Arquivo da categoria: paraná

Palmeiras, o especialista em segundo tempo

Leia o post original por Antero Greco

O Palmeiras se especializa em reviravoltas no segundo tempo dos jogos que disputa na Série B do Campeonato Brasileiro. Têm sido frequentes os episódios em que o líder da competição cochila na primeira parte, chega até a ficar em desvantagem e passa sufoco. Após o intervalo, sacode a sonolência, volta com novo ânimo e chega às vitórias.

O roteiro foi seguido mais uma vez, nos 2 a 1 de virada sobre o Paraná, em confronto que valia pontos importantes para a parte de cima da classificação, já que ambos estão no bloco principal. Na etapa inicial, o Palmeiras emperrou, se atrapalhou, criou poucos lances razoáveis e ainda levou gol contra (de Charles) para preocupação dos quase 30 mil torcedores que pagaram ingresso.

O panorama mudou no segundo tempo, e praticamente com os mesmos jogadores. A única alteração foi a entrada de Mendieta no lugar de Charles. O técnico Gilson Kleina repetiu a dose de partidas anteriores, corrigiu alguns erros, e o Palmeias se soltou. Principalmente quando passou a jogar pelas laterais. As oportunidades apareceram, e com elas os gols, em rebatidas: Juninho e Wesley. Missão cumprida.

O Palmeiras sobra na divisão de Acesso, e isso é consequência da força que tem. As 11 vitórias, os 34 pontos em 14 rodadas são expressivos, porém obrigação de quem pretende fazer bom papel em 2014, no ano do centenário.

E Kleina, como já escrevi aqui em outras ocasiões, lentamente molda a equipe, com alterações em doses homeopáticas. Mas que podem levar a um conjunto confiável. O torcedor aguarda e também faz a parte dele, ao comparecer aos estádios.

Verdão, de virada, ganha do Paraná e segue isolado na liderança da Série B. Galo não tem pênalti marcado no final e fica no empate com o Náutico. Botafogo dorme líder!

Leia o post original por Milton Neves

O Palmeiras continua sua caminhada para voltar à Série A do Brasileirão.

OK, levou um susto no primeiro tempo, quando Charles desviou contra o patrimônio para que o Paraná abrisse o placar no Pacaembu.

Com atuações apagadas de Alan Kardec e Wesley no primeiro tempo, o Verdão não conseguiu igualar o marcador antes do apito para o intervalo.

Mas, no segundo tempo, com a torcida alviverde empurrando e o time pressionando, aconteceu o empate, com Juninho, aos 14.

Mais 12 minutos e a virada, com Wesley, redimindo-se dos fracos 45 minutos iniciais.

Valdívia não marcou, mas voltou a jogar bem e vai reconquistando a confiança do torcedor.

O resultado mantém o time de Gilson Kleina na ponta da tabela da Série B, com 34 pontos.

No clássico catarinense, vitória do Avaí sobre o Figueirense por 3 a 1.

O São Caetano respira aliviado após derrotar o Sport, 2 a 1.

0 a 0 no clássico potiguar, entre América-RN e ABC.

Depois, pela Série A, o Galo, que viajou ao Recife, ficou no empate sem gols contra o lanterna Náutico e continua olhando os líderes do campeonato de luneta…

Esse jejum pós-Libertadores está deixando o time mineiro desnutrido de pontos…

Mas é bom ressaltar: houve um PÊNALTI para o Galo no final, mas o árbitro não marcou…

Em Brasília, o Botafogo enfrentou o Goiás e fez um gol contra e um a favor. Resultado: 1 a 1.

Esse pontinho faz o Alvinegro carioca assumir a liderança provisória do Brasileirão, um ponto à frente do Cruzeiro.

E então?

Palmeiras na Série A já são “favas contadas”?

O Galo vai continuar na “rabeira” da tabela até quando?

E o Fogão?

Não será fogo de palha?

Opine!!!

Finalmente Coxa tira o “pijama”. Furacão pega força

Leia o post original por Mion

A realidade com ou sem dor

A realidade com ou sem dor

    O futebol paranaense não pode reclamar do segundo semestre. Os três clubes brigam por conquistas: Coxa pela liderança, Atlético próximo do G-4 e Paraná ensaia sua volta à Série A. O Coritiba venceu o Grêmio em Porto Alegre e está grudado nos líderes Cruzeiro e Botafogo. O triunfo tem um gostinho especial por três razões. Primeiro porque continua na luta pela liderança, venceu a primeira partida fora de casa e para completar venceu um clube difícil de ser batido em sua casa sem Alex, afastou aquele conceito de só conseguir resultados positivos quando o craque está em campo.

Já o Atlético demonstrou nas 10 primeiras rodadas falta de capacidade de reagir, acumulou péssimos resultados. Na Baixada rondava o receio de cair novamente à segunda divisão. Vagner Mancini assumiu e deu uma nova cara. São quatro vitórias consecutivas que trouxeram confiança ao torcedor e respeito dos adversários. Resta saber se manterá este crescimento ou foi apenas um lampejo de força.

No jogo de ontem o técnico Marquinhos engoliu taticamente Renato Gaúcho, em campo, o Coxa fez o mesmo. Os gaúchos pouco ameaçaram e quando chegaram ao gol adversário perderam chances em virtude do excesso de ansiedade. Renato terá muito trabalho para manter o tricolor pelo menos entre os 10 primeiros colocados. A experiência de Marquinhos com 3 zagueiros certamente deixará dúvidas para o jogo diante do Vasco. Os laterais Victor Ferraz e Diogo puderam apoiar, aliás a maior virtude dos dois. Com 12 rodadas concluídas o panorama não mudou: Cruzeiro, Botafogo e Coritiba continuam por cima e agora o Atlético chega com força. Para aqueles que apostavam em uma mudança radical no decorrer das rodadas, é melhor rever os seus conceitos e admitir que o Brasileirão não tem favorito e as surpresas vieram para ficar. Vão incomodar até o final.

Pós-jogo: América 2 x 2 Paraná

Leia o post original por Flávio Drummond


Design Arthur Henriques (Twitter: @arthurhenriques)

Empate justo!

 

Mais uma vez, o fator “Independência” não deu resultado.

“América-MG e Paraná ficam no 2 a 2 em um jogão no retorno da Série B”

O Coelhão, além de enfrentar um adversário de qualidade, sofreu – e muito – com a covarde arbitragem do Jean Pierre Gonçalves Lima.

Como o “homem do apito” não é um ruim, tenho que ele estava mal intencionado mesmo.

Além de inverter várias faltas, deixou de marcar um pênalti claro sobre o Nikão já no fim da partida.

Lamentável!

A Diretoria tem que abrir o olho.

“Presidente do Coelho desabafa: ‘O árbitro nos prejudicou o tempo todo’”

Quanto ao jogo, perdemos muita força ofensiva com a ausência do Nikão no primeiro tempo.

Infelizmente, é necessário admitir que o tempo do Fábio Junior chegou ao fim.

Acredito, inclusive, que com o retorno do Alessandro, o nosso veterano atacante perderá até a condição de reserva.

Também, gostei da postura do Paulo Comelli.

Há muito tempo não vejo um treinador no Coelhão que procura a vitória durante os 90 minutos.

Por fim, em relação às vaias dos torcedores para o Kléber, ouso discordar!

Ainda que ele tenha errado passes fáceis assim que entrou na partida, é preciso lembrar que ele recentemente se recuperou de uma grave contusão e tem, sim, muito bola para ajudar o América nesta Série B.

“Herói americano, Andrei Girotto lamenta resultado no Independência”

Desta vez, o grande destaque foi o Andrei – autor dos dois gols.

Que belo jogador!

A próxima partida pela competição será contra o Bragantino, no próximo sábado, novamente no Independência.

Vamos ver se a torcida comparece em um número maior, já que o público pagante foi decepcionante.

Uma vitória nos colocará novamente no G4, pois caímos para a 5ª colocação em função do saldo de gols.

MELHORES MOMENTOS

#AcreditaAmérica

“Coelho na raça, deca no peito!”

Pré-jogo: América x Paraná

Leia o post original por Flávio Drummond


Design Arthur Henriques (Twitter: @arthurhenriques)

E será dada a RE-largada!

 

Hoje, a torcida do Coelhão tem bons motivos para comparecer em um grande número ao Independência.

“Em boa fase, América-MG e Paraná Clube brigam por um lugar no G-4

Primeiro, porque a última vez que atuamos em nossa casa foi no dia 28 de maio – saímos derrotados pelo Figueirense -, ou seja, há mais de um mês não temos um jogo do América em Belo Horizonte.

Segundo, após aquela desastrosa partida, colecionamos quatro vitórias seguidas na competição, o que demonstra a evolução da equipe, mesmo ainda atuando desfalcada de importantes “peças” que foram contratadas para esta Série B.

Terceiro, defendemos a nossa vaga no G-4!

Espartanos, precisamos fazer o Independência um diferencial para a nossa equipe e, para que isso ocorra, o comparecimento da torcida é essencial.

Os números não mentem: se tivermos um aproveitamento bom nas partidas que disputaremos em nossos domínios, o acesso para a Série A está praticamente garantido.

Além disso, os jogadores estão demonstrando muita garra nas partidas realizadas no campo do “inimigo” e merecem, mais do que nunca, serem prestigiados com o estádio cheio esta noite.

Para a partida de logo mais, um desfalque importante: o Nikão, apesar de recuperado da lesão que lhe tirou de boa parte dos treinamentos durante esta parada em função da Copa das Confederações, não tem condição de atuar os 90 minutos ainda, razão pela qual o Paulo Comelli optou em iniciar o jogo com o Fábio Junior.

O provável time titular: Matheus; Leandro Silva, Vitor, Jaílton e Danilo; Andrei, Claudinei, Doriva e Rodriguinho; Willians e Fábio Júnior.

Por fim, mais um pedido à torcida: a equipe do Paraná tem a melhor defesa da competição, juntamente com o Palmeiras: sofreram apenas 3 gols em 6 partidas. Em razão disso, PACIÊNCIA!

Espartanos, todos ao campo, empurrando o Coelhão para mais uma vitória!

#AcreditaAmérica

“Coelho na raça, deca no peito!”

Performance Avaiana – Avaí 3 x 1 Paraná

Leia o post original por estevesjunior

Seis minutos de bom futebol e foi só!

Vamos para as análises.

Moretto: Falhou no gol do Paraná em uma bola alçada na área, aliás, sua principal deficiência. Nas outras intervenções esteve bem. Classifico seu desempenho, desde que entrou substituindo de Diego, como boa.

Arlan: Foi bem na marcação, nos passes também não teve problemas, foi algumas vezes na frente, fez cruzamentos, mas a maioria sem sucesso. O Arlan evoluiu bastante nos últimos jogos, ainda precisa ter mais calma e caprichar na hora de efetuar os cruzamentos.

Fred: Fez mais um gol cobrando falta, sua principal virtude, mas voltou, defensivamente, a mostrar lentidão nas disputas com os atacantes adversários.

Jaílton: Não cometeu falhas graves, pelo contrário, até ganhou algumas disputas, mas tecnicamente deixa muita a desejar, tem sérias dificuldades para sair jogando, normalmente faz com chutões.

Julinho: O Julinho é um caso sério, aparece muito na partida, consegue vários avanços, nesse jogo concluiu na trave, deu um balão no adversário com uma lambreta, mas se fomos extrair o que dá certo nas suas aparições, é bem pouco, sem contar o número absurdo de erros de passes.

Bruno: Como sempre marcou bem não deixando os adversários tramar pelo meio campo defensivo do Avaí, além disso, fez grande jogada, passando por três adversários e forçando o goleiro Paranista a fazer boa defesa.

Mika: Jogou apenas o primeiro tempo, e novamente não deu grandes contribuições, apenas no tocando de lado sem conseguir chegar à frente.

Pirão: Novamente foi discreto, limitou-se a marcar, tanto com segundo volante quanto como lateral esquerdo, função desempenhada no segundo tempo para que Julinho jogasse um pouco mais a frente.

Jefferson Maranhão: Não participou tanto no jogo, mas quando apareceu, o fez, dessa vez, com qualidade. Destaque para três jogadas: o gol que fez, demonstrando boa técnica; a boa metida de bola para o Laércio fazer o segundo gol e outra grande enfiada para o Arlan chegar à linha de fundo.

Diogo acosta: Limitou-se a dar o passe para J. Maranhão fazer o gol, no restante do tempo em apareceu poucas vezes, todas sem sucesso. Novamente foi muito mal, fruto disso foi sua substituição por Evando no início da segunda etapa.

Laércio: Fez um bonito gol, sofreu a falta em que o Fred fez o terceiro gol e concluiu na trave, se fosse sempre assim seria muito bom, mas o problema é que não é, pelo contrário, é quase sempre como demonstrou nas outras aparições nesse jogo, perdendo as disputas e errando os passes, por tudo isso, concluo que sequer pode permanecer no grupo para 2013.

Evando: Entrou no início do segundo tempo, me pareceu um pouco preso por conta da participação nos 90 minutos na última terça, com isso perdeu a maioria das disputas e errou alguns passes, mesmo assim ainda conseguiu duas boas conclusões de fora da área.

Diogo Orlando: Substituiu Mika, ainda no intervalo, novamente demonstrou boa capacidade de marcação e algumas chegadas na frente, em uma delas, conseguiu bom cruzamento para Laércio, apesar disso, evidenciou em muitos lances, sua falta de qualidade técnica.

Érick Flores: Substituiu Jefferson Maranhão no segundo tempo, conseguiu uma conclusão em jogada pessoal, acertou a maioria dos passes, quase não perdeu disputas, precisa ser mais bem observado.

Argel: Novamente escalou o time com esquema que utiliza desde a sua chegada, com três volantes, mas como já escrevi várias vezes nesse espaço, o nosso problema não é tático e sim de qualificação dos atletas. Nesse jogo demos a sorte, de fazer três gols em seis minutos e decidir a partida, no restante do jogo, mais uma vez, fomos mal.

Fabrício Daniel
@Phabryssio

Vitória do descompromissado Avaí

Leia o post original por estevesjunior

Foto: Antonio C. Mafalda / Mafalda Press / Futura Press

Ninguém imaginaria que aos cinco minutos do primeiro tempo o placar já estaria de 3 a 0 para nós. Na verdade, nem para nós e nem para o Paraná. Os gols foram de Jefferson Maranhão (1′), Laércio (3′) e Fred (5′). Não dava para ter sido assim nas partidas passadas?

Até que foi um jogo bom de se assistir. O descompromisso do Avaí agora com a Série B deixou o time mais tranquilo. Como já era esperado poucas pessoas foram assistir a partida. Precisamente o público da Ressacada foi de 1.320 pessoas e a renda de R$ 11.645,00.

Finalizaremos a 33ª rodada na 9ª posição na classificação geral. Nosso próximo confronto será em Fortaleza, contra o Ceará, às 21h do dia 2 de novembro.

Saudações Avaianas

Esteves Junior
@souavaiano

Pós-jogo: América 0 x 0 Paraná

Leia o post original por Flávio Drummond

Design Arthur Henriques (Twitter: @arthurhenriques)

Independência – Casa dos Terrores!

 

Foto: GLOBOESPRTE.COM

“América-MG e Paraná mantêm escrita e ficam no 0 a 0 em BH”

Essa é a definição perfeita para mais um desastre do América jogando no Independência.

Nas últimas 6 partidas em Belo Horizonte foram 3 empates (Guarani, América-RN e Paraná) e 3 derrotas (Joinville, Vitória e Ceará).

Incrível como o rendimento caiu em nossos domínios.

E as principais “estrelas” deste filme de terror foram o Bryan – ator principal – e o Leandro Ferreira – ator coadjuvante.

Passou da hora da Diretoria resolver o problema da lateral-esquerda. A minha paciência acabou com o Bryan e o desespero aumenta quando lembro que o seu reserva imediato é o Pará.

Na parte da criação das jogadas, a notícia boa foi a contusão do Thiago Humberto. Quem sabe ele não faz companhia ao Fábio Junior por três semanas no departamento médico?

“Feliz com reestreia, Geovanni diz que pode render mais no América-MG”

Gostei da estreia do Marquinhos Paraná e do Geovanni. Na verdade, do Geovanni nem tanto, já que o nosso novo camisa 10 perdeu um gol daqueles. Quanto ao Ewerthon, não considero que fez a sua estreia ainda, vez que 15 minutos e naquelas circunstâncias não conta.

“Mauro Fernandes admite ansiedade e atuação razoável do América-MG”

Já o Mauro Fernandes, apesar de não confiar nem um pouco em seu trabalho, PARECE que a sua conversa vem surtindo algum efeito, mas aguardarei as próximas três rodadas para analisar o seu trabalho, como fiz com o ídolo Milagres.

Por fim, ainda faltam 4 jogos para somarmos 9 pontos, ou seja, precisamos de três vitórias contra Criciúma (F), São Caetano (C), Avaí (C) e Bragantino (F) para batermos a primeira meta deste returno.

Sei que é ainda continua bastante complicado, contudo estamos somente 6 pontos do 3º e 4º lugares.

Mas como muito bem colocado pelo Ramon Gregório mais cedo via Facebook: “não adianta nada os outros resultados ajudarem, se o América não faz o seu dever de casa”.

Portanto, #AcreditaAmérica!

Nos dê uma, apenas uma esperança para acreditar.

Não quero jogar a toalha!!!

MELHORES MOMENTOS

#VamosSubirCoelho

#América100anos

#Coelho100anos

“Coelho na raça, deca no peito!”

Pós-jogo: Paraná 0 x 1 América

Leia o post original por Flávio Drummond

Design Arthur Henriques (Twitter: @arthurhenriques)

MAIS UMA VITÓRIA!


Foto: GLOBOESPORTE.COM

Espartanos,

Inicialmente, gostaria de agradecer o Gustavo Emery por ter atualizado o Caldeirão do Deca nestas quase duas semanas que estive de férias, inclusive do América.

“Com dois a menos, América-MG segura pressão do Paraná e segue líder”

Depois do resultado de ontem, sinceramente, acredito que estamos no rumo certo para assumir, em mais algumas rodadas, a condição de favoritos ao acesso, bem como ao caneco.

100% de aproveitamento nas três primeiras rodadas, sendo duas vitórias fora de Belo Horizonte e contra o Ceará e Paraná, não é para qualquer clube.

Vamos Coelhão! Estamos no caminho certo, mas sempre com os pés no chão, pois esta estrada é muito longa.

Quanto à partida, fiquei bastante decepcionado com o futebol apresentado pelos nossos laterais. Pela direita, ouvi maravilhas sobre o Boiadeiro, principalmente após a sua partida contra o CRB, mas ontem ele me fez sentir saudades do Rodrigo em vários momentos. Tenho dúvidas sobre quem deveria ser o titular na posição. Já na esquerda, o Bryan tem que se explicar. Desde as finais do Mineiro – sumiu em campo nos dois jogos contra o CAM – o “melhor” lateral-esquerdo do campeonato não apresenta um bom futebol, errando excessivamente passes curtos e cometendo falhas grosseiras na marcação. Desça do salto, garoto! Que se dê mais uma oportunidade ao Pará.

Já a zaga… A ZAGA!!! O Everton “Red Bull” Luiz entregou a paçoca ainda no primeiro tempo, mas a “Muralha” Neneca salvou com os pés o gol do Paraná. Ainda bem que o Vinicius Simon está chegando.

O meio-campo me surpreendeu mais uma vez. O Leandro Ferreira e o Dudu “Pit Bull” estão bastante eficientes no desarme; o “Maestro” Gilberto deu o toque de experiência que estava faltando e o Rodriguinho continua acertando bons lançamentos, vide o que originou o nosso gol. Sensacional a bola que ele colocou para o Bruno Meneghel.

“Givanildo perde titular e reserva imediato para jogo com o Criciúma”

Contudo, o Dudu não pode levar dois cartões amarelos daquela maneira e sair mais cedo do jogo. Até quando, Ídolo? Já o Thiaguinho um desastre. Jogador profissional não pode dar uma cotovelada daquelas em um adversário de forma alguma. Simplesmente, inaceitável! Acorda! Perdeu uma grande oportunidade de mostrar o seu futebol no próximo sábado, já que era o reserva imediato da posição. Vamos ver quem o Givanildo escalará: China ou Gilberto.

O ataque passou em branco, contudo, a nova dupla Fábio Junior e Bruno Meneghel deu bastante trabalho para a defesa rival. O Adeílson, também, entrou bem no final da partida.

Por fim, quanto ao Givanildo, REPITO, tem o time na mão, mas é de matar o torcedor de raiva com as suas substituições. Eu não aceito, de forma alguma, recuar a equipe daquela maneira, ainda que jogando fora de Belo Horizonte. Chama demais o adversário para cima da nossa defesa e ficar dependendo apenas dos milagres do Neneca lá… Enfim, ele é o treinador!

“Givanildo ressalta espírito de luta do Coelho na terceira vitória seguida”

O próximo compromisso é o perigoso Criciúma. Jogo de líderes! Em disputa os 100% da competição. A torcida precisa demonstrar a sua força e comparecer em bom número ao Independência.

Continuem acreditando!

MELHORES MOMENTOS


#VamosSubirCoelho

#América100anos

#Coelho100anos

“Coelho na raça, deca no peito!”

Receba as atualizações do Caldeirão do Deca pelo Twitter. Siga @CaldeiraodoDeca.

Começou a Copa do Brasil

Leia o post original por porcopedia

Mazinho, o "Black Messi", mostrou as credenciais (Foto: Cesar Greco / Agência Estado)

Salve palestrinos !

Ontem o Verdão fez a única coisa que se esperava dele, vencer. E venceu bem. Desde o começo do jogo o Palmeiras foi pra cima, jogou como deveria jogar em todos os jogos. A grata surpresa da partida foi Mazinho. O atacante que fez ontem sua 2ª partida, fez 2 gols e deu uma assistência sem querer para o gol de Valdivia. Mazinho mostrou que é um jogador rápido, que parte pra cima, como Maikon Leite. E melhor, sabe chutar ! Se futebol é momento, hoje ele é a melhor opção no comando de ataque, ao lado de Barcos. O argentino mais uma vez não foi bem, parece incomodado com a seca de gols e ansioso na hora da conclusão. Quem voltou a mostrar um bom futebol foi Valdivia, que se movimentou bem, finalizou em algumas oportunidades e acabou fazendo o seu, depois de muito tempo sem marcar. Cicinho melhorou e Juninho também fez uma boa partida, subindo bastante ao ataque e levando perigo em dois chutes perigosos. Dos 3 do meio, João Vítor foi o mais apagado. Assunção deu 2 passes para os gols de Mazinho e Araújo, vejam vocês, chegou a meter uma bola no fim do jogo feito um camisa 10. Que time nos proporcionaria um momento com esse ? (Paranáááássalegria <— Stand Up Frizzo Comedy ®). A zaga teve um momento de tilt, para nossa sorte, o atacante paranista entrou livre mas se atrapalhou com a bola. O destaque negativo fica para Henrique, que perdeu o controle e se fosse outro adversário poderia ter nos complicado. Bruno não teve muito trabalho e deve continuar na meta.

Dos que entraram, Román foi bem, não comprometeu e quase acabou deixando o seu no fim da partida. Maikon Leite entrou e fez um gol depois de uma bela roubada de bola e arrancada e Patrik entrou no finalzinho, quando todos queriam Felipe. Das mexidas de Felipão, acho que ninguém deve ter entendido a saída de Barcos para a entrada de Román, para compor a zaga. No fim do jogo, depois de metralhar a diretoria, ele disse que tirou Barcos para poupá-lo, pois estava pendurado. Acho estranha a explicação porque ontem não foi um jogo pegado, de faltas violentas. Era só Barcos se controlar. Tudo bem que ele não fez uma boa partida mas o normal seria tirar Cicinho ou um volante, especialmente porque um atacante deles também foi expulso. A entrada de Maikon Leite no lugar de Mazinho foi normal já que os dois tem as mesmas características. Aí a torcida queria ver Felipe em campo e o bigode colocou Patrik, pra acalmar os ânimos dos torcedores. Já pensou se Felipe entra e o time vai pra cima, marcando mais gols ? Minutos antes da entrada de Patrik, Felipão pedia a torcida para não gritar olé na troca de passes entre nossos jogadores. E eu achava já ter visto de tudo. Daqui a pouco Felipão vai pedir pra torcida pra não vibrar na hora do gol. pode ser que isso, na cabeça dele, seja um desrespeito, vai saber. Já está tão raro o palmeirense ter alguma alegria e nosso treinador acha que é falta de respeito a torcida gritar olé para o time adversário. Pois é.

Voltando à vaca fria (ou ao porco frio), apesar da goleada, do bom jogo, da aplicação dos jogadores, das inúmeras chances criadas, não devemos achar que está tudo maravilhoso. O Paraná é um time limitadíssimo, muito fraco mesmo. Mesmo com o discurso do seu técnico, aquele nosso eterno freguês na Libertadores, que seu time iria jogar de igual pra igual, que seu time era do mesmo nível do nosso, que seu time vinha à São Paulo pra buscar a classificação, vimos que não foi nem perto disso. O Palmeiras fez sim uma boa partida e merece todos os elogios mas não vou me empolgar como fiz outro dia, na goleada por 6×2 contra o Botafogo. A verdade é que ontem o Paraná não ofereceu resistência ao Palmeiras. No 1º jogo ainda tomamos um sufoco por alguns minutos mas ontem o time do Palmeiras jogou livre, leve e solto. E com o placar favorável antes de começar a partida. Mas o importante é que o time não se acovardou em um jogo decisivo, não deixou o adversário jogar e fez o resultado com méritos.

Na próxima 4ª, o time volta a campo para o 1º jogo das 4ªs de final, contra o Atlético-PR, que despachou ontem o Cruzeiro na casa do adversário. O 1º jogo será em Curitiba, no Durival de Britto e vamos decidir em casa, em local ainda não definido. E se o time jogar focado e com essa pegada de ontem, dá pra passar pelos atleticanos do Paraná.

Finalmente começou a Copa do Brasil para o Palmeiras.

Vamos pra cima !

 

Saudações alviverdes

 

PS: já deu pra perceber que não é de hoje minha birra com Felipão e quero fazer alguns comentários sobre sua entrevista de ontem. Por mais que Felipão tenha falado a verdade, achei que faltou tato. Não era a hora e o local para aquelas declarações. Quando finalmente achávamos que iríamos ter 1 semana de folga, Felipão imita Kléber após a goleada de 5×0 contra o Avaí no BR11, e joga gasolina na fogueira. Meu palpite é que Felipão não pediu Betinho (parece que não vem mais) mas ele já pediu vários bagres que estavam aqui até outro dia e outros que continuam até hoje. Felipão fala, com razão, que cada um (da diretoria) deveria assumir suas responsabilidades. Concordo e também acho que Felipão precisa assumir a dele porque do jeito que fala se porta sempre como fosse vítima do processo, um coitado que sempre é boicotado. Felipão ganha um salário estratosférico para fazer um time competitivo. Se não lhe dão um time a altura, é só pedir a rescisão e ir para um dos inúmeros times e seleções que estão atrás dele. Simples. Outra. Felipão disse, com propriedade, que os novos jogadores que chegam (como Mazinho) devem querer, ter vontade e agarrar as oportunidades que lhes são dadas. Disse que é preciso também não ter medo de dar oportunidade. Pois é Felipão, estamos esperando isso de você em relação a alguns bons valores da base. Não tenha medo de dar oportunidades. Continuando. Felipão diz que a diretoria precisa vir a público e explicar que o clube não tem dinheiro. Depois da desclassificação contra o Guarani, César Sampaio tem constantemente dito exatamente isso pela  imprensa: o Palmeiras não tem dinheiro e não vai trazer ninguém de nome. Se Felipão, como Kléber, apelou para o “coração palestrino”  (“Eu sou mais identificado com o Palmeiras do que alguns dirigentes que aí estão”, disse), ele poderia abrir mão de metade do salário que tem até o fim do seu contrato e dar essa grana para contratar algum jogador que lhe agrade. Seis meses de salário até o fim do ano somam R$ 2,1 milhões e com essa quantia dá pra trazer alguma coisa. Minha opinião: Felipão sabe que Bananone não irá demití-lo e sapateia na cara da diretoria. Pior para o Palmeiras, que consegue ter notícias ruins até mesmo quando se classifica com uma goleada.

Por mais incoerente que possa parecer, acho um erro demitir Felipão agora. Ele deveria ter sido demitido nos vestiários do Brinco de Ouro, logo após a eliminação para o Guarani. No máximo no dia seguinte. Se já tivéssemos um novo técnico, ele teria pelo menos 10 dias para começar a trabalhar, conhecer o grupo e começar a montar seu time para o Brasileiro. Penso que demitir Felipão agora ou no meio do Brasileiro, entrar um novo treinador com o ambiente conturbado do clube somado às eleições do começo do ano seguinte e a insatisfação da torcida, poderíamos ver a maionese desandar totalmente. E quando a maionese desanda no Palmeiras, ela desanda pra valer. Só que Felipão precisa ser colocado em seu lugar, como funcionário do clube que é. Felipão não é Deus nem dono do Palmeiras.