Arquivo da categoria: Luto

Um dos últimos

Leia o post original por Rica Perrone

Morreu Juvenal Juvêncio, lenda tricolor. Entre os mil defeitos e qualidades, Juvenal ostentava uma imagem única, divertida, antiga, autoritária e de alguma forma simpática. O conheci com 5 anos e portanto convivi com suas diversas funções no clube por 32. Ele provavelmente me pagou um picolé quando eu tinha 7 e me deu entrevista quando […]

Morre Eusébio, o “Pelé de Portugal”. E saiba que o “Pérola Negra” não morreu antes, eletrocutado em uma banheira de hidromassagem por um verdadeiro milagre. E isso ocorreu poucos meses antes da Copa de 66, mas o zagueiro Luciano não escapou

Leia o post original por Milton Neves

blogMN

Portugal amanheceu em luto.

Eusébio, um dos maiores jogadores da história da seleção portuguesa, morreu na madrugada deste domingo.

O ex-jogador, que completaria 72 anos no próximo dia 25, não resistiu a uma parada cardiorrespiratória.

De acordo com informações do jornal local Record, o antigo jogador do Benfica veio a óbito em Lisboa, capital do país, às 4h30 de manhã do horário local (2h30 de Brasília).

Conhecido como a “Pantera Negra” pelos portugueses, Eusébio já vinha tendo alguns outros problemas de saúde desde 2012, quando foi internado no Hospital da Luz, em Lisboa, após ter sofrido um Acidente Vascular Cerebral (AVC).

Apesar de ser um ídolo de Portugal, Eusébio nasceu em Moçambique, em Lourenço Marques (atual Maputo), quando o local ainda era uma colônia do país europeu.

Eusébio fez carreira no Benfica, um dos times mais tradicionais do país. O atacante defendeu as cores do time de Lisboa durante 15 anos e disputou mais de 600 jogos, tendo feito também mais de 600 gols.

É lembrado até hoje por ter levado a seleção portuguesa ao terceiro lugar da Copa do Mundo de 1966, melhor colocação do país no torneio.

Nessa mesma competição, ganhou a Bola de Ouro, por ter terminado como artilheiro, com 9 gols.

Clique aqui e veja a página de Eusébio na seção “Que Fim Levou?”

CONHEÇA TAMBÉM ABAIXO, A HISTÓRIA DE LUCIANO JORGE FERNANDES, O ZAGUEIRO QUE MORREU ELETROCUTADO QUANDO EUSÉBIO ESCAPOU POR MILAGRE

por Marcos Júnior

O ex-zagueiro Luciano Jorge Fernandes morreu tragicamente, aos 25 anos, em 12 de maio de 1966, em uma banheira de hidromassagem, eletrocutado.

Foi após um jogo do Benfica, quando aconteceu um curto-circuito no aquecedor do equipamento. Dois outros jogadores estavam ao lado de Luciano e conseguiram se salvar: Eusébio e Matta da Silva. Aliás, esses dois só conseguiram sair ilesos por conta de outro jogador, Jaime Graça, que desligou o quadro de energia do vestiário.

A tecnologia da época era precária, e eram comuns as resistências e fios ficarem em contato direto com a água, razão mais provável para o acidente fatal com Luciano.

Natural do Algarve, em Portugal, Luciano conquistou três títulos nacionais pelo Benfica e uma Taça de Portugal.

Com informações do site vivaobenfica

Ainda sobre Luciano, leia a história de Milton Neves sobre o zagueiro português:


“Vocês sabiam que o grande Eusébio, o Pelé de Portugal, poderia ter morrido eletrocutado semanas antes da Copa da Inglaterra, em 1966, e dentro de uma banheira? E naquele mundial ele virou a “Pérola Negra?, “o novo Pelé? e o craque da Copa em que Portugal foi o terceiro colocado. Sim, ele bateu na trave, mas a mesma sorte não teve o zagueiro Luciano, o Luciano Jorge Fernandes. E a causa da morte não poderia ter sido tão prosaica, infantil ou irresponsável. À época, 12 de maio de 1966, era só alegria pós-treino no CT do Benfica com o clube inaugurando suas novas, revolucionárias e modernas banheiras de hidromassagem, então um assombro. Nunca delas, cheia até a borda, estavam o pobre Luciano, o grande Eusébio e Matta da Silva, em meio ao então sistema exposto de fiação. Ou seja, nos primórdios das hoje chamadas “Jacuzzis?, os jogadores “conviviam? com fios elétricos durante o banho. Aí, houve um curto-circuito, Luciano morreu eletrocutado e Eusébio e Matta da Silva só escaparam porque o volante Jaime Graça (1942-2012) teve o discernimento de desligar rapidamente o sistema elétrico dos vestiários. Graças a Deus, Jaime Graça!

Informações do UOL Esporte

Você viu Eusébio jogar ?

Cristiano Ronaldo tem potencial para superar o “Pelé Gajo”?

OPINE!!!

Morre Gylmar dos Santos Neves. Após sofrer um infarto na última sexta-feira e lutar contra duas infecções, o ex-goleiro não resistiu. Deixe uma homenagem para o ídolo de Corinthians, Santos e Seleção Brasileira!!!

Leia o post original por Milton Neves

 

Morreu no final de tarde deste domingo, dia 25 de agosto de 2013, o ex-goleiro Gylmar dos Santos Neves.

Ídolo de Corinthians, Santos e Seleção Brasileira, o arqueiro sofreu um infarto na última sexta-feira, 23, e foi internado no Hospital Sírio -Libanês, onde também lutou contra infecções no pulmão e na urina.

Milton Neves conversou com Marcelo Izar Neves, filho do ex goleiro, na manhã deste domingo, durante o programa “Domingo Esportivo”, da Rádio Bandeirantes.

Marcelo reiterou a informação sobre a gravidade do estado de seu pai, dizendo que os procedimentos que estavam sendo feitos eram para minimizar o sofrimento de Gylmar.

“Por conta das infecções, estão sendo administrados antibióticos, e isso prejudica seu quadro cardíaco”, disse Marcelo.

Outro filho de Gylmar, Rogério Neves, que é médico e reside nos Estados Unidos, viajou a São Paulo para acompanhar o tratamento de seu pai.

Gylmar, que completou 83 anos na última quinta-feira, sofria das sequelas de um AVC (acidente vascular cerebral), que deixou cerca de 40% de seu corpo paralisado desde 2000.

Bicampeão pela Seleção Brasileira nas Copas de 1958 e 1962, Gylmar teve passagens brilhantes pelo Corinthians e Santos, clubes pelos quais atuou nas décadas de 50 e 60.

Em 17 de março de 2013, Milton Neves publicou em sua página dominical no jornal “Agora São Paulo e também no Portal Terceiro Tempo, um texto homenageando Gylmar, intitulado “O sogro, o amor e o maior gol de Gylmar, o goleiro maior”. Segue abaixo, na íntegra:

“Nagib Izar, sogro “na marra” de Gylmar dos Santos Neves, jamais aceitou o namoro, noivado e muito menos o casamento de sua única filha, Rachel, com o então goleiro-galã do Corinthians.

Mas o amor falou mais alto, casaram-se, nasceram três filhos e por 17 anos (!!!) o radical “Seo” Nagib nunca mais falou com a filha a partir de 1954, com o genro (seria a primeira vez) e nem conheceu os três netos.

Ignorou até o casamento na igreja e a festa de comemoração em 1960.

Mas, dia 25 de outubro de 1971, de repente, Nagib ligou para sua filha Rachel para que todos passassem o dia com ele e com sua esposa Najla, no bairro do Paraíso, em São Paulo.

Foram, almoçaram, brincaram, se abraçaram como se nada tivesse acontecido naqueles 17 anos e foram embora no final de tarde.

Lá pelas 11 da noite Rachel recebe telefonema da mãe Najla. “Seo” Nagib Izar tinha acabado de morrer de infarto! Foi premonição, remorso ou coincidência?

Enterro realizado, no Araçá, em 26 de outubro de 1971, família consternada, dona Najla Curi Izar desesperada, com o saudoso cunhado de Gylmar, Ricardo Izar, ex-deputado federal, e o irmão Roberto, impressionados com a premonição do pai.

A família então passou a cuidar do inventário do que deixou o empresário Nagib Izar, dono de fábrica de cartonagem (papel, papelão e embalagens), no bairro do Tatuapé.

Marcou-se uma reunião de todos na sede da empresa com a presença de advogados, contadores e de um tabelião. Mas a reunião emperrou porque um enorme cofre, da época da Segunda Guerra Mundial, ninguém conseguia abrir.

E lá dentro estava toda a vida econômico-financeira do patriarca.  Chamaram os mais competentes e famosos “cofreiros” de São Paulo e… nada! Três deles fracassaram depois de horas e deixaram a sala.

O que fazer?

Enquanto todos discutiam até mesmo a possibilidade de uma pequena explosão do cofre, Gylmar, mais afastado do grupo por ser discreto e “apenas” cunhado, ficou de costas para o cofre e aleatoriamente girava o seu relógio de controle.

Girou umas sete ou oito vezes, sempre depois apertando a maçaneta e de repente… o cofre se abriu!!!!

Sem querer, lotericamente e de costas, Gylmar acertou a combinação. Foi algo sobrenatural.

Espanto e emoção na sala de reunião, procedeu-se então a verificação do conteúdo guardado como documentos, inventário, escrituras e investimentos de “Seo” Nagib Izar.

Ao que a fiel secretária do então turrão sogro de Gylmar se antecipou e apanhou as muitas pastas que ocupavam quase a metade do cofre. Estendeu-as na enorme mesa de reunião e ninguém conseguiu conter as lágrimas.

Pois ali estavam catalogadas e colecionadas todas as fotos do namoro (a partir de 1954), noivado (em 1958) e casamento (em 1960) de sua filha Rachel com o famoso Gylmar, bem como as capas de revistas e fotos dos três netos.

E dona Baije, a secretária, contou que por 17 anos (!!!) “Seo” Nagib Izar, ao chegar logo cedinho para o trabalho, TODO DIA, ficava por uma hora folheando suas pastas, vendo página por página e foto por foto da família da filha.

As páginas estavam todas puídas na parte de baixo que Nagib diariamente manuseava e manuseou por anos e anos a fio.

Ou seja, o radical, turrão e “imperturbável” Nagib Izar resistiu o quanto pôde para mostrar que era contra o casamento de sua única filha com um “simples jogador de futebol” porque “esse pessoal nunca dá boa coisa”.

E como deu, hein?

Gylmar grande atleta e grande caráter, era cobiçado nos anos 50 por 10 de cada 10 mulheres do Brasil, mas apaixonou-se em poucos olhares por Rachel em piscina de um hotel de Águas de Lindóia onde o Corinthians estava concentrado e paulistanos ricos passavam férias.

Vendo que a filha estava muito “acesa” e ligada no goleiro famoso, fechou a conta e abreviou sua estada de férias e levou toda a família de volta para São Paulo.

E o amor continua vencendo.

Gylmar, aos 82 anos, vitima de um AVC há 10 anos, está em cadeira de rodas, não fala, mas ouve, vê e entende tudo.

E está feliz da vida porque Rachel, a filha de “Seo” Izar, está sempre ao seu lado não largando dele nunca da mesma forma que Gylmar nunca largava a bola na meta do Corinthians, Santos e Seleção Brasileira.”

Clique no player abaixo eouça a história de Gylmar dos Santos Neves e seu sogro na voz de Milton Neves no dia 10 de março de 2013 na Rádio Bandeirantes

Clique aqui e veja a página de Gylmar dos Santos Neves na seção “Que Fim Levou?”

Deixe aqui uma mensagem de apoio para a família de Gylmar dos Santos Neves, um dos maiores goleiros que o Brasil já teve!!!

 

Luto

Leia o post original por Kako Ferreira

Novamente com sérios problemas no servidor me impediram de abastecer o conteúdo do blog, já tá até dando preguiça repetir isso, segue o jogo…

Infelizmente retorno em um momento muito triste para todos, não só para santistas, mas para muitos que perderam amigos e familiares no acidente envolvendo o carro alegórico da Sangue Jovem, no carnaval da Cidade de Santos. Um acontecimento que nos tira do eixo, fica até difícil conseguir falar sobre futebol nesse instante.

Uma fatalidade que ainda será apurada, não é hora de julgar e sim de ajudar aos que necessitam de conforto nesse momento. Também gostaria de registrar todo o apoio dado pela Prefeitura Municipal de Santos e do Santos Futebol Clube, que mesmo sem ter obrigação alguma, arcou com todas as despesas de cada funeral.

Meus profundos sentimentos aos familiares e das vítimas, que tenham muita força nesse momento.

***

Morre Joelmir Beting, o “mago” do jornalismo brasileiro. Deixe sua mensagem à família Beting

Leia o post original por miltonneves

O Brasil perdeu no início da madrugada desta quinta-feira, 29 de novembro de 2012, um dos maiores jornalistas do país.

Joelmir Beting começou sua carreira no futebol, mas a paixão pelo Palmeiras o impediu de prosseguir na área.

Fascinado pela economia, o devoto do Padre Donizette optou pela mudança e foi muito feliz em sua carreira.

Trabalhou nos maiores veículos do país e firmou-se como âncora e comentarista do Jornal da Band, ao lado do também genial Ricardo Boechat.

A genialidade de Joelmir é hereditária e passou para os dois filhos, Mauro Beting e Gianfranco Beting, além, é claro, dos quatro lindos netos que ele deixou.

Clique aqui e confira uma emocionante entrevista de Joelmir Beting a Milton Neves, no Domingo Esportivo

Momento de incrível e rara emoção no rádio: Mauro Beting anuncia ao vivo no TT a morte do pai! by Redacao TT

E deixe sua mensagem  de apoio à família do “mago” do jornalismo, o inesquecível Joelmir Beting.

Clique aqui e conheça a história de Joelmir Beting na seção “Que Fim Levou?”

Deixe aqui sua mensagem para Ted Boy Marino e leia a carta que ele nos enviou!

Leia o post original por miltonneves

Ted Boy Marino foi nosso Éder Jofre de fantasia!

Quem tem mais de 40 anos ficou muito triste com a morte de Mario Marino, o querido Ted Boy Marino.

Torcedor do Fluminense, o saudoso lutador deixou esposa e três filhos. Morreu na quinta-feira, dia 27, no Rio de Janeiro, vítima de parada cardíaca, após mais de nove horas passando por uma cirurgia de emergência por conta de uma trombose.

Italiano radicado no Brasil, fez sucesso nos ringues de Telecatch da TV Excelsior durante a década de 60. (clique aqui e veja mais fotos de Ted Boy Marino)

Ted Boy foi o precursor do tão adorado MMA, mas nunca precisou tirar sangue de alguém para empilhar montanhas de fãs.

Ao contrário da selvageria banalizada de hoje em dia, nas “lutas combinadas” os golpes não eram para acertar, mas a emoção não ficava de lado. (conheça o brasileiro campeão de MMA)

Com saltos e piruetas circenses, sempre bem ensaiados, os astros da Luta Livre tornavam-se heróis e vilões da televisão.(conheça mais da história do Telecatch)

Como esquecer o Múmia, o Aquiles ou o Verdugo, que eram sempre batidos pelo Tigre Paraguaio, pela Electra e, claro, pelo incrível Ted Boy. (relembre a história do vilão do Telecatch)

Confira abaixo a carta enviada pelo saudoso lutador:

“Sou italiano, da Calábria. Vim para Buenos Aires em 1953, no porão de um navio, aos 12 anos de idade, junto com meus pais e mais 5 irmãos. Trabalhava como sapateiro em Buenos Aires, mas aproveitava todo o tempo livre para treinar luta livre e praticar halterofilismo. Em 1962 já estava participando de Telecatchs nos canais 9 de Buenos Aires e 12 de Montevidéu.

Cheguei ao Brasil em novembro de 1965, aos 24 anos. Fui trazido por um empresário (Teti Alfonso) com mais 5 lutadores e contratado pela TV Excelsior. Os dois grandes programas da época eram o da Jovem Guarda e o Telecatch. Fiz parte da primeira formação dos Os Trapalhões (na época se chamava Os Adoráveis Trapalhões) na Excelsior, criado por Wilton Franco e contava, além de mim, com Wanderley Cardoso, Ivon Cury e Renato Aragão. Foi um sucesso tão estrondoso que a Globo acabou comprando o meu passe.

Na Globo participei de 4 programas e aparecia quase que diariamente na telinha. De segunda a sexta tinha Os Astrais, na parte da tarde, onde eu apresentava desenhos animados. Também de segunda a sexta, antes do Jornal Nacional, entrava a minha novelinha Orion IV x Ted Boy Marino, onde eu combatia vilões. Nas terças, era a vez do Ô que Delícia de Show, um programa de variedades, onde eu apresentava cantores e números circenses, junto com a falecida Célia Biar. Aos sábados o grande clímax do Telecatch, no horário nobre das 9 às 10 da noite e também aos domingos (em São Paulo, ao vivo).

Hoje, vivo do que plantei ao longo de minha carreira. Estou aposentado e meus planos não têm nada de absurdo. Várias tendências da TV internacional emplacam no Brasil, e os programas de Telecatch são um grande sucesso nos EUA, Alemanha, Inglaterra e México.

Antigamente era só alegria. Hoje sofro em torcer para o Fluminense. Estou trabalhando em torno de um projeto para a volta do programa Telecatch na TV brasileira.

Ted Boy Marino”

Quais lembranças você tem do incrível Ted Boy Marino?

Deixe sua mensagem!

Félix: adeus ao goleiro inesquecível e injustiçado!

Leia o post original por miltonneves

Aqui o último pedido do ex-goleiro:

“Pelo menos quando eu morrer, que parem de dizer que o Brasil ganhou a Copa de 70 `apesar do Félix´. O Barbosa foi crucificado por não ter ganho a Copa de 50 e eu por ter ganho a Copa de 70. Duas grandes injustiças!”

Os três goleiros da Copa do México, em 1970: Ado (o primeiro reserva); Leão (o segundo reserva) e Félix (o titular)

O Brasil perdeu um ídolo.

Félix, campeão do mundo em 1970 no gol da Seleção Brasileira, morreu na capital paulista.

Ele, que chorava copiosamente por medo de ser esquecido, nunca sairá da lembrança de quem ama futebol.

Jairzinho, Tostão, Pelé e Rivellino, levam as glórias óbvias de quem joga no ataque.

Mas Félix era um craque debaixo das traves. Basta dizer que barrou Ado e Emerson Leão, assumindo a titularidade absoluta da meta verde e amarela.

Ah, e o “posudo” Leão deve agradecer ao saudoso camisa 1 sua convocação para o México.

À época, a Fifa só permitia 22 jogadores inscritos para o mundial. Félix e Ado, dois gênios dentro e fora de campo, tiveram uma ideia digna de prêmio Nobel: levar o terceiro goleiro.

As contusões de arqueiros eram comuns e o receio de ficar com apenas um jogador para a posição apavorava os convocados. Então, Félix e Ado expuseram sua “sacada” para Zagallo e a comissão técnica, que logo aderiram ao pedido.

O curioso desta história, é que Leão foi recebido pelos pais da ideia no aeroporto, mas negou-se a cumprimentá-los como deveria. No topo de seu orgulho, o arqueiro ainda disse que estava zangado por não ser titular.

Félix era humilde o suficiente para reconhecer seu valor.  E, após a vitória sobre a Itália, não correu para os inúmeros cliques e registros do momento: foi para o vestiário telefonar para a casa de sua vizinha (a pessoa mais próxima de casa que já tinha telefone), para agradecer à família e comemorar com seus amigos.

Félix é inesquecível. Foi e sempre será o nosso campeão.

Ouça abaixo o depoimento de Milton Neves sobre a morte de Félix

Morre o goleiro campeão do Mundo em 1970 by ednilsonvalia

Clique aqui e conheça mais da história de Félix na seção “Que Fim Levou?”

 

#Final1Facts, Carrapato Coral, Luto e Mais um Motivo para Acreditar

Leia o post original por Jade Amorim

#Final1Facts

1. Zé ensinando a/fingindo bater lateral foi hilário.

2. Os gols perdidos de Vágner, Bala e William no custaram a vitória, mas em 180 minutos, a bola entrará. Água mole, pedra dura…

3. Melhor ter empatado em 0×0 que ganho por 1×0. Isso nos obriga a buscar o resultado, o que significa jogar com dois meias ofensivos, Natan e…

4. O camisa 10 do time, LH10, Luciano, voltou a ter só o “H”.

5. Chicão, por incrível que pareça, melhorou o jogo. Mais uma vez, tentou das suas enfiadas à la Lampard. *_* [que Zé não me ouça…]

6. Era jogo pra Léo, alguém que chegasse batendo bem de fora da área. Isso, claro, se ele não fosse escalado com a 5.

7. Geílson foi fazer figuração no banco? Pôr Branquinho não foi uma boa mexida, apesar de que Zé parece ter finalmente encontrado a justa medida desse time [ou a mais próxima possível da que desejamos]

8. Tobi ter sido suspenso talvez tenha sido o segundo grande trunfo tricolor do jogo.

9. O primeiro foi não termos tomado gols.

10. Guardar o suspense pra Casa dos Festejos e tirar o cabaço de clássicos das multidões em plena Ilha, no dia do aniversário do afilhado-rival, não tem preço. #1x0EuAcredito

Possível entrada de Éverton Sena no time

Éverton, quando substituiu os zagueiros, teve uma atuação interessante no time. É mais leve, mais rápido na recuperação e no acompanhamento, o que ajuda nosso setor defensivo, mais pesado que o recomendável. Mas a zaga se portou razoavelmente bem no primeiro jogo da final. Não penso que seria prudente mudar. Eu sou contra. Inclusive, ele poderia entrar, sim, no caso de marcar Paraíba, mas assim, provavelmente, e como das outras vezes, Zé entraria no 3-5-2. O que seria péssimo. Duvido que o Carrapato Coral entrasse como um dos dois volantes num 4-4-2, já que Chicão e Memo têm suas vagas cativas e o dono da camisa 5 é Pedra. Mas ainda há porém: sabemos que Marcelinho é pra lá de esquentado. Quem sabe não o puséssemos louco da vida com a marcação “especial” de nosso prata?

Luto – LAURO CERQUEIRA

Morreu, nesta segunda-feira, o grande ex-jogador coral Lauro Cerqueira, um os responsáveis pelo primeiro título pernambucano do Mais Querido. A diretoria decretou luto oficial de três dias na última segunda-feira. O jogador atuava como amador, após trabalhar durante a semana em outras atividades extrafutebol, e foi como amador que o Clube do Povo ganhou seu primeiro título, na década de 30, numa disputa que já dava os primeiros passos para a profissionalização. Lauro entatizava sempre em entrevistas o caráter antiracista do Clube das Multidões, por ser negro e ter sido bem aceito no Santa numa época em que os grandes clubes rejeitavam atletas não-brancos. Lauro cravou o palpite para o jogo de domingo: 3X0. Agora, mais perto de Deus, Lauro poderá convencê-lo a fazer o melhor para a Nação Coral.

Retrospecto no século do Clássico das Multidões na Ilha do Retiro

28/03/01 – Ilha do Retiro – Sport 2 x 0 Santa Cruz
30/05/01 – Ilha do Retiro – Sport 0 x 1 Santa Cruz
21/10/01 – Ilha do Retiro – Sport 1 x 2 Santa Cruz
03/03/02 – Ilha do Retiro – Sport 1 x 2 Santa Cruz
05/06/02 – Ilha do Retiro – Sport 1 x 2 Santa Cruz
06/04/03 – Ilha do Retiro – Sport 2 x 1 Santa Cruz
08/07/03 – Ilha do Retiro – Sport 2 x 2 Santa Cruz
30/07/03 – Ilha do Retiro – Sport 2 x 2 Santa Cruz
16/08/03 – Ilha do Retiro – Sport 4 x 0 Santa Cruz
16/02/04 – Ilha do Retiro – Sport 0 x 1 Santa Cruz
08/08/04 – Ilha do Retiro – Sport 0 x 1 Santa Cruz
20/03/05 – Ilha do Retiro – Sport 0 x 1 Santa Cruz
29/01/06 – Ilha do Reitro – Sport 1 x 1 Santa Cruz
09/04/06 – Ilha do Retiro – Sport 0 x 1 Santa Cruz
11/02/07 – Ilha do Retiro – Sport 1 x 1 Santa Cruz
05/04/09 – Ilha do Retiro -Sport 2 x 1 Santa Cruz
28/03/10 – Ilha do Retiro – Sport 2 x 0 Santa Cruz
03/04/11 – Ilha do Retiro – Sport 0 x 2 Santa Cruz
08/05/11 – Ilha do Retiro – Sport 0 x 2 Santa Cruz
16/04/12 – Ilha do Retiro – Sport 2 x 1 Santa Cruz

Clássicos das multidões do século XXI realizados na Ilha do Retiro: 20

Vitórias do Santa Cruz: 10
Vitórias do Sport: 6
Empates: 4

Nesse Pernambucano, retrospecto mais próximo, a situação é a seguinte:

1º. Jogo: Santa Cruz 1 X 3 Sport
2º. Jogo: Sport 2 X 1 Santa Cruz
3º. Jogo: Santa Cruz 0 X 0 Sport

Seguindo numa progressão lógica, o próximo jogo terá matematicamente vitória coral. #+1MotivoParaAcreditar #1x0EuAcredito

SDS CORAIS!!

***

_____________

Siga o colunista da Nação Coral no twitter e receba novas postagens e informações de primeira:

Siga o blog da Nação Coral no twitter:

ENTRE PARA A CONTAGEM DE TORCEDORES CORAIS NA INTERNET.
CURTA O SANTA NO TORCIDÔMETRO, O MEDIDOR DE TORCIDAS NA REDE: