Arquivo da categoria: porto

Apesar de europeus, Corinthians vê renovação de zagueiro da Copa SP próxima

Leia o post original por Perrone

A diretoria do Corinthians admite que Caetano, 19 anos, zagueiro do time na Copa São Paulo, desperta o interesse europeu. Ele tem contrato até dezembro de 2019 e na metade do ano pode assinar pré-contrato com outro clube. Porém, a direção alvinegra avalia que a renovação do compromisso do jogador está praticamente acertada.

“Na verdade está tudo acordado entre as partes, está bem encaminhado. O desejo do jogador é ficar no Corinthians, seguir carreira aqui. Está tudo acertado, tempo de contrato, salário”, afirmou ao blog Fernando Yamada, gerente das categorias de base do Corinthians.

Ele declarou que o zagueiro aceitou um novo contrato válido por três anos. O blog não conseguiu localizar os responsáveis pela carreira de Caetano para confirmar o avanço da negociação.

De acordo com o blog do jornalista Jorge Nicola, o Porto tem interesse em levar o beque após o fim do compromisso atual, assinando um pré-contrato no meio do ano. Assim não teria que pagar pelos direitos do atleta.

“A gente já esperava a especulação (por parte dos clubes europeus) desde a Copa RS. Por causa do estilo europeu dele, ele joga em pé, é inteligente”, disse Yamada.

Porto e Corinthians divergem sobre pagamentos referentes a Felipe

Leia o post original por Perrone

Corinthians e Porto divergem sobre a situação dos pagamentos referentes à compra do zagueiro Felipe pelos portugueses. Como mostrou o Uol Esporte, o alvinegro alega que não recebeu duas parcelas, uma de R$ 1,8 milhão e outra de cerca de R$ 3,6 milhões. Um dia após a publicação da reportagem, o Porto emitiu uma nota à imprensa contestando a informação que fora confirmada por Emerson Piovezan, diretor financeiro corintiano, e alegou que o dirigente se desculpou com os portugueses.

“A verdade é que ontem à tarde recebemos um e-mail assinado pelo próprio diretor financeiro do Corinthians que se desculpava e confirmava que o plano de pagamentos está a ser cumprido”, afirmou o clube português.

Porém, Piovezan contesta essa versão. “Não quero polemizar, como você gosta, mas não reflete a realidade. Só isso”, declarou o dirigente ao blog por mensagem via celular. O cartola respondia se procedia a informação do Porto de que ele pediu desculpas e reconheceu não haver atrasos.

Confira a declaração oficial do Porto divulgada na newsletter oficial do clube para a imprensa portuguesa:

“Ontem circulou no Brasil uma notícia que relatava um alegado atraso do FC Porto no cumprimento do plano de pagamentos da transferência de Felipe do Corinthians para o nosso clube. Isso é falso e essa mesma informação já tinha sido prestada ao jornalista que anteontem nos tinha contactado. O texto apresentava a versão do FC Porto, mas com muito menos destaque do que a versão apresentada por Emerson Piovezan, diretor financeiro do clube brasileiro. A verdade é que ontem à tarde recebemos um mail assinado pelo próprio diretor financeiro do Corinthians, que se desculpava e confirmava que o plano de pagamentos está a ser cumprido”.

 

Perto do Sporting, corintiano André entra na mira do Porto

Leia o post original por Perrone

Praticamente fora do Corinthians, André ainda não tem seu destino definido. O Sporting ficou perto de anunciar a contratação do jogador nos últimos dias, mas agora o Porto manifestou interesse na contratação e pode atravessar o negócio.

 Representante do atacante estará em Portugal nesta segunda para definir a situação. A expectativa do estafe do atleta é de que o destino dele seja conhecido até terça-feira.

Nas últimas semanas, intermediários ofereceram André, em má fase no Corinthians, para vários times europeus. Inicialmente, a posição da direção alvinegra era de negociar André apenas se contratasse outro jogador para a posição. Porém, neste domingo, o clube informou que retirou o jogador da lista de relacionados para a partida com o Vitória, nesta segunda, após conversar com o atleta. Por enquanto, nenhum reforço para o ataque foi anunciado.

Já é dado como certo entre quem cuida da carreira da André que ele irá se transferir para o futebol português, resta saber em qual dos dois times. As partes envolvidas não revelam os valores das negociações.

 

Diretor do SPFC faz as contas e afirma: ‘Compra de Maicon não foi loucura’

Leia o post original por Perrone

Maicon em ação contra o Fluminense (Crédito: Rubens Cavallari/Folhapress)

Maicon em ação contra o Fluminense (Crédito: Rubens Cavallari/Folhapress)

Três meses após aprovar seu balanço financeiro com um déficit de cerca de R$ 73 milhões em 2015, o São Paulo anunciou na última terça-feira a segunda contratação mais cara de sua história. Vai desembolsar R$ 21.625.200 pela cotação do dólar desta quarta para ficar com Maicon, além de ceder parte dos direitos econômicos de Lucão e Inácio, que devem jogar no Porto. O investimento milionário fez ecoar no Morumbi a pergunta: gastar tanto dinheiro num só jogador não é uma loucura para quem andava economizando cada centavo?

Para responder a questão que aflige conselheiros tricolores, o diretor financeiro Adilson Alves Martins dispara números com a velocidade de uma metralhadora. E assegura: “não fizemos loucura”.

Primeiro, ele explica o acordo que tem com o presidente Carlos Augusto de Barros e Silva. “Basicamente, o combinado é que, se houver um estouro por causa de alguma contratação, vamos vender alguém para compensar ou emprestar jogadores para reduzir as despesas”, disse o diretor financeiro.

No orçamento do clube para 2016 não está previsto quanto será gasto com contratações, só o valor a ser arrecadado com vendas de jogadores: R$ 24 milhões. Assim, não há um documento que explique certeiramente se a manutenção de Maicon estourou o orçamento.

Mas o diretor financeiro usa fatores como a receita obtida na Libertadores até aqui, novos contratos de patrocínios, saída de jogadores, incluindo dos dois que devem ficar no Porto, parcelamento da compra do zagueiro em três anos, luvas do novo contrato com a Globo e diminuição de juros bancários para justificar que não houve maluquice na compra.

“Não fiz a ainda a conta para saber quanto temos que arrecadar com vendas para cobrir essa compra porque existem muitos elementos envolvidos. A receita da Libertadores, por exemplo. No orçamento, não havia a previsão de chegarmos na semifinal. E podemos ir até a final, pode entrar mais dinheiro e cobrir o investimento feito no Maicon”, afirmou Martins.

Segundo ele, o São Paulo já recebeu como prêmio da Conmebol US$ 400 mil por chegar à fase de grupos do torneio sul-americano, US$ 950 mil por passar para as oitavas de final,  US$ 1,2 milhão pelo avanço às quartas e US$ 1,8 milhão pela chegada às semifinais. Ser campeão vale mais US$ 3 milhões. O vice-camepeonato dá direito a US$ 1,5 milhão. Ou seja, se o clube for finalista, só em premiação arrecadará com a Libertadores pelo menos cerca de R$ 18,9 milhões. Em caso de título o valor crescerá para aproximadamente R$ 23,8 milhões. Mas ainda existe a verba obtida com a venda de ingressos para os jogos da competição.

“Outra receita importante que tivemos foram os R$ 57 milhões líquidos que recebemos de luvas pelo contrato com a Globo”, declarou Martins. O dinheiro que veio da emissora ajudou o clube a diminuir seu débito com bancos. “Reduzimos a dívida bancária em 50% e economizamos R$ 5 milhões em juros bancários”, afirmou ele.

No quebra-cabeça montado pelo cartola para tentar provar que a permanência de Maicon não fere a realidade financeira tricolor, o diretor também coloca a venda de Ewandro para Udinese. Ela vai render mais de R$ 7 milhões ao clube.

Porém, há também outros novos gastos, como os provocados pela chegada de Cueva, que custou US$ 2,5 milhões parcelados. E existem ainda as demais despesas para serem pagas.

“O importante é no final do ano fecharmos as contas, vamos fazendo ajustes conforme as necessidades”, concluiu o dirigente.

Em meio a números e projeções, há entre parte dos conselheiros são-paulinos dois sentimentos distintos: a alegria pelo “fico” de Macion e a apreensão de não saber exatamente o que o sacrifício de hoje representará amanhã para o clube.

VEJA TAMBÉM:

Ganso tem suspeita de lesão e pode perder semifinal da Libertadores

Conselho de Bielsa faz São Paulo definir que Maicon será tutor de Lyanco

Diretor do SPFC defende congelar reforços até definir situação de Maicon

Leia o post original por Perrone

Para Luiz Antônio da Cunha, diretor de futebol do São Paulo, o clube deve congelar as negociações por novos reforços até resolver a situação de Maicon. Porém, pelo menos por enquanto, o executivo Gustavo Vieira de Oliveira segue tratando de outros negócios enquanto discute com o Porto a permanência do zagueiro.

Além de ver necessidade em concentrar todos os esforços na manutenção do beque, emprestado até o final do mês, Cunha avalia que outras contratações dependem do desfecho com o time português. Dependendo do que for gasto para segurar o zagueiro, não sobrará dinheiro para mais reforços no entendimento do cartola.

“Na minha opinião tem que parar tudo e se concentrar só no Maicon. Depois que resolvermos, vamos ver quanto temos de dinheiro disponível, analisamos os pedidos do técnico e se dá para atender. Isso é o que eu penso. Todo mundo sabe que nossa situação financeira não é confortável”, disse Cunha ao blog.

Com a grana curta, o São Paulo tenta envolver jogadores numa troca com o Porto, mas não dá detalhes da negociação tocada por Gustavo.

“Pela última informação que recebi (do executivo) estou otimista. Mas não depende só de nós. E se aparecer um clube europeu oferecendo uma fortuna? Um jornalista português me disse que ofereceram dez milhões de euros ao Porto. Respondi que se isso realmente acontecer, estamos fora, não temos como entrar numa disputa dessas”, afirmou Cunha.

O técnico Edgardo Bauza pediu cerca de cinco atletas para a diretoria. O diretor de futebol considera três reforços um bom número. Já chegaram o meia peruano Christian Cueva e o atacante Ytalo, que veio do Audax.

O atual Boca é comum, o São Paulo também. E viva o Maicon!

Leia o post original por Milton Neves

Gol de Maicon foi decisivo para continuidade do São Paulo na Libertadores

Foto: UOL

Deveria saber e não sabia.

Maicon, o nosso melhor beque-beque atuando aqui ou fora, foi do Cruzeiro e estava meio que escondido em Portugal.

Quem o trouxe?

Quem o bancou?

Que contratação!

Sozinho, Maicon já teve melhor custo-benefício para o São Paulo do que os “800” jogadores que Alexandre Mattos levou para o Palmeiras, torrando uma tonelada de verdinhas pelo Verdão.

Só que nem seu padrinho tricolor acreditava em vida longa do time na Libertadores.

Daí o contrato de Maicon vai só até 30 de junho.

Agora, com o Corinthians de olho nele, a contratação em definitivo ficou bem difícil.

Até porque o FC do Porto também sacou que estava perdendo um zagueiraço a ser ainda muito valorizado.

E como português de burro não tem nada, a turma da terra do nobre vinho-licor já bem sabe que sua joia logo estará na Seleção Brasileira e aí seu prestígio e valor subirão de Pêra-Manca para Barca Velha, outros dois craques da vinicultura portuguesa.

Maicon, além de “goleiro”, de artilheiro e versátil, é um zagueiro com cara de zagueiro intimidador, tem habilidade e a liderança natural e típica dos antigos donos da mítica camisa 3.

Está aí, Dunga, a colher de chá que o São Paulo te deu e que você também não soube ver.

Já que você não gosta mesmo do soberbo Thiago Silva, chega de beques que têm mais fama do que bola, tipo David Luiz.

E nossa Libertadores, hein?

Sobrou só o São Paulo, o pior dos cinco brasileiros na pré-análise de 11 de cada 12 comentaristas esportivos.

Estão vendo mais uma vez como o imponderável é o grande oxigênio da bola e fundamental para a eterna liderança do futebol diante de todas as outras modalidades esportivas?

As classificações épicas de Boca Juniors e Atlético Nacional na quinta-feira também atestam isso.

Já em Belo Horizonte, pela “lógica”, daria Galo, o melhor elenco da América do Sul.

Mas com o mico Robinho hoje só cumprindo tabela, um Lucas Pratto nota 1, Leonardo Silva e Erazo pulando a grossura de uma gillette, Dátolo machucado, Victor catando borboletas e o péssimo Diego Aguirre enxergando tanto quando Ray Charles, a seleção alvinegra de Minas ficou pelo caminho.

E eu disse há mais de 20 dias que Aguirre, independentemente do resultado diante do clube do Morumbi, deixaria o Galo e Marcelo Oliveira assumiria o seu lugar.

Não deu outra!

Agora vêm aí os temíveis argentinos, os ótimos colombianos, os aguerridos mexicanos do Pumas ou os entusiasmados jogadores do Independiente del Valle do novo futebol equatoriano.

O São Paulo, de novo, é o pior dos semifinalistas e vai enfrentar o milagroso e compacto Atlético Nacional de Medellín, apostando mais uma vez na imprevisibilidade do futebol.

Afinal, o que é mais uma zebra a pastar no velho Morumbi deste São Paulo que, nem de longe, imaginava que poderia ser campeão de novo da Libertadores em meio a sua impressionante crise ética, política e técnica?

E já pensaram numa final inédita entre Boca e São Paulo?

Dois grandes campeões de tudo, atualmente com elencos nota 5,97.

Nesta hipotética final, apostaria no São Paulo, porque zebra boa, mas boa mesmo, é aquela que pasta do começo ao fim, livrando-se das terríveis investidas dos leões, leoas, leopardos, hienas e de outros predadores da savana.

Mas cuidado com o Boca, mesmo hoje com um time dos mais “inofensivos”.

É que time argentino bom, mas bom mesmo, é time argentino eliminado.

OPINE!!!

Bayern, ou o prazer de jogar futebol

Leia o post original por Antero Greco

O futebol me fascina desde garoto. Gosto do jogo de bola, independentemente do país, e vejo qualquer campeonato. Só não torço para time estrangeiro porque tive o prazer de crescer com grandes times daqui. Mas essa é história que fica para outro bate-papo.

O que quero dizer é que, na tarde desta terça-feira, o Bayern encheu os olhos de quem se liga em futebol. O time do incansável Pep Guardiola precisava livrar-se do placar de 3 a 1 em favor do Porto para avançar para a semifinal da Liga dos Campeões da Europa. O jogo era em Munique e, claro, uma desvantagem sempre pesa nas costas.

Você sabe o que fez o Bayer, não? Levou em conta o tropeço da semana passada apenas como obstáculo a superar. E fez por mandar para escanteio a sombra da desclassificação. Em menos de meia hora tinha vantagem de 4 a 0 e fechou o primeiro tempo com 5, fora o baile. Tirou o pé na etapa final, levou um gol e ainda arrematou o placar com o sexto: 6 a 1.

Um show de um grupo moldado para jogar bola, sem rodeios, sem rococó, sem papo furado. O segredo do Bayern era o mesmo que tinha o Barça sob a direção de Guardiola: tocar a bola, enganar o adversário, envolvê-lo, deixá-lo tonto e atacar, atacar, atacar. Criar chances de gol.

Às vezes, parece até pelada de criança – e no fundo é isso mesmo. Jogar futebol com prazer. As equipes sob a tutela de Guardiola se comportam como se fossem crianças e se divertir. Pois isso é o futebol: prazer, alegria, gols. Ficou feliz o time, ficou mais feliz a plateia.

Alguém pode alegar que o Porto jogou mal? Diria que o Porto tentou fazer o possível, coitado; não conseguiu. O Bayern não deixou o clube português sequer ter iniciativa. Não dá nem para falar que Lopetegui colocou a equipe dele na retranca para defender a vantagem anterior. Nada. Veja pelo lado oposto: a turma da Alemanha é que ignorou o Porto, jogou como se só ela estivesse em campo.

Ter gente da qualidade de Muller, Lahm, Lewandowski, Gotze, Rafinha ajuda, sem dúvida. Mas é necessário que, por trás deles, esteja um “professor” que lhes ponha na cabeça que a melhor alternativa para ganhar é partir pra cima. Guardiola faz isso; o resto fica por conta dos artistas.

 

Dia desastroso para zagueiros brasileiros

Leia o post original por Antero Greco

Os dois jogos desta quarta-feira da Champions League foram empolgantes. Placares iguais e importantes, expressivos – 3 a 1 Porto em cima do Bayern e 3 a 1 do Barcelona sobre o Paris-Saint-Germain no campo francês. Os vencedores se encaminham para as semifinais.

Até aí tudo bem, e você vai ler muitos comentários e resumos dessas partidas. Mas quero ter olhar brasileiro, já que muitos de nossos patrícios estiveram em campo no Porto e em Paris. E um aspecto me chamou a atenção: a noite desastrosa para Dante, do Bayern, e David Luiz, do PSG. Ambos falharam em momentos decisivos e levaram baile de atacantes adversários.

Dante se enroscou no lance do segundo gol do Porto, ainda no início do jogo no estádio das Antas, e deixou Quaresma livre para concluir. O episódio o deixou desconcertado e houve outras falhas. David Luiz ficou vendido nos dois gols de Suárez que levaram o Barça a abrir diferença de 3 a 0. No segundo gol, tomou “caneta” na área. No terceiro gol, na intermediária, foi outra “caneta” do uruguaio. Daquelas de deixar o queixo cair. Chato pra caramba.

Coincidência? Sim. No segundo gol do Barça, Suárez também se divertiu com Marquinhos e com Maxwell, fez fila com os dois. Da mesma forma, Xabi Alonso e Boateng vacilaram em outros gols do Porto. Acontece, porém se trata de dois zagueiros de seleção brasileira, que estiveram em Copa do Mundo, vira e mexe lembrados em listas de convocados.

Sem dó. Fora isso, não há o que contestar nos resultados. O Porto engoliu o Bayern, desfalcado de gente como Robben, Ribery, Schweinsteiger, para ficar só em três titulares de peso. O Porto envolveu o campeão alemão, apertou na marcação, foi ágil no ataque e ainda contou com o colombiano Jackson Martinez, goleador que estava afastado por contusão. Ele fez o terceiro do time, que pode perder por 1 a 0 na semana que vem na Alemanha. Casemiro, do lado do Porto, foi um brasileiro que se destacou.

O Barcelona se impôs ao PSG na categoria, na qualidade do esquema e na individualidade de Messi, Xavi, Suárez, Neymar (autor do primeiro gol). Conteve toda iniciativa dos franceses, não fez com que o controle do jogo lhe escapasse dos pés. O gol que sofreu quase no final não altera grande coisa, pois pode cair até por 2 a 0, em casa, que segue adiante.

 

Hulk pode ser melhor aproveitado na Seleção

Leia o post original por Neto

Hulk foi eleito o melhor jogador da Rússia na última temporada

Hulk foi eleito o melhor jogador da Rússia na última temporada

Apesar de ser escalado como atacante nesta Seleção Brasileira do Felipão, o Hulk esteve longe de exercer essa função nos últimos amistosos e torneios que disputou. Isso porque o treinador gosta de fazer com que ele ajude na marcação dos laterais. Colabora com a equipe muitas vezes fechando o meio com os volantes. Mas com toda a sinceridade vejo isso como um baita de um desperdício de talento. Afinal qual a maior qualidade desse jogador? A força física, não é? Chute potente e arrancada. Pois então, vai limitar um cara desse para marcar? Aí é brincadeira, viu?

Há algumas temporadas o Hulk vem sendo um dos principais artilheiros do planeta. Ele já foi artilheiro do Campeonato Japonês pelo Tokyo Verdy e na Europa virou ídolo no Porto de Portugal atingindo números expressivos de gols e títulos. No Zenit já chegou e foi vice-campeão russo e também um dos principais goleadores do torneio. Foi eleito inclusive o melhor jogador da Rússia da última temporada. Dizer mais o que? Aí o Felipão limita o cara dizendo que ele tem que marcar? Que dureza!

É verdade que jogar com três atacantes poderia deixar o time muito ofensivo, o que convenhamos não é uma característica marcante do gaúcho Felipão. Mas ainda assim ele poderia testar variáveis táticas para dar liberdade ofensiva ao Hulk. Acho que pode valer a pena em alguns momentos dessa Copa.

Confesso que não acreditava muito no potencial dele com a camisa do Brasil. Mas o paraibano de Campina Grande provou que tem muita qualidade e capacidade para estar nesse Mundial. Vou torcer por ele.

Santos vê rejeição do Benfica em negociar Aimar e tenta selar paz com portugueses

Leia o post original por Perrone

Aimar divide opiniões no Santos

Felipe Faro, superintendente de futebol do Santos, esteve há cerca de dez dias no Benfica, clube do argentino Pablo Aimar, cogitado como possível reforço do alvinegro.

Oficialmente, a missão do cartola foi fazer uma visita institucional e tentar reconstruir a relação com o time português, abalada desde que o Santos vendeu Danilo para o Porto, deixando o Benfica de mãos abanando.

Faro nega que tenha tentado conversar  sobre Aimar e dado com a porta na cara, contrariando informação recebida pelo blog. Diz que não tocou no nome do argentino.

 A avaliação na Vila Belmiro é de que não adiantaria perguntar ao Benfica sobre Aimar agora, pois a resposta seria um sonoro “não”. O sentimento dos portugueses ainda é de revolta com o Santos por causa de Danilo. Os brasileiros sentiram o tamanho da encrenca quando o time português se recusou a manter Alan Kardec na Vila.

Por isso, Faro tentou a reaproximação usando um projeto de marketing como chamariz.

Enquanto isso, conselheiros de diferentes alas do Santos fazem pressão para a diretoria contratar jogadores mais jovens do que Aimar, prestes a completar 33 anos.

A diretoria também é criticada por supostamente não ter habilidade na negociação de Danilo para evitar o rompimento com o Benfica.