Arquivo da categoria: Pedrinho

Corinthians vê antecipação de verba da venda de Pedrinho adiada de novo

Leia o post original por Perrone

Mais uma vez, o Corinthians adiou seus planos em relação ao recebimento da antecipação do dinheiro referente à venda de Pedrinho. A última projeção era de que a receita chegaria na terça da semana passada, o que não aconteceu. Agora, a direção espera que a verba entre nos cofres do clube entre hoje (22) e amanhã.

O dinheiro é necessário para o pagamento dos salários atrasados de agosto de jogadores e comissão técnica. A quantia também servirá para o clube realizar demissões de funcionários, fora do departamento de futebol profissional, como medida de corte de despesas. Os cortes não foram feitos antes por falta de recursos para pagar verbas rescisórias

De acordo com dirigente ouvido pelo blog, houve novo atraso porque foi trocada a instituição financeira responsável pela operação. Por essa versão, a mudança teria sido feita em busca de melhores taxas.

No entanto, o blog apurou que ocorreu demora do Benfica para assinar documento confirmando que fará o repasse dos valores para a instituição financeira, não para o Corinthians.

A diretoria alvinegra sustenta que tal documento não atrapalharia a antecipação. Isso porque os portugueses se comprometeram em contrato a fazer esse repasse.

Andrés Sanchez, presidente corintiano, viajou para a Europa com Portugal na rota. Porém, o departamento de comunicação alvinegro afirma desconhecer sua agenda.

Pedrinho havia sido vendido por 20 milhões de euros. Mas o Corinthians aceitou reduzir o preço para 18 milhões de euros por não exercer opção de compra de Yony González. O alvinegro também topou mudar o recebimento da primeira parcela relativa à venda do mês passado para agosto do ano que vem.

Por conta da antecipação, o clube não receberá o valor integral já que a instituição responsável pela operação, obviamente, cobra taxas pelo serviço.

Além disso, Will Dantas, agente de Pedrinho, tem direito a 30% do valor. O empresário aceitou receber sua parte só em 2021.

 

Corinthians espera verba da venda de Pedrinho até para demitir funcionários

Leia o post original por Perrone

Nesta semana o Corinthians pagou três de quatro meses de salários a transados a jogadores e membros da comissão técnica. O plano agora é quitar o restante entre terça e quarta da semana que vem com a antecipação do dinheiro da venda de Pedrinho para o Benfica.  Porém, a receita servirá também para o clube pagar custos de demissões de funcionários que ainda não foram feitas por falta de dinheiro.

A expectativa é de que a receita a ser antecipada junto a um banco estrangeiro chegue na terça-feira. Se isso acontecer, o clube coloca em prática o pacote de demissões com o objetivo de reduzir custos, conforme apurou o blog.

Por mais de uma vez, o Corinthians se viu perto de concretizar a antecipação, mas acabou tendo que adiar seus planos

O desligamento de empregados faz parte de uma estratégia elaborada em maio para enfrentar as dificuldades financeiras do alvinegro agravadas pelos efeitos da pandemia de covid-19. O corte de pessoal não deve atingir o futebol profissional.

Na ocasião, a diretoria pediu que todos os departamentos fizessem reduções de gastos em até 50%. O número variava de acordo com a área. Muitas das demissões, no entanto, ainda não puderam ser feitas porque o clube não tem como pagar custos como os referentes a verbas rescisórias.

Com as demissões somadas a outras reduções de gastos, que incluem trocas de fornecedores, por exemplo, a direção espera alcançar uma economia de R$ 2,5 milhões mensais. A quantidade de funcionários a serem demitidos é mantida em sigilo pelo clube. A diretoria não fala oficialmente sobre futuras demissões.

O Corinthians receberá na operação de antecipação menos do que os 18 milhões de euros que seriam  pagos pelo Benfica a partir de agosto de 2021. Isso porque a instituição financeira cobra taxas para antecipar a receita.

Inicialmente Pedrinho tinha sido vendido por 20 milhões de euros. No entanto, o alvinegro aceitou reduzir a quantia em 2 milhões de euros depois de os portugueses reclamarem da decisão corintiana de não exercer o direito de compra dos direitos referentes a Yony González.  O Benfica também conseguiu adiar em um ano o pagamento de primeira parcela.

Por sua vez, Will Dantas, agente de Pedrinho, já tinha aceitado receber os 30% a que tem direito só no ano que vem.

Corinthians espera receber antecipação de pagamento do Benfica em 10 dias

Leia o post original por Perrone

A diretoria do Corinthians espera receber em dez dias o dinheiro referente à antecipação do pagamento a ser feito pelo Benfica pela compra de Pedrinho.

Conforme apurou o blog, os dirigentes dão como fechado acordo com uma banco alemão para antecipar integralmente os 18 milhões de euros.

Como na renegociação com o Benfica ficou definido que a primeira parcela do pagamento só será quitada em agosto do ano que vem, a antecipação terá mais custos para o Corinthians. O alvinegro receberá a quantia com descontos referentes a juros e outros encargos. O blog não teve acesso ao valor que deve entrar nos cofres corintianos.

Pedrinho tinha sido vendido por 20 milhões de euros com a primeira parcela a ser paga em agosto deste ano.

Como o Benfica reclamou do fato de o clube brasileiro não ter exercido a opção de compra de Yony González por 3 milhões de euros, um novo acordo foi feito. A venda de Pedrinho, então, ficou em 18 milhões de euros com um novo prazo para o início do pagamento.

O dinheiro dará um alívio ao Corinthians, que tem atrasado salários de jogadores e funcionários.

O alvinegro tem direito a 70% do montante arrecadado com a venda. Will Dantas, agente do jogador, aceitou receber os 30% a que tem direito apenas no ano que vem.

Corinthians e Benfica estão em pé de guerra por grana da venda de Pedrinho

Leia o post original por Perrone

É tensa a situação entre Benfica e Corinthians por causa do dinheiro da venda de Pedrinho. Nos bastidores, o alvinegro reclama que os portugueses já deveriam ter regularizado o TMS (sistema de transferência internacional criado pela Fifa), viabilizando a antecipação do dinheiro por parte do clube brasileiro.

Os corintianos precisam desse documento para conseguir que uma instituição financeira de Luxemburgo antecipe ao menos parte dos 20 milhões de euros a serem pagos pelo Benfica.

A expectativa corintiana era de que a situação fosse regularizada logo depois de Pedrinho se apresentar ao seu novo time. Porém, agora, a direção alvinegra trabalha com a informação de que os portugueses só pretendem liberar o TMS em 31 de agosto, prazo estipulado para o encerramento da janela de transferências no país. Na mesma data seria feito o pagamento da primeira parcela.

De acordo com pessoa envolvida na negociação, o Benfica se irritou com o fato de o alvinegro não ter exercido o direito de compra de Yony González, devolvendo o jogador. O Corinthians não vê relação entre as operações.

A demora na liberação do TMS e a consequente dificuldade para irrigar  seus cofres com o dinheiro da transferência fazem o Corinthians agravar seus problemas financeiros. O clube tem atrasado pagamentos de salários de jogadores e outros funcionários.

Will Dantas, empresário de Pedrinho, está em Portugal, para tentar intermediar um acordo. O blog apurou que ele usará o argumento de que a situação prejudica a imagem do jogador. No entanto, ele nega que a relação entre clube e atleta tenha sido afetada.

Também conforme apurou o blog, já se comenta no Parque São Jorge sobre a possibilidade de o alvinegro acionar a Fifa, se o caso não for solucionado rapidamente. Publicamente, até aqui, a direção corintiana não se queixou da postura do Benfica.

O Corinthians tem direito a 70% do valor da venda. Porém, o agente de Pedrinho, concordou que o clube só repasse os 30% restantes parceladamente a partir do ano que vem.

Pedido de seguro de vida para Pedrinho atrapalhou antecipação de pagamento

Leia o post original por Perrone

Exigências feitas pela instituição financeira estrangeira escolhida pelo Corinthians para antecipar o dinheiro da venda de Pedrinho ao Benfica emperraram a negociação. A primeira parcela do pagamento de 20 milhões de euros não será mais antecipada.

O dinheiro referente à prestação inicial agora é aguardado diretamemente do clube português em agosto. Isso porque ficou combinado que o Benfica começaria a fazer o pagamento assim que inscrevesse o jogador. Por conta da pandemia de covid-19, a abertura da janela de transferências em Portugal foi adiada para o próximo mês.

De acordo com fonte na direção alvinegra, a instituição financeira queria que o clube brasileiro fizesse um seguro de vida para Pedrinho. A operação serviria para indenizar a companhia em caso de morte ou invalidez do atleta antes de sua apresentação ao Benfica.

Outro pedido, segundo a mesma fonte, foi uma garantia de que o clube português faria o primeiro pagamento. As duas solicitações se transformaram em obstáculos para o alvinegro. Vale lembrar que a diretoria corintiana chegou a considerar a operação de antecipação fechada.

O plano agora é antecipar, com a mesma companhia, as demais parcelas. O seguro de vida não será necessário porque Pedrinho já estará no Benfica. Assim, os portugueses não teriam motivos para deixar de cumprir o contrato e realizar os pagamentos.

O Corinthians tem direito a 70% do valor da venda. Porém, Will Dantas, empresário de Pedrinho, concordou que o clube só repasse os 30% restantes parceladamente a partir do ano que vem.

Corinthians prepara balanço do primeiro semestre de 2020 com superávit

Leia o post original por Perrone

Depois de o clube fechar 2019 com déficit de cerca de R$ 177 milhões, a diretoria do Corinthians projeta o balanço do primeiro semestre de 2020 com superávit contábil, conforme apurou o blog. O documento está em fase final de elaboração. Porém, a quantia no azul é mantida em sigilo.

“Só o que posso dizer é que com a receita prevista para 2020 e com as vendas de jogadores que já foram feitas, o Corinthians vai ter um ano tranquilo”, disse ao blog Matias Antonio Romano de Ávila, diretor financeiro do alvinegro.

A declaração contrasta com as dificuldades financeiras enfrentadas pelo clube recentemente para pagar seus compromissos em dia.

Além disso, o Conselho Fiscal do clube recomendou as reprovações do balanço e das contas referentes ao ano passado.

A principal explicação para o superávit contábil previsto para os seis primeiros meses de 2020 é a receita esperada pela antecipação junto a um banco estrangeiro da quantia referente à venda do Pedrinho ao Benfica. Apesar de o dinheiro ainda não ter entrado na conta do Corinthians, ele já vai aparecer na contabilidade fechada em julho. Os cartolas alvinegros afirmam que o procedimento está correto porque o contrato com a previsão de recebimento do montante já está assinado.

Ou seja, ainda pode faltar dinheiro em caixa, apesar do resultado contábil positivo. Isso até o clube receber a quantia. Pedrinho foi vendido por 20 milhões de euros e o Corinthians detinha 70% dos direitos econômicos.

Outro fator apontado internamente para o esperado resultado positivo é o fato de salários de jogadores, comissão técnica e funcionários terem sido reduzidos durante o período de distanciamento social por conta do combate à covid-19. Vale lembrar que devido à pandemia o clube também enfrentou perda de receitas.

Outra justificativa dada nos bastidores para o cenário de superávit contábil é a saída de Vágner Love. O argumento é de que Jô, contratado em seu lugar, tem salário inferior.

Neste momento, o cálculo da diretoria é de que a dívida a curto prazo (que vence em até um ano) do clube é de R$ 239 milhões. Nesta conta, obviamente, não está o débito referente construção da Arena Corinthians.

Corinthians faz acordo com banco para antecipar grana da venda de Pedrinho

Leia o post original por Perrone

Com Diego Salgado, do UOL em São Paulo

O Corinthians entrou em acordo com um banco estrangeiro e espera receber antecipadamente ainda nesta semana sua parte integral na venda de Pedrinho para o Benfica.

O contrato com a instituição financeira chegou ao Parque São Jorge na última sexta para ser assinado. Segundo fonte na diretoria corintiana, trata-se de um banco em Luxemburgo.

Pedrinho foi vendido por 20 milhões de euros, com pagamento parcelado a partir do fim de junho. O alvinegro tem direito a 70% desse valor (14 milhões de euros ou cerca de R$ 88,1 milhões pela cotação atual).

Com suas dificuldades financeiras agravadas pela queda de receitas por conta das suspensão dos campeonatos como medida de combate à pandemia de Covid-19, o clube decidiu tentar antecipar o recebimento desse dinheiro.

A operação funciona assim: um banco repassa de uma só vez a quantia que seria repassada a repassada pelo Benfica parceladamente. Porém, a instituição cobra uma taxa pela operação. Ou seja, o Corinthians põe a mão na grana antes, mas recebe menos por causa da antecipação.

A avaliação na diretoria é de que a antecipação dará fôlego financeiro ao clube provavelmente até outubro.

Como mostrou o blog, o alvinegro precisou até parcelar em três vezes os salários referentes a abril dos funcionários. Ainda falta pagar 15% do valor.

Opinião: T. Nunes precisa errar menos em escalações para seu estilo vingar

Leia o post original por Perrone

É verdade que torcida e diretoria do Corinthians precisam ter paciência e dar tempo para Tiago Nunes implantar a profunda modificação proposta no estilo de jogo do time.

Porém, quem mais precisa colaborar com o projeto é o próprio treinador. Ele deve fazer isso deixando de errar tanto nas escalações.

Nunes faz um trabalho promissor, pois já desenhou um esquema interessante de jogo. Só que quanto mais ele errar ao escalar os titulares mais tempo levará para os resultados aparecerem.

O erro mais recente foi começar a partida com o Santo André, na última quarta, com Boselli na reserva.

Um dos principais problemas corintianos neste momento é acertar as finalizações. Contraditoriamente a isso, o técnico deixou o artilheiro alvinegro no banco. 

O argentino saiu do empate com o time do ABC em um gol, após entrar na etapa final e balançar as redes, como um dos artilheiros do Paulistão com cinco gols.

Antes do início da rodada deste final de semana, Boselli também divide com Daniel Alves a terceira posição no ranking dos jogadores que mais acertam finalizações em média por jogo no Estadual, segundo o site Footstats. A marca é de 1,6 arremate certo por apresentação.

Nunes preferiu começar a partida com Vágner Love no ataque. Sua média é de apenas 0,6 finalização certa por jogo. Yony González e Pedrinho, também escolhidos como titulares, ainda não acertaram conclusões nas três partidas que cada um fez no Paulista. Luan, outro titular diante do Santo André, tem média de 0,8 finalização certa por jogo.

Como sugeriam as estatísticas, não deu outra. O técnico precisou mexer na equipe, e o gol salvador foi marcado por Boselli.

Ao explicar sua escolha, Nunes disse que optou por uma formação com mais mobilidade, o que daria maior trabalho para os marcadores do Santo André.

Yony González é outro exemplo de erro do treinador corintiano ao escalar o time. Nunes admitiu isso ao dizer que atropelou a preparação do atacante antecipando sua estreia. Ele disse que o jogador precisava de mais tempo para se preparar, e assumiu a responsabilidade pelo fraco desempenho do comandado até aqui.

Na opinião deste blogueiro, o técnico já havia cometido erros nas escolhas de seus titulares antes. Principalmente nos dois confrontos contra o Guaraní do Paraguai pela fase classificatória na Libertadores.

Uma das falhas foi começar os jogos com Sidcley, visivelmente fora de forma, no lugar de Piton, que vinha sendo claramente superior.

Outra mancada foi escalar Pedrinho no jogo de volta sendo que ele não teve descanso depois de participar do Sul-americano sub-23 com a seleção brasileira. Além disso, o meia-atacante nunca havia jogado sob o comando de Nunes. Ele acabou expulso e prejudicou o Corinthians, eliminado pelo Guaraní.

No mesmo jogo, na opinião deste blogueiro, o comandante alvinegro errou ao demorar para colocar Janderson em campo.

Nesse cenário, Nunes desponta como o principal inimigo do tempo que ele precisa para fazer o time decolar.

Falhas em escalações tendem a provocar maus resultados e eliminações, o que gera descontentamento por parte de torcedores e diretores, além de críticas disparadas pela imprensa. No cruel futebol brasileiro essa é a receita perfeita para fazer o relógio andar mais rápido e tirar o fôlego de treinadores.

Apesar de demora, negociadores cravam que venda de Pedrinho vai acontecer

Leia o post original por Perrone

O fato de a venda de Pedrinho não ter sido concretizada no último domingo (2), quando fechou a janela de transferências em Portugal, não desanimou os envolvidos no negócio.

Gente que trabalha na operação crava que a venda vai sair e que faltam apenas ajustes, como mostrou o Blog do Benja.

O discurso é de que Pedrinho será comprado por 20 milhões de euros (cerca de R$ 93,9 milhōes). 

Não houve pressa para bater o martelo antes do encerramento da janela porque na última semana já havia ficado definido que, em caso de venda, Pedrinho só vai mudar de na próxima abertura do mercado português, no segundo semestre.

 

Quanto vale Pedrinho? Cartolas corintianos miram valores diferentes

Leia o post original por Perrone

Apesar de a participação de Pedrinho no pré-olímpico da Colômbia com a seleção brasileira sub-23 ter aquecido as sondagens pelo jogador, os valores cogitados por interessados ficou longe da meta inicial estipulada pelo Corinthians. O discurso era o de que ele não seria vendido por menos de 30 milhōes de euros (aproximadamente R$ 139,5 milhōes).

Só que em nenhuma das sondagens feitas em relação ao jogador os interessados chegaram perto desse montante.

Assim, o Corinthians reduziu seu apetite e decidiu que bate o martelo por 20 milhões de euros (cerca de R$ 93,9 milhōes). Esse é o valor pedido ao Benfica. O alvinegro aguarda uma resposta.

Mas, com a janela de transferências em importantes centros europeus terminando até o final deste mês, há diferentes opiniões entre os cartolas corintianos sobre por quanto vale a pena vender Pedrinho.

Uma corrente, que conta principalmente com gente da diretoria de futebol, entende que o mercado já sinalizou que não chegará aos sonhados 30 milhões de euros. Por isso, os 20 milhōes de euros são considerados satisfatórios.

Mas há também quem acredite que o clube deve bater o pé e não aceitar uma oferta inferior ao valor almejado anteriormente. O argumento é de que, como o alvinegro tem 70% dos direitos econômicos, uma negociação por menos de 30 milhões de euros representaria entrada de dinheiro nos cofres inferior ao que o potencial do jogador sugere. Ou seja, seria melhor manter Pedrinho, acreditar em sua evolução e esperar  por ofertas mais altas na janela do meio do ano.

No entorno do meia-atacante o sentimento é de que Pedrinho não deve ter pressa para se transferir. A expectativa de seu estafe é de um ano promissor sob o comando de Tiago Nunes no Corinthians e com a eventual participação nos Jogos Olímpicos de Tóquio.

Apesar das diferentes análises, não há conflito entre os dirigentes. É consenso que a decisão é exclusiva de Andrés Sanchez.

Acertar uma grande transferência de jogador é importante para o Corinthians por conta de suas dificuldades financeiras.

Pedrinho já acertou a renovação de seu contrato, que termina no final do ano, mas só vai assinar o novo compromisso, válido até dezembro de 2023, após a participação no pré-olímpico.

A multa rescisória continuará sendo de 50 milhões de euros (cerca de R$ 232,5 milhōes), no entanto, o jogador terá um aumento substancial.