Arquivo da categoria: Reinaldo Rueda

O Flamengo foi largado por um ‘ZÉ’ RUEDA! Humilhação?

Leia o post original por Craque Neto

Quando o Flamengo acertou a contratação do tal de Rueda fui o primeiro a vir em público dizer que estavam exagerando. Era muita moral para um profissional bem ‘mais ou menos’. Com exceção feita a baita campanha realizada com o Atlético Nacional pela Libertadores de 2016, o colombiano de 60 anos tinha uma carreira só mediana. Nem de longe com currículo suficiente para dirigir um clube da grandeza do Mengão. Bastaram algumas rodadas do Brasileirão para notar que o gringo não iria dar certo. Quieto ele aparentemente se adaptou mal ao futebol do nosso País. Não demonstrava vibração. Ali era questão […]

O post O Flamengo foi largado por um ‘ZÉ’ RUEDA! Humilhação? apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Rueda pisa na bola com o Fla

Leia o post original por Antero Greco

Direto ao assunto, como zagueiro antigo ia nas canelas do centrovante: não gostei da forma como Reinaldo Rueda deixou o Flamengo. Com a ressalva, repito: é direito dele, como qualquer cidadão livre, trabalhar onde bem entender.

E que bom que tenha mercado; muita gente padece com desemprego.

Só poderia ter escolhido outra estratégia para ir cantar em outra freguesia, no caso a seleção do Chile. Faz pelo menos duas semanas que imprensa de Santiago (e de Bogotá) trazia informações sobre as conversas entre dirigentes locais e o técnico colombiano. A perspectiva de ruptura crescia à medida que o tempo passava.

E Rueda em silêncio, mesmo com tentativas – segundo afirmam cartolas rubro-negros – de contato para esclarecer a situação. Nada de nada. Ele ficou num mutismo só, enquanto oficialmente curtia as férias do futebol brasileiro.

Como bola cantada, deixou a Colômbia na noite de domingo para supostamente se apresentar ao Fla nesta segunda-feira. Foi o que fez, mas para dizer adeus. Ok, pode-se alegar que, por um lado, agiu corretamente, porque veio pessoalmente se desligar. Perfeito.

Por outro, há a mancada: se estava propenso a aceitar a oferta de novo emprego, por que não antecipou a volta para liberar-se a si e ao Flamengo? Sei lá, podia ter feito isso cinco, seis dias atrás, logo após as festas de fim de ano.

Ah, mas ainda não estava certo… Ora, pelo andar da carruagem o papo com os chilenos sempre evoluiu; em nenhum momento empacou. Sendo assim, teria sido elegante Rueda deixar bem clara a tendência à ruptura.

O Flamengo também vacilou. Assim que espoucaram as notícias sobre o interesse chileno, deveria ter pressionado o treinador, sem chance para enrolação. Era encostar na parede e cobrar: vai ou fica? Com isso, ganharia tempo para buscar substituto. O Fla comeu mosca.

Vá lá, anunciou Paulo Cesar Carpeggiani agora à noite. Nome conhecido no clube e disponível. Mas teria sido a alternativa principal, se estivesse evidente que perderia Rueda? Tenho cá minhas dúvidas. Assim como prefiro ser cauteloso no prognóstico sobre o desenvolvimento do projeto com o novo técnico.

No mais, está claro que o futebol doméstico virou trampolim para os gringos se ajeitarem com “coisa melhor”. Vêm para cá, fazem uma firulinha e logo se mandam…

Flamengo sem tempo para perder

Leia o post original por Antero Greco

Tomara que nas próximas horas termine o mistério em torno do futuro de Reinaldo Rueda. O treinador colombiano neste momento (final de domingo) está no voo que o trará ao Rio na manhã da segunda-feira. E, assim que desembarcar, vai reunir-se com a direção do Fla e informar se fica para a temporada 2018 ou se baterá asas e se mandará para o Chile.

Não se discute o direito de Rueda, como cidadão livre e profissional autônomo, decidir o que pretende na vida e na carreira. Ele vai para onde lhe convier. Se permanecer no Fla, ótimo; assim cumprirá contrato que tem em vigor. Se optar pela seleção chilena, sem problema também, desde que respeite os termos do acordo com o clube carioca.

O que não pode se estender é a dúvida que paira desde a primeira quinzena de dezembro, quando se intensificaram as especulações em torno da mudança de ares. Os chilenos não escondem desejo de tê-lo num processo de recuperação da seleção local. Antes, fizeram muito barulho e todo dia deixaram vazar na imprensa novidades sobre as negociações.

Rueda é que se manteve calado – e isso desencadeou boatos e incerteza. Ok, ele estava de férias e, portanto, sem obrigação de manifestar-se. Mas, diante do zumzunzum internacional, também não custava nada mandar um comunicado oficial para o Flamengo ou colocar um filminho ou texto qualquer em mídias sociais.

Na base do “Olha, gente, nada disso é verdade e logo estarei de volta ao Rio.” Ou: “Recebi propostas e estou estudando se valem a pena ou não. Assim que houver novidades, falarei.” Simples e direto. Hoje em dia as mídias sociais são usadas para banalidades e para uma ou outra informação mais séria. Seria o caso…

Mas o que interessa mesmo é o Flamengo. Não pode passar desta segunda-feira a definição sobre Rueda. Se ele for embora, imediatamente é preciso buscar alternativa. Na verdade, se fosse dirigente rubro-negro, eu teria pressionado o técnico para que se pronunciasse logo. E, se enrolasse, sondaria o mercado na mesma hora. Teria plano B na manga.

O Fla não pode ficar à mercê de treinador, ou de jogador, ou de quem quer que seja. Ele está acima de tudo isso. E, é bom lembrar, há desafios importantes em 2018, sem tempo a perder. Planejamento, elenco, programação, tudo passa pelo crivo de uma Comissão Técnica. Se Rueda pegar o boné, o Fla já larga em desvantagem em relação aos concorrentes.

Argentinos festejam em nossa casa

Leia o post original por Antero Greco

Os argentinos sabem jogar bola; isso é óbvio, antigo e escancarado. O Independiente, por exemplo, não tem sete Libertadores por obra do acaso, mas por mérito. Abriu vantagem de 2 a 1 no primeiro duelo da final da Sul-Americana e jogava por empate com o Fla no Maracanã. Ou seja, entrou em campo com uma mão na taça, saiu com as duas. Ponto.

Mas dava para o Fla, sem presunção nem desprezo pelos adversários. Havia equilíbrio nessa disputa, como se viu na semana passada em Avellaneda. No mínimo dava para a prorrogação. Durante boa parte do jogo, essa sensação prevaleceu, pela forma como o time brasileiro se comportou: com marcação boa, sem ser sufocante, com jogadas rápidas e com o gol de Lucas Paquetá. E como jogou esse moço!

Dava, ainda, quando tomou um abalo com o empate, que veio em pênalti cobrado por Barco, jovem revelação do “hermanos”. Pênalti que ainda agora me deixa em dúvida, embora tenha revisto algumas vezes. Só abalou minha convicção declaração do próprio Cuellar, que participou do lance. Depois do jogo, ele disse: “Não sei se foi pênalti ou não.” Isso em linguagem boleira costuma ser admissão de culpa…

Enfim, mesmo com o 1 a 1 era possível o Fla virar o quadro. Na pior da hipóteses, fazer outro gol e empurrar para os 30 minutos adicionais. Começou bem o segundo tempo, a todo vapor, com pressão intensa, sem deixar o Independiente sair da sua parte do campo.

Até que Reinaldo Rueda quis ser atrevido de vez, ao colocar Vinicius Júnior no lugar de Trauco e depois Everton Ribeiro na vaga de Cuellar. Uma forma de mandar o Fla para a frente, no abafa, na raça, na empolgação. A equipe até tentou, mas se desconjuntou.

Desmontou a partir do momento em que Everton recuou para compor o sistema defensivo. Levou baile pelo lado dele. Além disso, Vinicius Júnior e Paquetá correram, mas sem serem municiados por bolas boas. Nesse quesito não funcionaram Everton Ribeiro nem Diego. (A propósito, em sem caça às bruxas: Diego sucumbiu na etapa final.)

Bom, o que parecia blitz para cima do Independiente se revelou apenas uma bagunça. O Flamengo perdeu o rumo, o controle do jogo. Aquele pedido do Rueda para que o torcedor tivesse paciência foi negado por ele mesmo, com as modificações que pretendiam tornar o time mais perigoso e que, na prática, o deixou vulnerável.

O Independiente percebeu, saiu para os contragolpes, esteve perto do segundo gol (Juan tirou em cima da linha), apostou no passar do tempo e no nervosismo do rival. Deu certo. O relógio correu, Wilmar Roldán deu só 3 de acréscimos, Réver ainda mandou para o céu o último lance de perigo e… os argentinos fizeram a festa no Maracanã.

Os gringos se deram bem em nossa casa. Acontece, é da vida. Duas semanas atrás, o Grêmio havia dado a volta olímpica no campo do Lanús. Agora, não cabe procurar culpados, e sim planejar 2018 vitorioso.

Será que ainda dá para Mengão do ‘Zé’ Rueda???

Leia o post original por Craque Neto

Tenho visto atentamente a campanha do Flamengo nesta temporada e com exceção feita a campanha da Copa Sul-Americana, onde é finalista, o restante de 2017 o time só passou vergonha. E olha que investiu em contratações milionárias, como Conca, Diego e Everton Ribeiro. Agora acho que o grande defeito do clube está sentado no banco de reservas. Apesar de ter sido campeão da Libertadores com o Atlético Nacional no ano passado, não consigo ver muito carisma nesse treinador Reinaldo ‘Zé’ Rueda. Sinceramente. Pra falar a verdade acho que os comandantes gringos tem dificuldades para trabalhar por aqui. A história mostra […]

O post Será que ainda dá para Mengão do ‘Zé’ Rueda??? apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Mengão perdeu a chance do título no Maracanã?

Leia o post original por Craque Neto

Quase 70 mil torcedores estiveram presentes no Maracanã para acompanhar o primeiro jogo das finais da Copa do Brasil entre Flamengo e Cruzeiro. De um lado como mandante o time rubro-negro dono de três títulos do torneio. Do outro os mineiros com quatro taças. Reinaldo Rueda colocou no campo o que tinha de melhor, mas o desfalque do centroavante Guerrero, suspenso, seria sentido. Assim como os meias Everton Ribeiro e Geuvânio que não foram inscritos a tempo. O primeiro tempo foi bem meia-boca e de um futebol que não honrou a importância do jogo. Na etapa final o Flamengo saiu […]

O post Mengão perdeu a chance do título no Maracanã? apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Borja precisa se sentir importante, diz Marcos Assunção

Leia o post original por Craque Neto

Ex-volante e ídolo do Verdão, Marcos Assunção concorda com a declaração do técnico do Flamengo, Reinado Rueda, que diz que o atacante Miguel Borja precisa de afetividade para poder render.

O post Borja precisa se sentir importante, diz Marcos Assunção apareceu primeiro em Craque Neto 10.

O tal de ‘Zé’ Rueda vai dar certo no Flamengo?

Leia o post original por Craque Neto

Apenas detalhes separam o colombiano Reinaldo Rueda de um acordo para ser o novo técnico do Flamengo. Ele substituiria o recém-demitido Zé Ricardo. Muita gente que não é envolvida no futebol deve estar se perguntando: quem é esse ‘Zé Rueda’ pra assumir o clube com uma das maiores torcidas do País? Trata-se do comandante do último campeão da Libertadores: o Atlético Nacional. É um cara experiente e que tem passagens por Seleções como Colômbia e Equador. Esteve inclusive no Mundial do Brasil em 2014 com os equatorianos. Agora, sinceramente, será que o nome do Rueda empolga o torcedor rubro-negro? Olha, […]

O post O tal de ‘Zé’ Rueda vai dar certo no Flamengo? apareceu primeiro em Craque Neto 10.

Carille ganha força no Corinthians após contratação de Rueda não dar certo

Leia o post original por Perrone

Com o colombiano Reinaldo Rueda, do Atlético Nacional, fora dos planos, ganhou força na direção do Corinthians a ideia de começar o ano com Fábio Carille como treinador e ver se ele se firma no cargo. O nome do auxiliar técnico foi discutido pela cúpula do clube nesta quarta e avaliado como uma boa opção diante da dificuldade dos cartolas em encontrar um substituto para Oswaldo de Oliveira.

Mas Marcelo Oliveira, procurado pelo alvinegro antes mesmo do desfecho negativo com Rueda, é outra opção.

Carille, porém, é visto como uma solução mais barata e simples, pois não seria necessário negociar com ele. Os dirigentes corintianos têm pressa para definir quem comandará o time.

Outros pontos a favor do auxiliar são o fato de ele conhecer bem o elenco e os jogadores das categorias de base. A ideia em 2017 é dar mais espaço aos jovens a fim de reduzir custos com contratações.

O auxiliar já era apontado por parte da diretoria e conselheiros como merecedor de uma chance logo que Tite trocou o Corinthians pela seleção brasileira, mas foi preterido por Cristóvão e Oswaldo.

 

Lobby por técnico estrangeiro no São Paulo enfrenta rejeição de Leco

Leia o post original por Perrone

Parte dos diretores e conselheiros do São Paulo faz lobby pela contratação de um treinador estrangeiro. A ideia, porém, enfrenta um enorme obstáculo: a rejeição de Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, presidente do clube.

Reunião do Conselho Deliberativo tricolor nesta terça serviu para medir o desejo dos cartolas. Em conversas fora da discussão formal do encontro, Reinaldo Rueda, atual campeão da Libertadores pelo Atlético Nacional, da Colômbia, e Facundo Sava, do Racing, da Argentina, despontaram como preferidos. Além disso, dois diretores disseram ao blog preferirem um estrangeiro.

Leco não estava presente por não ter se sentido bem antes da reunião, mas membros da direção afirmam que o presidente deseja um brasileiro para substituir Edgardo Bauza. Isso por entender que um técnico do exterior precisaria de mais tempo de adaptação, o que poderia prejudicar o time no Brasileirão.

O presidente e Gustavo Vieira de Oliveira, executivo de futebol do São Paulo, tratam em sigilo a sucessão de Patón. Com pouco poder de influência, conselheiros do clube enxergam raras opções entre os brasileiros. Abel Braga é o mais comentado por eles. Depois aparece Fernando Diniz, do Oeste.