Arquivo da categoria: Paris

Patrulha e solidariedade

Leia o post original por Rica Perrone

É chato mesmo você ficar solidário a um povo vítima de alguma coisa e ser censurado por pessoas que, naquele momento, estão mais preocupadas em questionar seus critérios do que “ajudar” ou se solidarizar com as vítimas. Bandeira da França, dos gays, de Minas, pouco importa. Alguém sempre irá questioná-lo quanto a sua hipocrisia. Até […]

Paris ainda em chamas e o mundo está de novo assustado e solidário! Vejam imagens que falam por si só!

Leia o post original por Milton Neves

#oremospelomundo #repost de #VoltemosaoEvangelho no FB Uma foto publicada por @miltonneves em

O mundo do lado da França! Reze, ore e pare de fanatismos!!!

Uma foto publicada por @miltonneves em

rafael neves

 

A ignorância é a condição mais perigosa que existe. A ignorância é uma doença que se alastra rápido e ganha corações e mentes com tremenda eficiência. É a ignorância que faz uma barragem ruir, matar um rio e acabar com a vida de milhares de pessoas. É a ignorância que faz um sujeito pegar uma metralhadora e atirar nas pessoas em nome de crenças medievais. E é a ignorância que vai fazer aumentar cada vez mais a xenofobia e o sectarismo no planeta. Pray for Paris? Desculpe, rezar não adianta nada. Em matéria de reza, os terroristas são bem mais dedicados do que nós e o homem-bomba é a prova cabal disso. A ignorância é a maior inimiga da Razão. Tempos duros pela frente. #LoveForParis #FuckTerrorism

Opine!

Futebol no Brasil virou festa da bandidagem

Leia o post original por Fernando Sampaio

11jan2015---a-cidade-de-paris-assistiu-a-sua-maior-manifestacao-publica-neste-domingo-11-1421010368524_1920x1080Estou em Paris.

Comprei ingressos para PSG x Caen.

Compra online, fácil, rápida, civilizada.

Futebol aqui na Europa é tratado como espetáculo.

No Brasil pelo visto as coisas continuam piorando….

Dei uma olhada nos sites sobre o clássico no Allianz Parque.

O carro de reportagem da Jovem Pan foi atacado pelos criminosos organizados do Palmeiras, os criminosos organizados do Corinthians brigaram entre si dentro do estádio…

Lamentável.

Não era torcida única?

Será que ainda não perceberam que é impossível colocar duas facções criminosas num mesmo estádio? Imagine colocar CV + PCC  na mesma jaula. Não tem acordo. Lembrei da Dilma pedindo negociação com o Estado Islâmico. Patético. Negociação com decepadores de cabeça !!!! Santa Ignorância.

Meu Deus, o Brasil não evolui.

Claro que nos países mais civilizados, menos violentos, os clássicos também são problemáticos.  Sim, é Verdade, mas os problemas diminuíram muito nos grandes torneios. Você tem um ou outro caso isolado, diferente do nosso futebol que todo final de semana tem morte, pancadaria, bandidagem rolando solta.

A PM já havia avisado, o estádio do Palmeiras é o mais complicado para a segurança, exige mais soldados para tentar garantir um mínimo de segurança, a Rua Turiassú é um barril de pólvora…. Será que ninguém lê, ninguém leva a sério, ninguém se importa?

http://esporte.uol.com.br/futebol/ultimas-noticias/2015/01/31/itaquerao-e-allianz-parque-sao-os-estadios-que-mais-dao-trabalho-a-policia.htm

Além disso, o Brasil está cada vez menos civilizado, nossa sociedade está cada vez mais violenta.

Infelizmente está na hora dos clássicos de uma torcida só.

 

Quem sabe daqui há alguns anos, quando os bandidos estiverem fora dos estádios, possamos ter clássicos como antigamente.

Não sou saudosista mas sinto saudades dos clássicos na minha adolescência com todos misturados no estádio.

Share This:

Grêmio estará melhor em 2015

Leia o post original por Pedro Ernesto

Feliz ano novo

Desejo feliz ano novo para a dupla Grenal. Estamos precisando resultados melhores. Faz muitos anos que não festejamos um título brasileiro. Copa do Brasil também. Gastamos muito, nossos times se endividaram contratando jogadores de qualidade media pagando salários europeus. Os resultados não foram bons. O Inter tem a volta de Vitorio Píffero. Um vitorioso, dando esperança aos colorados. O Grêmio tem Romildo Bolzan que assume a presidência e, em boa hora, pretende colocar em dia as contas que estão levando o clube aí sufoco financeiro. Tomara que tenham sorte.

 

Qualidade

Quando Romildo Bolzan diz que fará economias importantes e que o Grêmio, ainda assim,  terá um time competitivo ele tem razão. Comparando com o time do ano passado dá para dizer até que este ano será melhor. O goleiro e os zagueiros são os mesmos. Os volantes permanecem e Giuliano e Douglas dão muito mais qualidade ao meio campo. No ataque permanece Barcos com a companhia de Luan na sua verdadeira posição e com o reforço de Marcelo Moreno.

 

Gastança

Bolzan estará mostrando que para ter um time competente não precisa, necessariamente, gastar uma fortuna. Fábio Koff fez isto antigamente e deu muito certo. Só que o Grêmio quer viver de quem foi e esquece que precisa de homens atuais. Que sabe o novo presidente nos prove isto.

 

Demais

O Inter continua atrás de reforços. Mas o que era mais urgente foi conseguido. Léo preenche a lacuna da lateral direita e Nilton vai dar equilíbrio ao time. Os zagueiros vão melhorar, os meias não precisarão ser volantes. Tudo no seu lugar.

 

De menos

Os acontecimentos na França só confirmam a loucura das civilizações. Terroristas colocam o país em pânico. As pessoas têm medo de sair na rua. Ainda bem que o esporte existe e serve para aproximar pessoas. A Copa do Mundo em Porto Alegre mostrou isto.

“Olha eu aqui, em Paris”

Leia o post original por Wanderley Nogueira

* Publicado na Gazeta Esportiva de 29/08/1981

ParisPARIS – (De Wanderley Nogueira, enviado especial de A GAZETA ESPORTIVA) – Com duas horas de atraso, defeito na turbina. O Jumbo da Air France deixou o aeroporto do Galeão na última quinta-feira, por volta das 23 horas, com destino a Paris, fazendo uma escala em Nice. No interior do gigantesco avião, a Seleção Paulista de Novos.

Os jovens – média de 21 anos de idade – estavam realmente deslumbrados. Muitos nunca tinham viajado de avião. Outros não podiam entender “um avião de dois andares…”.

A tensão era flagrante, e formando um time de alto nível técnico. Tudo era novidade: o tamanho dos reatores, a elegância dos comissários, a dimensão do avião, o som individual, a tela para a projeção de um filme e os avisos luminosos. Não fume e aperte o cinto (em idioma inglês).

A decolagem foi absorvida pelos jogadores da Seleção Paulista de Novos: alguns rezando baixinho. Outros agarrados aos braços da poltronas. Aos poucos as últimas luzes do Rio de Janeiro foram desaparecendo. Mas mesmo assim eles ficaram com os rostos  colados na janela deglutinando a escuridão.

Durante longo vôo – 12 horas – os jogadores da Seleção Paulista de Novos aproveitaram todos os momentos. Comeram de tudo que tinham direito. Tiraram fotografias com os comissários. Distribuíram brindes e tentaram arranhar algumas palavras em francês para um mais fácil entendimento com os comissários.

Os fatos curiosos também não deixaram de ocorrer, como sempre aparece numa primeira viagem. Um jogador colocou o sal no café e o açúcar na salada; outro tentou pagar o jornal que estava lendo.

Ao chegarem no moderno aeroporto Charles de Gaulle, em Paris, os rostos eram de alegria. Eles mesmo brincavam: “… Quem diria, hein? Eu em Paris…”.

Um ônibus especial levou para o Hotel Meridien e após um rápido banho e um discreto jantar, os jogadores foram conhecer o metrô de Paris. A torre Eifel e a Avenida Champs Elysees com seu incrível arco do triunfo.

Ontem – sexta-feira a delegação da Seleção Paulista de Novos seguiu para o Aeroporto Internacional para viajar – Via Air France – com destino a Bangok – um vôo de 12 horas. Na capital da Tailândia haverá troca de avião, e então o selecionado seguirá para Kuala Lumpur, capital da Malásia. A estréia na Copa Nacional da Malásia está marcada para o próximo dia 30 e todos esperam que o futebol brasileiro – representado pela Seleção Paulista de Novos – faça uma boa apresentação.

Nos dois últimos anos, seleções paulistas ganharam todos os títulos e jogos disputados em território asiático e isso serviu para que o futebol brasileiro ficasse ainda mais em alta por aquelas plagas.

O empresário, Elias Zancour, não conseguiu confirmar oficialmente ainda nenhum outro jogo além da disputa que será realizada na Malásia.

Ele diz, oficialmente, que apenas ocorrerão jogos na Arábia Saudita e na Indonésia. A verdade é que todos os jogos dependem da presença do selecionado na disputa que começa dia 30. Dela, dependem os lucros do empresário, com um maior número de jogos. Ele mesmo confidenciou que “preciso vencer na Malásia. De qualquer jeito…”. Aliás esse “qualquer jeito” reafirma que os empresário está muito mais preocupado com seus negócios que com o bom senso. Por ter compromissos com a empresa aérea que levou o selecionado, montou um vôo “Rio-Paris-Bangok”, quando seria mais racional um vôo em outra companhia “Rio-Tóquio-Malásia”. Nenhum jogador ousou reclamar abertamente. Afinal, são jovens e esta vai ser uma importante chance no futebol mundial.

A rápida passagem da Seleção Paulista de Novos em Paris, serviu para o envio de dezenas de cartões postais para os familiares – quase todos são do interior de São Paulo – e as frases nos cartões eram quase que as mesmas. Uma das outras:

“Vocês não pode nem imaginar o que é Paris. É um negócio…”. Esses fascinados jovens ficarão ainda mais entusiasmados quando estiveram frente a frente – e será daqui a pouco – com a misteriosa Ásia. Um continente repleto de filosofia. Atraente pelos seus costumes milenares.

Com relação ao futebol asiático, os meninos esperam um futebol muito veloz, mas carente de técnica. Apesar de uma certa evolução constatadas nos últimos meses através das informações chegadas ao Brasil. Entendem os jovens brasileiros que se tocarem a bola, utilizarem a inteligência, a malícia, as vitórias surgirão naturalmente.

A maior preocupação é com relação ao cansaço que certamente tomou conta da delegação, depois de tantas horas de viagem.

Agora ficam esperando que os jogadores façam algum “milagre” para eliminarem o abatimento natural. Mas como no futebol, milagres não acontecem resta aos torcedores do Brasil, torcerem para as agradáveis vitórias da Seleção Paulista de Novos.


Amigos, entro de férias. Assumam o Blog do Odir este mês!

Leia o post original por Odir Cunha


Eu, a Suzana e os amigos Lu e Peres na praia de Santos, em um raro domingo de descanso.

Amigos e companheiros deste blog que se dedica aos assuntos do nosso querido Santos Futebol Clube: faço deste o último post antes das minhas férias, que começam amanhã, quarta-feira, com uma viagem para a Cidade-Luz, em que o Santos era recebido com honras e desfilava em carro aberto. Depois, eu e Suzana vamos para Lisboa, onde o Alvinegro Praiano se tornou o primeiro time brasileiro campeão mundial, e finalmente seguimos para o Porto, onde temos parentes e amigos.

Durante outubro não palpitarei neste blog uma única vez. Quero deixá-los à vontade para que digam, por meio de artigos, o que pensam sobre o Santos, seus jogadores, comissão técnica, diretoria, jogos e o futuro. Peço que colaborem enviando artigos para o e-mail blogdoodir@blogdoodir.com.br

Seus e-mails serão recebidos pelo jovem e competente santista Vítor Queiroz de Abreu, amigo e parceiro essencial para a criação e manutenção deste precioso espaço para os santistas.

Como editor do blog em outubro, Vítor escolherá um post por dia e liberará os comentários. Escrevam quantos artigos quiserem. Nem é preciso dizer que não serão liberados textos ou comentários difamatórios e/ou grosseiros. Tentem trazer luzes sobre assuntos relevantes para o Santos e para o futebol.

Algumas dicas para um bom post

Faça o título em apenas uma linha, com o máximo de 60 caracteres (com espaços).

Evite textos muito extensos. Prefira posts com o máximo de oito parágrafos, ou 40 linhas em word.

Se quiser colocar um link de um vídeo, vá ao Youtube, clique em Compartilhar (abaixo do vídeo, à direita) e copie o código no seu texto. Por exemplo: o código http://youtu.be/-5Dw8TWMJik se refere à final do Mundial Interclubes de 1062, entre Santos e Benfica, no Estádio da Luz.

Para um índice maior de leitura, dê um espaço entre um parágrafo e outro. Um texto sem espaços entre parágrafos se torna mais cansativo.

Mandem suas colaborações

Entre os santistas sei que muitos têm facilidade para escrever, como Luiz Tomaz, Tana Blaze, Khayat, Sérgio Bertoldi, Gustavo Kosha, Pedro Reino (por onde andará Pedro Reino?), entre outros. Espero que não nos desamparem. Quanto ao Wesley Miranda, continuará nos brindando com seus retrospectos dos confrontos do Santos com seus rivais.

Já tivemos excelentes colaborações de cartunistas, como o do grande Cheeco. O blog sempre estará aberto para divulgar essa arte. Assim como estará mais do que aberto para os filmes espetaculares do Rachid, sempre ao lado da torcida do Santos, onde e como ela estiver.

Reassumo as funções em 1º de novembro, quinta-feira, depois do jogo contra o Náutico, na Vila, e antes da partida contra o Cruzeiro, na Arena do Jacaré. Espero que até lá o time não esteja sofrendo mais com a ameaça de rebaixamento.

Agradeço desde já a atenção, a participação e o carinho – e o inconformismo de todos. O Blog é de vocês, santistas. Usem e abusem.

O Vítor espera sua colaboração no e-mail blogdoodir@blogdoodir.com.br

Que piada Kaká no Corinthians. É Milão, Nova York ou Paris

Leia o post original por Mion

De tempos em tempos surgem boatos com relação ao retorno de Kaká para o Brasil. Só a passeio isso é possível. Kaká não quer saber do Brasil e talvez nem mesmo pense em seleção brasileira. Já sabe que a sua fase passou. Aos 30 anos e com alguns problemas crônicos clínicos, vai aproveitar mais três ou quatro anos de carreira para faturar uma boa grana, porém longe do Brasil. Depois, talvez venha encerrar a carreira no São Paulo, mas ainda acredito que prefira seguir a sua vida na Europa.

A única verdade é a seguinte: Kaká tem como prioridade morar em Milão e jogar no Milan, opção B são os 10 milhões de euros oferecidos pelo New York Red Bulls (proposta oficializada nesta quarta-feira). Jogar nos Estados Unidos perto da Disney mexe com o brasileiro, e o plano C é viver perto na Torre Eiffel atuar ao lado de Thiago Silva, Ibrahimovic e ser comandado pelo amigo Leonardo, hoje diretor de futebol do Paris Saint-Germain. O resto é só balela, notícia fácil para vender jornal e aumentar acessos em sites esportivos. Kaká jogar no Corinthians pode até vender, porém extrapola qualquer lógica, chega a ser um fato insano.

Em todas as entrevistas Kaká deixa claro que adaptou-se muito bem com o estilo de vida europeu. Inclusive, a formação familiar mais tradicional leva a se sentir melhor por lá. Kaká nunca foi boleiro, nem na aparência e muito menos no jeito de se comportar. Kaká tem uma educação refinada, cara de bom menino, calmo, coerente, religioso, não bebe, não fuma… enfim, o genro que toda sogra gostaria de ter. Alguém consegue ver Kaká de cabelo pintado, brincos, em uma roda de pagodinho e sambando com copo de cervejinha na mão?

Voltar a viver no Brasil cercado de tanta pobreza, falta de educação, cultura e principalmente violência não poderia fazer parte de um seu novo projeto de vida, pois definitivamente não fica no Real Madri: o técnico José Mourinho não topa e nunca topou o estilo de jogo do brasileiro. Por isso esqueçam Kaká no Brasil: Milan, New York Red Bulls e Paris Saint-Germain, quem pagar mais leva vantagem, entretanto no fundo Kaká está decidindo mesmo se deseja morar em Milão, Nova York ou Paris. Quem pode, pode!

 

Kaká no Corinthians? Piada, é Milão, New York, ou Paris

Leia o post original por Mion

Kaká não pensa em Brasil. Não passa nem perto de sua cabeça.

De tempos em tempos surgem boatos com relação ao retorno de Kaká para o Brasil. Só a passeio isso é possível. Kaká não quer saber do Brasil e talvez nem mesmo pense em seleção brasileira. Já sabe que a sua fase passou. Aos 30 anos e com alguns problemas crônicos clínicos, vai aproveitar mais três ou quatro anos de carreira para faturar uma boa grana, porém longe do Brasil. Depois, talvez venha encerrar a carreira no São Paulo, mas ainda acredito que prefira seguir a sua vida na Europa.

A única verdade é a seguinte: Kaká tem como prioridade morar em Milão e jogar no Milan, opção B são os 10 milhões de euros oferecidos pelo New York Red Bulls (proposta oficializada nesta quarta-feira). Jogar nos Estados Unidos perto da Disney mexe com o brasileiro, e o plano C é viver perto na Torre Eiffel atuar ao lado de Thiago Silva, Ibrahimovic e ser comandado pelo amigo Leonardo, hoje diretor de futebol do Paris Saint-Germain. O resto é só balela, notícia fácil para vender jornal e aumentar acessos em sites esportivos. Kaká jogar no Corinthians pode até vender, porém extrapola qualquer lógica, chega a ser um fato insano.

Em todas as entrevistas Kaká deixa claro que adaptou-se muito bem com o estilo de vida europeu. Inclusive, a formação familiar mais tradicional leva a se sentir melhor por lá. Kaká nunca foi boleiro, nem na aparência e muito menos no jeito de se comportar. Kaká tem uma educação refinada, cara de bom menino, calmo, coerente, religioso, não bebe, não fuma… enfim, o genro que toda sogra gostaria de ter. Alguém consegue ver Kaká de cabelo pintado, brincos, em uma roda de pagodinho e sambando com copo de cervejinha na mão?

Voltar a viver no Brasil cercado de tanta pobreza, falta de educação, cultura e principalmente violência não poderia fazer parte de um seu novo projeto de vida, pois definitivamente não fica no Real Madri: o técnico José Mourinho não topa e nunca topou o estilo de jogo do brasileiro. Por isso esqueçam Kaká no Brasil: Milan, New York Red Bulls e Paris Saint-Germain, quem pagar mais leva vantagem, entretanto no fundo Kaká está decidindo mesmo se deseja morar em Milão, Nova York ou Paris. Quem pode, pode!