Arquivo da categoria: Marta

Futebol feminino deve ser valorizado na sequência

Leia o post original por Craque Neto 10

Este domingão (23) ficou marcado pela eliminação da Seleção Brasileira para a França na Copa do Mundo de futebol feminino. E foi um jogão, viu?! O time do Vadão ficou no empate por 1 a 1 com os anfitriões no tempo normal e acabou caindo após um gol chorado na prorrogação, marcado pela Henry. Curioso, hein? De lembrar que no Mundial de 2006, só que masculino, o Brasil também caiu para os franceses com o gol de outro Henry. Que coisa, hein?! A verdade é que nossa Seleção caiu de pé. Ou seja, diante de todas as dificuldades fez um […]

Marta é a maior! Mas falta algo, né?

Leia o post original por Craque Neto 10

Com o gol marcado nesta terça-feira (18) diante da Itália a meia-atacante Marta chegou a incrível marca de 17 gols, superou o alemão Miroslav Klose e se isolou na artilharia máxima em Copas do Mundo da Fifa incluindo o futebol masculino e feminino. Ela também bateu o recorde de ser a única a fazer gols em cinco mundiais diferentes. Foram 3 em 2003, outros 7 em 2007, além de 4 em 2011, 1 em 2015 e 2 na atual edição até aqui. Tudo isso em 19 jogos o que dá uma média de quase um gol por partida. Vale lembrar […]

Dá pra acreditar SIM nas meninas do Brasil! Por que não?

Leia o post original por Craque Neto 10

Acabou a primeira fase da Copa do Mundo para as meninas da Seleção Brasileira. A vitória por 1 a 0 classifica o nosso time para como um dos terceiros melhores colocados. Terceiro mas a campanha foi ótima. Foram duas vitórias e apenas uma derrota com três gols de saldo. O que azedou foi que o equilíbrio na chave foi muito grande. Afinal Itália e Austrália também finalizaram com a mesma campanha mas com melhor saldo de gols. Mas a verdade é que gostei da postura da nossa Seleção nesse duelo contra a líder Itália. Poxa vida! Apesar dos vários desfalques, […]

Matemática não lacra

Leia o post original por Rica Perrone

Muitas  reclamam da diferença de salários no futebol entre homens e mulheres. Eu odeio ter que ser o “não lacrador” que diz isso, mas estão levantando uma bandeira absolutamente sem sentido. Não é uma ONG. É um negócio. O futebol masculino gera 700 bilhões, distribui 700 bilhões. O feminino gera 50 milhões, distribui 50 milhões….

Matemática não lacra

Leia o post original por Rica Perrone

Muitas  reclamam da diferença de salários no futebol entre homens e mulheres. Eu odeio ter que ser o “não lacrador” que diz isso, mas estão levantando uma bandeira absolutamente sem sentido. Não é uma ONG. É um negócio. O futebol masculino gera 700 bilhões, distribui 700 bilhões. O feminino gera 50 milhões, distribui 50 milhões….

Vadão: Você foi irresponsável com as meninas!

Leia o post original por Craque Neto 10

O apresentador do programa ‘Os Donos da Bola’ da Band mandou um recado para o técnico Oswaldo Alvarez, o Vadão, comandante da Seleção Feminina. Segundo Neto ele foi irresponsável ao substituir Marta e Formiga durante o jogo contra a Austrália pela Copa do Mundo de futebol feminino.

O post Vadão: Você foi irresponsável com as meninas! apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Temos que VALORIZAR nossas meninas!

Leia o post original por Craque Neto 10

Ao lado do meu amigo Luciano do Valle participei da transmissão da Band da partida entre Brasil x Austrália. Foi o segundo jogo das nossas meninas que na estreia já haviam vencido a Seleção da Jamaica por 3 a 0. Era um desafio mais difícil já que na terra do Canguru o esporte é bem difundido entre as meninas. E a turma da Marta e da Cristiane até que começaram arrasadoras. Abriram 2 a 0 e tinham tudo para conseguir uma vitória até certo ponto tranquila. Mas o gol nos acréscimo da primeira etapa foi um balde de água fria. […]

O post Temos que VALORIZAR nossas meninas! apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Derrotas tristes nas Olimpíadas

Leia o post original por Fernando Sampaio

RIO DE JANEIRO 14-8-2016 Brasil perde para a China pelas semifinais do volei feminino de quadra. CELIO MESSIAS

Marta.

Vôlei Feminino.

Handebol.

Duplas do Tênis.

Fiquei triste com várias derrotas brasileiras.

Infelizmente, como disse o Zé Roberto, “só um ganha”.

As chinesas foram campeãs no vôlei, pelo menos perdemos para as melhores.

Zé Roberto é um cara sensacional, único brasileiro com três medalhas de ouro.

Merecia mais, assim como Marta e vários outros atletas brasileiros.

Torci muito por esta galera, bem mais que o time arrogante do futebol.

Faz parte, a vida segue, espero que o Vôlei Masculino leve o ouro.

Marta seria a vilã. Foi salva por bárbaras mãos

Leia o post original por Antero Greco

Não entro nos detalhes do jogo entre Brasil e Austrália, no futebol feminino. Creio que muitos dos que leem este blog acompanharam pela televisão. Foi pesado, complicado, difícil, para os dois lados. O empate por 0 a 0 no tempo normal e na prorrogação desgastou as moças. A turma da casa se deu melhor, na cobrança dos pênaltis, e venceu por 7 a 6; está nas semifinais.

O foco principal é em Marta, se bem tem uma coadjuvante decisiva na história. Jogadora, especial, diferente, magnífica, a melhor que já surgiu nesta terra. Símbolo de regularidade e eficiência. Pois, por essas ironias da vida, por pouco, por um triz, ela não vira a vilã de uma desclassificação chorada.

A melhor do mundo em tantas ocasiões ficou para cobrar a última das penalidades, para fechar a série, coroar a sequência perfeita das colegas. Para encerrar uma batalha em que, de novo, foi uma das protagonistas.

Correu, bateu e… E errou.

Marta chutou nas mãos da goleira australiana. Para espanto dela, do restante da equipe, dos milhares de torcedores no Mineirão, dos milhões de brasileiros que torciam por ela. Até dos milhões de australianos que secavam à distância. A nossa “Pelé” falhou.

A rainha desabou a chorar, pressentiu que cairia sobre os ombros dela a responsabilidade por uma frustração tremenda. Injustiça, como tantas que ocorrem na vida, principalmente por ter sido uma das melhores em campo. Como sempre.

Um castigo que me fez lembrar do italiano Roberto Baggio. Ele carregou a Azzurra no Mundial de 1994, nos EUA, tinha tudo para tornar-se o herói da decisão com o Brasil. E chutou para fora, nos deu o tetra. Ficou com o estigma de perdedor, do pé-frio.

Isso poderia ter atingido Marta nesta sexta-feira, 12 de agosto, na verdade já madrugada do dia 13, dia azarento, lazarento.

Mas a luz brilhou, na pontaria das demais brasileirinhas que se apresentaram para a decisão. E nas mãos santas de Bárbara, que pegou o quinto pênalti da Austrália, provocou a sequência alternada e defendeu também o oitavo chute.

A coadjuvante virou heroína da noite e, por tabela, impediu que a espetacular Marta topasse com a maior tristeza da carreira.

Ufa, que bom! Um viva para as duas. E para as demais também, ora, ora!

Cem gols de Marta

Leia o post original por Antero Greco

Um pênalti logo no início da partida contra as mexicanas. Outro pênalti aos 10 minutos do jogo realizado na Arena em Natal. Pronto, Marta completou cem gols pela seleção brasileira de futebol.

Seleção que é a modalidade mais massacrada do esporte nacional. Equipe que já brilhou em Olimpíadas e Mundiais, mas que pagou o preço de viver sob o jugo da CBF. Dos tempos da inigualável Sissi até a fantástica Marta – eleita cinco vezes a melhor do planeta bola –, o futebol feminino foi sugado pela indiferença de quem deveria olhar por ele.

Já houve de tudo com as meninas boas de bola, de assédio sexual a desprezo em competições internacionais, quando foi negado às jogadoras levarem para casa o uniforme que vestiam em campo nos Jogos Olímpicos. Uniformes que foram trocados em rodas de cerveja por quem deveria preservá-los.

A própria goleira Maravilha, símbolo de luta e denúncias na seleção, pôs a boca no mundo e disse que o dinheiro que a Fifa dava à CBF para desenvolvimento do futebol feminino no País “nunca chegou à preparação da equipe”.

Mas as jogadoras enfrentam tudo. Marta faz cem gols com a camisa amarela, brigou com a mexicana Esmeralda, teve o pescoço arranhado, levou cartão amarelo e foi substituída pelo técnico Oswaldo Alvarez. Aliás, Vadão é um técnico de verdade e digno.

Essa turma luta contra tudo e todos. E o placar contra as mexicanas foi 6 a 0. Quarta-feira tem mais contra o Canadá.

Tudo como preparação para os Jogos Olímpicos do Rio – quem sabe até lá a CBF já tenha passado por dedetização.

(Com reportagem de Roberto Salim.)