Arquivo da categoria: Renato Abreu

Cara a tapa – Renato Abreu

Leia o post original por Rica Perrone

Entrevistado: Renato Abreu
Que Renato?
  O ex-jogador de Flamengo, Santos…
Apresentação:  Rica Perrone
Inscreva-se aqui:

Lá vem o Santos, subindo a ladeira!

Leia o post original por Kako Ferreira

Acorda, joga, dorme, treina, joga…
Pentatlo moderno?
Que nada, é a maratona futebolística do Peixe!

Haja fôlego pra tanto jogo, ao menos até aqui o saldo é bastante positivo. Depois de conquistarmos boas vitórias contra Goiás e Inter, a bola da vez é o Flamengo na casa deles. Tarefa dura, principalmente pra quem vem quase sem descanso do sul.

Virtualmente temos alguns problemas no que diz respeito aos desfalques, eles existem mas não encaro como empecilho para superarmos o Flamengo, temos peças à altura no elenco que certamente darão conta do recado. Só não podemos perder dois jogadores logo de cara no primeiro tempo, como foi contra o Inter, isso derruba qualquer estratégia, mas quando não falta disposição, empenho e goleiro (viva o Aranha) esses percalços são deixados pra trás.

Precisamos ficar atentos na quantidade de pendurado, principalmente jogadores considerados titulares e que fazem diferença: Aranha, Cícero e Thiago Ribeiro. O Durval também está, mas pra falar a verdade a gente até torce pra pintar um amarelinho, já que Gustavo Henrique está representando e bem.

Já começamos a enxergar a porta do G4, se continuarmos nessa toada, não será nenhum absurdo estarmos na zona de classificação pra Libertadores. Não podemos perder o foco, corrigir alguns erros recorrentes ainda é preciso, mas acredito nesse time, assim com nessa pegada, a mesma que começou o campeonato.

Não bastasse a pauleira de muito jogo com pouco descanso, a sequência não é nada fácil. Além de pegar o Flamengo no Maraca, pegamos pela frente dois clubes que estão nas cabeças: Botafogo e Grêmio. Como podem ver, não tá fácil pra ninguém, amigo.

Se você perdeu a vitória contra o Inter, fique com os melhores momentos da partida.

Que continue assim, que a bola entre, que os caras não parem de correr, nós de torcer e que o Aranha continue tendo oito braços para fechar o gol.

Pra cima deles, Santos!

Ah, que delícia de vitória! G4, aí vamos nós!

Leia o post original por Odir Cunha

Leandrinho fez careta depois de uma dividida, olhou para o banco e vislumbrou Renato Abreu, que já se preparava para entrar nos eu lugar. O jogo estava parado. A bola, a cerca de 40 metros do gol do Internacional, esperava pelo cobrador da falta. Renato Abreu, que se confessa santista desde criança, entrou em campo não com o número 10, mas com o número 20 às costas. Entrou e foi direto para a bola.

Grandes cobradores têm a mania de acariciar a bola com as mãos, como se esculpissem um delicado vaso de argila. Mas Renato nem tocou na menina. Tomou distância e – pimba! -, na sua primeira intervenção mandou a gorduchinha para o fundo do gol do time gaúcho, que contava com a vitória sobre o Santos para se aproximar do G4. Agora, se vencer o seu jogo atrasado, o Santos passa a quinto colocado, atrás apenas de Cruzeiro, Botafogo, Grêmio e Atlético/PR.

Mas ontem parecia que os deuses do futebol estavam bronqueados com o Santos. Antes de entrar em campo, Durval e Gabriel foram vetados. Com a bola rolando, Alan Santos (músculo da perna) e Giva (pulso esquerdo) também acabaram substituídos. Mesmo assim, o Alvinegro Praiano tocou melhor no primeiro tempo e mereceu terminar a etapa com a vantagem de 1 a 0, gol de Thiago Ribeiro aos 27 minutos, completando uma cabeçada de Cícero após um escanteio.

No segundo período, quando o Inter mais pressionava – mas sempre acabava caindo na teia do nosso Aranha negra -, surgiu o gol de falta de Renato Abreu que elevou a vantagem para 2 a 0 e desnorteou o colorado. No desespero, o time do técnico Dunga só chegaria ao seu gol aos 30 minutos, por meio de uma bola na mão que o árbitro Marcelo de Lima Henrique resolveu transformar em pênalti.

O gol solitário fez o time do Sul se atirar ao ataque em busca do empate, mas o Santos se defendeu bem. Aranha jogou demais; o garoto Gustavo Henrique, como sempre, substituiu Durval com vantagem; Alison e Alan Santos foram os leões de sempre e Thiago Ribeiro se destacou no ataque. É até injusto, porém, destacar um ou outro em uma vitória significativa como esta. Ganhar do Inter fora de casa é façanha de time que pode sonhar alto nesse Brasileiro. Esse jogo foi o chamado divisor de águas.

E vejamos que o Santos atuou com seis garotos vindos da base e sem seis jogadores que naturalmente seriam titulares, casos de Durval, Mena, Gabriel, Montillo e Arouca. Ou seja, nosso bravo Claudinei Oliveira provou contra o time do Dunga que não fica nada a dever a muito técnico afamado.

Internacional 1 x 2 Santos, em Novo Hamburgo

Internacional: Alisson, Jackson (Alex), Alan, Juan e Fabrício; Ygor, Willians, Otávio (Rafael Moura) e D’Alessandro; Scocco (Caio) e Leandro Damião. Técnico: Dunga.

Santos: Aranha, Cicinho, Edu Dracena, Gustavo Henrique e Émerson Palmieri; Alison, Alan Santos (Renê Júnior), Cícero e Leandrinho (Renato Abreu); Giva (Éverton Costa) e Thiago Ribeiro. Técnico: Claudinei Oliveira.

Gols: Thiago Ribeiro, aos 27 minutos do primeiro tempo; Renato Abreu, cobrando falta, aos 21 minutos, e D’Alessandro, de pênalti, aos 30 minutos do segundo.

Árbitragem: Marcelo de Lima Henrique (RJ), auxiliado por Bruno Boschilla (PR) e Wagner de Almeida Santos (RJ). Cartões amarelos: Willians (Internacional); Cicinho, Alison e Edu Dracena (Santos). Cartão vermelho: Fabrício (Internacional).

Veja os melhores lances dessa grande vitória santista:

Confira os bastidores da viagem do Santos para enfrentar o Inter:

E pra você, qual o significado dessa vitória, fora de casa, sobre o Inter?