Arquivo da categoria: pênaltis

O óbvio improvável

Leia o post original por Rica Perrone

O Flamengo é o único caso no planeta onde todo mundo sabe que é óbvio um comportamento desde que ele não não seja o mais provável. Explico. Ao viajar pro Equador era certo o favoritismo. O bom rubro-negro sabia: “vai dar merda”. Ao perder por 2×0 lá, perder Diego e não ter Arrascaeta e Everton…

Hoje, não!

Leia o post original por Rica Perrone

O discurso fácil é o de “contra o Paraguai com um a menos é obrigação”. Ok, mas quem de fato acompanha futebol sabe que as coisas não são mais assim. E que se um time se propõe a não jogar, dificilmente tem jogo. Se uma das 24 bolas chutadas por nós entra, golearíamos em seguida….

Decisão continua aberta em São Paulo.

Leia o post original por Nilson Cesar

Agora o Corinthians joga a segunda partida da decisão em casa. Essa é uma boa vantagem para o Timão que jamais perdeu para o São Paulo em Itaquera. Os times estão bem equilibrados e uma decisão por pênaltis não seria surpresa. Só acho que o São Paulo perdeu uma grande chance dentro de casa. Entendo que teremos outro jogo muito equilibrado. Talvez o Corinthians neste instante seja uma equipe mais…

Fonte

… de novo?!

Leia o post original por Rica Perrone

Quando o Flamengo escalou o time reservas hoje não esperava tamanha dificuldade em conseguir o empate. Mas sabia estar lidando com um time de psicológico assustadoramente frágil. Talvez por isso eu tenha dito aqui na semana passada que era melhor pro Vasco o Flamengo titular. Tiraria dele a pressão e a “obrigação”, pois poucos times…

Páginas imortais

Leia o post original por Rica Perrone

Era 44 do segundo tempo quando uma bola parou nas mãos do goleiro argentino e o Grêmio lamentava mais uma chance perdida.  O time recuava para recompor já no auge do desespero quando alguns poucos gremistas viravam as costas e iam deixando a Arena. Alguns chegaram a ir embora. Outros olhavam para trás entre a…

Suas idéias não correspondem aos fatos

Leia o post original por Rica Perrone

Quando o Galo abriu mão dos titulares na Sulamericana o recado era claro: não dá pra disputar 3 campeonatos, vamos focar em dois. Sendo óbvio que a Copa do Brasil é o alvo mais realista e bem pago. Compreendi. Faria também. Acho a Sulamericana um torneio fraco e superestimado por ser “internacional”. Mas entendi que…

Aceite: é muito grande

Leia o post original por Rica Perrone

Já era hora. Quarenta e tralalá, a certeza de mais uma derrota e a inestimável fé no que se prega não acreditar.  O botafoguense é o caso mais interessante de amor pelo futebol a ser estudado. E talvez por isso seja tão fundamental ao futebol.

Quando em alta, duvida. Quando em baixa, acredita. E nos dois casos, se o pior acontecer, “ele avisou”.

Hoje é dia de clichê. “Coisas que só acontecem ao Botafogo…”, “a cara do Botafogo”, “sempre no último minuto…”.

Mentira, oras! Todo torcedor jura que seu time adora tomar gol no fim, que é “se não for sofrido não é time x…”, entre outros.  Faz parte do delicioso folclore do futebol onde usa-se emprestado todos os termos do mundo de forma exclusiva.

Afinal, que camisa não é “manto”?

Eu gosto mesmo é do “contra tudo e contra todos”. Acho fofo. O cara todo ano se enxerga numa condição de vítima perseguida do planeta terra que conspira para evitar, veja você, um estadual do seu time. Não, você sabe que não.  Mas eu respeito e adoro o seu dom em criar um auto-drama para valorizar sua conquista ou justificar seu fracasso.

Botafoguense, meu caro e estimado botafoguense… ontem você errou.

Eu sei que você estava pronto pra dizer que “onde já se viu com um a mais…?”, ou que “o juiz roubou”.  No fundo tudo o que você mais temia e queria era ser o protagonista da festa que te convidaram por educação.

O improvável campeão, o time que mais perto esteve da crise em 2018, o eliminado da Copa do Brasil, o time sem treinador, sem dinheiro e portanto, mais uma vez prestes a assumir a sua condição “menor”.  Agora vai!

Assume, Botafogo! Tu não aguenta mais. Assume! Pede água!

– Não!

Mas meu Deus, você está devendo mais que os outros, ganha menos que eles, não tem um grande time, sequer tem perspectiva a curto prazo.  Me dá aqui seu crachá de grande logo!

– Não!

De novo? Era pra ter dado em 2016, inventou um ano mágico lá, foi bem na Libertadores ano passado, ok, mas terminou de novo sem nada! Desiste, cara!

– Não!

Futebol é dinheiro, Botafogo! Esquece a camisa, a história, a porra toda. Ou você tem pra competir ou está fora. Larga o osso, você, como dizem os comentaristas, “se apequenou”.  Aceita!

– Não!

Então o que falta pra você se convencer que não dá? Que seu lugar é menor que os outros e que seu momento de mais de duas décadas lhe descredencia?

– Falta 1 minuto.

Então acabou! Vai, eu espero.

Caraca, cadê ele?

– Ali, dando a volta olímpica… Quer esperar?

– Não…

abs,
RicaPerrone

Eu sei. Você também. Podemos falar sobre…

Leia o post original por Rica Perrone

Porque as meias palavras? Se você de lá sabe e comemora, e eu de cá sei e lamento, podemos falar de forma mais clara sobre o assunto, não?

O São Paulo não suporta ver o Corinthians num confronto eliminatório. Pronto, ta dito.

São números, história, e por mais que vá aparecer algum blogueiro tricolor encantador de burros pra confrontar e aumentar sua tropa, é o fato.

O Corinthians jogou mal, o SPFC também. Mas como se propos apenas a defender o segundo tempo inteiro, até que funcionava. Eram 10 atrás da linha da bola, o Corinthians não sabia como entrar.

Entrou. Aos 47, numa bola parada, mas entrou. E então toda a covardia do SPFC foi mais uma vez castigada pela irritante calma do adversário, que pode estar tomando de 5 ou ganhando de 8 não muda a forma de jogar e trocar passes.

Diego Souza teve a bola do jogo, correu pra lateral. Nã0 é culpa do Carille se o 9 do São Paulo prefere o pau da bandeira ao gol nos acréscimos de um clássico decisivo.

Pra ser como o corintiano gosta, aos 47, depois nos penaltis já nas cobranças alternadas. E pelas mãos de Cássio, herói da noite.

Vai der Palmeiras x Corinthians. E se você excluir os detalhes e focar no que foi o campeonato até então, terá a final dos dois melhores times.

Ganhar do Corinthians é um resultado comum, de jogo. Eliminar o Corinthians é muito difícil. Pelo menos pro São Paulo é uma das coisas que ele pior sabe fazer.

abs,
RicaPerrone