Arquivo da categoria: mineirão

É muito melhor

Leia o post original por Rica Perrone

O Galvão tem razão. É muito melhor contra eles. É diferente. Temos apenas nesse jogo a sensação de ganhar de um rival com a seleção. Por mais que Itália e Alemanha sejam consideravelmente maiores que a Argentina, a gente não se odeia. A gente se respeita. Por mais que seja o Uruguai que nos calou…

Brasil tem pontinha de favoritismo contra a Argentina.

Leia o post original por Nilson Cesar

Estarei no Mineirão nesta terça e acho que irei narrar uma vitória Brasileira. Só tenho um receio. Se o Messi resolver jogar nesta Copa América diante do Brasil a coisa pode complicar. O Brasil tem um time mais pronto. A Argentina está jogando mal, mas se trata do adversário de maior rivalidade do Brasil. Tite precisa parar com discursos complicados para se entender, e exigir um melhor desempenho…

Fonte

Números mostram equilíbrio entre finalistas da Copa BR em fundamentos

Leia o post original por Perrone

Finalistas da Copa do Brasil, Cruzeiro e Corinthians têm desempenho semelhante na competição em uma série de importantes fundamentos de acordo com dados do site “Footstats”.

Um dos setores de maior equilíbrio entre os times que começam a decidir o título nesta quarta (10), no Mineirão, é o ataque. As duas equipes fizeram o mesmo número de gols: 7. A média de finalizações certas é bem próxima. Os mineiros finalizam corretamente quatro vezes por jogo, em média. A marca dos paulistas é 3,8. Em números totais, são 24 arremates com precisão dos cruzeirenses contra 23 dos corintianos.

Os dois times também precisam fazer um número parecido de conclusões para balançar as redes. Em média, o Corinthians marca um gol a cada 7,3 finalizações diante de 6,7 do adversário.

Outra semelhança acontece na quantidade de dribles certos dos finalistas no torneio. Foram até aqui 24 fintas precisas dos alvinegros e 22 dos mineiros.

A quantidade de lançamentos certos feitos por cada time nos seis jogos disputados na competição sugere exploração semelhante desse recurso. O Cruzeiro acertou 86, um a mais do que o rival.

Os finalistas são parecidos ainda no quesito passes certos. Os comandados de Mano Menezes ostentam média de 90,5 acertos em média por apresentação contra 90 do oponente.

O número de escanteios cedidos por cada um no certame também é próximo: 40 pelos corintianos e 38 pelos cruzeirenses.

Por outro lado, há uma diferença significativa nas defesas. A paulista foi vazada apenas duas vezes, enquanto a mineira cinco. O clube de Belo Horizonte leva em média um gol a cada 10,2 finalizações contra sua meta. Já o de São Paulo vê sua rede balançar depois de 34,5 arremates contra seu goleiro.

Cruzeiro e Corinthians são os favoritos para os jogos da volta !

Leia o post original por Nilson Cesar

O Cruzeiro precisa de apenas um empate no Mineirão para ser finalista da Copa do Brasil. Sinceramente acho que irá conseguir . O Corinthians pode sim vencer o Flamengo em Itaquera e mesmo com um time com pouquíssima qualidade pode chegar para mais uma decisão este ano. Flamengo também tem chance mas um pouco menos. Colocaria 55% para o Corinthians e 45% para o Flamengo. Se eu tivesse que apostar , apostaria no Cruzeiro como campeão da competição. Isso é claro apenas um palpite. Posso estar totalmente enganado, mas acho o Cruzeiro um time muito arrumado pelo Mano Menezes e difícil de ser batido nesse tipo de competição. Vamos aguardar…

Melhores e só

Leia o post original por Rica Perrone

Sem dramas, tragédias ou caça as bruxas, mesmo que parte da mídia sugira isso nas entrelinhas desesperadas de amanhã. Corinthians e Flamengo foram eliminados da Libertadores para times melhores que os deles. Simples assim. A equipe atual do Corinthians é bastante fraca.  O Colo-Colo é time grande e surpresa seria perder os dois jogos ou…

Brasileirão 2018 – Cruzeiro 0x1 Grêmio

Leia o post original por Rica Perrone

Se não é novidade pra ninguém que o Grêmio é o melhor time da América do Sul, chega a ser o fato dele atuar sem Geromel e Luan e ainda assim dominar completamente o jogo no Mineirão contra um Cruzeiro que também é apontado como um dos principais times do país hoje.

Primeiro tempo morno, sem graça, com os dois querendo não tomar o gol. Muito passe lateral, nenhuma chance real de gol. Jogo ruim.

Na volta, um Grêmio irritantemente decidido a propor o jogo e manter a posse de bola. O adversário simplesmente não consegue se manter no ataque para uma eventual pressão. Calmo, sem arriscar passes a toa, o Grêmio ganhando é muito difícil de virar.

Só nos acréscimos o Cruzeiro conseguiu alguma pressão. A expulsão do Kanneman foi justíssima. A não expulsão do Ariel, bem contestável. Por trás e sem visar a bola. Se quisesse, o juiz poderia ter deixado o Cruzeiro com 10.

Se tivesse com os 11 titulares diria que o Grêmio fez uma grande estréia, especialmente pelo resultado. Sem Luan e Geromel, não dá pra considerar críticas ao time gaúcho hoje.

Já o Cruzeiro, com uma a mais em boa parte do jogo e sem criar nenhuma situação de gol antes dos acréscimos, há muito o que ser cobrado.

Quadro de tempo de posse de bola individual na partida:

 

Quadro de percentual de passes certos indidual:

 

Quadros individual de dribles no jogo:

abs,
RicaPerrone

Mais que o título

Leia o post original por Rica Perrone

O Cruzeiro precisava mais dessa conquista pela temporada do que pela taça em si.  Ameaçado de ver o sonho virar crise muito rápido, a conquista de hoje se tornou bem mais do que um título estadual.

O time é nuito bom. Perdeu Fred, viu seus dois primeiros jogos importantes do ano se tornarem derrotas e a torcida que estava sonhando começou a cobrar.  O paraíso é muito perto do inferno pra um time que cria expectativas. E o Cruzeiro de 2018 é um time de quem muito se espera.

Não assisti ao jogo final ainda. Vi os gols, os melhores lances, a expulsão e a polêmica toda. Sim, concordo com a maior parte dos atleticanos. A expulsão era dupla. O Edílson não só deixa o pé como imediatamente após levar a paulada, devolve com o braço.

Acho que friamente se tirassem as camisas e colocassem camisas vermelhas e amarelas, nem mesmo o presidente do Cruzeiro discordaria disso. Mas sendo azul e a outra preta e branca, é claro que o Edílson não fez nada na visão de metade de Belo Horizonte.

Mudou o jogo? Provavelmente.  Uma final com 10 contra um time que naturalmente já é melhor que o seu no papel faz diferença. E deve ter feito.

Independente da polêmica da arbitragem o título dá ao Cruzeiro uma breve tranquilidade para buscar o que ele realmente almeja no ano e as finais deram ao Galo uma sensação que “dava” pra ter batido o rival não fosse o arbitro.

Mais notável que isso só constatar que de novo, como sempre há anos e anos, o gol decisivo de um título foi de quem?  Thiago Neves….

abs,
RicaPerrone

A Copa que nós ganhamos

Leia o post original por Rica Perrone

Não foi só o Cruzeiro que ganhou um torneio maravilhoso e de inestimável importância. Nós, torcedores, talvez pelo hábito vira-latas de ser brasileiro não tenhamos notado, mas assistimos a uma aula de como promover um evento sem que tenha vindo de fora. A Copa do Brasil criou uma cara. Clubes no Brasil se negam a …

A Copa que nós ganhamos

Leia o post original por Rica Perrone

Não foi só o Cruzeiro que ganhou um torneio maravilhoso e de inestimável importância. Nós, torcedores, talvez pelo hábito vira-latas de ser brasileiro não tenhamos notado, mas assistimos a uma aula de como promover um evento sem que tenha vindo de fora. A Copa do Brasil criou uma cara. Clubes no Brasil se negam a …

As vezes tem lógica

Leia o post original por Rica Perrone

Era óbvio que se um goleiro fosse falhar na final, seria o do Flamengo. Que se um fosse brilhar, seria o Fábio. Mais óbvio que isso apenas a redenção do Muralha nos pênaltis. E quando o juiz apitou, aposto, não teve um brasileiro vivo que não pensou:  “Futebol é foda. O Muralha vai sair herói”. …