Arquivo da categoria: Madureira

Carnaval em paz

Leia o post original por JC

Diferente do samba do grande Roberto Ribeiro, a vitória do Vasco ontem esteve longe de encantar Madureira. Mas se levarmos em consideração a qualidade do gramado e o calor subsaariano que assolou o Rio de Janeiro, o 3 a 1 sobre o tricolor suburbano foi mais que suficiente.

Sorte dos outros grandes da cidade, que não tiveram que enfrentar o Madura em seus domínios. Talvez o simpático clube suburbano tivesse tido melhor sorte na tabela se isso acontecesse (e mesmo fora de casa eles conseguiram vencer o Fluzim). A grama alta, os buracos e a temperatura em Conselheiro Galvão acabam sendo um adversário extra para qualquer time que ali se apresente. Talvez por isso o Vasco tenha demorado tanto a entrar no jogo. Até os 30 minutos, a melhor chance acabou sendo dos donos da casa, que obrigaram a Martín Silva a fazer um milagre após uma bola alçada à área seguida de uma cabeçada perigosa.

Nos 15 minutos finais da primeira etapa, o passe e a movimentação vascaínas melhoraram e passamos a criar chances e levar perigo ao gol do Madureira. Diego Renan, Thalles e Fellipe Bastos finalizaram com perigo, mas o gol acabou saindo após chute cruzado de Rafael Vaz, que se arriscou no ataque e soltou uma sapatada de fora da área.

No intervalo, Adilson mexeu no time. Bastos, com amarelo, e Thalles, que pouco fez, deram lugar a Montoya e Reginaldo. O colombiano não chegou a ter uma atuação destacada, mas Reginaldo fez no seu primeiro lance um belo lançamento para Edmilson matar no peito dentro da área e marcar seu sexto gol na competição, voltando à artilharia. Com2 a0 no placar, a fatura parecia  resolvida, mas Aranda, cometendo um pênalti bobo, reacendeu a esperança tricolor na partida. E o Madureira quase conseguiu o empate, evitado em mais uma grande defesa do nosso goleiro. O jogo só voltou a ficar tranquilo após Diego Renan, invadindo a área, sofrer um pênalti. Douglas cobrou e seu primeiro gol pelo Gigante fechou o placar, aos 35 minutos.

A vitória sobre o Madureira pelo menos garantiu uma fonte de irritação a menos para a torcida, que já pode curtir o carnaval mais em paz. Abrindo uma distância do pelotão debaixo na tabela e nos aproximando das posições acima, o elenco vascaíno poderá recompor as energias nesse feriado prolongado e, quem sabe, entrar na reta final da fase de classificação mais preparado para assegurar a vaga numa posição melhor que a de hoje.

***

Bom carnaval para todos, com cuidado e responsabilidade. Excessos, só de alegria.

***

Quem quiser ler mais a respeito dos temas desse post podem visitar a fanpage do Blog da Fuzarca no Facebook e acessar os links das matérias que tratam desses assuntos. O link também está no meu twitter: @jc_CRVG.

Mais uma chance

Leia o post original por JC

O campo é pequeno e o calor será grande. O time tem desfalques e nosso adversário vem completo. Mas nada disso faz diferença: o Vasco hoje não pode vacilar diante do Madureira. A vitória é importantíssima para nos dar uma relativa tranquilidade na quarta colocação e, depois do empate entre Cabofriense e Fluzim, nos deixar bem perto das posições logo acima da tabela.

Com relação ao gramado e ao calor que promete fazer na tarde de hoje não há nada que possamos fazer. Já para superar o Madureira, cabe a nós impor o nosso ritmo e ditar os rumos da partida. Mesmo que falem que o tricolor suburbano ainda tem pretensões de classificação, uma rápida olhada na tabela deixa claro que as remotas chances do Madura em chegar na próxima fase não devem ser motivação bastante para justificar uma postura ofensiva contra o Vasco. Como o tricolor está tão perto da zona de rebaixamento quanto da quarta posição, não será contra um dos grandes do Rio que eles vão se arriscar. O mais lógico é esperar um Madureira cauteloso, aproveitando o conhecimento do campo e suas pequenas dimensões para primeiro atrapalhar o Vasco e depois tentar vencer a partida.

E isso é motivo bastante para preocupar os vascaínos. Contra a Cabofriense não tivemos competência para superar uma retranca braba, e estávamos jogando em casa e sem um maçarico ligado no quengo. Caso o Madureira venha mesmo fechadinho, o Vasco terá que mostrar mais alternativas de jogo do que na última rodada e também mostrar que o preparo físico está em dia.

 As suspensões e contusões continuam obrigando Adilson a fazer alterações no time, que mais uma vez não conseguirá repetir uma formação de um jogo para outro. Mas dentro das circunstâncias, até que as mexidas não foram de todo más: Luan está suspenso, mas Rodrigo volta e poderá ajudar Rafael Vaz a evitar as vaciladas que vem dando. Guiñazu, poupado, dará lugar ao Pedro Ken, que pode não ter a mesma força no combate, mas tem o passe melhor e pode ser mais útil nas subidas ao ataque. E na frente, com a contusão de Everton Costa, teremos Thalles como titular ao lado do Edmilson. Mesmo que ambos sejam considerados centroavantes, ambos podem se revezar na posição, ora um mais centralizado, ora o outro caindo pelos lados do campo.

O começo da rodada foi bom para nós e mais uma vez dependemos apenas das nossas forças para melhorar nossa situação no campeonato.  Vamos ver se não desperdiçamos mais essa chance por falta de competência.

MADUREIRA X VASCO
Rodrigo Café, Marquinhos, Aislan, André e Luiz Paulo; Victor Bolt, Gilson, Bruno Tiago e Carlinhos; Fernandinho e Romário.Martín Silva, André Rocha, Rodrigo, Rafael Vaz e Diego Renan; Aranda, Pedro Ken, Fellipe Bastos e Douglas; Thalles e Edmílson.
Técnico: Antonio Carlos Roy.Técnico: Adilson Batista.
Estádio: Conselheiro Galvão. Data: 27/02/2014. Horário: 16h. Árbitro: Marcelo de Lima Henrique.  Assistentes: Wagner de Almeida Santos e Jackson Lourenço Massarra dos Santos.
O Canal Premiere transmite para seus assinantes de todo o Brasil no sistema Pay-per-view.
O GLOBOESPORTE.COM acompanha o confronto em Tempo Real, com vídeos.

***

Quem quiser ler mais a respeito dos temas desse post podem visitar a fanpage do Blog da Fuzarca no Facebook e acessar os links das matérias que tratam desses assuntos. O link também está no meu twitter: @jc_CRVG.

Enfim, o Euzébio!

Leia o post original por RicaPerrone

Eu sei que Fluminense e Madureira não é um jogo que interessa.  Sei que perder pro Madureira na primeira rodada também não quer dizer nada e que fatalmente daqui 3 semanas os 4 grandes estarão lá em cima e os pequenos se matando lá atrás.

Você também sabe.  E por isso, não perderei meu tempo analisando essa estréia.

Mas lá estavam Conca, Gum, Euzébio, Sobis e uma dose bastante agradável do que reclamar.

Confesse, tricolor.  Você não suporta mais ter que discutir regras, leis e política ao lembrar do seu time, seja incentivado por você ou por uma gozação. Talvez até por alguma desinformação alheia.

Fato é que pela primeira vez em muitos meses você dorme puto, preocupado, irritado. Mas com o Euzébio, o Gum, o Wagner.

E talvez na segunda-feira, no bar, seja mais fácil explicar um gol perdido do que uma liminar na justiça comum.  Se não for mais fácil é, no mínimo, mais agradável.

Que role a bola, enfim! E voltem os holofotes pra onde realmente importa.

“Ah, esse Leandro Euzébio….!!!”

abs,
RicaPerrone

 

Bom treino, placar ruim.

Leia o post original por JC

O Vasco fez ontem mais um jogo-treino com reservas e a molecada e acabou perdendo para o Madureira por 2 a 1, em Conselheiro Galvão. Com Michel Alves como único titular, o time não conseguiu criar o bastante para virar o placar, construído no primeiro tempo. Apesar da derrota, Autuori ressaltou que o mais importante era colocar o time para jogar e o objetivo foi alcançado.

O treinador desejava que o Vasco disputasse jogos com equipes mais qualificadas, para colocar os titulares em campo. Mas como não conseguiu fechar datas com adversários melhores, Autuori preferiu usar a partida contra o Madura para ver mais um pouco dos jogadores que não têm tido chances e dar mais ritmo aos que deverão se tornar titulares no Brasileiro. Esse era o caso de Rafael Vaz, André e Montoya, os dois últimos, destaques no treino. O colombiano atuou com desenvoltura e criou a jogada que terminou no gol do André.

Montoya teve uma boa estreia (Foto: Marcelo Sadio/vasco.com.br)

Com a garotada que jogou, a intenção era outra. Autuori pretende iniciar a transição dos moleques da base para os profissionais e o jogo-treino serviu para trazer mais competitividade aos jovens jogadores. Com mais bagagem, os garotos poderão ter um desempenho melhor quando voltarem às suas categorias de origem e estarão mais prontos quando forem necessários no time principal. Nesse caso, o resultado de um jogo-treino como o de ontem realmente era o que menos importava.

Na quinta o Vasco tem um amistoso contra o América-MG, em Uberlândia e mais titulares devem ir a campo. Será o último jogo antes da volta do Brasileiro, quando o Gigante vai a Caxias do Sul encarar o Internacional.

***

Como era de se esperar, a procuradoria do TJD/RJ recorreu e Carlos Alberto será julgado novamente pelo caso de doping. Mesmo sem pagar uma nova suspensão preventiva e podendo atuar normalmente e ainda que ele seja mais uma vez inocentado, a novela pode estar longe de acabar e pode acabar ainda mais longe: na Suíça, na Corte Arbitral do Esporte, da Fifa. E o resultado lá ainda é uma incógnita.

E no meio de uma negociação para renovação de contrato, é bom que ambas as partes levem isso em conta. Nem Carlos Alberto pode fazer muitas exigências, nem o Vasco pode ser tão generoso com um jogador que pode pegar uma suspensão enorme.

***

Quem quiser ler mais a respeito dos temas desse post podem visitar a fanpage do Blog da Fuzarca no Facebook e acessar os links das matérias que tratam desses assuntos. O link também está no meu twitter: @jc_CRVG. Também está no ar uma coluna nova no site “Ao Vasco Tudo!, que publiquei ontem.

A espera de um milagre

Leia o post original por JC

Por tudo o que aconteceu ao longo do Campeonato Carioca, fica complicado ter o que falar da despedida vascaína na competição. Que adianta dizer que a derrota para o Madureira não refletiu exatamente o que aconteceu em campo? Que adianta falar que, mesmo jogando com dois laterais com mais liberdade e com um meio de campo mais leve, conseguimos passar boa parte do jogo sem correr riscos?

Nada. Primeiro porque mesmo que a tal “evolução” – citada pelo Wendel em um dos momentos mais infelizes possíveis – tenha realmente aparecido, ela não foi o bastante para vencermos. Segundo porque a torcida não tem mais a menor paciência para qualquer assunto sobre a equipe que não venha acompanhada de bons resultados. E terceiro porque todos, diretoria, Autuori, jogadores e torcida, só têm tido mais e mais motivos para se preocupar com o enorme trabalho que precisa ser feito para que o Vasco não tenha sérios problemas durante o Brasileiro.

O Madureira só precisou jogar como joga quase todo time pequeno contra uma equipe mais tradicional: fechadinha e esperando os contra-ataques. Isso bastou para parar o ataque vascaíno, que dominava as ações, mas não sabia o que fazer a partir da intermediária adversária. Com isso, se as jogadas iam pelo meio, o jeito era arriscar chutes pouco precisos de longa distância; se as jogadas vinham pela lateral, os cruzamentos igualmente pouco precisos eram rechaçados pela montueira de jogadores tricolores dentro da área.

Ainda assim o placar do jogo não foi justo. O Vasco dominou grande parte do jogo e o Madura pouco conseguiu fazer. Mas como o atual time tem o péssimo hábito de somar sua ineficiência no ataque a uma incrível capacidade de vacilar espetacularmente na defesa, não há justiça que agüente. Dessa vez Tenorio, que passou o jogo todo sendo atabalhoado na área adversária, foi para a nossa própria área e não deixou o atabalhoamento de lado: acertou uma voadora num jogador do Madureira e cometeu um pênalti completamente desnecessário.

Mais essa derrota nem faz tanta diferença diante da sofrível Taça Rio feita pelo Vasco. Mas cada fracasso diante de um time de menor expressão só faz manchar mais um pouco nossa história e, principalmente, aumenta a preocupação da torcida. Agora, o time ganha como prêmio 10 dias de férias e terá um pouco menos de um mês para se preparar para mais um Brasileiro que promete ser tenso. Se não chegarem reforços que realmente resolvam as deficiências da equipe, Paulo Autuori terá que fazer algo próximo de um milagre para que o time não passe a competição se preocupando em fazer 45 pontos.

***

Pelo menos a derrota para o tricolor suburbano foi ontem e em Conselheiro Galvão. Seria muito pior se fosse hoje e na Colina: São Januário não mereceria ser palco de mais um mico da equipe, ainda mais no dia em que completa 86 anos de fundação.

Que nosso Caldeirão volte logo a ser o lugar das conquistas a que todos estamos acostumados…

***

Quem quiser ler mais a respeito dos temas desse post podem visitar a fanpage do Blog da Fuzarca no Facebook e acessar os links das matérias que tratam desses assuntos. O link também está no meu twitter: @jc_CRVG.

Update: tem coluna nova no site Torcida Carioca, falando de mais um fim de Estadual com o Vasco pagando mico

Pra frente

Leia o post original por JC

Venda do Dedé, transferência do jogador bloqueada pela Receita Federal, doping do Carlos Alberto, Bernardo fora de combate por seis meses. Seria complicado para uma partida que não vale nada, em um campeonato em que já estamos eliminados, ter apelo maior que (mais) essas notícias-bomba sobre o Vasco. Por isso que o jogo contra o Madureira, pela última rodada da Taça Rio quase passou batida pelo noticiário do clube.

Mas Paulo Autuori sabe que não tem tempo para se preocupar com nada além da formação de uma equipe competitiva para o Brasileiro e ele tem razões de sobra para pensar no confronto de hoje. Será mais uma oportunidade para observar o elenco e o treinador deve fazer mais algumas mudanças no time titular. Mais uma vez Autuori não confirmou quem começa jogando, mas dessa vez ele não tem muitas alternativas, já que desfalques forçados e a saída do Dedé não podem ser contornados.

Com Luan na zaga e a possibilidade de termos Yotun e Elsinho nas laterais e Fillipe Soutto e Pedro Ken no meio de campo, o Vasco que vai a campo hoje deve ser bem leve, mais até que no começo do Carioca. Será um time mais inexperiente e com uma grande vocação ofensisa: serão dois laterais que apóiam muito, dois atacantes que se movimentam bem (Thiaginho mais que o Tenorio, mas esse também não fica preso à área) e se Fellipe Bastos também jogar, teremos uma meiuca sem volantes eminentemente de combate.

Não temos nada a perder, mas ainda assim é uma formação pra lá de ousada. Contra o Madureira, que não foi moleza contra nenhum dos grandes, tudo indica que teremos um jogo aberto e com muitas chances de gol. E tomara que seja assim mesmo: já que esse será nosso último jogo oficial por um bom tempo, que a torcida tenha a oportunidade de ver um time que jogue pra frente.

MADUREIRA X VASCO
Márcio; Elder Granja, Fernando, Daniel e Gabriel; Gilson, Ramon, Rodrigo e Caio; Jean e Derlei.Alessandro (Michel Alves); Elsinho, Luan, Renato Silva e Yotún; Fellipe Bastos, Fillipe Soutto, Pedro Ken e Dakson; Thiaguinho e Romário (Tenório)
Técnico: Alexandre Gama.Técnico:  Paulo Autuori.
Estádio: Conselheiro Galvão. Data: 20/04/2013. Horário: 15h30. Árbitro:Leandro Newley Ferreira Belota. Assistentes: Wendel de Paiva Gouvêa e Claudio Batista Ribeiro
O Canal Premiere exibe para todo o Brasil, pelo sistema pay-per-view.
O GLOBOESPORTE.COM acompanha o confronto em Tempo Real, com vídeos

***

Quem quiser ler mais a respeito dos temas desse post podem visitar a fanpage do Blog da Fuzarca no Facebook e acessar os links das matérias que tratam desses assuntos. O link também está no meu twitter: @jc_CRVG. E escrevi uma coluna nova no site Ao Vasco Tudo, falando sobre o bloqueio da negociação do Dedé pela Receita Federal.

Presença de titular

Leia o post original por JC

Esqueçam o primeiro tempo da vitória do Vasco sobre o Madureira por 3 a 0, até porque os 45 minutos iniciais da partida não tiveram nada de memorável. Era o confronto entre o desentrosado e o despreparado: nós, com um monte de reservas que não se encontravam em campo contra um grupo que parece não ter encontrado a profissão certa (já que alguns jogadores do Madureira poderiam ser tudo, menos profissionais de futebol). Poucas chances e pouca emoção, o que acabou combinando com o silêncio das arquibancadas, já que as organizadas não puderam entrar em São Januário com suas baterias.

No segundo tempo o time resolveu jogar alguma coisa e facilmente chegou à vitória, puxados pelo único que fez alguma coisa na etapa inicial. Já ficou chato repetir que o Juninho, apesar da idade, é o que mostra mais disposição em campo. Isso já é o padrão quando temos jogos mais importantes e adversários mais qualificados. Em uma partida contra o Madureira e em um time que não conseguia se acertar, o Reizinho se destacou ainda mais, só faltando cobrar faltas e correr para finalizar seu próprio cruzamento. Foram deles as melhores chances do Vasco antes de marcamos o primeiro, que obviamente só poderia ter sido feito pelo próprio camisa 8, de cabeça (após belo cruzamento do Max, vale citar). Pouco tempo depois, Fellipe Bastos marcou o segundo gol vascaíno após roubar bola na intermediária e chutar de fora da área, no canto do goleiro.

Com a vantagem vascaína, o jogo ficou mais movimentado. O Madureira tentava aproveitar os espaços no nosso desarranjado setor defensivo, mas Fernando Prass impediu qualquer chance de reação do tricolor nas poucas chances claras de gol que teve.  E o Vasco, atacando com um pouco mais de efetividade depois da entrada do Abelairas,  passou a criar mais jogadas ofensivas. Quem deu números finais à partida foi Allan, que voltando de contusão acabou marcando um gol em que mostrou habilidade e sorte.

O jogo não foi lá essas coisas, mas o importante foi manter a liderança do grupo mesmo com um time praticamente reserva. E quando falamos praticamente, não precisaríamos contar nem com o Prass ou com o Diego Souza. Bastaria a presença do Juninho para que a torcida se esqueça, pelo menos quando ele está com a bola, que um time misto está em campo.

***

Parabéns à equipe de Beach Soccer, que vencendo ontem o Sampaio Correia-MA por 5 x 2, sagrou-se campeão da Copa Brasil da modalidade. O Vasco, que já era o melhor do mundo na areia, agora confirma que também é o melhor do país.

Parabéns também à torcida vascaína em Manaus, que lotou a arena montada no Centro Cultural Povos da Amazônia e fez a festa como deveria ser feita.

***

Pela quantidade de reclamações feitas sobre o programa “O Vasco é Meu“  pelos associados que acompanham o blog (entre elas, o absurdo do sócio que quer pagar a mensalidade e não consegue porque não recebe o boleto e ninguém do programa lhe dá um retorno), o mínimo que poderia ser feito era uma reformulação completa da forma como é conduzido o projeto. Com essa história do Vasco ter que repassar 40% do valor arrecadado para empresa que gerencia o programa, a situação fica tão sem sentido que o cancelamento da parceria com essa tal de Jeff Sports parece ser o único caminho aceitável.

Quando o próprio VP jurídico do clube classifica o programa como “mal produzido e mal conduzido“, nem é necessário que a oposição do clube faça suas habituais críticas.

***

Mais tarde sai a coluna no site Os 4 Grandes.

Update: já está no ar a coluna. Além das atuações no jogo contra o Madura, respondo uma questão há muito perguntada aqui no blog: qual seria o meu time ideal do Vasco hoje?

Reservas contra o leão do dia

Leia o post original por JC

O post sobre a vitória do Vasco contra o Alianza Lima teve quase tantos comentários quanto nas derrota que o time sofre (é fato corrente e histórico aqui no blog: os leitores sempre participam mais quando a equipe perde). Todos esperavam uma goleada para cima dos peruanos e como ganhamos apenas pela diferença mínima – sofrendo dois gols do fraco Alianza e perdendo um caminhão deles – a torcida acabou deixando a frustação tomar conta. Ter ganho os três pontos e entrado na faixa de classificação do grupo na Libertadores não diminuiu a decepção de boa parte dos vascaínos.

Mas quem joga no Vasco tem que se acostumar com a exigência da torcida. “Matar um leão por dia” é a norma na Colina, e não é porque todos estão com a cabeça voltada para a conquista do continente que um tropeço diante do Madureira, hoje em São Januário, será relevado. Seja o time titular, misto ou reservas, os vascaínos quer é uma vitória sobre o tricolor do subúrbio.

O Madureira não vem fazendo uma campanha muito boa, mesmo comparada com a de os outros times de menor investimento. No primeiro turno, marcou apenas cinco pontos, tendo vencido somente uma vez. Para escapar do risco de rebaixamento, o Madura precisa de um gás na Taça Rio, que pode ter começado com a vitória sobre o Americano na última rodada. Manter o embalo na competição será o objetivo da equipe do Gabriel Vieira.

E caberá aos reservas e alguns poucos titulares do Vasco frear o ímpeto tricolor por pelo menos uma rodada. Cristóvão, a exemplo do jogo contra o Olaria, escalará um time recheado de suplentes, garotos e Fernando Prass. Alguns jogadores como Douglas, Dieyson, Chaparro e Jonathan terão mais uma chance para provar que podem ter mais chances pelo menos entre os suplentes imediatos do time titular. Outros, como Eduardo Costa e Fellipe Bastos, com sua esacalações parecem se firmar como reservas do elenco principal. Mas a escalação do Cristóvão nos traz algumas preocupaçõa para além do Estadual: se a intenção é preservar os titulares para o jogo contra o Libertad, a presença de Juninho em campo hoje indica que ele estará, no máximo, no banco quarta que vem. E, não só isso: seguindo essa lógica, a escalação do Renato Silva contra o Madureira significa que o Rodolfo continuará no time. O mesmo vale para Diego Souza, mas pelo que vem jogando, pegar um banquinho lá no Paraguai pode não ser a pior coisa do mundo para o Vasco e até mesmo para o jogador.

Jogamos para manter a liderança do grupo e uma vitória contra o Madureira pode nos deixar numa posição mais comoda no grupo, já que o Flu tem um clássico nessa rodada. Por isso o que o time deve fazer hoje é lembrar que a partida é pelo Estadual e deixar a preocupação com a Libertadoes para depois. O Madureira, “leão” dessa tarde, é caseiro, mas se o Vasco vacilar a torcida certamente não vai querer saber se quem entrou em campo eram reservas, juniores ou titulares. A cobrança sobre o grupo será ainda maior.

VASCO X MADUREIRA
Fernando Prass, Max, Douglas, Renato Silva e Dieyson; Eduardo Costa, Fellipe Bastos, Juninho e Chaparro; Jonathan e Diego Souza.Cléber; Wellington Junior, Zé Carlos, Thiago Medeiros e Paulo Vitor; Gilson, Heitor, Rodrigo e Leandro Cruz; Maciel e Dinei.
Técnico: Cristóvão BorgesTécnico: Gabriel Vieira.
Estádio: São Januário. Data: 11/03/2012. Horário: 16 h. Árbitro: Patrhice Maia. Assistentes: Lilian da Silva Fernandes Bruno e Andréa Izaura Maffra Marcelino de Sá.
As Redes Globo (RJ, ES, DF, AL, RN, PB, SE, MA, PI, PA, AM, RO, RR, AP, AC, TO, Grande Florianópolis-SC) e a Bandeirantes (RJ, ES, DF, PE, BA, CE, AL, RN, PB, SE, MA, PI, PA, AM, RO, RR, AP, AC) transmitem a partida ao vivo.
O GLOBOESPORTE.COM acompanha o confronto em Tempo Real, com vídeos