Arquivo da categoria: rebaixado

São Paulo correndo risco de rebaixamento. Isso é fato.

Leia o post original por Nilson Cesar

O São Paulo corre sério risco de ser rebaixado sim. Eu acredito que ainda se salve mas não por seus méritos, e sim por ineficiência dos seus adversários diretos. Desde 2009 o tricolor só vem participando das competições sem chances de conquistas de títulos. O clube é vencedor demais, mas está pagando por erros consecutivos de sua diretoria,. Acho que o susto deste ano pode ajudar o São Paulo . A direção do São Paulo primeiro precisa reconhecer o quanto errou e tomar muitas doses de humildade. A má gestão têm reflexo direto no desempenho dentro de campo. Precisa acordar o São Paulo F.C urgentemente e uma grande reformulação ser feita para 2017. Uma comissão técnica nova, jogadores novos e competitivos e retomar conquistas de títulos. Nos últimos anos o São Paulo vem sendo só partícipe das competições. Acorda tricolor!

São Paulo irá lutar para não ser rebaixado até as últimas rodadas.

Leia o post original por Nilson Cesar

O São Paulo lutará para não ser rebaixado até as últimas rodadas do campeonato brasileiro. Acredito que irá permanecer na série A, mas certamente passará por bons sustos. A direção cometeu uma série de erros consecutivos e o preço esse ano vem sendo bem caro. Precisa sim projetar algo bem diferente para as próximas temporadas e montar uma equipe competitiva que volte a brigar pelos títulos. O tricolor não está acostumado brigar só lá embaixo e isso deixa todos no Morumbi perdidos e nervosos. O reflexo ocorre dentro de campo e um pouco de humildade e mais trabalho não fará nada mal para ninguém lá pelos lados do Morumbi. Tem Santos e Fluminense pela frente nos dois próximos jogos, e ser derrotado nos dois, não será nenhuma surpresa. O torcedor este ano do São Paulo terá que torcer e rezar muitoooooooo!

Se o São Paulo for realmente rebaixado pelo STJD da CBF devido ao “Caso Maidana”, não será a primeira vez que o Tricolor frenquentará a “segundona”! Porque em 1990 ele caiu, palavra de Telê! Vejam as provas!

Leia o post original por Milton Neves

segundona

É, amigo são-paulino, as coisas andam feias pelos lados do Morumbi.

Mas, como vocês já devem ter ouvido por aí, elas ainda podem piorar.

Afinal, o imbróglio envolvendo a contratação do zagueiro Iago Maidana (clique aqui e saia mais sobre o caso) pode levar o Tricolor para a… SÉRIE B!!!

Claro, esta seria a punição mais dura.

As mais brandas renderiam ao clube uma advertência, uma multa ou o impedimento de contratar jogadores na janela de transferências.

Mas, caso o STJD resolva rebaixar o São Paulo, saibam vocês que não será a primeira vez que o clube do Morumbi frequentará a “segundona”.

Afinal, por mais que o são-paulino negue o fato, o Tricolor caiu, sim, no Paulistão de 1990.

Confira abaixo algumas provas:

1º – Telê Santana, o insuspeito, assume que chegou ao São Paulo com o time na segunda divisão do Paulista.

2º – Mais recentemente, Zetti, outra unanimidade entre os são-paulinos, também confirmou o descenso do Tricolor em 1990.

3º – Ingresso da partida entre São Paulo e Marília, pela Série B do Paulistão de 1991.

ingresso

4º – Manchete do caderno de esportes da Folha de S.Paulo do dia seguinte ao rebaixamento são-paulino.

segundona

E agora, torcedor são-paulino, chegou a hora de assumir a vergonha de ter caído no estadual?

O que os rivais acham da declaração de Telê e de Zetti?

Opine!

O Vasco

Leia o post original por RicaPerrone

Um centímetro.  Essa é a distância que ficou na minha cabeça durante os últimos 19 meses quando falava do Vasco.

Dinamite, Eurico, dívidas, elenco, vendas, compras, falta de água, patrocinador, grana presa na justiça.  Tudo me remete ao mísero centímetro que mudaria tudo isso em maio de 2012.

Futebol é cruel.  Mentiroso.  Quase canalha.

Ele nos faz acreditar que temos a receita do bolo e que todo bolo ruim foi culpa do confeiteiro.

Não tenho nenhuma dúvida sobre a incapacidade do Dinamite em gerenciar o Vasco.  Mas tenho todas as dúvidas sobre o que estaríamos discutindo hoje se ela fosse 1 centímetro pro lado.

O Vasco se reergueu sabe-se lá como.  Mas fez.

Por 1 centímetro não foi ao topo máximo de sua história. E então, não sabendo lidar com o erro, jogou tudo pro alto numa bola de neve que levou tudo, aumentando o problema mês a mês, sem trégua.

O Vasco foi rebaixado a condição de “morto” em maio de 2012, por 1 centímetro.

Ali, não fosse ele, o time da virada não teria nem o que virar, tão promissor seria seu cenário.  Quase lá.

Hoje aqui.

O meia que se machucou, o atacante que não joga, o garoto problema que não cria juizo, os goleiros que não acham a bola.  O maldito centímetro que faltou.

E hoje o possível campeão mundial de 2012 planeja 2014 pensando na série B.

O sentimento não parou há 5 anos.  Não vai parar agora.

Nem passa pela minha cabeça outro cenário que não seja de breve recuperação e títulos pro Vasco a médio prazo.  Seja com Eurico, Dinamite, opositores ou gente ainda pior.

Time grande até cai. Mas levanta.

Por quando cai, tem quem o segure de braços abertos.

abs,
RicaPerrone

Novo rebaixamento palmeirense serve de lição para técnicos que poupam jogadores no Brasileiro

Leia o post original por Perrone

Barcos não conseguiu salvar o Palmeiras

A queda do Palmeiras é fruto de uma combinação de ingredientes comuns na maioria dos desastres semelhantes, como contratações erradas, cabo-de-guerra entre técnico e jogadores, lesões, atletas fora de forma e guerra política.

Na indigesta receita alviverde, porém, há algo diferente e que serve de alerta para os principais clubes do país: a decisão de poupar jogadores no Brasileirão. A estratégia de priorizar a Copa do Brasil não foi fundamental, mas tem a sua parcela de culpa no calvário palestrino.

É inegável a falta que fizeram os dois pontos perdidos na estreia do Brasileirão diante da mesma Portuguesa que bateu a tampa do caixão alviverde. Na ocasião, Felipão se deu ao luxo de poupar Marcos Assunção e Valdivia, ausentes neste domingo no Rio, contra o Flamengo, por estarem lesionados.

O Palmeiras ainda respiraria se tivesse, por exemplo, vencido a Ponte Preta em Campinas, jogo em que descansou parte dos titulares para a final da Copa do Brasil e perdeu.

O fracasso alviverde é a constatação de que o Brasileiro de pontos corridos não aceita desaforo. Quem dá de ombros à competição no início precisa superar a depressão da eliminação na Libertadores ou na Copa do Brasil ao tentar voltar ao campeonato. E quem vence, normalmente, precisa curar a ressaca antes de recuperar o ritmo no Nacional.

Outros brincaram com fogo, como Fluminense, em 2009, e Corinthians, em 2012, mas quem se queimou foi o Palmeiras. O bi rebaixamento alviverde tem potencial para mudar a maneira de pensar de dirigentes e técnicos.

E o fato de Vágner Love, escorraçado a tapas e pontapés do Palestra Itália, ter sido um dos carrascos da nova queda palmeirense, também serve de lição para a minoria da torcida que afugenta jogadores com ameaças e agressões.