Arquivo da categoria: México

Eliminados, mexicanos não vão torcer pelo Brasil

Leia o post original por Nilson Cesar

Opinião: Três maus exemplos dados por Osório ao detonar Neymar

Leia o post original por Perrone

Juan Carlos Osório entrou para a história da Copa do Mundo de 2018 pela porta dos fundos. Ao criticar Neymar e a arbitragem foi o treinador do México o responsável por  dar mau exemplo, não o camisa 10 da seleção, como disse o colombiano. Abaixo veja os maus exemplos de Osório.

1 – Desvio de foco

Ao dizer que a arbitragem atrapalhou o México, o treinador seguiu o manual clássico do técnico ultrapassado. Aquele profissional  ue não assume seus erros e irresponsavelmente joga o juiz contra a torcida. Ou alguém acredita que os quatro minutos em que Neymar ficou no chão após levar um prisão realmente atrapalharam o México a ponto de influenciarem no resultado?

2 – Machismo

Ao dizer que futebol é pra macho, Osório praticou machismo em estado bruto. Foi preconceituoso e ensinou as crianças que o assistiam na entrevista coletiva a como não se comportar. Entre outros absurdos, ele ofendeu mulheres que jogam de maneira maravilhosa e podem ser representadas por Marta.

3 – Estímulo à violência

Ao reclamar do tempo gasto com Neymar caído após levar um pisão de Layún, Osório evitou a discussão mais importante. O comportamento do brasileiro no lance é o que menos interessa. O mexicano deveria ter sido expulso, o que mostra a fragilidade da tese do treinador de que sua seleção foi prejudicada.

A proteção de Osório ao agressor somada ao surrado bordão “futebol é pra macho” soa como incentivo à violência.

 

Só mais um Silva

Leia o post original por Rica Perrone

Os Silvas são os pessimistas mais felizes do mundo. Eles nunca acham que vai dar certo, mas ainda assim estão sorrindo e festejando mais do que os que tem certeza. Os Silvas renegaram a Copa até a bola rolar. Quando rolou se derreteram por ela como sempre acontece. Os mais azedos da família vivem o…

Brasil é a cara do Tite!

Leia o post original por Craque Neto

Lembro como se fosse hoje de um monte de torcedor corintiano – e alguns rivais também – que criticavam o técnico Tite pela postura com que ele armava suas equipes dentro de campo. Em um período ruim do time até apelidaram o cara de ‘EmpaTite’, lembram disso? Pois é, pelo bem ou pelo mal o fato é que existe um padrão tático muito bem definido nas equipes trabalhadas por ele. Na Seleção Brasileira que está disputando a Copa do Mundo não poderia ser diferente. O time faz um jogo visualmente bonito? Não. Empolga muito o torcedor com as jogavas ofensivas […]

O post Brasil é a cara do Tite! apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Opinião: os lados bom e ruim de encarar o México

Leia o post original por Perrone

Por um lado, o México pode ser considerado o adversário perfeito para o Brasil nas oitavas de final da Copa da Rússia. Isso porque a equipe da América do Norte dá espaços para seus rivais. É tudo com que o Brasil sonha no Mundial.

Prova de como os mexicanos ficam expostos é o fato de o goleiro Ochoa ser o que mais fez defesas na Copa até aqui. Foram 17.

A comparação com Alisson ajuda a entender o que isso significa. O brasileiro é quem menos defendeu: apenas duas vezes, segundo o site da Fifa. A pequena quantidade de trabalho é fruto de um sistema defensivo que protege sua meta, algo que o México não tem no mesmo nível.

Mas achar que os mexicanos serão mamão com açúcar sería um erro. O lado ruim de enfrentá-los é ter pela frente um time suficientemente forte para vencer a Alemanha e se classificar no grupo dos atuais campeões mundiais, eliminados na primeira fase.

O México está em sétimo lugar entre as seseções que mais tentam o gol na Rússia, também de acordo com as estatísticas da Fifa. São 44 oportunidades contra 56 do Brasil, segundo colocado.

Além disso, os mexicanos são comandados por Juan Carlos Osório, conhecedor do futebol brasileiro e que já enfrentou Tite. Em 2015, o treinador brasileiro admitiu dificuldades por causa do esquema tático montado por Osório, que defendia o São Paulo e enfrentava o Corinthians no Morumbi. O jogo terminou empatado em um gol.

Outro ponto é a barulhenta torcida mexicana estar obcecada por eliminar o Brasil numa Copa do Mundo. Será um combustível a mais para eles.

Tais nuances aumentam o grau de imprevisibilidade do duelo. Se, de fato, o México der espaços e o Brasil souber aproveitar, a vaga nas quartas pode ser assegurada com certa tranquilidade, como diante da Sérvia. Porém, caso Osório consiga amarrar o Brasil, deverá ser a partida mais difícil dos pentacampeões até aqui em território russo.

Brasil x México

Leia o post original por Flavio Prado

Foto: Patrik Stollarz/AFP

O México é um adversário que oferece várias opções de jogo. O time de Juan Carlos Osorio ataca bastante, consequentemente pode abrir espaços, o Brasil explora muito bem esses espaços, mas existe também o risco.

Um time que ataca bastante, exige alta concentração do adversário. Normalmente, o desafio do Brasil é conseguir o primeiro gol, mas contra o México o time continuará ameaçado mesmo em vantagem, não pode relaxar.

Sobre o jogo contra a Sérvia, o Brasil teve atuação segura, quase não sofreu na defesa, apesar de uma certa pressão no início da segunda etapa.

Ofensivamente, Coutinho tem sido um diferencial com gols e assistências. Coutinho é um jogador capaz de desequilibrar em um toque ou em uma movimentação. O meio-campo ainda tem problemas para controlar o jogo, Paulinho é infiltrador, Tite teve que colocar Fernandinho para reequilibrar o jogo.

Neymar fez boa partida, ainda pode mais, deve crescer com a sequência de jogos. William e Gabriel Jesus podem render mais, são jogadores que não se escondem, mas não estão acertando as jogadas, isso derruba a confiança.

Foto: Hector Retamal/AFP

Essa é de vocês!

Leia o post original por Rica Perrone

Não acabou o Mundial, mas acabou a obrigação.  O Grêmio 2017 é um absoluto sucesso, e a final de sábado é uma possibilidade de tornar tudo isso ainda mais épico. Mas obrigação e pressão não há mais.

Acabou hoje nos pés de Éverton. Aquele Grêmio que não podia perder a Libertadores porque terminaria o ano sem nada, ganhou. E o que não podia não ir a final do Mundial, foi.

Respira tricolor, tá tudo bem.

Esse sufoco de hoje foi pra você, ajoelhado numa padaria qualquer as 4 da tarde de dia útil em Porto Alegre.  Pra senhora que fez da sua filha uma grande tricolor.

Pra você que não pode se ausentar do trabalho mas que suportou as quase 3 horas olhando no celular.

Pra quem gastou o que tinha e não tinha para encarar um dia todo de viagem para estar em Dubai correndo risco de ter feito tudo isso e voltar pra casa sem sequer jogar a final.

É pra vocês, dirigentes e funcionários do Grêmio, que só aparecem quando tem que dar explicação por algo ruim.

Pra ti, garçom de churrascaria, que servia enquanto segurava o choro de ansiedade pela bola que não entrava.

Pra todos vocês que entendem o que é futebol, porque o amamos, o que ele nos dá de volta e o quanto vale a pena ser um enorme “imbecil” que gasta tempo, saúde e dinheiro com “22 caras correndo atrás de uma bola”.

Pra você, Renato, que mexeu brilhantemente, foi ousado, diferenciado, e venceu mais uma vez.  Pra ti, Jael. Corres uma barbaridade!

Pro Arthur, que comenta com a mesma calma que joga. E por mais que sua felicidade pela vitória amenize, nada tira desse menino a dor de não estar ali hoje.

Pra todo pai que um dia levou seu guri no Olímpico. Pra todo garoto que um dia agradeceu seu pai por isso.

E se você ainda não o fez, faça hoje. Ser gremista é nesta terça-feira ser o que todo mundo queria ser. E se és, agradeça ao responsável.

 

Parabéns! Acabou a obrigação. Agora é só pela glória!

abs,
RicaPerrone

O futebol do São Paulo foi a surpresa das oitavas da Libertadores

Leia o post original por Quartarollo

O futebol do São Paulo foi a surpresa das oitavas da Libertadores

Corinthians patinou em Montevidéu, mas conseguiu pelo menos um bom resultado. 0 x 0.

Tite preferia empate com gols, mas como fazer gols Tite se seu time não deu um chute no gol adversário?

Foi pífia a atuação corintiana principalmente no segundo tempo. Decide em casa quarta-feira que vem e tem boas chances de passar.

Grêmio perdeu em casa e se complicou diante do Rosário Central. Não deve se classificar.

Atlético Mineiro empatou com o Racing também em 0 x 0. Ao contrário do Corinthians deu uns chutinhos a gol e tem boas chances de classificação.

Ontem o São Paulo, cuja desconfiança era total apesar da boa atuação e a classificação na altitude de La Paz, deu um show de futebol.

Deve se levar em consideração que o Toluca veio com seis baixas e não jogou nada.

Não jogou nada porque o São Paulo também não deixou, mas também não é a grande equipe que superou Grêmio, LDU e San Lorenzo na primeira fase.

Na volta quarta-feira da próxima semana, em Toluca, o São Paulo pela vitória de 4 x 0 já chega classificado.

Sem jogos no fim de semana o time de Bauza tem toda as condições de descansar e fazer um bom jogo também no México.

O Toluca nessa altura já sabe que não se classifica e presta mais atenção ao Campeonato local.

Mas ponto positivo foi o Edgardo Bauza fazer o time jogar de forma compacta, ter uma posse de bola barcelônica e fustigar o tempo todo o adversário.

O Toluca não teve nenhuma chance. Renan Ribeiro, tal qual Conde, goleiro do Nacional, na quarta-feira, só assistiu o jogo de dentro do campo.

Paulo Henrique Ganso se achou com Bauza. Joga de área a área, ou como dizem por aí box a box, mas a verdade é que é mais produtivo e além de bons passes por conta de sua bela técnica, tem ainda entrado na área, coisa que não fazia muito antes.

Aliás, desde a época de Muricy Ramalho no Santos, o pedido era para entrar na área, para chutar mais a gols e não viver apenas de passes preciosos, mas Ganso gosta mais de dar o passe do que fazer gols. Precisa tomar gosto pelo gol.

Outra surpresa foi Centúrion que fez dois gols, o primeiro deles um golaço, e que só jogou por conta da suspensão de Calleri e da caganeira do Alan Karde, que passou mal o dia inteiro e ainda entrou no finalzinho da partida.

Em suma, foi mesmo na cagada, mas Centúrion aproveitou bem e saiu do Morumbi pela primeira vez sorrindo e de cabeça erguida.

Ontem dois “malditos” perante a torcida, Michel Bastos e Centúrion, fizeram a sua parte e parece que pelo menos por enquanto apaziguaram os ânimos com os torcedores mais exaltados.

Sinalizadores apareceram no Morumbi no primeiro jogo enfumaçando o jogo. O árbitro uruguaio, Jonhatan Fuente, foi medroso e não quis parar o jogo. Era o que devia ter feito.

Outro dia na Arena Palestra Itália, Vinícius Furlan foi corajoso e parou a partida. O São Paulo pode ser multado por causa dos sinalizadores.

No jogo em Montevidéu, o Nacional pediu encarecidamente para seus torcedores não usarem sinalizadores e foi atendido. No Morumbi a coisa correu solta e veio principalmente das Organizadas, sócias ocultas do clube.