Arquivo da categoria: oposição

Poderio financeiro pesa para oposição corintiana definir candidato

Leia o post original por Perrone

O Corinthians já vive um quente período pré-eleitoral, apesar de a escolha do próximo presidente do clube acontecer apenas entre dezembro deste ano e o início de 201. Em meio às especulações no Parque São Jorge sobre possíveis candidatos, o blog entrevistou por e-mail Fran Papaiordanou, um dos líderes da oposição. Confira abaixo.

Quem o seu grupo apoiará na próxima eleição no Corinthians?

 Nosso grupo terá um candidato, a gente vem trabalhando para escolher o melhor, não quanto à capacidade e condições de administrar, pois estas condições nossos candidatos têm, mas também às condições financeiras, familiares e de credibilidade dentro e fora do clube, porque a próxima gestão terá  um passivo que o clube nunca viu  e demandará uma dedicação, trabalho muito maior do que as anteriores. Quanto aos nossos candidatos, temos três, por ordem alfabética, Antonio Roque Citadini , Osmar Stabile e Paulo Garcia.

 Andrés Sanchez procurou você para costurar um acordo político? Vocês podem apoiar o mesmo candidato que Andrés?

 Não, faz tempo que não falo com Andrés, porém ele tem falado com o Paulo Garcia, com o Antonio Roque Citadini, mas nada sobre eleições. Conversam porque são amigos.

Sobre a apoiar um mesmo candidato, acho difícil, porém nada é impossível. Da nossa parte, todo apoio de qualidade é bem recebido, até porque os grupos no Corinthians estão muito fragmentados. Seria bom se tivéssemos um candidato que fosse do agrado da grande maioria, isso seria muito bom para o Corinthians. Hoje para o bem do clube, os grandes corintianos deveriam deixar algumas rusgas políticas de lado e viabilizar um candidato que realmente viesse a representar o Corinthians como ele merece, com firmeza, respeito e muita personalidade, tenho certeza que a nação corintiana agradeceria.

 Quais as principais propostas de seu grupo?

 Estamos trabalhando e montando um plano de governo ajustado para a realidade do clube e bem moderno, logo que possível será apresentado pelo nosso candidato.

Quais os principais problemas do clube na sua opinião?

A gestão do futebol e o desperdício de dinheiro com maus negócios.

Qual o quadro político do Corinthians hoje na sua opinião. São muitas as divisões? Acredita em divisão entre Mário Gobbi e Andrés Sanchez?

Nós vemos claramente uma divisão na situação, os motivos reais só eles podem dizer, contudo acho que irão lançar um candidato único para dar continuidade a atual administração.

 

Oposição cogita ir à Justiça contra votação de cobertura do Morumbi dia 16

Leia o post original por Perrone

A oposição do São Paulo estuda entrar com uma ação na Justiça para evitar que, no mesmo dia, 16 de abril, sejam realizadas a eleição do novo presidente do clube e a votação do projeto da cobertura do Morumbi.

No entender dos opositores, para o estatuto ser respeitado, deveriam acontecer duas reuniões do Conselho Deliberativo, uma para cada tema. A situação, por sua vez, não vê irregularidade em juntar as pautas.

Votar a cobertura no mesmo dia da eleição, foi a solução encontrada por Juvenal Juvêncio para evitar que os opositores boicotem de novo a aprovação da cobertura. Eles já esvaziaram o encontro em que o projeto seria votado no ano passado, impedindo a presença mínima de 75% dos conselheiros exigida para que o tema seja colocado em votação.

Só que dessa vez, a oposição tem que comparecer para votar em Kalil Rocha Abdalla, seu candidato à presidência, que tem chances remotas de derrotar Carlos Miguel Aidar. Isso porque a situação já tinha a maioria no Conselho Deliberativo e no último sábado elegeu mais 49 membros contra 31 opositores.

Quando boicotou a aprovação da cobertura, a oposição afirmou que desconhecia os contratos referentes ao projeto. A diretoria alega que agora mostrou todos os documentos que foram pedidos. O grupo de Kalil responde, no entanto, que alguns ainda não foram mostrados.

Mas o argumento mais forte dos opositores passou a ser de que não há mais motivo para colocar o tema em votação, já que a Andrade Gutierrez, que seria parceira na obra, desistiu do projeto justamente por causa da disputa política. Já a diretoria declara que conversa com outros interessados.

Apesar da ameaça oposicionista de entrar na Justiça, pode haver uma decisão negociada. Intermediários das duas partes conversam sobre a possibilidade de um acordo, que envolveria cargos na futura administração. Oficialmente, as duas partes negam interesse em negociar postos na diretoria.

São Paulo: oposição provocou mudanças

Leia o post original por Wanderley Nogueira

Kalil e MACO crescimento da oposição no São Paulo provocou as últimas mudanças.

Kalil Rocha Abdalla e Marco Aurélio Cunha tiraram Juvenal Juvêncio da zona de conforto .

Mesmo tendo grande força no Conselho Deliberativo , o presidente do São Paulo percebeu que a oposição conseguiu muitas adesões.

O time está tropeçando, o que é um argumento poderoso para fortalecimento dos opositores.

A zona do rebaixamento é um eficiente cabo eleitoral daqueles que combatem Juvenal Juvêncio.

Além disso, JJ sentiu que aquele discurso que afirmava que “Juvenal elege qualquer um…” estava enfraquecido.

Os nomes dos pré candidatos não estavam, digamos, motivando os eleitores.

Juvenal Juvêncio demitiu Autuori e contratou Muricy, treinador pedido pela torcida e pela maioria dos conselheiros.

Além disso, convenceu o ex- presidente Carlos Miguel Aidar a concorrer nas eleições de abril\2014 .

Aidar é um ”cardeal” importante. Tem prestígio e força política.

Nesse momento, é o favorito.

Mas tudo isso só aconteceu porque JJ constatou que a oposição está viva.

Há muito tempo Juvenal não tomava um susto…

Oposição do Fla pede advertência para Patrícia por usar Love em campanha e pode impugnar candidatura

Leia o post original por Perrone

A oposição do Flamengo pede à presidência do Conselho Deliberativo que puna pelo menos com advertência por escrito Patrícia Amorim. O argumento é de que ela violou o estatuto rubro-negro ao usar Vágner Love em sua campanha como candidata a vereadora no Rio.

Pelas regras do clube, símbolos e funcionários do Flamengo não podem ser usados por sócios em campanhas eleitorais.

Se aplicada, a advertência pode ter sérias complicações para a atual presidente. Isso porque os sócios punidos até três anos antes da eleição do clube perdem direito a voto. E só pode se candidatar quem tiver o direito de votar, de acordo com o artigo 154.

Como a advertência é uma punição, Patrícia, candidata a mais um mandato, se tornaria inelegível na próxima eleição para presidente do Flamengo.

Para reforçar a tese, a petição entregue pelos opositores lembra que em 2002 o vice-presidente Júlio Lopes foi suspenso por 30 dias pelo Conselho Deliberativo sob a acusação de usar o Flamengo em sua campanha para Deputado Federal.

Os conselheiros Jorge Roberto Teixeira Braga e Francisco Gularte encabeçam o pedido, endereçado a Sylvio Capanema de Souza, presidente do Conselho. O blog não conseguiu localizar Patrícia para falar sobre o assunto.

Em resposta a Rosenberg, oposição diz que vice usa Corinthians para crescer

Leia o post original por Perrone

O blog recebeu pedido de resposta da oposição corintiana após publicar texto de Luís Paulo Rosenberg. O vice-presidente corintiano alegou que sua frase sobre o Corinthians ter um time medíocre (no sentido de mediano, sem estrelas segundo ele) foi politizada por quem perdeu a última eleição no clube.

Leia abaixo, na íntegra, a resposta oposicionista, enviada por e-mail.

                                   Ficou pior a emenda que o soneto

 Rosenberg deveria ter ficado quieto e assumido o erro. Seria mais bonito e mais nobre, mas é demais esperar isso de quem só sabe olhar para o próprio umbigo.

 Rosenberg mostra também ter reflexo retardado. Ao tentar explicar depois de tantos dias as bobagens que falou sobre o time do Corinthians e sobre o clube Corinthians, ele simplesmente acusa o golpe. Nada mais. Suas explicações são tão pífias como a sua gestão do marketing corinthiano, sem o respaldo de Ronaldo, o Fenômeno.

Como lembrou Roque Citadini [um dos líderes da oposição] em seu blog, taxar o time atual do Corinthians de medíocre para fazer bonito num debate com os estudantes foi o mínimo, infelizmente.
 
Pior foi querer crescer em cima do próprio clube. Pois, na mesma reunião, Rosenberg afirmou que era muito difícil ser diretor de marketing de um clube “que não tinhas as conquistas internacionais de um São Paulo e de um Santos”. Porém, com a sua “genialidade”, ele completou: “apesar disso, o nosso marketing foi super-eficiente”. Só faltou acrescentar, apesar do Corinthians.
 
 Talvez, tenha cometido aí ato falho grave, dando razão a muitos que insistem afirmar que ele, na verdade, dono de duas cadeiras cativas no Morumbi, seja sãopaulino de coração.
 
De fato, somente alguém que torce contra ou não entende nada de futebol para cometer tantos disparates em tão pouco tempo. Rosenberg falou besteira, ponto com, ponto br. Não tem politização nenhuma no ar. Ele bem que gostaria que tivesse, para desviar o foco, mas não tem.
 
A oposição está é bem quietinha, torcendo pelo Corinthians. Acreditando no time, que está invicto, que vai ser campeão, se Deus quiser. E que não é medíocre coisa nenhuma.
 
Quem está fazendo barulho fora de hora e sendo profundamente inconveniente é justamente Rosenberg.
 
Desesperado, porque sabe que está queimado com os jogadores e com a torcida, que não é boba, ele quer nos chamar para a briga. Nós não vamos.
 
Temos mais o que fazer. Perguntaram ao leão porque ele ficava tão calado enquanto a hiena o provocava tanto. O leão respondeu: se eu brigar com a hiena, certamente vou ganhar, tenho mais porte, mais força, mais moral. Mas vou ficar com um cheiro insuportável, porque você não sabe muito bem o que hiena faz no seu dia a dia, não é mesmo?
 
Rubens Gomes da Silva
Conselheiro Vitalício,
Ex-Membro Eleito do CORI (Conselho de Orientação)
Membro do Grupo Pro-Corinthians
 

Oposição corintiana faz manifesto contra Rosenberg e a favor de jogadores

Leia o post original por Perrone

A oposição corintiana preparou um manifesto para apoiar o time e atacar o vice-presidente do clube, Luis Paulo Rosenberg. Na semana passada, em palestra para estudantes, o cartola classificou o time alvinegro de medíocre, como revelou o UOL Esporte.

O texto produzido pelo grupo Pró-Corinthians não cita o nome de Rosenberg. Mas lamenta que “nesta hora decisiva para a equipe, elemento da diretoria faça declarações desqualificando o time e, mais grave, a própria história do Corinthians”.

O grupo que se manifesta foi responsável pela campanha de Paulo Garcia, derrotado por Mário Gobbi na última eleição.

A ideia inicial dos opositores era fazer um abaixo-assinado pedindo a saída de Rosenberg da diretoria. Mas decidiram adiar o plano para depois da Libertadores.

Em entrevista ao Uol Esporte, Rosenberg afirmou que usou a palavra medíocre no sentido de mediano, sem destaques individuais.

Para o grupo situacionista, a oposição apenas tenta pegar carona numa declaração para ganhar espaço na mídia.

Leia abaxio, o manifesto na íntegra.

 

MANIFESTO DE APOIO A JOGADORES CORINTHIANOS

 
 O Grupo Pró-Corinthians, que obteve 40% dos votos nas últimas eleições do clube, em nome dos conselheiros que o compõem e, certamente de milhares de fiéis torcedores alvinegros, deseja:
 

1. Manifestar inteira confiança no elenco de profissionais do Corinthians, assim como no talento, na raça e na determinação dos jogadores alvingeros que, unidos, fizeram até aqui a melhor campanha entre todos os clubes que disputam a ATUAL COPA Libertadores da América, classificando-se em primeiro lugar no seu Grupo e não perdendo uma só partida no Torneio.

 

2. Nossos votos, naturalmente, se estendem ao técnico Tite e a toda sua Comissão Técnica.

 

3. Reiteramos, por outro lado, nosso integral apoio ao CLUBE neste momento tão importante e rogamos que questões menores internas discutidas pelos proprios integrantes da atual admnistração entre si e através da imprensa, não tumultuem o ambiente entre os jogadores.

 

4. Por último, lamentamos que nesta hora decisiva para a equipe, elemento da Diretoria faça declarações desqualificando o time e, mais grave, a própria história do Corinthians. O que é inconcebível.

 

A nós, do GRUPO PRO-CORINTHIANS, só nos resta torcer com a fé e a convicção na vitória, valores que sempre acompanharam, desde 1910, osverdadeiros corinthianos.

 

GRUPO PRO-CORINTHIANS