Arquivo da categoria: Petros

Opositor no SPFC vai à Justiça por papelada de negociação de Cueva e mais 5

Leia o post original por Perrone

Com Pedro Lopes, do UOL, em Belo Horizonte

O conselheiro do São Paulo Denis Ormrod, oposicionista, entrou com ação na Justiça, no último dia 28, para pedir a documentação referente ao pagamento de comissões relativas a negociações envolvendo seis jogadores.

Ele alega que a diretoria e os poderes do clube não atenderam a seus pedidos para examinar a papelada. Isso teria ferido seus direitos como sócio e membro do conselho.

A ação de produção antecipada de provas também fala em gestão temerária por parte da atual diretoria e o conselheiro alega suspeitar de pagamentos de comissões a empresários fantasmas e de valores superiores ao de mercado.

Leonardo Serafim, diretor jurídico executivo do São Paulo, afirmou que o clube ainda não foi notificado e que não pode antecipar sua estratégia de defesa.

Denis pede para que a Justiça dê cinco dias à agremiação para apresentar documentos e esclarecimentos.

São requeridas documentações com valores e beneficiários de comissões em negociações envolvendo Diego Souza, Cueva, Hernanes, Maicon, Petros e Jucilei. Sobre Cueva Denis afirma que o clube recusou uma oferta de aproximadamente 12 milhões de euros (cerca de R$ 52, 28 milhões atualmente) e depois vendeu o jogador por 8 milhões de euros (R$ 34,85 milhões). Assim, quer explicações.

O conselheiro pede ainda esclarecimentos sobre como estão o distribuídos os direitos econômicos de Antony.

Também são requeridos relatórios fiscais e esclarecimentos a respeito de despesas e receitas do departamento de golfe tricolor.

Contestação

Nos bastidores, uma série de argumentos é usada pela diretoria para negar suspeitas e reclamações citadas por Denis.

O argumento interno é de que não é possível apresentar documentos para cada um dos mais de 200 conselheiros. Por isso são eleitos membros do Conselho Fiscal que analisam a papelada representando os conselheiros.

O raciocínio também inclui o fato de as operações terem sido examinadas pelo Conselho de Administração, além do Fiscal, e por uma auditora externa.

Completa a argumentação o fato de o Conselho Deliberativo ter aprovado balanços e orçamentos.  Esse conjunto, demonstraria que ilegalidades não foram cometidas.

Vencedores e figurantes

Leia o post original por Rica Perrone

Sabe qual a diferença entre o Rubens Barrichello e o Mansell?  Um não aceitava de jeito nenhum estar ali pra trabalhar e ir pra casa. Acho que ninguém na Fórmula 1 deve acreditar que o inglês, autor de lambanças inacreditáveis, seja tecnicamente um gênio.

Mas era “louco”. E louco por vencer.

O time do São Paulo de 2004 era frouxo, mas era bom. O de 2005 tinha Junior, Amoroso e Luizão.  Ali estava compensado toda a falta de títulos do restante do elenco. Havia liderança, referência gente com fome e gente acostumada a vencer.

O São Paulo hoje tem 5 jogadores “famosos” em seu elenco. As “referências”.  Rodrigo Caio, Nene, Petros, Jucilei e Diego Souza.

Nenhum dos 5 é um grande campeão.

O Rodrigo não venceu nada ainda. O Petros não tem títulos, o Jucilei idem. Diego Souza tem 2 Copas do Brasil, só atuou em uma delas. Na outra era um garoto que integrava elenco.

O Nenê, embora com carreira internacional, soma em toda sua carreira alguns estaduais e um campeonato francês.

Essa é a referência de um clube grande que obrigatoriamente disputa títulos e é favorito em tudo que entra.  Esse são os caras que inspiram os jovens que vão chegando ao grupo.

E não, não há demérito algum em não terem grandes títulos. Mas o SPFC tem um elenco mal pensado quando não tem NENHUMA referência vencedora em seu grupo. Imagine ter 5, todas acostumadas com a derrota muito mais do que com as conquistas.

O Amoroso de 2018 não será um treinador. O Luizão não virá da base. E não adianta esperar que o Rodrigo Caio vire Lugano, porque não é seu perfil.

O time do São Paulo não é ruim. É apenas um time que não sabe vencer, não tem paixão por isso e que vai embora feliz todo dia as 18h com o salário na conta.

Pra alguns “ganhar” é ser bem pago e cumprir o que lhe pedem minimamente. Para outros é questão de vida ou morte.

No SPFC, há alguns anos, e pode incluir alguns com títulos de pontos corridos, o mínimo está bom.

Mas não está. Pode trocar de treinador mais 20 vezes. Tem gente que quer chegar em casa e dar um video game novo pro filho, tem gente que quer que o filho diga na escola quem é seu pai.

abs,
RicaPerrone

Opinião: os quatro principais responsáveis pela evolução do São Paulo

Leia o post original por Perrone

Hernanes

A chegada do meio-campista colocou a equipe em outro patamar. O São Paulo passou a ter um jogador que decide partidas, mantém a regularidade e combina experiência e força emocional para enfrentar o momento desesperador de luta contra o fantasma da B. Ele contagiou tecnicamente e emocionalmente os companheiros.

Diretoria

Conseguiu reforçar a equipe após a saída de atletas negociados. Além de Hernanes, Petros foi uma contratação de alto nível. Jogadores contratados no início do ano também se destacam, como Jucilei e Lucas Prato. O volante esteve quase sempre bem. Já o atacante evoluiu junto com a equipe. Os acertos, porém, não mudam o fato de que a direção foi a principal responsável pela situação delicada. Tudo começou com a decisão de montar um planejamento com o estreante Rogério Ceni e depois dar pouco tempo para ele desenvolver seu trabalho. A inexperiência do ex-goleiro como técnico foi questionada, mas todos sabiam que ele estreava estreando na profissão.

 Torcida

Organizadas hostilizando os jogadores e as arquibancadas do Morumbi às moscas. Esse histórico são-paulino em momentos de futebol ruim foi deixado de lado. O torcedor lotou jogos e até treino. Não esperou o clube ser rebaixado para dar demonstração de força. O apoio da massa ajudou os jogadores a terem calma para saírem do buraco.

Dorival Júnior

Custou, mas o treinador deu padrão de jogo à equipe. Nas últimas partidas conseguiu acabar com os erros infantis na defesa (bata na madeira, tricolor). A equipe também passou a ser mais objetiva no ataque. A atuação na vitória contra o Santos foi digna de time que briga pelo título.

São Paulo mereceu, venceu e convenceu

Leia o post original por Fernando Sampaio

São Paulo mereceu, venceu e convenceu, Santos empaca

O São Paulo venceu e convenceu.

Mereceu.

Foi um belo clássico.

O Tricolor dominou o primeiro tempo, fez dois a zero, dois golaços, levou um no rebote de escanteio, teve a chance de matar o jogo no segundo tempo mas a trave deixou o Peixe vivo no jogo até o final.

Hernanes e Cuevas fizeram a diferença.

Apesar dos cornetas, Dorival está ganhando jogos importantes e fugindo do rebaixamento. É óbvio que treinador não é o principal responsável pelas vitórias, assim como não é também o principal culpado nas derrotas. Portanto, se metem o pau nas derrotas precisam agora elogiar nas boas vitórias.

Hernanes foi a contratação que salvou o São Paulo.

Fez total diferença. Hoje duas grandes assistências. Petros, Jucilei, Arboleda, Militão, Pratto, Caio… O time atual é bom. Poderia estar numa situação bem melhor mas sofreu muito durante a temporada. Rogério Ceni foi um atraso. A diretoria está perdida há anos. Algumas contratações foram ridículas. Agora sim, finalmente o clube está vendo uma luz no fim do túnel.

Se o São Paulo mantiver elenco e treinador poderá sonhar mais alto em 2018.

O Santos está ficando mais longe do título. Ricardo Oliveira ainda luta mas Lucas Lima foi uma piada. Está insatisfeito ou boicotando o treinador? Levir Culpi está levando a culpa. Incrível, sempre a culpa é do treinador. O Peixe está numa colocação bem acima do esperado com este elenco.

 

 

É assim, sim!

Leia o post original por Rica Perrone

Não me venham os esquerdistas da bola fazer de cada possibilidade de polêmica uma discussão hipócrita sobre comportamento, violência e educação. “Mulheres e crianças no estádio e o jogador coloca a mão no pau”.  Ah, e nos demais 90 minutos onde ele foi xingado de todos os palavrões do planeta por 50 mil pessoas a …

É assim, sim!

Leia o post original por Rica Perrone

Não me venham os esquerdistas da bola fazer de cada possibilidade de polêmica uma discussão hipócrita sobre comportamento, violência e educação. “Mulheres e crianças no estádio e o jogador coloca a mão no pau”.  Ah, e nos demais 90 minutos onde ele foi xingado de todos os palavrões do planeta por 50 mil pessoas a …

Tá na Zona! De novo?

Leia o post original por Craque Neto

Dá pra acreditar que o São Paulo recebeu o Coritiba após uma sequência de bons resultados em perdeu em pleno Morumbi com mais de 53 mil torcedores? Incrível! Sinceramente vejo sim o Tricolor com um bom elenco. Depois da diretoria fazer do time um balcão de negócios na ‘gestão Rogério Ceni’, eles remontaram um grupo com bons nomes. Poxa vida, que clube no Brasil tem um meio-campo com Petros, Jucilei, Hernanes e Cueva? Quem tem um centroavante da qualidade e oportunismo do Lucas Pratto? Pelo amor de Deus! Agora sinceramente não sei o que está acontecendo. Alguma coisa aí não […]

O post Tá na Zona! De novo? apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Timeco do Leco segue no Z4

Leia o post original por Fernando Sampaio

Timeco do Leco segue no Z4

Há tempos o São Paulo virou Timeco do Leco.

Desde 2016 apelidei assim o Tricolor do Morumbi.

Este ano o time está fazendo jus novamente.

O elenco até deu uma melhorada. Este ano vieram Jucilei, Cícero, Pratto, Petros…. Mesmo Wellington Nem que não está jogando nada chegou com expectativa positiva. Acontece, nem todas as contratações de jogadores mais caros dão resultado. Até aí, tudo normal. O problema continua fora de campo.

O grande problema tem sido a gestão.

Juvenal foi mal no final. Saiu e ficou pior: Aidar foi caso de polícia e Leco não é do futebol.

No ano passado foram inúmeras trocas de treinadores, escolhas duvidosas e sem critério. Quando acerta, como no caso do Osório, pisa na bola. Não existe uma filosofia, não existe planejamento, parece biruta de aeroporto.

Este ano Leco pensou na eleição e escolheu o técnico pelo critério “politicagem”. Pagou caro. Rogério Ceni não tinha currículo, nem experiência. Poderia dar certo? Sim mas a chance era mínima. Foi uma aposta arriscada.

O clube não suporta mais inexperiência e amadorismo.

Além de não ter manter uma mesma filosofia de trabalho, as mudanças no elenco são frequentes. Você treina um time durante a semana e horas antes da partida o cara é vendido. Impossível fazer um bom trabalho. O técnico não participa da escolha e formação do elenco, até porque o técnico hoje não chega a durar seis meses.

E não são só treinadores que são desrespeitados pela atual diretoria. Comissão técnica e jogadores também. São vários exemplos. No mais recente, pisaram na bola com Cueva. O peruano foi o melhor da temporada. Pediu um aumento. Disseram que o clube estava sem dinheiro e trouxeram Nem ganhando bem mais. Antigamente, a maioria dos jogadores queria jogar no São Paulo. Hoje o cara troca por qualquer coisa, ninguém está disposto a ficar passando vexame, sendo vaiado e queimado, prefere jogar na Rússia, na China….

Dorival terá muito trabalho.

O torcedor vai ficar mais um ano vendo o time na parte de baixo da tabela.

Lamentável.

 

O último que sair apaga a luz?

Leia o post original por Craque Neto

O Zenit da Rússia fez uma proposta de R$ 44 milhões e deve tirar o zagueiro Rodrigo Caio do São Paulo. Se concretizada o jogador será mais um nome importante a deixar o clube. Sei que muita gente da imprensa tem valorizado a direção do Tricolor por vender bem seus atletas. Mas fazer isso no meio de uma competição importante como é o Brasileirão soa como desdém. Afinal, na esfera esportiva, quais as aspirações da turma do presidente Leco para a temporada 2017? Do planejamento feito pelo técnico Rogério Ceni no início da temporada o time praticamente todo foi alterado. […]

O post O último que sair apaga a luz? apareceu primeiro em Craque Neto 10.