Arquivo da categoria: Política

O silêncio não é defesa

Leia o post original por Rica Perrone

Eu quero saber o que o Queiroz fez e se o Flávio estava envolvido. Como todas as pessoas de bem do país, devemos esperar esclarecimentos de tudo que possa nos prejudicar. Há neste caso diversas questões políticas e como sempre digo, embora seja difícil pra alguns, eu escrevo sobre comportamento, nunca sobre a política em…

O Brasil e os canudos

Leia o post original por Rica Perrone

É óbvio que não faz sentido, mas dá margem pra lacração. Toda vez que um artista/celebridade/aspirante enxerga a oportunidade de se posicionar conforme a cartilha, ele o fará. Os 80% deles que discordam ficam mudos. Porque é o Brasil, onde a minoria faz mais barulho que a maioria e onde estar com a maioria causa…

Sim, é o mais nobre dos motivos

Leia o post original por Rica Perrone

Eu mesmo já cometi esse erro de achar uma bobagem brigar com alguém ou desfazer uma amizade por política.  Mas os anos vão passando, as ideologias sendo confundidas com caráter e valores pouco discutíveis. E então eu passei a entender que bobagem mesmo é brigar por causa de futebol, conta de bar, fofoca na turma de amigos.

Afinal, se há de forma clara, comprovada e condenada uma organização criminosa que estuprou todos nós nos últimos anos, que tipo de idiota eu seria ao “respeitar” a opinião de quem faz campanha pelos lideres da quadrilha?

Eu não quero ser amigo de quem está do lado do Nardoni. Não seria muito natural eu achar que o maníaco do parque é um sujeito injustiçado.  Eu perderia qualquer amizade em virtude de um dos meus “amigos” apoiar algo do tipo.

E se hoje toda semana alguém me conta lamentando que brigou com fulano porque ele “defende o PT”, ou algo parecido,  porque devemos nos lamentar se pela primeira vez na história deste país estamos brigando por coisa séria?

É absolutamente claro pra qualquer pessoa razoável que ideologia é uma coisa, brigar por criminosos é outra. Isso automaticamente coloca dezenas de artistas e partidos “aliados” em situação constrangedora. Pois você ser de esquerda não o torna ( ou não deveria torna-lo)  fã de bandido.

O respeito termina aí. Você comunista, eu capitalista. E nos respeitamos como num Fla-Flu.

Nós dois roubados, você brigando pelo bandido e eu pela justiça, não há mais porque respeitar, menos ainda considera-lo “amigo”.  Você é um inimigo. Meu, da sua própria família, do seu país, de todos os outros que buscam algo mais justo.

“Ah mas o Aécio…”, não fode petista! Ninguém faz campanha pro Aécio não ser preso ou condenado. Seu argumento é mentiroso, escroto e de má fé.

O Lula é um condenado por corrupção.  O PT tem quase todos os seus líderes condenados e presos, indicando uma enorme quadrilha que nos roubou por anos e nos colocou na situação que estamos hoje.

Note: isso não isenta quem também roubou antes. Tal qual a frase estúpida de uma atriz famosa, que acha que porque sempre roubaram o Lula também podia.

Todos estão errados. Mas só há um tipo de bandido sendo defendido:  os do PT.

Mais incrível ainda é um partido como o Psol passar por cima de sua ideologia para se sujeitar a abraçar a quadrilha na cara das vítimas. Talvez não saibam porque não ganham eleição. Mas nós sabemos. É óbvio.

E o efeito orgulho é incrível, pois mesmo quem era Psol por separa-lo disso tudo, ao invés de se afastar quando vê que trata-se de um filhote de PT, briga por ele porque ter razão é melhor do que ser justo.

Meus amigos, ex-amigos ou futuros ex-amigos, eu não me importo de você ser de esquerda.  Mas se você tentar tirar da cadeia o líder da quadrilha do maior assalto da história desse país, eu não posso ser seu amigo.

Não se trata de ideologia. É uma discussão sobre caráter. E então, se você está do lado dos bandidos, brigando por eles e relativizando crimes pra ter razão…  não estou perdendo um amigo. Ganhei um inimigo que valoriza minha índole.

Não sei quem te criou. Nem mesmo se você considera tal discussão um debate político.  Pra mim, isso tem zero a ver com política e 200% a ver com olhar nos olhos do meu pai no domingo.

Cada dia tenho menos amigos. E cada dia melhores amigos.

abs,
RicaPerrone

Marielle “e o Aécio?”

Leia o post original por Rica Perrone

Talvez você ache que estou falando de política, mas não estou. Raramente falo de política. Falo de comportamento, o que é muito diferente mas também de compreensível dificuldade interpretativa diante das amostras recentes pelo país.

Toda vez que alguém comemora a condenação do Lula e/ou cobra por ela, imediatamente aparece alguém dizendo “e o Aécio?”.   E como o Aécio existem 500 pra ser presos neste país, é óbvio. A questão é tão mais simples sobre essa pergunta que eu nem sei porque ela entra na parte política.

Quando mataram a Marielle, mataram uma representante de um grupo grande de pessoas e portanto, naturalmente, sua morte foi infinitamente mais falada, cobrada e revoltante que um assassinato quase idêntico e simultâneo na Barra da Tijuca.

Ela era negra, mulher e gay. Portanto a morte dela REPRESENTAVA mais coisas do que um assassinato entre os 60 mil por ano no país. Acho que qualquer pessoa entendeu isso, mesmo as que eventualmente odiassem a Marielle.

O Lula é o organizador, o líder da maior gangue já flagrada em todos os tempos. Lula é o cara que se criou dizendo que “comigo não seria assim”, e foi o que pior fez. Ele traiu milhões de pessoas que hoje ainda preferem morrer abraçados ao ídolo do que a justiça.

Sim, o Lula é MUITO maior que o Aécio. E o Aécio por sua vez é apenas a representação mais recente do anti-PT. O que não significa que ele tenha 10% da importância e da representatividade do Lula quando se quer ver um corrupto preso.

Desconheço pessoas que defendem o Aécio.  O Aécio Neves é um derrotado em eleição presidencial, não um cara que comandou um partido/gangue/máfia no poder maior de um país por 13 anos.

Lembra do “e o Cunha?”.  Então…

É absolutamente natural que o Lula seja o “Bin Laden” dos Brasileiros e o Aécio seja um inimigo qualquer, como outros tantos. A comparação é uma resposta colegial. O garotinho que diz “bobo é seu nariz”  quando ofendido no patio.

Querer o Lula punido não tem nenhuma relação com Aécio. Exatamente porque querer justiça e se revoltar mais pela morte da Marielle também é natural diante de outras 60 mil mortes.   A não punição aos assassinos da Marielle implica em dizer para os bandidos que se nem a morte dela foi resolvida, imagine as demais.

A condenação do Lula representa a justiça acima da mais alta camada dos corruptos. E portanto abre-se o precedente fácil para que qualquer outro seja também punido. A absolvição dele seria a absolvição do Aécio. O HC dele, daria também tempo para o Aécio.  O contrário não. Hierarquia.

Representatividade. É simples. Basta querer.

E sim, queremos o Aécio preso. Mas o Lula é Copa do Mundo, o Aécio é Copa América. Ninguém pinta a rua na Copa América. O que não implica em não querer conquista-la.

abs,
RicaPerrone