Arquivo da categoria: Philippe Coutinho

Opinião: Coutinho dá aula para Neymar

Leia o post original por Perrone

Ao acertar sua ida por empréstimo ao Bayern, Philippe Coutinho gerenciou melhor seu futuro de que Neymar, na opinião deste blogueiro.

O jogador do PSG e seu estafe deveriam aprender com a forma como Coutinho encontrou seu destino na atual temporada.

Assim como Neymar, Coutinho entendia precisar de novos ares. Porém, diferentemente do ex-santista, ele não entrou em rota de colisão com diretoria e torcida de seu clube. Foi discreto. Não tocou fogo no circo. E não deixou a novela se arrastar.

O resultado é que Coutinho já sabe onde vai atuar nesta temporada e começa a tocar seus projetos. Conseguiu um time forte e que acena para ele com a chance de desenvolver papel importante.

O empréstimo é por um ano, mas há opção de compra por 120 milhões de euros. Caso se destaque num time do tamanho do Bayern, o brasileiro terminará o período muito valorizado.

Porém, se ele não for bem, deixou as portas abertas no Barcelona. Saiu pela frente e por lá retornaria.

Enquanto isso, em Paris, Neymar agoniza. Atrasa seu reinício de temporada e vê ao seu redor um ambiente hostil, do qual ele mesmo foi o principal arquiteto.

E se voltar ao Barcelona, vai encarar parte da torcida de cara amarrada por causa da forma como saiu da Catalunha.

Não estou aqui pra dar lição de moral, mas Neymar e seu pai poderiam prestar atenção na aula dada por Coutinho e sua  equipe.

Nem toda transferência precisa bater recordes financeiros. É possível recuar um passo para avançar muitos em seguida. Forçar a barra e gerar inimizades não são as únicas formas de se conseguir uma mudança.

Estafe de Coutinho vê troca por Neymar difícil por falta de grana do Barça

Leia o post original por Perrone

Com João Henrique Marques, do UOL, em Paris

O estafe de Philippe Coutinho já vê como difícil o envolvimento dele numa troca por Neymar. A avaliação é de que o Barcelona não tem dinheiro na mão para satisfazer ao PSG. Segundo o jornal francês “L’Équipe”, os parisienses querem pelo menos 100 milhões de euros (cerca de R$ 450 milhões) em cash, além de jogadores, para fechar o negócio.

Por sua vez os catalães planejam colocar a menor quantia possível na transação, fazendo a maior parte do pagamento com a cessão de atletas. Coutinho é uma das principais opções.

A dificuldade do Barcelona se deve ao fato de o clube já ter feito altos investimentos nesta temporada. Só com Griezmann foram gastos cerca de 120 milhões de euros (R$ 535,3 milhões). Para ter De Jong, o investimento foi de aproximadamente 75 milhões de euros (R$ 334,6 milhões).

Além, de considerar difícil a troca, o estafe de Coutinho também acredita ser improvável que o PSG faça uma proposta independente pelo jogador, sem envolvimento na operação envolvendo Neymar.

Outra possibilidade vista como remota é a de um empréstimo para o Bayern. A primeira sondagem dos alemães em relação a Coutinho foi nesse sentido, mas não vingou. Nesse cenário, o brasileiro segue com seu futuro indefinido.

Estafe de Philippe Coutinho vê empréstimo para Bayern como difícil

Leia o post original por Perrone

Na avaliação do estafe de Philippe Coutinho, neste momento, é difícil ser concretizada a transferência do jogador para o Bayern por empréstimo. Essa possibilidade foi a primeira aventada pelos alemães para viabilizar a negociação. Só que as alternativas apresentadas não seduziram inicialmente o Barça. A expectativa no entorno do brasileiro é de que as conversas continuem, já que os catalães não fecharam as portas para o clube de Munique.

Existe ainda a chance de o Bayern fazer uma proposta de compra pelo meia, mas nesse caso a negociação também não seria simples por conta dos altos valores que seriam envolvidos. A tentativa de empréstimo deixa clara a intenção do time alemão de economizar na negociação.

No Barcelona, Coutinho é visto como um dos jogadores que podem entrar numa eventual transação com o PSG por Neymar. Assim, os catalães devem ser cautelosos ao analisar as ofertas para o brasileiro. Por exemplo, ceder o jogador da seleção brasileira por empréstimo representaria o fim da chance de usá-lo como pagamento por Neymar e sem receber uma quantia substancial para investir na operação com os parisienses.

Criticado por torcedores do Barça na última temporada, Coutinho vive um cenário de indefinição, já que nenhuma possibilidade (empréstimo, venda, troca ou permanência na Espanha) está descartada por enquanto.

 

Discurso no Barcelona é de manter Coutinho. Imprensa local diz o contrário

Leia o post original por Perrone

Enquanto parte da imprensa espanhola põe Philippe Coutinho na lista de negociáveis e com várias ofertas, o clube adota postura contrária. O discurso no Barça é de que o brasileiro não está à venda e que nenhuma proposta chegou por ele. Também é negada a intenção de usá-lo como moeda de troca numa futura contratação.

A linha para proteger Coutinho é alegar que ele atravessa uma má fase passageira e que tende a melhorar. Por isso, não há motivos para colocar o atleta da seleção brasileira no mercado.

Já a imprensa espanhola fala do interesse de clubes como Chelsea, Manchester United e PSG em Coutinho. O brasileiro foi contratado pelo Barcelona em janeiro do ano passado junto ao Liverpool por aproximadamente 120 milhões de euros (cerca de R$ 520,8 milhões em valores atuais).

Como admitir insatisfação e interesse em vender um jogador sempre pode fazer o preço cair, só o tempo dirá se o Barça de fato ainda conta com Coutinho ou age apenas para salvar seu “produto”.

Estafe de Neymar fala em novo contrato contra tese de imagem desvalorizada

Leia o post original por Perrone

A imagem de Neymar está desvalorizada depois da Copa da Rússia por conta da avalanche de críticas sofridas pelo jogador nas redes sociais? O estafe do atacante assegura que não. Internamente, o discurso é de que ele continua sendo procurado por possíveis patrocinadores. Como prova, a equipe que cuida do jogador do PSG fala em apresentar brevemente um novo contrato de peso.

O nome do parceiro é mantido em sigilo, mas o negócio está em fase de finalização, segundo garante fonte próxima ao atleta.

Neymar tem motivado piadas diárias nas redes sociais, principalmente por conta de suas quedas durante os jogos do Mundial. Injustiça, na opinião do estafe dele. A queixa é de que no lugar de imprensa e torcedores debaterem a ausência de punição para parte dos adversários que fazem falta no brasileiro, a discussão gira em torno de quanto o titular da seleção brasileira sente ou finge sentir dores.

O principal lance usado como exemplo é o pisão do mexicano Layún no brasileiro durante a partida entre as duas seleções nas oitavas de final do último Mundial. Neymar foi criticado por rolar no gramado depois da agressão. No entanto, a avaliação no entorno do jogador é de que as críticas deveriam ser para o árbitro pela não expulsão do agressor.

O estafe do brasileiro também acredita que ele merecia estar entre os dez melhores jogadores do mundo escolhidos recentemente pela Fifa.

A tese é de que ele fez uma boa Copa para quem ficou cerca de três meses parado por causa de uma cirurgia no pé. A análise sobre a atuação de Neymar no último jogo da seleção na competição, contra a Bélgica, também é positiva. Um passe açucarado para Philippe Coutinho, que perdeu a chance de empatar o jogo, entra na argumentação.

Nessa linha de raciocínio, as atuações de Neymar no Mundial servem para mantê-lo valorizado, na opinião de gente que trabalha para ele.

A avaliação vai na contramão do que pensa a maioria dos torcedores e comentaristas brasileiros. Por isso, a eventual concretização de um novo acordo comercial é vista por gente do estafe de Neymar como uma resposta triunfal aos críticos.

Opinião: os pontos positivos e o risco para seleção com Coutinho no Barça

Leia o post original por Perrone

Na opinião deste blogueiro, a transferência de Philippe Coutinho do Liverpool para o Barcelona tem mais pontos positivos do que negativos para a seleção brasileira. Veja abaixo.

Pontos positivos

1 – Entrosamento

Jogando no Bracelona, Coutinho poderá chegar ao Mundial ainda mais entrosado com Paulinho, seu parceiro no meio-campo da seleção brasileira.

2 – Concentração

Com o futuro definido, o meia estará livre de negociações durante o período da Copa, em que o mercado europeu se agitará por conta de transferências. Ele não terá que dividir sua atenção entre seleção e negociações.

3 – Bom exemplo

Coutinho já tinha sua carreira consolidada e se destacava quando Tite assumiu a seleção brasileira. Porém, suas atuações no time nacional sob o comando do ex-corintiano ajudaram a valorizá-lo a ponto de se transformar na segunda maior contratação da história. Não foi primeiro caso. O treinador recolocou Paulinho na vitrine. Graças às primorosas atuações dele pelo Brasil, o Braça o contratou. O novo episódio com Coutinho é mais um exemplo para reforçar a confiança dos atletas no técnico e acreditar que ele pode ajudá-los também a alcançar metas pessoais.

Ponto negativo

Risco

Coutinho pode demorar a se adaptar ao Barça. Na pior das hipóteses, viraria reserva e chegaria ao Mundial da Rússia sem ritmo de jogo. Mas as qualidades do meia, a fase que ele atravessa e o dinheiro investido pelos catalães sugerem que o risco é pequeno.

 

Seleção fez sua parte… mas deixou a desejar!

Leia o post original por Craque Neto

O Brasil entrou em campo nesta quinta-feira para encarar o Equador, em Porto Alegre, e não empolgou os torcedores que estiveram presentes na Arena do Grêmio. Primeiro porque os ingressos estavam muito caros. Alguns com o preço absurdo de R$ 800, é mole? Depois porque realmente a boleirada, base do time que o técnico Tite já imagina para a disputa da Copa da Rússia, não agradou pelo bom futebol. Jogo tecnicamente bem meia boca, pra dizer a verdade! Senti que o próprio Neymar, que segue como esperança do povo brasileiro, segurou muito a bola e só queria dar drible de […]

O post Seleção fez sua parte… mas deixou a desejar! apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Seleção de Tite é supervalorizada?

Leia o post original por Craque Neto

Prestes a ser vendido do Liverpool para o Barcelona por mais de R$ 620 milhões o meia Phillipe Coutinho só engrossa a lista de valores absurdos que estão sendo negociados alguns jogadores do futebol mundial. Principalmente os da nossa Seleção Brasileira que entra em campo nesta quarta, contra o Equador, pelas Eliminatórias da Copa da Rússia. Pensem comigo: Neymar já foi vendido por mais de R$ 800 milhões, Paulinho por uns R$ 150 milhões assim como o atacante Gabriel Jesus, que custou uns R$ 130 milhões ao Manchester City. Até o jovem goleiro Éderson, que é a terceira opção no […]

O post Seleção de Tite é supervalorizada? apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Tite constrói um time interessante

Leia o post original por Antero Greco

Quando foi a última vez que você se empolgou com a seleção? Ahn, como?! Difícil dizer? Concordo. Talvez na final da Copa das Confederações de 2013, naquele jogo impecável contra a Espanha, então campeã do mundo? Acho que sim, não é mesmo?

Pois bem, mais de três anos depois, eis que o time brasileiro enfim arrancou aplausos da torcida e estimulou até gritos de “olé!”. A proeza, antigamente rotineira nas apresentações “canarinha”, agora vira algo extraordinário, digno de registro.

Raro, mas merecido. Porque o desempenho nos 3 a 0 diante da Argentina, na noite desta quinta-feira, no Mineirão, foi daqueles momentos que levam o torcedor a recordar-se que a equipe de seu país tem cinco Copas. E, ao longo da história, ofereceu ao planeta dezenas dos maiores craques que desfilaram nos gramados.

Chega de rococó, e vamos ao curto e grosso: o Brasil atropelou os argentinos, praticamente não lhes deu chance, saiu de campo de cabeça erguida e cada vez mais líder das Eliminatórias na América do Sul. Sob o comando de Tite são cinco jogos e igual número de vitórias. Saiu da sexta colocação e do risco de não pegar nem repescagem e se aboletou no alto da classificação.

O resultado foi construído com naturalidade, mesmo que a Argentina tenha tido, digamos, uma oportunidade no primeiro tempo, e que morreu devidamente nas mãos de Alisson. Também soube fazer certa pressão, no meio-campo, e trocou passes. Na estatística, apareceu com maior índice de posse de bola. O que a prática tratou de esfarelar.

O Brasil, ao contrário, comportou-se com serenidade, consciente da fase melhor em relação ao grande rival. Teve calma suficiente para aguardar as brechas e dar as estocadas certeiras. E elas vieram ainda no primeiro tempo, com Philippe Coutinho e com Neymar.

Dois gols, duas jogadas de muita participação coletiva e de inspiração individual. Vantagem que deixou os hermanos grogues. Messi desapareceu. Tão tontos que foram a nocaute na segunda etapa, com o gol de Paulinho, ao aparecer bem na área e pegar rebote. Compensou o gol que, pouco antes, havia perdido.

O Brasil ganha uma cara interessante com Tite. Ajusta-se, o treinador observa, testa – colocou, por exemplo, Douglas Costa e Firmino. O arcabouço já existe. Daqui até a Copa da Rússia será período para refinar, para ter certezas em torno de diversos nomes. E para deixar portas abertas para surpresas de última hora.

O torcedor, depois de muito tempo, não tem motivos para envergonhar-se de sua seleção.

 

Nova seleção combina transpiração e inspiração para vencer

Leia o post original por Perrone

A vitória sobre o Equador por 3 a 0 nesta quinta pelas Eliminatórias premiou o esforço de Tite e sua comissão técnica para acelerar o processo de fazer a seleção brasileira assimilar o estilo de seu novo treinador.

As conversas com técnicos de clubes e a escalação de velhos conhecidos de Adenor deram resultado, pois é impressionante como já no primeiro jogo com Tite a seleção mostrou uma nova cara.

É um time que combina melhor aplicação tática e talento individual do que a seleção de Dunga. Mistura a transpiração de Paulinho com a inspiração de Neymar, Gabriel Jesus, autor de dois belos gols, e Philippe Coutinho. O novo Brasil já sabe o que fazer quando está com a bola e sem ela. Marca a saída de bola do rival, tenta triangulações e chega ao ataque até com volante.

Evidentemente, o treinador ainda tem muito trabalho pela frente, com fazer Daniel Alves ser mais útil no novo esquema, ou dar a camisa dele para Fágner.

É cedo para empolgação, mas o torcedor brasileiro, enfim, já pode sonhar com dias melhores para a equipe nacional.