Arquivo da categoria: Ramiro

Opinião: as 10 melhores contratações no Brasil para 2019

Leia o post original por Perrone

O ranking leva em conta as contratações confirmadas oficialmente pelos clubes até as 8h deste sábado (19). Confira abaixo.

1 – De Arrascaeta – Flamengo

O reforço da Gávea é o que existia de melhor no mercado para quem buscava um organizador. Com seis assistências no último Brasileirão, ele ficou atrás apenas de Dudu (11) e Ricardo Oliveira (7) nesse quesito de acordo com o site Footstats. Dono de dribles certeiros e belos gols, deverá dar outra pegada para o Flamengo. Com 24 anos, ainda tem potencial de revenda para fazer com que o clube recupere o alto investimento feito nele.

2 – Gabriel Barbosa – Flamengo

O fato de ter sido artilheiro do Brasileirão de 2018 com 18 gols justifica a posição de Gabigol na lista. A contratação só não é melhor porque foi por empréstimo.

3 – Pablo – São Paulo

Com 26 anos, ex-atacante do Athlético-PR era a melhor alternativa depois de Gabigol em termos de goleadores. Ele marcou 12 gols no Brasileirão, um a menos em relação a Ricardo Oliveira e a mesma marca de Diego Souza. Por ser mais jovem do que a dupla de veteranos, é uma escolha mais interessante na opinião deste blogueiro.

4 – Hernanes – São Paulo

A contratação do volante merece destaque não só pela técnica e poder de liderança do jogador, mas também por sua afinidade com o clube. Em outra equipe, sem a mesma facilidade de adaptação, talvez as chances de sucesso não fossem tão grandes.

5 – Ricardo Goulart – Palmeiras

Apesar de estar se recuperando de lesão, o reforço palmeirense ostenta bons números na China. Versátil, ele dá boas alternativas para Felipão, como jogar dentro e fora da área. O entrosamento dele com o treinador torna a negociação melhor ainda.

6 – Zé Rafael – Palmeiras

O meia chamou a atenção de vários dos principais clubes brasileiros pela boa temporada que fez vestindo a camisa do Bahia. O fato de ter ido para um time já bem estruturado, montado, deve facilitar a  adaptação e ajudar em seu desenvolvimento.

7 – Ramiro – Corinthians

Versátil, já que pode jogar como volante, meia e ponta, e com boa qualidade nos passes, o ex-gremista se encaixa perfeitamente no estilo de jogo de Fábio Carille.

8 – Arthur Cabral – Palmeiras

Destaque do Ceará no ano passado, é excelente aposta para quem está disposto a lapidar um jovem atacante. Será útil no esquema de rodízio de jogadores a ser armado por Felipão e ao mesmo tempo terá a chance de evoluir atuando ao lado de companheiros técnicos.

9 – Felipe Vizeu – Grêmio

Boa aposta para o ataque. Só não é melhor por se tratar de empréstimo. Ou seja, é uma solução temporária.

10 – Réver – Atlético-MG

Capitão na conquista do título da Libertadores de 2013, pelo Galo, ainda é capaz de dar segurança à zaga. Boa opção quando a procura é por um zagueiro experiente.

Muita fumaça pra pouco fogo?

Leia o post original por Craque Neto

Foi só terminar o Campeonato Brasileiro para começarem as especulações de mercado no Corinthians. O que mais se ouviu foram nomes de jogadores brasileiros renomados por aqui e no exterior. O primeiro a falarem, por exemplo, foi o centroavante Diego Tardelli, artilheiro no futebol chinês. Aliás, de lá também surgiu a ideia de que o clube repatriaria o zagueiro Gil, destaque no título do Brasileirão de 2015. Trazer de volta Rodriguinho também foi cogitado. Isso sem contar os cruzeirenses Thiago Neves e Sassá, que até agora dizem estar em pauta. Mas a verdade é que até agora a diretoria do […]

O post Muita fumaça pra pouco fogo? apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Sempre foi o soldado

Leia o post original por Rica Perrone

O Grêmio é um especialista em batalhas. Dos Aflitos, das centenas do Olímpico, de Lanus, de Tóquio, de tantas e tantas outras pela América do Sul.  Na maioria, vencedor. Em outras raras oportunidades um bom perdedor. Nas recentes batalhas da guerra já vencida o Grêmio teve que desconstruir o poder das armas pouco a pouco…

Grêmio não comprou títulos. Os fez

Leia o post original por Rica Perrone

Talvez pro torcedor a fórmula simples seja um trabalho legal de revelar jogador, somado a um dinheiro em caixa, um treinador bom e pronto. Campeão!

Não, não é assim. Primeiro porque se fosse isso todos seriam campeões e não dá. Segundo porque 99% dos clubes são capazes de aplicar essa fórmula. E nem 1% deles tem sucesso. Então, talvez, não deva ser tão simples quanto imaginamos da sala da nossa casa em frente a tv.

O que o Grêmio fez de diferente?

Desde 2009 padronizou na base a forma de criar seus talentos. Só que somado aos jogadores que ele mesmo criou, iniciou um belo trabalho de buscar jogadores ainda da base de times menores e traze-los para terminar a base no clube e subir com a mentalidade profissional que o clube quer.

Em 2015 Felipão subiu alguns garotos e efetivou outros. Mas não se acertou e acabou saindo. Então veio Roger e o Grêmio campeão de tudo sem comprar ninguém começou a surgir.

O time ganhou um toque de bola absurdamente superior a maioria. Não entregava a bola de graça, era calmo e muito bem organizado. Mas lhe faltava algo mais. E foi com Renato Gaucho que os resultados do bom trabalho do clube vieram a público.

Saiba: Muito clube faz tudo direito e ninguém sabe porque não é campeão. E mais clubes ainda fazem tudo errado e parecem geniais porque a bola entrou.

O Grêmio do Renato ganhou a Copa do Brasil sendo o time do Roger só que com vontade de fazer gols.

Em 2017 o Cortez ganhou a vaga do Marcelo, o Wallace foi vendido e o Douglas se machucou. Renato fez algumas mudanças simples e uma que resolveu o maior dos problemas.

Como seria sem Douglas? O Grêmio viu entre os titulares a solução e Luan deu 5 passos para trás e não apenas resolveu como melhorou o setor.  Barrios chegava com a 9, e a dupla de zaga cada vez mais difícil de furar. Maicon começa a ter problemas de contusão, e surge Arthur.

Pedro Rocha deslancha. O Grêmio é compato e funciona de todas as formas. Do contra-ataque a posse de bola, o time está redondo e continua dando a falsa impressão que se perder uma peça desmonta. Mas não desmonta.

O Grêmio termina 2017 campeão da Libertadores com a perda do fundamental Pedro Rocha. E o gol da final, inclusive, é do seu substituto.

Vem 2018, perde-se Barrios, Fernandinho e Edilson. Entram Madson (Leo Moura), Everton e Cicero (Jael). Segue o baile, Grêmio campeão gaúcho apos quase uma década.

O que esses quadros querem dizer?

  • Não há contratação de peso.
  • As peças foram mudando e em raríssimos momentos o time mudou a forma de jogar
  • Um time que em 1 ano não contrata “ninguém”, perde 8 jogadores titulares e se mantem ganhando e crescendo deve estar fazendo algo que os outros não estão.
  • A base Grohe, Geromel, Luan foi mantida. São os 3 pilares do time. O Arthur embora fundamental, já foi substituido e viu o Grêmio jogar antes dele. Sua saída será como a do Wallace.  Maicon e Jailson continuarão fazendo funcionar.
  • 3 treinadores tiveram papel importante no processo. Os 3 são ídolos do clube. Talvez não seja coincidencia.
  • André acaba de chegar para tirar Cícero do seu papel improvisado. O time de 2018 tem 6 jogadores do título de 2016 e ainda assim mantém padrão.

O trabalho do Grêmio é muito bom, pouco valorizado pela mídia que segue idolatrando compradores eufóricos que vivem entre a euforia da chegada e a crise da explicação do resultado abaixo do investimento.

Futebol na América do Sul não se faz comprando. Quantos Grêmios serão necessários para que os 12 entendam isso?

Enquanto os outros não entendem, o Grêmio deita, rola e, como no estadual, até “finge de morto”.

abs,
RicaPerrone

Grêmio em águas calmas na Libertadores

Leia o post original por Antero Greco

Houve um momento em que se temeu o risco de o Grêmio não seguir em frente na Libertadores. Temor despertado por derrota na estreia (contra o Toluca) e mais dois empates em quatro jogos.

A nuvem foi espantada na rodada passada, com vitória por 3 a 2 sobre a LDU, fora de casa. E, para fechar bem a fase de grupos, 1 a 0 sobre o Toluca, na noite desta terça-feira, em Porto Alegre. Com 11 pontos, a equipe de Roger Machado avançou com firmeza e confiança para as oitavas de final. Junto com Corinthians e Galo forma o trio brasileiro que continua na corrida pelo título. O São Paulo decide a sorte nesta quinta-feira, contra The Strongest, em La Paz.

O jogo na arena tricolor foi rotina, mera formalidade, já que os dois entrarem em campo classificados. Os mexicanos, com 13 pontos, se deram o luxo de atuar com time reserva. O técnico Cardoso considerou mais conveniente poupar titulares para desafios complicados no campeonato deles. O Grêmio deu refresco para algumas peças importantes no segundo tempo.

A partida foi morna, sem sobressaltos, com o Grêmio a manter o controle do começo ao fim. Fez o gol da vantagem com Ramiro e nem se incomodou em forçar o ritmo. Do lado de lá, o Toluca queria que o mundo acabasse em barranco e sequer testou os reflexos de Marcelo Grohe.

Não foi exatamente jogo de compadre, porque não havia combinação de resultados que pudesse prejudicar outros concorrentes (LDU e San Lorenzo já estavam fora).  Mas prevaleceu espírito relaxado, desarmado, cada qual a pensar nos próximos desafios. O Grêmio, por exemplo, volta à ativa em menos de 48 horas – na quinta-feira, tem o Juventude pelo Campeonato Gaúcho. Por isso, cumpriu o ritual que dele se esperava e vida que segue.

Importante, para o torcedor, foi a classificação. E, junto com ela, a certeza de que o time tem nível para topar com qualquer rival a partir das etapas de mata-mata. O Imortal está vivíssimo na busca da América.

 

Agora, a realidade é o Brasileirão

Leia o post original por Pedro Ernesto

Lucas Uebel/Divulgação Grêmio

Lucas Uebel/Divulgação Grêmio

Passou a Copa do Mundo. Fora o vexame protagonizado pelo time brasileiro, todo o resto foi muito legal. Agora, a realidade é o Brasileirão. O Grêmio entra em campo às 19h30min e pega o Goiás. Giuliano vai para o jogo. É um reforço importante que a direção coloca para o treinador.

Pode fazer diferença. Mas existem outras alterações importantes. Saimon será lateral-esquerdo, uma tentativa de ter melhor proteção defensiva. Edinho sai do time. Riveros e Ramiro serão os volantes. E tem a volta de Luan, que significa mais capacidade para o time.

Desfalques
Alex e Aránguiz não deverão jogar contra o Corinthians. Além disto, o volante Welington está suspenso. Jorge Henrique deve aparecer contra o seu ex-time. O outro deve ser João Afonso. Cai muito a qualidade do time. Por isso, imagino que um empate deve ser imaginado como bom resultado.

O Timão coloca em campo Elias, um reforço importante do time treinado por Mano Menezes. Os amistosos preparatórios do Inter, na inter-temporada, foram trágicos. Mas Abel Braga garante estar feliz por entender que eles nada tem a ver com a realidade.

Cruzeiro
Grêmio e Inter fizeram investimentos importantes para tentar o título do Brasileirão ou, ao menos, da Copa do Brasil.  Eu continuo achando que o Cruzeiro é quem tem mais condições de ganhar o título.

O time mineiro tem dois jogadores de igual qualidade para cada posição. Estava na Libertadores e jogava com reservas empilhando vitórias. Tanto que lidera o Brasileirão. O que pode trazer problema é a janela de transferências, que abre no final do mês.

Treinador
A CBF mandou em frente todo mundo. Foi o treinador, seu auxiliar, preparador físico, assessor de imprensa, médico e sei lá quem mais. Não poderia sobrar nada depois do maior vexame da história do futebol brasileiro.

Agora, Marin tem de buscar um treinador que irá formar uma comissão técnica. Dizem que ele está se aconselhando, ouvindo até jornalistas amigos. Tenho muita expectativa para saber quem será o escolhido. Felipão não deixou pedra sobre pedra. Tem muito trabalho pela frente. E o novo treinador precisa ser moderno e competente.