclusão do atacante corintiano.

E o Estádio Mané Garrincha, um daqueles recordistas em “saltos orçamentais”, teve um público acanhado, com pouco mais de metade de sua capacidade ocupada, também pudera, com ingressos entre R$ 90,00 e R$ 500,00…

Frank Sinatra, quando veio ao Brasil, fez uma turnê a preços menos salgados…

A próxima partida será na terça-feira, em Boston, diante da seleção de Portugal.

Pelo Campeonato Brasileiro…

O Palmeiras foi à Itumbiara e derrotou o Atlético-GO por 3 a 1, voltando à liderança da Série B.

De virada, o Inter fez 3 a 1 na Ponte, em Campinas.

Na Vila o Santos ganhou do Goiás por 1 a 0.

Vitória e Atlético-MG ficaram no empate, 1 a 1 e o Fluminense derrotou o Bahia por 1 a 0.

Com esses resultados, Santos e Flu respiram mais tranquilos, mas o Galo continua perto do Z-4…

Para fechar o sábado, o Grêmio ganhou da Portuguesa por 3 a 2. A Lusa teve dois jogadores expulsos após um pênalti absurdo marcado para a equipe gaúcha quando o placar era 2 a 2.  Os gremistas reclamaram de um gol mal anulado, mas a Lusa SEMPRE é prejudicada, não tem jeito…

E então?

Gostaram do time brasileiro?

É possível tirar alguma conclusão em uma partida como essa?

E pelo Brasileirão?

O Palmeiras “já” subiu?

O Inter vai engrenar e brigar pelo título?

E o Grêmio?

Que bela ajuda do apito para ganhar da Lusa, hein?

Opine!!!

Luiz Gustavo pode trocar Bayern por Inter

Leia o post original por Neto

Durante o programa ‘Os Donos da Bola’ da Band, nesta quinta-feira, dei a notícia que o volante Luiz Gustavo, destaque da Seleção Brasileira na conquista da Copa das Confederações, estaria trocando o poderoso Bayern de Munique por outra potência do futebol europeu: a Inter de Milão. Isso mesmo! Ele seria opção para o veterano argentino Cambiasso, que já está mais pra lá do que pra cá. Pouco conhecido no Brasil até pouco tempo atrás, ele ganhou destaque mesmo na Alemanha, onde conquistou praticamente tudo o que podia com o Bayern. No título da Seleção estourou de vez. A negociação está rolando e os valores ainda não foram divulgados. É esperar para ver no que vai dar. Particularmente acho uma boa para ele. Vai ter oportunidades de jogar mais.

 

Nota 10 pra Seleção! Só precisa ter cuidado com o meio-campo

Leia o post original por Neto

Fred fez 2 gols e arrebentou a Itália

Estive presente na Arena Fonte Nova (belíssima, por sinal!) e vi o Brasil jogar razoavelmente bem contra os italianos. O torcedor mais otimista deve estar perguntando: “Como assim razoável? Vencemos os caras, poxa vida!”. Pois é, mesmo tendo nossos dois atacantes jogando o fino da bola, penso que sofremos com o adversário no meio-campo. Eles dominaram o setor durante boa parte do jogo e não fosse a inspiração do Neymar e principalmente do Fred, poderíamos ter perdido em Salvador.

Uma coisa que venho falando há muito tempo é que o Felipão precisa reciclar seus conceitos táticos. As coisas no futebol de hoje não funcionam mais como era na década passada. Nosso treinador está escalando o Luiz Gustavo na proteção da defesa. Ele até faz bem isso, mas dependendo do adversário deixa buracos na marcação do meio. Quando tem o ofensivo Hernanes no jogo a coisa complica ainda mais. Por isso que o Paulinho faz falta. Ele é o quem melhor executa essas duas funções.

Mas contra os italianos a melhor estratégia era escalar o Fernando. Assim fecha o meio e dá liberdade para os três atacantes jogarem juntos com o Oscar na armação. É claro que isso poderia funcionar contra eles. Mas cada jogo é um jogo. Isso o treinador deveria saber. Apenas uma crítica construtiva, viu Felipão??? Mas pelo resultado a Seleção está de parabéns!