Arquivo da categoria: publico

Futebol com público sou totalmente contrário.

Leia o post original por Nilson Cesar

O Rio de Janeiro é diferente mesmo . A prefeitura quer liberar a presença de público nos estádios a partir de 10 de julho . Sou totalmente contrário . Mesmo limitando a presença do torcedor trata-se de um grande risco . Público deveria ser autorizado só depois da vacina . No Brasil as coisas são diferentes mesmo . No Rio de Janeiro mais ainda . Lamento profundamente a insensibilidade de todos os…

Fonte

Futebol tem que voltar só com muita segurança .

Leia o post original por Nilson Cesar

Não precisa desespero . A bola certamente voltará a rolar em breve . Para que tudo ocorra bem é necessário muita segurança . Acho que no mês de junho os campeonatos irão retornar . As equipes devem se reapresentar em maio . Portões fechados é o caminho inicial . Quando a pandemia passar a alegria do torcedor voltará aos estádios . Um ano atípico para todos nós . Tomara que tenhamos muito mais…

Fonte

Campeão vence e agora é hora de curtir as férias .

Leia o post original por Nilson Cesar

Palmeiras venceu a sua última partida em seu estádio com público recorde . Mais de 41 mil pagantes . Sem duvida o Verdão é um dos grandes favoritos para 2019 também . Tem o melhor e maior elenco e mereceu a conquista . Agora é hora de férias e estaremos com as equipes em férias também . Desejo à todos um grande ano de 2019. Com muita paz nos estádios e futebol de melhor qualidade . Até 2019 meus amigos e obrigado pelo carinho de todos em 2018!

Relatório completo de público no Brasileirão de 2012 a 2017

Leia o post original por Rica Perrone

Uma das coisas que o torcedor mais gosta de discutir é o desempenho dele mesmo perante seu clube na arquibancada.

O ADMKT é o Grupo de Pesquisa e Extensão em Marketing e Comportamento do Consumidor da Universidade Federal de Goiás (UFG). Fundado em 2012 pelos docentes e pesquisadores Marcos Severo e Ricardo Limongi, professores efetivos da UFG, o grupo foi criado com o objetivo de promover atividades da área de marketing realizadas no âmbito da instituição de ensino.

Pois este grupo fez uma incrível pesquisa sobre o público do futebol brasileiro dos campeonatos brasileiros de 2012 até 2017.

A comparação começa com a Premiere League, na Inglaterra. E logo se tem a discrepância de público dentro dos estádios.

Dessa forma, o objetivo deste relatório é responder diversos questionamentos relacionados ao Campeonato Brasileiro de Futebol, não somente aqueles que tratam do público pagante e da taxa de ocupação nos estádios, como também os que se relacionam ao desempenho das equipes de futebol.

O contexto brasileiro é particularmente marcado pela existência de 12 grandes clubes, que concentram 53 dos 59 títulos dos campeonatos brasileiros disputados desde 1959, época da primeira edição da Taça Brasil.Conhecer detalhes da dinâmica do principal campeonato de futebol do País é importante, principalmente se for considerado que os principais clubes brasileiros ainda se veem diante de problemas estruturais e organizacionais crônicos, como más condutas de gestão.

Dirigentes e profissionais de marketing que atuam nessa realidade pouco sabem dos fatores que determinam a presença de público nos estádios ou o desempenho das equipes no campo.Poucos são os clubes realmente prossionalizados que organizam ações administrativas baseadas na racionalidade da análise de dados. Entretanto, esse cenário começou a mudar nos últimos anos, com isoladas iniciativas de prossionalização e responsabilidades scal e administrativa. A apresentação do “Relatório ADMKT de Presença de Público nos estádios brasileiros”acompanha esse movimento e se apresenta como fonte de informação para gestores de clubes, prossionais de gestão esportiva e da imprensa especializada

O primeiro gráfico mostra o público médio e também o “desvio” padrão. O “desvio” é como uma margem de erro. É a média de público oscilando pra cima e pra baixo perante o público médio.

A seguir temos um gráfico para mostrar em ordem essas médias de público ao longo deste período.

A seguir a taxa de ocupação, que está sempre diretamente ligada ao público médio em virtude da capacidade de cada estádio.

Temos, então, outro gráfico interessante. A comparação entre começo e final de campeonato, para verificar se as torcidas se comportam regularmente, só nas finais ou só num começo empolgante.

Em seguida uma série de gráficos que indicam o comportamento do torcedor para ir ao estádio no Brasil, e até a sua relação com o resultado.

Esse trabalho detalhado e muito interessante para discussão sobre o futebol brasileiro foi feito pela equipe abaixo, a quem agradeço pela preferencia em ter disponibilizado a este blog primeiro.

O público nos pontos corridos

Leia o post original por Rica Perrone

Lá se vão 12 anos de pontos corridos. O que eu mesmo defendia há mais de uma década, hoje sou radicalmente contra.  Mas ainda tem uma parte dos torcedores que gosta do formato, especialmente cruzeirenses, sãopaulinos, colorados e santistas. Porque será? Durante estes 12 anos os públicos variaram de acordo com os que disputavam título […]

Renda e Público 2015

Leia o post original por Rica Perrone

O blog não acompanhará apenas os dados de público e renda do Brasileirão em 2015. Vamos de janeiro a dezembro considerando todos os campeonatos através dos borderôs oficiais dos clubes. Algumas considerações: – Os clássicos no Rio de Janeiro tem torcida dividida. Logo, o público e a renda bruta do jogo são computadas para os […]

Público e Renda 2014 – Final

Leia o post original por RicaPerrone

O Brasileirão terminou. Os números são finais.  O Vasco, na série B, está na listagem por ser um dos 12 grandes que o blog se propõe a tratar. Porém, dados devem ser relevados. Por exemplo – A renda líquida depende muito do que o clube tem por sócio torcedor. Alguns não pagam, outros descontam na […]

Punição do STJD já afeta receita do Corinthians com ingressos

Leia o post original por Perrone

A partida contra o Bahia, em Mogi Mirim, indica o estrago que as punições aplicadas pelo STJD ao Corinthians por conta do comportamento de parte da torcida pode fazer aos cofres do clube.

No primeiro dos quatro mandos fora de casa, o alvinegro teve seus piores públicos e renda no Brasileiro. Foram 9.917 pagantes e R$ 223.758.

A média de público do clube como mandante é de 24.564 pagantes. Já a arrecadação média é de R$ 806.872. Ou seja, em Mogi, o Corinthians registrou 14.647 pagantes a menos do que sua média. E arrecadou R$ 583,1 mil a menos.

Por conta da briga entre corintianos e vascaínos em Brasília, o time paulista ainda mandará três jogos fora de São Paulo. E se avançar na Copa do Brasil, não joga mais em casa por causa de um sinalizador aceso no jogo contra a Luverdense.

É um complô?

Leia o post original por RicaPerrone

Não, prometo que não sou um desses caras que acha que a mídia se reúne pra decidir quem vai manipular ou que clube vai colocar em crise desta vez.  Não acredito em complôs.

Só os não organizados. Estes sim, funcionam.

Estádios modernos e bonitos para que os 12 maiores clubes do país joguem. Alguns como o Internacional sempre recheados de atrações, grandes nomes, topo da tabela, enfim.

E nada faz com que o torcedor volte ao estádio.

Aí surge aquele monte de teoria de quem não sobe numa arquibancada há 10 anos tentando entender o motivo.

Não é um motivo. Nem dois. São vários. Mas hoje, destaco o resultado de um verdadeiro complô contra os estádios de futebol brasileiros.

Você começa com o calendário, o enorme número de jogos inúteis e passa pela curiosa perda de talentos que tivemos em 2013, após anos melhorando e segurando a molecada.

De novo: Cuidado com a ejaculação precoce.  Não significa que 2013 tenha sido o ano da retomada do fim do futebol brasileiro, e nem é tão simples assim entender o porque dessa debandada após tanta melhora.

Assunto pra outro post. E provavelmente sem resposta, pois se alguém a tivesse estava rico e não num blog criando teorias.

O ingresso de um mero Flamengo x Bahia custa, no mínimo, 60 reais. Se você tomar um refrigerante e comer um sanduiche, mais 15. Se estacionar o carro, mais 20. Você vai fazer um programa de 100 reais pra ir sozinho a um estádio ver um jogo fraco.

Se você pagar 60 reais assiste o campeonato todo na tv. Todos os jogos, em hd, com amigos, gastando o resto em cerveja e salgadinho, sem precisar se locomover e ainda com a chance de dividir o custo entre colegas.

Ou, talvez, num bar do lado de casa onde sequer você paga pra ver o jogo.

Ainda assim, quando apelativo pelo interesse, a tv resolve transmitir o jogo pra cidade do evento.  Desleal.

A nova geração já foi afastada dos estádios por violencia. Não tem o mesmo hábito que tinhamos, e não sente falta de estar presente podendo ver em hd.

Eles “vibram” com Arsenal, Wigan, essas coisas que passam na tv deles. Que diferença faz?

Faria, no estádio. Não vai fazer, pois estão os incentivando a ficar em casa. E então, é óbvio, tv por tv, o molequinho vai ver Cristiano Ronaldo e não Carlos Eduardo.

O PPV é muito barato. Calma, não me odeie. Eu adoro que seja, mas… é!

Ele não pode custar o preço de um ingresso por mes pra te dar todos os jogos do campeonato no sofá.

Ou pode.

Desde que o ingresso de arquibancada custe 10 ou 20 reais.

Gênios do futebol moderno querem apaixonar e aproximar torcedor pela tv.  Provavelmente todos eles cresceram em condominio e viraram torcedores na cativa. Não tem idéia do que estão fazendo, com quem estão lidando e do tamanho do reflexo que isso terá amanhã.

Concorrência desleal. Quase um complô.

Te dou um transporte ruim, um jogo a noite, sem segurança no caminho, um time fraco, um campeonato pouco interessante e que se arrasta por 8 meses, e cobro de ti mais do que cobraria por 1 mes de futebol na sua tv todos os dias, ao vivo, em hd.

Qual sentido dessa merda?

Que a tv pague 100 milhões por ano a um clube e queira resultado, entendo. Que o resultado seja menos gente apaixonada, mais garotinhos achando que futebol é torcer pra um time na tv e estádios vazios sem ambiente pra um grande jogo, não.

Porque transmitir o clássico Fla x Bota pro Rio? Porque Gremio x Corinthians pra São Paulo?

Dá ibope. Eu sei. Mas… é isso? É um Fifa Soccer sem controle?

É pra ver ou participar? Pergunta pra 100 torcedores apaixonados se eles são assim porque assistem ou porque se sentem parte daquilo.

E aí, talvez, tenhamos a resposta do porque está dando errado.

abs,
RicaPerrone