Arquivo da categoria: Rei

Será que Pelé também não sofreu (ou sofre?) com o racismo

Leia o post original por Mion

Copa do mundo no Brasil e Pelé  não recebe o destaque que o mundo lhe dá.

Copa do mundo no Brasil e Pelé não recebe o destaque que o mundo lhe dá.

Pelé é Rei. Venerado nos quatro cantos do mundo. Referência internacional quando se trata de Brasil. Conhecemos centenas de histórias vinculando situações complicadas onde Pelé por ter seu nome citado chegou a salvar vidas. O atleta do século (eleito pelos franceses) parou guerras, fez países declarem feriado para recebê-lo. Na década de 80 , pesquisa realizada por uma agência de publicidade americana ficou em terceiro lugar como o nome mais conhecido do mundo, atrás apenas de Jesus Cristo e Coca-Cola. Um negro conquistar tal respeito e honraria há meio século não é para qualquer um. Se hoje o mundo sofre com o racismo imagine nas décadas de 60 e 70? Talvez hoje sofra de outra discriminação: a falta de respeito e consideração aos idosos. Infelizmente assim como qualquer outro ser humano, o Rei envelheceu, passou dos 70 anos. Mais uma razão para o Brasil intensificar as homenagens ao maior do mundo de todos os tempos.

No Brasil, lamento afirmar, jamais Pelé recebeu tal consideração. Se fosse em outras nações até estátua em praça pública teria. Zico, Romário, Alex, e outros brasileiros têm no exterior. Não sei se o fato de Pelé ser negro e jogador de futebol (outra discriminação no passado) não recebeu o reconhecimento merecido. O futebol move bilhões de pessoas e de dólares, euros, reais etc…

Boa parte disso se deve a Pelé. O Brasil sedia uma Copa do Mundo e em poucos momentos sua imagem é vinculada ao maior evento do futebol no planeta. Vejo os meus colegas jornalistas esportivos debatendo cansativamente sobre quem será convocado. Um simples jogador como Fred ocupa espaços de debates intermináveis. A mídia poderia gastar um pouco mais de tempo para questionar a presença de Pelé como carro-chefe desta Copa. Inclusive colocar o Rei em suas chamadas durante a programação. Ainda dá tempo!

Hoje talvez não seja racismo, mas o domínio de grupos financeiros comandados por CBF e FIFA, que botam goela abaixo Ronaldo, Bebeto e Cafu, entretanto o início de tudo pode sim ter como raiz principal o fato de Pelé ser um negro brilhante e genial, mas “apenas ” um negro. E muitos brancos o invejam, são medíocres o suficiente para ignorar e reverenciar alguém iluminado e dotado do poder de estar acima de todos os brancos quando se trata de futebol.

Kleber Gladiador causa racha entre torcida e diretoria no Palmeiras; Luxemburgo está por um fio no Grêmio; e Pelé critica duramente o pupilo Neymar: “Se preocupa mais com o cabelo”!!!

Leia o post original por miltonneves

A corneta real soou novamente.

Recuperando-se de uma cirurgia na perna direita, Pelé voltou à tona em entrevista exclusiva ao jornal Estado de S. Paulo.

Em sua casa, o Rei falou sobre o momento de Neymar.

E o discurso confiando que o craque da Vila poderia permanecer no futebol brasileiro começou a mudar.

“Ele é um jogador sem experiência internacional. É um excelente jogador, mas sem experiência lá fora. Em todos os jogos fora do País ele não vai bem”, ponderou o Rei.

Aliás, o eterno camisa 10 do Santos se mostrou insatisfeito com a vaidade excessiva do jovem jogador.

“Ele já se preocupa mais em aparecer na mídia do que em jogar para o time. O Neymar tem muita responsabilidade. E sua preocupação é mudar o estilo, mudar o corte de cabelo”, alfinetou Pelé.

E quem também não está em grande fase é o ótimo Vanderlei Luxemburgo.

Na corda bamba e sem êxito no “projeto”, o técnico pode ser eliminado esta noite da Copa Libertadores.

Se o Grêmio perder do Fluminense, no Engenhão, estará virtualmente fora dos planos.

E por falar no Imortal, que situação chata esta do Kleber.

Rejeitado pela torcida do Palmeiras, o atacante ficou com “filme queimado” em todos os clubes do país.

Mas o Brunoro já avisou que a contratação do polêmico centroavante ainda não está descartada.

Será que a diretoria alviverde vai se opor à torcida?

E na sua opinião, Pelé tem razão sobre Neymar?

Opine!

Cada época teve o seu ‘Rei Pelé’

Leia o post original por Mion

Pelé é único e singular. Messi o seu herdeiro atual.

É perda de tempo querer comparar Pelé com qualquer outro jogador. Para começar o Rei fazia jogadas geniais quando não existia nada igual. Pelé foi único, singular, mas depois com certeza alguns jogadores ocuparam o seu lugar. Nos últimos dias Lionel Messi encantou mais uma vez o mundo. Conseguiu a marca de maior artilheiro do Barcelona de todos os tempos ao completar 234 gols. A partir do feito novamente voltou a comparação com Pelé e até hipóteses de que poderá superar o Rei. Messi é hoje o Pelé de sua época.

Também não vejo maiores desafios em apontar outros herdeiros do Rei, sempre respeitando a época. Depois de Pelé, vieram Cruijff (anos 70), Maradona (80), Zidane (90) e nos anos 2000, Lionel Messi. Poderia citar também Zico e Platini, mas brilharam na mesma época de Maradona, o argentino ganhou uma Copa e eles não.

Se somar os talentos e virtudes de todos o resultado final é igual a … Pelé. Por isso não há discussão. Nos anos 70, Cruyjff maravilhou o mundo comprovando que o craque também é participativo. Articulava jogadas, fazia gols e com brilhantismo técnico liderava a “Laranja Mecânica”.

Maradona deslumbrou o mundo pelo talento, velocidade e força. Já o francês Zidane encantou por jogar um futebol refinado e inteligente. Finalmente Messi, em parte lembra Maradona: velocidade, dribles desconcertantes e jogadas criativas.

Sem modismo ou marketing esses foram os maiores craques geniais do futebol mundial. O restante é papo para gerar discussão e fomentar o choque de opiniões. O meu avô dizia, não adianta “reinar” tem que engolir: são dois argentinos para um brasileiro. Resta rezar por Neymar para igualar.

Ronaldinho nunca foi Rei, porém ele acha que sim

Leia o post original por Mion

Ronaldinho e Ana Maria Braga. Uma jogada para melhorar a imagem desgastada.

O que Ronaldinho foi fazer no programa da Ana Maria Braga? Aprender a cozinhar? Ou apelou para o coração mole dos brasileiros e tentar reconstruir a imagem já desgastada. Uma jogada competente de marketing pessoal, mas pouco resolve para quem acompanha o futebol, nem mesmo para o torcedor passional do Flamengo. Principalmente o flamenguista, porque sabe muito bem que R-10 pouco fez pelo Mengão, nada mais de que outros jogadores de médio porte.

Na entrevista chegou a falar algo que só ele pensa: “um dia você é rei e no outro não é nada”. As últimas gerações de jogadores brasileiros têm esta concepção errada. Pensam que em algum dia foram reis. São frutos do forte marketing europeu, usufruíram da marca “jogador brasileiro” hoje já desgastada exatamente porque Ronaldinho, Ronaldo, Adriano e Robinho “viajaram” nessa história de reis intocáveis, craques supremos. Dos quatro, apenas Ronaldo vai sobreviver porque fez dois gols na decisão da Copa de 2002 e tem carisma enigmático, dominador.

Ronaldinho veio para o Flamengo com o intuito de vender muitos produtos e levar o clube aos títulos. Não conseguiu porque não tem o carisma que pensava ter e também não joga tudo o que pensa que joga. Aos 31 anos, nem a idade pode ser desculpa, e também não tem as cirurgias nos joelhos de Ronaldo que seguraram as cobranças nos últimos anos de carreira.

Aqui no Brasil o mundo é real e no passado R-10 foi um jogador diferenciado, mas nada próximo de Messi, Zico, Zidane, Maradona e outros gênios da bola. E nem vou falar de Pelé, porque ele sim já nasceu Rei.

Um drible de classe do Rei

Leia o post original por Mion

Pelé deu um drible de classe em Romário, mas precisa ter uma posição mais contundente contra a CBF.

Pelé é questionado por muitas de suas declarações. Algumas vezes cria algumas celeumas sem solução, mas neste embate desnecessário com Romário deu um drible de Rei, muita classe e deixou o baixinho no chão.

Enquanto Romário fez declarações fortes, até agressivas, Pelé respondeu às críticas com muita categoria afirmando que foi eleito Rei e não precisa ser político para entender de determinados assuntos relacionados ao futebol.

O pecado de Pelé é manter uma política neutra com relação a Ricardo Teixeira. Afirmar que não sabe de nada, é muito cômodo. Neste ponto Romário é quem tem sido Rei. Mete bronca e fala muitas verdades.

O mundo sabe das falcatruas da FIFA, CBF e Teixeira. E Pelé limita a sua participação em dizer que ouve muita fofoca, mas não sabe de nada. Pega muito mal para o maior ídolo do futebol mundial.

O resumo de toda esta controvérsia: ninguém ganhou nada. Tanto Pelé quanto Romário estão desgastados. Menos mal a atitude de Pelé usar da nobreza e evitar um bate boca de rua, bem plebeu. Foi polido, “pedindo nas entrelinhas” para Romário amenizar e segurar mais nas declarações. O episódio foi péssimo para Pelé… para Romário e principalmente para o Brasil.

É só uma homenagem ao Rei

Leia o post original por Mion

Aqueles com mais de 50 anos vão matar saudades de Pelé e os com menos terão a oportunidade de vê-lo em campo

Não falta assunto no futebol brasileiro, mas alguns insistem em dar corda ao fato do Santos projetar Pelé entre os inscritos para o Mundial de Clubes. O Santos terá 23 inscritos, destes uns 5 vão a passeio mesmo porque são terceira opção. Pelé iria apenas como convidado, uma homenagem aos 70 anos do Rei.

Além do retorno de mídia, Pelé poderia colaborar com a sua experiência e dar confiança ao time santista. É evidente que se entrar em campo será por dois ou três minutos e dependendo das circunstâncias. Se o jogo estiver empatado ou a vitória de um dos dois por um gol de diferença, Muricy não irá se preocupar com homenagem. É decisão!

Agora se o Barcelona estiver ganhando por 3 a 0 ou mesmo o Santos ( hipótese remotíssima), Pelé entrar em campo aos 44 minutos do segundo tempo não mudará em nada o resultado final do Mundial. É bom lembrar que antes terá que vencer o outro adversário na fase de classificação à final.

Não há o que discutir: Pelé em campo no Mundial, nem que seja por segundos representará um plano de mídia bem legal para o Santos e para o próprio Pelé. O mundo inteiro estará ligado na decisão e milhões de jovens que nunca viram Pelé terão oportunidade única. A presença do Rei é tão marcante, que mesmo no caso de conquista do título pelo Barcelona, o Santos vai dividir espaço da mídia, tudo por causa de Pelé.