Arquivo da categoria: Mídia

E virou

Leia o post original por Rica Perrone

Modéstia as favas, há 20 anos brigo com a imprensa esportiva nacional por entretenimento e não jornalismo.  Fiz minha micro-revolução online abrindo porta pra centenas de jornalistas que hoje entendem como fazer sem emissora, como negociar direto com o patrocinador e tendo baseado valores e expectativas em cima daquilo que eu construí. Hoje a Globo…

O capitalismo jornalístico

Leia o post original por Rica Perrone

Pra Amazonia ninguém olhou por todo esse tempo. Bastou o governo não agradar a mídia que ela se tornou ambientalista. Bolsonaro é péssimo. Fala mal. Fala besteira. Alimenta uma mídia sedenta por frases infelizes, que é sua especialidade. O maior inimigo do governo é o próprio Bolsonaro. Suas brigas são absolutamente desnecessárias. Ou é muita…

Então, Galvão…

Leia o post original por Rica Perrone

Ídolo. Assim me refiro a Galvão Bueno e portanto aqui não vai uma linha irônica ou maldosa sobre o maior narrador que esse país já teve. Dono dos bordões mais notáveis do nosso esporte e voz oficial das maiores alegrias da minha vida. Hoje ao final do jogo ele e o Casagrande reclamaram da distância…

7/10 – Dia da independência

Leia o post original por Rica Perrone

Há muito desconfiamos, mas era preciso uma prova determinante para poder garantir. O Brasil não é mais um país manipulado pela mídia, classe artistica e velhos partidos. Em 2018 os três poderes escolheram dizer “não” a um só homem, que sequer tinha tempo de resposta. Eram miseráveis 8 segundos de tv, o que até outro…

“Mortos”

Leia o post original por Rica Perrone

“Depois da chegada da internet…”, pára! Já tá errado. Internet é meio de transmissão, não uma forma de mídia. Mídia é impressa, video, áudio. A forma com que isso é transmitida às pessoas é outra coisa. Logo, não foi a internet que “fudeu tudo”.  Foi a falta de leitura do cenário. Quando o Flamengo diz …

Volta, Odvan!

Leia o post original por Rica Perrone

Eu não consigo atrelar cabelos e selfies a desempenho. Fosse assim, Cristiano Ronaldo, o mais “gazela” de todos, não seria o exemplo de profissionalismo que é. O jogador moderno se depila porque o homem moderno o faz. Não porque jogam bola. Tiram selfies porque nós tiramos, e fazem cabelinhos invocados porque nós também fazemos e …

Grenalizaram

Leia o post original por Rica Perrone

Garotos não jornalistas tomando espaço dos jornalistas.  Torcedores derrubando a credibilidade dos profissionais de imprensa. O público buscando cada dia mais quem torce do que quem finge ser superior a tudo aquilo. Há uma crise no jornalismo esportivo brasileiro, uma resposta dos torcedores e uma tendência fácil de explicar. No Sul, tem o Grenalizando. Um […]

Protecionismo da Mídia esconde “baba” dos times brasileiros

Leia o post original por Mion

SEMPERDAO16 Discurso decorado citado exaustivamente na mídia brasileira:

“Times brasileiros são muito melhores tecnicamente em comparação aos seus adversários na Libertadores”.

“Fora os poderosos europeus, outras equipes seriam saco de pancada no Brasileirão”.

Tudo papo furado. A qualidade técnica do futebol brasileiro chegou ao fundo do poço. Primeiro, talento escasso, na sequência a parte técnica colocada em segundo plano para intensificar velocidade e força. Pra quem pensa que trata-se de opinião, últimos fatos comprovam que não: Nos últimos 10 anos, alguns podem afirmar, Brasil ganhou as quatro edições do torneio. Não desfazendo das conquistas, todas foram sofridas e muito mais por trabalhos sérios, melhor estrutura de nossos clubes e mais por times competentes do que superiores tecnicamente, exceção do Santos de 2011 que tinha dois craques. Neymar e Paulo Henrique Ganso quebraram na época a ausência de jogadores talentosos nas conquistas brasileiras.

O Corinthians faturou Libertadores e o Mundial de Clubes, muito mais por causa do trabalho de Tite, o mesmo ocorreu com Celso Roth em 2010 no Inter tendo como destaque principal D’Alessandro, um argentino. O gol do Mundial do Timão não foi diferente: peruano Guerrero decidiu. O Galo deve grande parte não a Ronaldinho Gaúcho, craque em clara decadência, mas sim a Victor. Ou seja, um goleiro decidiu a parada. Só lembrando, este time do Galo é composto em sua grande maioria por jogadores rejeitados e desgastados no mercado brasileiro.

Na realidade o processo de sucateamento técnico do nosso futebol acontece nos últimos 20 anos. Por ter mais recursos financeiros e contar com força política, Brasil conseguiu se segurar no topo, mas nunca com sobras como a maioria da mídia insiste em dar ênfase.

O mesmo ocorre com relação aos times europeus. Este conceito de os times intermediários do Velho Mundo não teriam qualidade para disputar Brasileirão é pura enganação. Quem assiste os jogos do futebol espanhol sabe muito bem de que pelo menos cinco clubes de lá se sairiam muito bem, não são inferiores de Chapecoense, Sport, Palmeiras, Figueirense, Coritiba, Criciúma, Botafogo, Flamengo entre outros. Em condições normais o quarto colocado do espanhol brigaria com certeza entre os 5 da Série A com reais condições de ficar entre os 3 melhores.

A maior prova concreta é a seleção brasileira. Se compararmos as escalações de Bayern de Munich, Barcelona e Real Madri com a da seleção que disputou a Copa, haveria equilíbrio muito grande. Caso se enfrentassem seria uma partida equilibrada, qualquer um poderia ganhar. Entretanto esses 3 times com certeza teriam jogadores mais talentosos tecnicamente. Fora Neymar, o nosso país tem jogadores ao nível de Cristiano Ronaldo, Bale, Toni Kroos, Benzema, James Rodrigues(Real), Luis Suárez, Messi, Busquet, Rakitic, Iniesta, Xavi (Barça), Müeller, Götze, Ribery, Robben e Schwasteigger, Xabi Alonso(Bayern). Até entendo o desespero de procurar manter por cima o futebol brasileiro, mas enquanto o torcedor for enganado e a mídia se acomodar com a falta de qualidade, o futebol brasileiro jamais conseguirá recuperar pelo menos parte do talento que já teve.

 

A prova da burrice

Leia o post original por Rica Perrone

  Vasco e Flamengo jogam domingo a preços não populares valendo porra nenhuma pelo falido estadual.  Essa frase é repetida pela mídia todo santo dia, tal qual qualquer posição contra ou negativa sobre o nosso futebol. Quando trata-se de um evento, seja ele qual for, diz a lógica que você deve promovê-lo, ainda mais se […]