Arquivo da categoria: Mangueira

Não se trata de dinheiro público

Leia o post original por Rica Perrone

Como quase sempre as discussões sobre um tema tem lados como clubes de futebol. E então se deturpa a verdade em troca de uma gritaria idiota. O que está havendo entre escolas x Crivella não é fruto de uma discussão sobre ter ou não dinheiro público no carnaval.

Embora eu considere um dos investimentos mais rentáveis do mundo, pois o RJ ganha milhões com o carnaval exatamente pelo glamour das escolas, a questão não é essa.

O Crivella foi nas escolas antes das eleições, bancou que manteria a verba e pediu apoio.  Teve o apoio, foi eleito também por ele, e assim que eleito traiu o que prometeu em campanha pra usar as escolas como trampolim eleitoral.

Esse é o ponto. A traição. Não o dinheiro publico ser ou não justo pras escolas.

A Liga pode perfeitamente cobrar 1 a mais da Globo e levantar 1 a mais com ingressos. Não é difícil. O ponto é ter sido usado. E quando se usa uma escola de samba, se usa a mais pura gente da cidade. É o cara que por amor trabalha de graça o ano todo pra ver a comunidade dele representada na avenida.

Aí ele vota porque o prefeito prometeu ajudar aquela escola, que é o amor da vida dele. E então eleito o prefeito muda de idéia e foda-se.

A Mangueira disse o que todos do samba queriam dizer. Na real ela só levantou a bola, quem cortou foi a Sapucai em coro que mandou o prefeito pra um lugar que a religião dele não permite.

Essa é a verdade. Esse é o problema. O resto é textão de facebook.

abs,
RicaPerrone

Os mitos, as lendas e os clichês

Leia o post original por Rica Perrone

Há uma tendência em rejeitar e contestar os maiores mitos do país. Talvez o ser humano não saiba lidar com o inatingível, talvez seja mero “clubismo” de competir contra ele. Mas eu sou daqueles caras que adoro a Mangueira, o Corinthians, o Flamengo, o Rio de Janeiro…

E então voce me perguntará: “Voce acha que o Flamengo merece ser o maior time do Brasi? O Time X tem mais titulos…”.

Foda-se.

As lendas, os mitos e os clichês cercam nossa vida. Quando não fazem mal, que mal tem?

“O Zico não é tudo isso”.  Qual problema dele ser?  E se eventualmente ele não for? Qual necessidade de ser desmistificar uma lenda que não faz mal e só promove o tema?

A Mangueira carrega sobre seu ombro o rótulo de “maior escola de samba do planeta”, que ela mesma se deu. Mas ela é. Então, foda-se.

“Ah mas eu prefiro a Mocidade”. Tá, eu também. Mas jamais a minha escola causará no brasileiro a mesma coisa que causa o locutor quando ele diz: “vem aí Estação Primeira de Mangueira”.

Qual o problema com a democracia corintiana?  “Ah não foi bem asssim”.  A quem interessa a verdade que não acrescenta e diminui a historia contada?

Deixa ser.

A cultura brasileira passa por Mangueira, Flamengo, Corinthians, Rio de Janeiro.,.  Goste você ou não. Te agride? Não. Te diminui? Não.

Eu adoro ter uma escola como a Mangueira pra disputar com a minha. E sim, ela é maior que a minha. Como Flamengo e Corinthians são maiores que o meu time, tal qual o Rio de Janeiro será sempre mais “a cara do Brasil” do que minha cidade.

E veja que mesmo não sendo nem Flamengo, nem Corinthians, nem Mangueira e nem carioca, não consigo encontrar qualquer problema em conviver com estes clichês e lendas que fazem deles nossas referências.

Quando a Mangueira pisa na avenida, é diferente.

Quando o Flamengo enche o estádio, é diferente.

Quando se é campeão pelo Corinthians, é diferente.

Visitar o Rio de Janeiro, é diferente.

Talvez não seja melhor. Talvez não seja pior. Mas se pra você é tão “foda” ir na Torre de Pizza, ver o Barcelona jogar, ir a Paris, porque diabos você tenta se esquivar dos seus pilares lendários?

A Mangueira fez marchinha. Entrou na Sapucai cantando cabeleira do Zezé em pleno 2018 onde os chorões ganharam mais voz que os seres humanos normais. Meteu o prefeito de Judas e mandou recado sem se preocupar se podia.

Sabe porque ela fez isso? Porque é Mangueira.

Outra não faria. E se fizesse, apanharia.  É direito conquistado.  Exceção cultural histórica.

Foda-se o que você acha. Sua raiva só confirma a lenda.   E eu adoro competir com a Mangueira, porque ganhar dela me faz ainda mais especial. E perder, normal.

abs,
RicaPerrone

Os sambas enredos para 2015

Leia o post original por RicaPerrone

O cd está sendo gravado. Mas os sambas para 2015 já estão todos escolhidos e devidamente anunciados em suas respectivas comunidades.  Eu não sou especialista, apenas um fã. E como tal, gostei da Beija-Flor, da Viradouro e da Imperatriz.

Acho os sambas da Mangueira e da Portela muito bons também. E o samba que mais gostei de toda a safra de sambas enredo para 2015 não entrou, que era o de Lequinho na Mangueira. Mas ainda assim a escola está muito bem representada.

Minha Mocidade teve uma safra fraca, o que aliás, é comum em sinopses do ótimo Paulo Barros. O que ele ajuda no desfile, não ajuda no samba enredo. Venceu o Ricardo Mendonça.

Como todos hoje em dia apresentam boa qualidade de gravação já como concorrente, então curta ai os 12 sambas que farão o maior espetáculo da terra em fevereiro de 2015.

Grande Rio

Enredo:  “A Grande Rio é do baralho!”
Compositores: Rafael Santos, Lucas Donato, Gabriel Sorriso, Leandro Canavarro e Rodrigo Moreira

Salgueiro

Enredo:  “Do Fundo do Quintal, Sabores e Saberes na Sapucaí”
Compositores: Xande de Pilares, Jassa, Betinho de Pilares, Miudinho, Luiz Pião e W. Corrêa

Beija-Flor

Enredo:  “Um Griô Conta a História: Um Olhar Sobre a África e o Despontar da Guiné Equatorial. Caminhemos Sobre a Trilha de Nossa Felicidade”
Compositores: J.Velloso, Samir Trindade, Jr Beija flor, Marquinhos Beija flor, Gilberto Oliveira, Elson Ramires, Dílson Marimba e Silvio Romai

Mangueira

Enredo:  “Agora Chegou a Vez, Vou Cantar: Mulher de Mangueira, Mulher Brasileira em Primeiro Lugar!”
Compositores: Renan Brandão, Cadu, Alemão do Cavaco, Paulinho Bandolim, Deivid Domênico e Almyr

Imperatriz

Enredo:  “Axé-Nkenda! Um Ritual de Liberdade – “E que a Voz da Igualdade Seja Sempre a Nossa Voz”
Compositores: Marquinho Lessa, Zé Katimba, Adriano Ganso, Jorge do Finge e Aldir Senna

Mocidade

Enredo:  “Se o Mundo Fosse Acabar, Me Diz o Que Você Faria Se Só Lhe Restasse um Dia?”
Compositores: Ricardo Mendonça, Tio Bira, Anderson Viana e Lúcio Naval

Portela

Enredo:  “ImaginaRio, 450 Janeiros de uma Cidade Surreal”
Compositores: Noca da Portela, Celso Lopes, Charlles André, Vinicius Ferreira e Xandy Azevedo

São Clemente

Enredo:  “A Incrível História do Homem Que Só Tinha Medo da Matinta Perera, da Tocandira e da Onça Pé de Boi”
Compositores: Leozinho Nunes, W Machado, Hugo Bruno, Diego Estrela, Ronni Costa e Victor Alves

União da ilha

Enredo:  “Beleza pura!”
Compositores: Djalma Falcão, Carlos Caetano, Gugu das Candongas, Beto Mascarenhas, Roger Linhares e Marco Moreno

Carnaval 2014

Leia o post original por RicaPerrone

Chegou a hora de conhecermos os 12 sambas do grupo especial para o carnaval 2014. Todos escolhidos, agora é gravar o CD (esta semana) e preparar o desfile.

Sem mais firulas, vamos aos sambas escolhidos. Lembrando que esta é uma versão dos compositores, não necessariamente na voz do interprete oficial da escola, talvez nem no ritmo exato ainda. Mas dá pra sentir 90% do que será cada samba.

Destaque para a Mocidade, Portela, Salgueiro e Império da Tijuca. Pra mim, os melhores. Mas a safra é ótima!

bandeiras Grande Rio

Enredo: Verdes Olhos Sobre o Mar, no Caminho: Maricá

bandeiras Salgueiro

Enredo: Gaia – A Vida em Nossas Mãos

bandeiras Beija-Flor

Enredo: O Astro Iluminado da Comunicação Brasileira (Boni)

bandeiras  Mangueira

Enredo: A Festança Brasileira Cai no Samba da Mangueira

bandeiras Imperatriz

Enredo: Arthur X – O Reino do Galinho de Ouro na Corte da Imperatriz

imperiotijuca_peq Império da Tijuca

Enredo: Batuk

bandeiras Mocidade Independente

Enredo:  Pernambucópolis

bandeiras Portela

Enredo: Um Rio de Mar a Mar: do Valongo à Glória de São Sebastião

sao_clemente_peq São Clemente

Enredo: Favela

ILHA União da Ilha

Enredo: É Brinquedo, é Brincadeira; a Ilha Vai Levantar Poeira

bandeiras Unidos da Tijuca

Enredo: Acelera, Tijuca!

bandeiras Vila Isabel

Enredo: Retratos de um País Plural

Gostou?!

Abs,
RicaPerrone