Arquivo da categoria: Mengão

SP põe fim ao “super” Flamengo?

Leia o post original por Craque Neto 10

Fim de jogo! O supertime do Flamengo, megavalorizado com a baita temporada que fez em 2019 e no início de 2020, levou um CHOCOLATE do São Paulo no Morumbi, perdeu por 3 a 0 – fora o baile! – e está eliminado da Copa do Brasil. Mais uma derrota doída já que os cariocas só […]

O post SP põe fim ao “super” Flamengo? apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Já era, pode entregar a taça do Hexa! Até porque 87 é do Sport, não é?

Leia o post original por Craque Neto 10

O líder Flamengo fechou a vigésima quarta rodada vencendo o Atlético/MG por 3 a 1. Foi a 17ª vitória rubro-negra na competição. E isso mesmo desfalcado de nomes fundamentais como o artilheiro Gabigol e o uruguaio De Arrascaeta, que passou recentemente por uma cirurgia no joelho. Mas posso falar? Já pode entregar a taça! Sinceramente. Ué, analisem bem, com esse resultado os cariocas abriram oito pontos para o Santos, o segundo colocado, e com três vitórias a mais que o time do Jorge Sampaoli. Estatisticamente, se o Flamengo vencer só os jogos dentro de casa já fica com a taça. […]

O post Já era, pode entregar a taça do Hexa! Até porque 87 é do Sport, não é? apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Sentiram até o ‘cheirinho’ do Balotelli???

Leia o post original por Craque Neto 10

Que me desculpem os torcedores rubro-negros, que tem reconhecidamente a segunda maior torcida do País, mas essa negociação com o italiano Mario Balotelli ficou meio ridícula, hein? Apesar de ter uma proposta muito maior, o gringo deu uma baita banana para o Flamengo e deve acertar com o Brescia da Itália. A negativa virou até meme em todo o Brasil desse negócio de zoação de ‘cheirinho’. Eu fui tentar me informar melhor porque essa história de ‘cheirinho’ e vi que começou por causa do excesso de confiança do torcedor (um certo egocentrism0!), que acha que vai ganhar todos os títulos […]

O post Sentiram até o 'cheirinho' do Balotelli??? apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Timão engole Mengão no Maraca

Leia o post original por Fernando Sampaio

flaxcorO Flamengo virou saco de pancadas no Maracanã.

Só não perdeu cinco partidas, em seis disputadas, porque passaram a mão no Sport.

O Corinthians aproveitou, deitou e rolou.

Há tempos venho dizendo que Tite, aos poucos, vem acertando o time após a saída de jogadores importantes. Fábio Santos faz falta, Petros nem tanto. Sheik e Guerrero fazem diferença, principalmente o artilheiro. O clube não fez a reposição de atacantes. Malcom e Luciano são jovens, Love já conhecemos, Romero não existe.

Tite começou acertando a defesa. Felipe deu mais segurança na zaga. Uendel vem fazendo o arroz com feijão bem feito.  Elias, Renato Augusto e Jadson formam um belo meio-campo, com movimentação, marcação e transição rápida. Ralf ou Bruno Henrique fazem a cabeça de área e Malcom ajuda na marcação. Assim o time se defende muito bem.

Mesmo sem novos atacantes, o Timão pode aumentar o rendimento.

Nas vitórias contra Ponte, Figueirense e Atlético-PR o time passou sufoco, viu o placar ameaçado, poderia ter tropeçado… Ok, faz parte. O importante é que no final venceu e fez a lição de casa. As vitórias trouxeram confiança. Nestes casos, quando um time está em formação, ganhar sem jogar bem tem seu lado positivo. Se o time ganha quando não joga bem imagine quando ganhar entrosamento e começar a jogar melhor. Claro que a tabela ajudou, mas isso também faz parte.

Quando começou o Brasileirão imaginei Corinthians no G-4.

Continuo com a mesma expectativa.

 

Share This:

Milton Neves provoca flamenguistas com lanterna e revolta torcedores

Leia o post original por Milton Neves

Lanterna

Alô, querida torcida do Flamengo, a segunda do Brasil depois da do Corinthians!

Só porque eu segurei uma lanterna vermelha e preta em homenagem a vocês no domingo houve essa gritaria toda?

Tadinho de mim.

Até o gigante Uol repercutiu (confira abaixo)!

Marcelo Freire
Do UOL, em São Paulo

Depois de anos provocando diversos clubes do Brasil, como Corinthians, Palmeiras, São Paulo e Cruzeiro, o apresentador Milton Neves escolheu uma nova vítima neste domingo (27) – o Flamengo, que ocupava até ontem a última posição do Campeonato Brasileiro.

Milton Neves levou uma lanterna vermelha ao programa “Gol, o Grande Momento”, pouco antes da rodada. Após os jogos das 16h, no “Terceiro Tempo”, a lanterna voltou ao ar nas mãos do apresentador, que interagia com a mesma e a chamava de Flamengo.

O que Milton Neves talvez não esperasse era a reação furiosa da torcida rubro-negra, que aumentou após o clássico das 18h30, onde o Flamengo bateu o Botafogo por 1 a 0 e subiu para o 18º lugar do Brasileirão. O apresentador foi hostilizado em seus perfis, e também nos da Band, nas redes sociais. “Engole essa, Milton Neves, idiota”, disse um usuário do Twitter, em uma das mensagens mais bem-educadas direcionadas a ele.

“Eu odeio polêmica. Segurar a lanterna foi ideia do Denílson Show e do Ronaldo Giovanelli”, brincou o apresentador em contato com o UOL Esporte nesta segunda-feira (28). “Nunca tinha provocado o Flamengo, mas a gente brinca com quem a gente gosta. Se o Palmeiras for lanterna, vou segurar uma lanterna verde também”, afirmou.

Lembrado das provocações ao Corinthians, que inclui até a paternidade do termo “apito amigo”, Milton Neves disse que a torcida alvinegra já está mais acostumada. “Desde os tempos da Jovem Pan eu brinco, já fiz até enterro. Eu brinco que o Corinthians me tirou da sarjeta. Mas a torcida do Flamengo achou um absurdo, me chamou de persona non grata. Eu apenas segurei uma lanterna.”

Apesar de toda a polêmica, será que a lanterna rubro-negra volta às mãos de Milton Neves se o Flamengo cair novamente para a última posição? “Volta. Aí eu vou arrumar uma lanterna maior”, prometeu.

Opine!

Se não trepidar para o Mengão, Furacão bota a faixa

Leia o post original por Mion

 

Paulo Baier é experiente e decisivo, com certeza não irá trepidar. E os demais?

Paulo Baier é experiente e decisivo, com certeza não irá trepidar. E os demais?

  O Atlético foi a maior surpresa do futebol brasileiro de 2013. No primeiro semestre não passava de um clube que lutaria apenas para não cair. Poucos meses depois engatou uma série de vitórias e hoje está na ponta brigando por título e vaga à Libertadores.

O futebol paranaense tem evoluído nos últimos anos, mas ainda falta aquele “q” a mais. Não acho uma explicação convicta, por enquanto avalio como falta de personalidade e confiança no próprio potencial. O Coritiba chegou a final da Copa do Brasil em 2011 e 2012, entregou os títulos quando tinha mais time. Marcelo Oliveira (acusado de não ter experiência) deixou o Coritiba no ano passado e logo em seguida fez um trabalho belíssimo, conquistou o Brasileirão pelo Cruzeiro.

A história se repete: deixando de lado a tradição, camisa e torcida (a maior do mundo), o Flamengo não é melhor do que o Atlético. Jayme conseguiu estabilizar o Mengão, nos últimos jogos pelo menos não envergonha a sua massa torcedora. Entretanto o time continua longe de sua tradição, o representante paranaense possui jogadores tecnicamente superiores além de ser taticamente mais bem encaixado. Por isso acredito que o Furacão pode ganhar o título da Copa do Brasil desde que não faça como seu co-irmão Coxa, ou seja, trepide diante de clubes do eixo Rio-São Paulo, fato que é rotina para os paranaenses.

Abel pulou fora. Flamengo acaba com a anarquia ou …

Leia o post original por Mion

Abel prefere ficar parado do que queimar a cara na bagunça rubro-negra.

Abel prefere ficar parado do que queimar a cara na bagunça rubro-negra.

   O imbróglio no Flamengo vem desde Vanderlei Luxemburgo e Ronaldinho Gaúcho. Já naquela época o atual treinador do Fluminense falava sobre os excessos cometidos pelo elenco em festas. Ronaldinho saiu, Renato Abreu também, mas vieram Carlos Eduardo, André Santos entre outros. Inclusive, fala-se que Mano Menezes deixou o cargo porque sabia de uma festa na casa de Carlos Eduardo e tentou impedir. A diretoria contrariou afirmando que era dia de folga e os jogadores poderiam badalar. A cúpula diretiva é nova, mas a mentalidade continua a mesma. Infelizmente o Mengão parou no tempo e ainda admite aquela fórmula antiga de aceitar jogadores festeiros, afinal faz parte da cultura carioca.

O futebol mudou barbaridade, vivemos outra época. As referências são Messi, Cristiano Ronaldo, Kaká, Xavi, Iniesta entre outros. Todos são atletas, dedicados à carreira e pessoas de atitudes e caráter exemplares. Veja o caso de Neymar, pouca gente comentou, mas em pouco tempo de Barça já tem outra postura: acabou cabelo pintado e corte estrambólico. Nos gols nada de dancinha e outras micagens. Pode extravasar a alegria de várias formas, entretanto nada para atrair atenção que não seja mostrar o seu talento. No Brasil alguns jogadores medianos se destacam muito mais por malabarismos nas comemorações do que pela bola que jogam. O futebol ficou em segundo plano.

Voltando ao Flamengo não é de hoje que o time fica devendo em termos físicos. Toda hora surge comentário sobre festas e baladas. Mano sentiu que não conseguiria mudar a mentalidade dentro do clube como um todo. Muito amadorismo para Mano suportar. Abel Braga também não gosta de bagunça. Independente de salários seria importantíssimo para sua carreira trabalhar no Flamengo. Aliás, já foi o tempo em que defender o Flamengo era o sonho de qualquer profissional acima da média. Hoje apenas jogadores superados ou jovens que buscam espaço na mídia se empolgam em defender o clube da Gávea. O futebol não vai mudar, por isso o Mengão tem que atualizar seus conceitos e buscar um novo rumo, caso contrário estará fadado a sucumbir engolido pelo profissionalismo radical existente no futebol brasileiro e mundial.

Mano se flagrou em tempo: Rio não “é sua praia”

Leia o post original por Mion

Em 4 meses Mano percebeu que trabalhar Rio está fora de seu contrôle.

Em 4 meses Mano percebeu que trabalhar Rio está fora de seu contrôle.

    A saída do técnico Mano Menezes do Flamengo ontem à noite após a derrota por 4 a 2 para o Furacão gerou minutos depois dezenas de hipóteses e teorias de conspiração. Conhecendo o perfil do técnico não acredito que esteja deixando a Gávea porque teria acertado com outro clube. Mano tentou, mas reconheceu que trabalhar no Flamengo não era a “sua praia”. Por várias razões, entre elas, no Rio o ritmo de vida e mentalidade com relação ao trabalho bem mais solto em comparação a São Paulo e na região sul. O clima, praia, samba refletem diretamente no ritmo de ser das pessoas. Mano é um alucinado por trabalho e organização. Os clubes cariocas não são exemplo de gestão, é só observar o estado atual do futebol carioca em geral.

Para culminar o Flamengo atual perdeu aquela gana por vitórias. O grupo aceita as derrotas com muita naturalidade. Boa parte dos jogadores ainda não conseguiu assimilar o que significa vestir o manto sagrado. Ontem mesmo fez 2 a 0 levou uma virada histórica e os jogadores não demonstraram a menor reação. Mano deve ter mordido a língua de raiva.

O ex-técnico rubro-negro vem amadurecendo a idéia de sair há algumas semanas. Não foi uma decisão intempestiva. Em quatro meses sentiu que jamais conseguiria impor seus conceitos rígidos de trabalho aliado a metas. Na entrevista coletiva de ontem deixou claro isso nas entrelinhas quando afirmou “não consegui transmitir a este grupo o meu pensamento sobre futebol”. Na realidade não quis gerar confusão, colocou “panos quentes”. Poderia falar mais incisivamente sobre o desinteresse do grupo em levar futebol com mais seriedade.

Contra um grupo não há treinador ou dirigente que possa contrariar. Por isso Muricy Ramalho é radical em sua análise sobre sua importância na campanha de um time: o técnico colabora com 25% por cento, os outros 75% estão nos pés dos jogadores”. É a pura realidade. Mano deve seguir outro rumo e será natural buscar espaço no futebol paulista ou no sul. E não só Mano deve evitar os clubes do Rio. Alguém consegue ver Tite ou Felipão trabalhando na “cidade maravilhosa”? O perfil destes técnicos não encaixa com o ritmo carioca. A única exceção foi Muricy, entretanto durou pouco tempo, ganhou um título pelo Flu e já foi embora. Não é por acaso que Muricy continua sendo o melhor técnico do Brasil. Ele consegue superar obstáculos que para muitos são intransponíveis , como por exemplo dirigir um clube carioca com pouca estrutura e conceitos menos rígidos de trabalho

Mesmo com Mano, Mengão terá que “extirpar o câncer”

Leia o post original por Mion

A realidade com ou sem dor

A realidade com ou sem dor

A medicina tem como conceito básico: primeiro eliminar a dor e mal estar do paciente, depois investigar a origem que levam o paciente a apresentar os sintomas. A partir daí trata e busca a cura. Uma simples dor de cabeça permanente pode significar apenas stress, problema estomacal ou doenças mais graves como câncer. Agora o assunto é a contratação de Mano Menezes, apesar de toda a sua eficiência e competência, os problemas do clube estão no elenco. Por isso mesmo ele exige condições de trabalho, não pensa apenas no salário. Sem algumas decisões drásticas não adiantará Mano, milagre não existe. O Fla é um clube viciado e precisa se curar.

A saúde do Flamengo tanto financeira quanto técnica é grave há alguns anos. O clube já realizou diversos tratamentos, até “quimioterapia”. Não recupera a saúde, ao contrário cada vez mais aumenta os sintomas e a doença porque na realidade não extirpa o câncer. As sessões de tratamento amenizam as dores, entretanto logo em seguida voltam os sintomas. Antes de tudo necessita extirpar a origem da doença para depois realizar o tratamento.

Fiz está comparação entre a medicina e o futebol porque percebo a algum tempo que o clube mais popular do país não toma posições mais radicais. Troca de técnicos, conquista patrocínios (que pagam muita grana), entretanto não extirpa a doença que consome silenciosamente a saúde do clube.

Tenho informações de que uma “igrejinha do mal” dentro do clube dita normas e manda nos bastidores. Passa por profissionais de várias áreas, inclusive do elenco. Antes Adriano era o líder, depois Ronaldinho Gaúcho. Por trás gente com interesses de dominar e ostentar poder como donos do clube. Com a saída de Ronaldinho, Vagner Love assumiu a condição de “laranja”, um líder disfarçado, em comum um ídolo intocável da torcida. Também já saiu. Fazem parte deste grupinho, Leo Moura, Renato Abreu, Felipe e mais alguns menos conceituados. Renato Abreu é o novo cabeça. O técnico Jorginho fez uma campanha instável, mas o fator determinante de sua queda foi a briga com Abreu, tanto que após o treinador sair, o Fla passou por cima do Criciúma. um grupo de jogadores não pode mandar no clube, a não ser tragam resultados, o que não é o caso do clube carioca.

Além de influências negativas, procuram deteriorar os meninos formados no clube ou reforços de qualidade e sufocá-los. Luiz Antonio, Negueba, Adrian. Thomás surgiram bem, muito talento e depois sucumbiram. O grupo não deixa ninguém crescer. Não foi por acaso que recentemente Ibson teve problemas com Renato Abreu Estava procurando espaço e assumindo uma liderança dentro de campo. O excelente Bottinelli não conseguiu jogar 10 jogos seguidos e mostrar o talento que o fez um dos principais jogadores da América do Sul há três anos.

A nova diretoria deve saber disso, abriu mão de Love com facilidade, não fez nenhum esforço em segurá-lo. Já foi um começo, porém o “tratamento” tem que ser mais radical e eliminar este grupinho “poderoso”. Caso contrário o Flamengo vai patinar, não adianta trocar de técnico e trazer patrocinadores. O câncer precisa ser extirpado imediatamente e aí sim o Mengão achará o caminho da cura e voltará a honrar a sua tradição.

Para encerrar: Rafinha será a próxima vítima? Tomara que não, tem muito talento e não pode morrer na casca como Negueba ou Luiz Antonio. A nova direção deve ficar ligada, e após eliminar a doença, faça o tratamento necessário. O Mengão estará no caminho da cura e voltará ser forte e cheio de saúde. Se mantiver este poder obscuro, irá sucumbir como a administração passada por ser omissa e inoperante.

 

Quietinha, diretoria do Mengão coloca clube nos “trilhos”

Leia o post original por Mion

Zico

Um grande time e Zico como carro-chefe de um plano de marketing bem feito, o Mengão dá a volta por cima rapidinho.

         Será que dá para calcular quantas camisas do Corinthians campeão do Mundial de Clubes foram e continuam sendo vendidas? Incalculável! Não só em São Paulo, no Brasil, mas também no mundo. Quantos milhões serão arrecadados só com comercialização de camisas? A mesma resposta. O único clube brasileiro que tem potencial a atingir este status corinthiano e até superá-lo é o Flamengo. As últimas pesquisas projetam que a Fiel é composta por cerca de 30 milhões de brasileiros e a nação flamenguista de 40 milhões.

Este potencial pode ser explorado de diversas maneiras desde que baseado na seriedade e trabalho competente, ou seja, seguir o exemplo do Corinthians nos últimos três anos. Em um curto período o clube saiu da mediocridade de cair para a Série B ao status de ser o melhor time do Brasil, da América do Sul e do Mundo.

As últimas administrações flamenguistas destruíram o clube em todos sentidos. Dívidas, salários atrasados, jogadores medianos e fases inconstantes. A nova diretoria parece ter um perfil diferente de homens de negócios, empresários. O futebol precisa ser profissional. Vive de grandes ídolos e conquistas. A vantagem do Flamengo é ter Zico, ele pode ser o carro-chefe da reação rubro-negra. Assim como a Fiel garantiu o crescimento do Timão, a torcida do Mengão fará o mesmo. Aos poucos o técnico Jorginho e o departartamento de futebol colocam a casa em dia. Uma pequena reformulação está acontecendo. Alguns jogadores desgastados e sem produtividade ao nível do clube estão saindo. E gente muito cara como Ibson. Este trabalho não surtirá efeito em meses, talvez alguns resultados isolados animadores. Além de patrocinadores, jogadores de qualidade e com espírito de vencedores. O atacante Moreno pode serum deles. É um jogador vibrante, ótima qualidade técnica e goleador. Não parece ter problemas extracampo, o Flamengo sofre muito nos últimos dois anos. As saídas de Ronaldinho e Love amenizaram a bagunça, o tal trenzinho da festa. Se a nova diretoria souber contratar e investir em uma planificação de marketing bem profissional e competente pode até abreviar o tempo de colocar o Fla entre os principais times do país.

Pra isso necessita de sentir um retorno garantido. Chegou a hora do Flamengo amadurecer e se convencer que atualmente não passa de um clube mediano. A camisa e tradição não seguram mais ninguém na parte de cima. Uma administração correta, investimentos em jogadores acima da média, dignos de vestir a camisa rubro-negra, com certeza darão retorno. A nação flamenguista garante. Pode apostar.