Arquivo da categoria: Marcelo Cirino

Moralismo afasta jogadores do Flamengo

Leia o post original por Quartarollo

Cinco jogadores fizeram uma festinha depois do treino do Flamengo.

O técnico Oswaldo de Oliveira se sentiu traído porque tinha pedido atenção a todos por causa do mau momento do time no Campeonato Brasileiro.

Tem muito treinador se achando a última camisinha do pacote para tomar conta de pênis de jogador.

Se ele vai para a balada, se bebe sua cerveja, ou se fica em casa, se sair com alguma mulher, o problema é do profissional.

Sei que o futebol necessita muito do físico para ser bem jogado, mas o jogador tem direito de usar a sua folga como quiser.

Se ele exagerar e não correr em campo, sai do time. Se chegar atrasado ao treino, é punido. Só isso.

Parece que cometeram um crime e na verdade não foi nem indisciplina.

Pelo que eu sei, nenhum dos cinco jogadores do Flamengo fez uma festa na concentração, no dia do jogo e muito menos na hora do jogo.

Está claro que a diretoria flamenguista apoiada por Oliveira jogou para a torcida. Tentou mostrar uma força discutível, que na verdade não tem. Não sobre um atleta em dia de folga.

Além disso, cada corpo reage de uma maneira aos excessos fora do campo. Há jogadores que aguentam mais o tranco, outros nem tanto.

Problema de cada um. Ao técnico só cabe escala-los se estiverem bem ou retira-los do time se estiverem mal por qualquer motivo, inclusive por noitadas sem fim.

Expo-los publicamente e puni-los com afastamento vai até contra as leis.

O pior é Oswaldo de Oliveira vir a público hoje e dizer que eles podem ser reintegrados porque todo o ser humano tem direito de falhar.

Talvez falhar como o próprio Oswaldo falhou domingo contra o Corinthians quando substituiu dois jogadores faltando cinco minutos para acabar a partida, no Itaquerão.

Ele morde e assopra na mesma frase. A diretoria aproveitou o momento para tentar ficar de bem com a torcida e afastou jogadores que poderiam ajudar o time a sair dessa crise.

Faltavam alguns dias ainda para o próximo jogo que será domingo, em Porto Alegra, diante do Grêmio, quando a festinha ocorreu.

Alan Patrick, Everton, Marcelo Cirino, Pará e Paulinho são bons jogadores e farão falta para o rubro-negro. A concorrência agradece muito o ato da diretoria rubro-negra.

Sinceramente houve um exagero nessa pena. Moralismo barato para não dizer hipocrisia total

Jogadores e cartolas erram no Flamengo

Leia o post original por Antero Greco

Essa história da punição do quinteto irreverente do Flamengo está dando o que falar. A maioria ficou a favor da diretoria, por multar os farristas, afastá-los dos demais e abrirem tudo o jogo.  O público viu atitude firme da cartolagem, em um momento delicado para o time no Brasileiro. Considera também que servirá de aviso e exemplo para os demais integrantes do elenco.

Pois esse episódio demonstra o conservadorismo e a hipocrisia que existem no futebol. E, no caso dos atletas, de falta de juízo e cuidado. Para começo de conversa, Alan Patrick, Pará, Everton,  Paulinho e Marcelo Cirino não estavam em horário de trabalho. Portanto, até prova em contrário, não feriram o regulamento do clube. Na folga, cada um faz o que quer da própria vida.

Essa brecha pode ser usada pelos jogadores em eventual ação contra o Flamengo. A não ser que o departamento jurídico prove que, ao aparecerem em fotos de uma balada, estariam a manchar a imagem da instituição. Ainda assim, há margem para discussão em tribunais do trabalho. Quer dizer, tema para os especialistas e não apenas para os executivos do futebol.

Fora isso, é questionável a eficácia da execração da turma do barulho. Fica a sensação de que foram escolhidos como bodes expiatórios da fase ruim da equipe. Parece que, por causa deles, ocorreu a queda de desempenho. Ao coloca-los à parte, tudo vai mudar. Será? A primeira demonstração virá neste sábado, no clássico com o Grêmio, ao abrir a rodada de final de semana.

Imagino fosse mais sensato chamar os rapazes, adverti-los e mostrar-llhes que a porta da rua estava aberta. Até o afastamento poderia ser gradual, para evitar impacto forte demais no restante do grupo.  O desgaste administrativo seria menor.

Isso tudo à parte, é preciso registrar que eles foram sonsos. Errar todo mundo erra, não há quem não faça bobagens, sobretudo na juventude. Mas, por serem figuras públicas, deveriam tomar cuidado, porque hoje em dia o que não faltam são olhos indiscretos, na forma de smartphones, e redes sociais ávidas por escândalos. Sejam discretos, moços!

Mengão buscou um grande reforço!

Leia o post original por Neto

Luxa tem escalado Marcelo mais centralizado e tem surtido efeito

Luxa tem escalado Marcelo mais centralizado e tem surtido efeito

Sempre que analisava os jogos do Atlético/PR via no jogador Marcelo Cirino um atacante de bom nível técnico. Um cara que se destacava sob o restante do time do Furacão. Foram muitas temporadas em Curitiba desde o início das categorias de base. Não entendia porque nenhuma das grandes potências do futebol brasileiro tinha capacidade (ou dinheiro!) para tirá-lo de lá. Mas depois de ser muito assediado por alguns clubes paulistas ele acabou assinando com o Flamengo.

E não é que o Marcelo já iniciou 2015 arrebentando no Mengão? Foram quatro gols nas oito partidas jogadas até aqui. Sendo que os quatro nos últimos quatro jogos. Contra o Boa Vista, nesta quinta-feira, o Flamengo venceu por 2 a 0 e assumiu a liderança do Estadual. E muito em função do desempenho de seu camisa 7, que marcou um gol e deu a assistência para o segundo.

Talvez o segredo desse sucesso esteja na forma como o técnico Luxemburgo o esteja aproveitando. Acostumado a jogar pelas pontas no Furacão, agora Marcelo faz uma função mais centralizada. Como se fosse um centroavante. Vale lembrar também que Marcelo ainda é jovem, tem apenas 23 anos, e tem contrato de três temporadas com o rubro-negro. Ou seja, muita coisa boa pode acontecer pela frente. Cartada certeira da diretoria.

Sr. Olhão avalia os reforços do Flamengo

Leia o post original por Rica Perrone

Essa coluna encerra minha série de analises sobre reforços dos 4 grandes do Rio, se o chefe Rica Perrone permitir, falarei futuramente dos outros 12. Na minha opinião quando você contrata pouco e pontualmente como fez o Flamengo significa que seu elenco já é qualificado, a base terá oportunidade e mais importante com o tiro […]

Furacão à beira de um desmanche catastrófico

Leia o post original por Neto

Apesar do aproveitamento de campeão, Vágner Mancini não teve contrato renovado

Apesar do aproveitamento de campeão, Vágner Mancini não teve contrato renovado

Apesar de ter sido vice-campeão estadual, vice também da Copa do Brasil e terceiro colocado do Campeonato Brasileiro, continuo com a mesma opinião de algumas semanas. Acho que o Atlético Paranaense é a equipe mais regular do País. Conseguiu formar um elenco de jogadores desconhecidos mas de muita qualidade. Caras de boa técnica que encaixaram perfeitamente em um esquema tático bem definido. Só penso que a partir de agora a diretoria tem que correr atrás para evitar um rápido desmanche.

A tendência é que boa parte do time deixe o Furacão. Afinal os direitos federativos deles ficaram muito inflacionados. O primeiro a zarpar da capital paranaense foi o meia Everton, que já foi aprovado nos exames e é o novo reforço do Flamengo para 2014. Os atacantes Éderson, artilheiro do Brasileirão com 21 gols, e Marcelo Cirino, eleito pela CBF a revelação do Nacional também podem seguir um novo rumo em suas carreiras. O Corinthians, por exemplo, se interessou por Marcelo, mas a direção do Atlético fixou os valores em 12 milhões de euros. Aí o acordo emperrou!

O zagueiro Manoel foi durante muito tempo pretendido pelo Palmeiras. O ala direito Léo também foi assediado pelo Flamengo. Já o técnico Vágner Mancini, responsável por um incrível aproveitamento de 62,3% dos pontos disputados, foi comunicado que não teria seu contrato renovado. Brincadeira, né? Fico pensando se a cartolagem do Furacão está consciente dos seus atos. Porque se perder mais três ou quatro peças importantes vai brigar na próxima temporada para não ser rebaixado. Depois não digam que não avisei.