Arquivo da categoria: Melhor do Mundo

Disputa eterna e prêmio merecido

Leia o post original por Craque Neto 10

Extraterreste. Essa é a forma que podemos definir o argentino Lionel Messi, que nesta segunda-feira conquistou seu sexto prêmio de melhor jogador do mundo da Fifa. Deixou para trás o eterno rival e igualmente craque Cristiano Ronaldo. Pra falar a verdade quem acompanha, sabe. O hermano é mais habilidoso e genial com a bola no pé. Tem aquele toque rápido e muita inteligência nas tabelas com os companheiros de Barcelona. Já o CR7 é uma verdadeira máquina. Um cara forte fisicamente que tem uma baita velocidade e um incrível poder de conclusão. Aliás, a estrela que esse cara tem para […]

O post Disputa eterna e prêmio merecido apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Injustiça merecida?

Leia o post original por Craque Neto

Depois de 10 temporadas o prêmio de melhor jogador do mundo finalmente saiu das mãos ou de Lionel Messi ou de Cristiano Ronaldo. Isso mesmo! O vencedor foi o croata Luka Modric, que já havia sido eleito o melhor jogador da Copa com a vice-campeã Croácia e o melhor da UEFA atuando também pelo Real Madrid. Querem minha opinião sincera? Acho que o melhor da última temporada foi o português novamente. Ele arrebentou pelo clube espanhol e só perdeu a taça porque a Fifa colocou o peso dobrado no desempenho de ambos no Mundial. Agora posso falar? Só o desempenho […]

O post Injustiça merecida? apareceu primeiro em Craque Neto 10.

‘Best’: Modric eleito é reconhecimento ao jogo coletivo

Leia o post original por Perrone

A escolha de Modric como melhor do Mundo no prêmio “Best”, promovido pela Fifa, indica a valorização do jogo coletivo em relação ao talento individual.

Na última temporada, o croata brilhou menos com jogadas individuais do que os concorrentes Cristiano Ronaldo e Salah, vencedor na categoria gol mais bonito. Porém, as estatísticas mostram que Modric participou mais das partidas de suas equipes. Foi maestro, carregador de piano, correndo incansavelmente, e habilidoso.

Obviamente, a premiação não levou em conta só a Copa do Mundo da Rússia, mas a principal competição da modalidade ajuda a entender as diferenças entre os principais postulantes ao posto de melhor jogador do momento.

CR7 foi o artilheiro de Portugal com 4 gols. Salah, que só jogou duas partidas, deixou o Mundial como goleador máximo do Egito após balançar as redes duas vezes. Modric foi apenas o terceiro a marcar mais gols pela Croácia com dois tentos.

Cristiano Ronaldo e Salah foram ainda os jogadores que mais acertaram finalizações em média por suas seleções. Modric ficou em quinto entre os atletas de seu país no Mundial.

O croata, no entanto, assume o topo da lista de sua seleção em quesitos que indicam maior participação no jogo. Ele foi quem mais acertou passes pela equipe com média de 55,3 acertos por jogo. CR7 e Salah foram superados por nove companheiros nesse quesito.

Modric ainda mostra sua importância para a Croácia liderando o ranking de cruzamentos certos de sua seleção durante o Mundial com média de 1,4 por jogo.

Os números (do site Footstats) ajudam a demonstrar como o croata consegue equilibrar talento e espírito coletivo. Ele foi menos agudo do que CR7, Salah e outros concorrentes. Mas foi mais constante. Sua vitória no “Best”, assim como o segundo lugar da Croácia no Mundial, resgata a importância do jogador habilidoso que sabe usar seu talento em prol do time.

‘Best’: Modric eleito é reconhecimento ao jogo coletivo

Leia o post original por Perrone

A escolha de Modric como melhor do Mundo no prêmio “Best”, promovido pela Fifa, indica a valorização do jogo coletivo em relação ao talento individual.

Na última temporada, o croata brilhou menos com jogadas individuais do que os concorrentes Cristiano Ronaldo e Salah, vencedor na categoria gol mais bonito. Porém, as estatísticas mostram que Modric participou mais das partidas de suas equipes. Foi maestro, carregador de piano, correndo incansavelmente, e habilidoso.

Obviamente, a premiação não levou em conta só a Copa do Mundo da Rússia, mas a principal competição da modalidade ajuda a entender as diferenças entre os principais postulantes ao posto de melhor jogador do momento.

CR7 foi o artilheiro de Portugal com 4 gols. Salah, que só jogou duas partidas, deixou o Mundial como goleador máximo do Egito após balançar as redes duas vezes. Modric foi apenas o terceiro a marcar mais gols pela Croácia com dois tentos.

Cristiano Ronaldo e Salah foram ainda os jogadores que mais acertaram finalizações em média por suas seleções. Modric ficou em quinto entre os atletas de seu país no Mundial.

O croata, no entanto, assume o topo da lista de sua seleção em quesitos que indicam maior participação no jogo. Ele foi quem mais acertou passes pela equipe com média de 55,3 acertos por jogo. CR7 e Salah foram superados por nove companheiros nesse quesito.

Modric ainda mostra sua importância para a Croácia liderando o ranking de cruzamentos certos de sua seleção durante o Mundial com média de 1,4 por jogo.

Os números (do site Footstats) ajudam a demonstrar como o croata consegue equilibrar talento e espírito coletivo. Ele foi menos agudo do que CR7, Salah e outros concorrentes. Mas foi mais constante. Sua vitória no “Best”, assim como o segundo lugar da Croácia no Mundial, resgata a importância do jogador habilidoso que sabe usar seu talento em prol do time.

Os próximos capítulos

Leia o post original por Rica Perrone

Talvez há alguns dias para alguns tenha acontecido apenas uma virada emocionante do Barcelona sobre o PSG.  Talvez um grande jogo do craque brasileiro. Enfim.  Vi algo mais do que isso e os próximos capítulos podem revelar mais do que um jogo. Neymar é inteligentíssimo.  Chegou no Barcelona, ficou amigo do chefe, nunca peitou, esperou …

Incontestável

Leia o post original por Rica Perrone

Num futebol nivelado e que hoje divide suas atenções entre 2 ou 3 craques no máximo em todo planeta, Cristiano Ronaldo e Messi disputam ano após ano o título de melhor do mundo.  Chega a ser monótono. Mas é realidade fácil de perceber que não há uma “falta de craques” no Brasil mas sim no …

Brasileiro humilde destoa na festa da Fifa

Leia o post original por Antero Greco

A cerimônia anual dos Melhores do Mundo, patrocinada pela Fifa (e hoje também com apoio da “France Foot-ball”), soou como grande hipocrisia. A entidade que manda no futebol anda com prestígio no fundo do poço, ao ser ver envolvida em escândalo de corrupção bravo.

Para algum distraído, vale lembrar que o presidente Joseph Blatter foi afastado; o secretário-geral, Jerome Valcke, demitido: o presidente da Uefa, Michel Platini, está suspenso; e diversos integrantes foram parar na cadeia ou respondem a processos por sonegação, lavagem de dinheiro e outros crimes correlatos.

Ou seja, a credibilidade da Fifa é semelhante à de uma nota de 3 reais, ou de 3 dólares, se preferir.

Ainda assim, a festa desta segunda-feira em Zurique transcorreu como se tudo estivesse na maior normalidade, como se fora patrocinada por uma empresa ilibada. Os craques compareceram, assim como técnicos, dirigentes, ex-jogadores. Público na maior elegância, adequado para a gala e circunstância do momento.

Nenhum “a” a respeito dos inquéritos policiais encabeçados pelo FBI, nem um pio sobre a ausência de Blatter. Nenhum jogador a manifestar contrariedade. Todo mundo sorridente, asséptico, limpo. Todos coniventes, a começar pelos premiados.

Gente do calibre de Messi, Cristiano Ronaldo, Neymar, Iniesta tem cacife para marcar posição. Um gesto que fosse chamaria a atenção. Uma ausência acintosa faria estrago saudável.

Nada.

O mundo do futebol é hipócrita.

A única nota de ironia, que destoou do falso glamour, foi a vitória do humilde e simples Wendell Lira, no quesito gol mais bonito. Um jovem operário da bola, do provinciano Goianésia, desbancou Messi e Florenzi (Roma), os outros concorrentes.

Essa foi engraçada, um tapa na cara da Fifa. Pelo menos isso.

PS. O prêmio para o Messi? Mais um, bola cantada, merecido. E nenhuma surpresa. O mundo só olha para o futebol da Europa. Segue o jogo.

O melhor do mundo EM 2013!

Leia o post original por Neto

Ronaldo já foi eleito melhor do mundo em 2008

Ronaldo já foi eleito melhor do mundo em 2008

Em janeiro a Fifa vai eleger o melhor jogador do mundo desta temporada. E pra mim não restam dúvidas de que o melhor em 2013 foi o português Cristiano Ronaldo. E digo isso pelo conjunto da obra, não só pela partida fantástica que ele fez pela Seleção lusitana contra os suecos. Poxa vida! É verdade que ele marcou três golaços que garantiram a classificação do seu País para a próxima Copa do Mundo. Mas além disso ele fez 66 gols na temporada. Isso mesmo! 66. Balançou as redes mais que muito clube do futebol mundial. O camisa 7 do Real Madrid marcou mais gols que todos os times do campeonato inglês. Isso só para citar um exemplo.

Arquirrival dele nos números individuais, o argentino Lionel Messi, fez “apenas” 42 gols esse ano. Não à toa a imprensa mundial está dizendo que ele está em má fase. É brincadeira??? Mas também, né? Embalou uma complicada sequencia de lesões. Além dos dois o francês Ribery também deverá fazer parte do trio que integrará a lista final da entidade. Mas ele concorrerá muito mais pelos títulos coletivos do poderoso Bayern de Munique que pelo desempenho individual.

O brasileiro Neymar corre por fora. Mas bem por fora mesmo. Apesar de estar arrebentando no Barcelona a verdade é que ele ainda tem que comer muito feijão pra alcançar Messi e Ronaldo. Acredito sim que ele ganhará esse título de melhor do mundo. Mas não dessa vez. Depois do argentino ganhar as últimas quatro, deve ser a vez o português ganhar seu segundo troféu (venceu em 2008 quando atuava pelo Manchester United). Se bem que todos na melhor fase e bem fisicamente, ainda sou mais o Messi. Originalmente ele segue como melhor.

Neymar é quase três vezes mais artilheiro que Messi, mas o mundo não o reconhece melhor que o argentino! É preciso jogar na Europa para ser notado?

Leia o post original por miltonneves

Desde 2009, o argentino Lionel Messi é escolhido o melhor jogador do mundo em todas as eleições da Fifa.

À época da primeira conquista individual, o jogador do Barcelona tinha 21 anos, 53 gols e 5 torneios vencidos.

No mesmo ano, Neymar, com apenas 17 anos, despontou como titular absoluto do Santos e começou sua hegemonia em solo nacional.

Em 2013, o “Pelézinho “ completou 21 anos  com números muito melhores que os do rival argentino: 149 gols e 9 títulos pelo Peixe.

Neymar é quase três vezes mais artilheiro que Messi.

Mas por que ninguém lá fora reconhece sua possível superioridade?

Tá certo que o cenário atual dos dois em suas seleções mudou.

Antes, Messi era criticado por não atuar em grande nível com a camisa da Albiceleste.

Enquanto Neymar levava o Brasil nas costas com seus gols e jogadas magistrais.

Agora o jogo se inverteu: o argentino se destaca nas Eliminatórias e o santista sumiu diante das grandes seleções que o Brasil enfrentou.

Para você, internauta, quem é melhor: Messi ou Neymar?

Jogando aqui, o santista tem potencial para superar o argentino?

Opine!