Arquivo da categoria: Roberto Natel

Casares recebe apoio de outro ex-integrante da oposição são-paulina

Leia o post original por Perrone

Homero Bellintani Filho, conselheiro do São Paulo  Foto: Arquivo pessoal

Júlio Casares, candidato à presidência do São Paulo pelo grupo que se define como coalizão entre diferentes correntes políticas, ganhou o apoio de mais um ex-pré-candidato a presidir o Conselho Deliberativo pela oposição.

Homero Bellintani Filho, o Homerinho, afirmou ao blog que decidiu apoiar Casares e o candidato dele pra o conselho, Olten Ayres de Abreu Júnior.

“Minha decisão não tem a ver com qualquer tipo de mágoa. O projeto do grupo do Júlio é bom, e eu não conheço ainda o projeto da oposição, que ainda não definiu candidato. O pessoal da coalizão do Júlio vai assimilar itens do meu plano para o conselho e projetos para a diretoria executiva, para ajudar a enfrentar essa imensa dívida que está sendo herdada. Vou apoiar o Júlio por esses motivos. E também, porque não tive respaldo na oposição”, declarou Homerinho.

Ele desistiu de participar da convenção oposicionista para definir o candidato à presidência do conselho depois de o filho  do ex-presidente do clube Marcelo Portugal Gouvêa anunciar sua pré-candidatura.

José Roberto Ópice Blum, outro pré-candidato da oposição ao posto no conselho, também retirou seu nome da prévia e passou a apoiar Casares após Marcelinho Portugal Gouvêa entrar no páreo. O filho do ex-presidente passou a ser o único candidato da oposição à presidência do conselho.

Homerinho diz  que devolve para Olten Júnior oito votos que afirma ter tirado dele e que levará pelo menos mais oito, de seus aliados, para o grupo de Casares. Os presidentes do conselho e do clube serão eleitos pelos conselheiros no final do ano. A oposição ainda fará uma convenção para escolher seu candidato entre Marco Aurélio Cunha, Roberto Natel e Sylvio de Barros.

Abaixo, leia na íntegra texto que Homerinho enviou a conselheiros para explicar a decisão de apoiar Casares

“Vão dizer que mudei de lado, porém, meu único lado sempre foi e sempre será o SPFC. Vão dizer que fui para a situação, mas o que é a oposição se não um mesclado de antigos situacionistas e opositores ? O que é a dita situação, se não a mesma coisa?  Interessante esta eleição, os que dirão ao contrário , realmente faltarão com a cristalina verdade! Sempre fui independente , embarco neste sonho de ver um futuro melhor para a instituição, de saber que as pessoas que me aguardam me ouviram e me respeitaram. Levo na minha bagagem inúmeros companheiros, não vou sozinho, vou com aqueles que estavam em meu barco, diversos independentes como eu,  para realizar este sonho de ver o SPFC novamente protagonista e vanguardista, devolvo os 8 votos que tinha da coalizão de Júlio Casares, na minha candidatura.  Vou consciente de que o plano de governo é muito bom e que serão assimilados itens de meu plano, para o conselho e nossos projetos que serão incorporados, para ajudar nossas cores a enfrentar a imensa divida que será herdada! Levo comigo a vontade de muito trabalho, o mesmo trabalho de mais de 55 anos,  de muita luta, o mesmo trabalho que os grandes mestres do passado me ensinaram e que incorporei no meu dia a dia! Uma vida de amor dedicada ao SPFC! 

Minha decisão nada tem a ver com mágoas ou qualquer tipo de outra coisa, para os que dirão ao contrário, não dimensionaram ainda que eu tinha a eleição ganha e desdenharam, minha dignidade é maior que qualquer candidatura, nunca tive vaidades pelo poder efêmero. Minha decisão simplesmente se deve à minha crença e fé em minha bandeira, que ajudei a hastear com 6 anos de idade, ao plantar o Ipê no terreno do Morumbi. Hoje estou plantando outro e que nunca me falte entusiasmo para continuar cumprir o que estabeleci como meta e abracei como missão de vida. Salve sempre e eternamente  o SPFC !”

 

Saiba o que os postulantes à presidência do SPFC pensam para o futebol

Leia o post original por Perrone

O blog ouviu o candidato à presidência do São Paulo, Júlio Casares, que tem o apoio da situação, e os três pré-candidatos da oposição, Marco Aurélio Cunha, Roberto Natel e Sylvio de Barros, sobre o que eles pensam para o futebol do clube. Veja abaixo o que disse cada um.

Júlio Casares

“Vamos mudar a dinâmica do futebol. Vamos ter um diretor executivo que venha do mercado, porém, ele não vai ter um salário astronômico, a não ser na composição de fixo e variável, meritocracia. Na nossa gestão, o diretor vai poder ganhar (quantia em) três dígitos, só que ele vai ter que ter um plano de metas para chegar em três dígitos. Ele não pode ganhar três dígitos no conforto e só ficar chateado quando contrata errado, quando perde. A composição da remuneração vai ter legado esportivo, que é conquista, performance, e legado financeiro. Legado financeiro entra, primeiro, quando você promove jogador com sucesso da base. Quando você vende bem, foi um produto que o futebol cultivou, ele (executivo) também vai ter um percentual, é a consultoria que está nos ajudando que vai definir quanto. Quando ele compra bem, também ele vai ter um handicap bom na avaliação da remuneração variável. Então, em primeiro lugar o legado esportivo, mas também vai ter o legado financeiro. No frigir dos ovos, ele trouxe um jogador em final de carreira, mas ele trouxe um campeonato, ele já cumpriu um item importante do seu variável. Se ele revelar, comprar bem, vender bem, ele vai ganhar mais. Eu vou ficar feliz se o cara ganhar três dígitos porque o São Paulo vai ficar feliz. O executivo ficar contrariado quando o time perde não basta pra gente.  A cada 90 dias vamos avaliar as metas. Se ele estiver abaixo da meta, vamos acender o sinal amarelo, falar: ‘você tem que correr atrás’, mas, claro, vamos fechar a avaliação em um ano. Essa é a primeira ação estrutural. Outra ação estrutural eu chamo de hierarquização das contratações. Hoje, como as pessoas contratam? Hoje, às vezes, o diretor quer, vai para o avaliador de desempenho… Então, nós vamos ter uma hierarquização. Primeiro, quem tem que apresentar a necessidade de contratação é o técnico. Vou montar o CAF (Comitê Avançado de Futebol), com a figura de um ex-jogador ou ex-técnico, figura de um especialista financeiro, uma pessoa com visão médica, clínica e fisiológica. Quando isso vem para para o CAF, e eu vou participar como presidente, a gente pergunta: ‘esse jogador que você quer vem para compor elenco ou para ser titular?’ Se ele falar que é pra compor elenco, nós vamos fazer uma avaliação prioritária da base. A base tem que ter um jogador pronto para compor elenco. Porque, se não estiver pronto para compor elenco, a base tem que ser questionada. Se você contrata um jogador para compor elenco e ele não dá certo, você gasta e pode inibir o aparecimento de alguém bom da base. Esse comitê vai avaliar a vida pregressa do jogador que o técnico quer, se ele é ‘chinelinho’ ou não, como ele jogou, qual o estado de saúde dele, qual a idade, porque a idade vai determinar o tempo de contrato. Então, se não acharmos na base o jogador que o técnico quer para compor elenco, vamos procurar no mercado dentro de uma responsabilidade financeira. Então, como vamos compor isso com responsabilidade financeira? Vamos ter jogadores cascudos, jogadores da base e também algumas estrelas. O que não pode é contratar cinco ou seis jogadores numa faixa muito alta de salário. Mas você pode ter dois e mais um com salário intermediário. Depois você mescla com um time competitivo e que tenha a base também”.

Marco Aurélio Cunha

“O presidente não pode só sentar na cadeira, contratar jogadores que agradam a torcida e achar que está tudo bem. Se fizer isso, nós vamos continuar gastando e não ganhando de ninguém. Temos que pensar na estrutura do time. Não é só contratar o ídolo. O time precisa dos carregadores de piano também. Na nossa história, fomos campeões com participações importantes de jogadores que carregavam o piano, como Pintado, Ronaldão, Lugano… E isso passa pelo executivo de futebol, que precisa ter essa visão de estrutura de time, de equilíbrio”.

Roberto Natel

“Acho que o próximo presidente, a primeira coisa, ele vai ter que focar na dívida. E usar a base, vai ter que mesclar mesmo. Ter dois ou três jogadores para dar confiança para os garotos, é por aí. Acho que não tem muito como fugir disso. Nenhum dos candidatos pode dizer que tem uma mágica. A mágica é ter coerência, refletir bem, porque o problema do São Paulo é a grande dívida que vai ficar, e usar, sim Cotia, a equipe de base, e ir mesclando com alguns jogadores que não sejam aquela fábula de dinheiro que hoje o São Paulo gasta com salários. Você trazer um Daniel Alves para fazer aquela parte psicológica que traz para os garotos uma confiança muito grande, aí tudo bem. Agora, você trazer vários, é o que acontece com o São Paulo hoje. O São Paulo está com uma dívida muito grande por falta de um planejamento.

Sylvio de Barros

“Minha filosofia não é do futebol, é do São Paulo Futebol Clube. Você tem um problema, por má gestão, por tudo o que aconteceu, tem um problema de déficit financeiro muito alto. Então, temos que achar uma fórmula para contornar esse problema e, de uma forma ou de outra colocar o clube em ordem. Na nossa opinião, primeiro temos que fazer uma comunicação, conversar diretamente com nossos credores, saber o que é possível fazer, saber de que forma podemos ordenar nossas necessidades. Ter uma conversa coma a torcida, ter uma conversa com os jogadores. Dessas conversas, vai sair um plano que seja viável para o clube e para todos que o rodeiam. Os artistas têm que ser ouvidos. A torcida tem que ser ouvida. Então, é uma forma de você achar o caminho. A ideia é criar um grupo grande de apoio para que, juntos, a gente possa reorganizar o São Paulo

Sem acordo, oposição do SPFC terá convenção para definir candidato

Leia o post original por Perrone

Com José Eduardo Martins, do UOL em São Paulo

Reunião presencial da oposição do São Paulo nesta quinta (11), na sede da Fiesp, definiu que haverá uma convenção para escolher o candidato do grupo à presidência do clube na eleição em dezembro.

Não houve acordo para que um dos pretendentes fosse ungido como candidato. Assim, Marco Aurélio Cunha, Roberto Natel e Sylvio de Barros se enfrentarão na convenção.

“Os três entendem que devem ser candidatos, e as vontades das pessoas precisam ser respeitadas. Estamos unidos, por isso faremos a convenção”, disse Natel.

A votação deverá ser entre os conselheiros dos grupos que formam a oposição. Segundo Natel, reunião para acertar os detalhes acontecerá no  próximo dia 22.

Já há um candidato em campanha, Júlio Casares, que tem o apoio do presidente do clube, Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco.

 

Em reunião, vice do São Paulo se compromete a quebrar sigilo de e-mail

Leia o post original por Perrone

Em reunião do Conselho de Administração do São Paulo, na última sexta-feira (31), Roberto Natel, vice-presidente do clube, se comprometeu a autorizar a quebra de sigilo de seu e-mail. O objetivo é esclarecer a suspeita de participação do dirigente em episódio de vazamento de documento da instituição.

Como mostrou o blog, o São Paulo registrou em cartório uma operação para tentar descobrir quem vazava informações para Edward Lorenz, nome usado por suposto hacker que chantageou dirigentes tricolores. Natel nega ter repassado documentos do clube.

No encontro de sexta, Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, presidente do São Paulo, fez uma explanação sobre a operação.

O cartola disse que a diretoria não acusou o vice. Sustentou que foi feita uma procuração para defender os interesses da agremiação, sem promover perseguição política. Afirmou também que era necessário registrar os procedimentos em cartório.

Por sua vez, o vice se queixou de ter sido exposto publicamente. Também argumentou que pode ter sido hackeado. Afirmando ter o interesse de esclarecer a situação, firmou o compromisso de colaborar para a abertura dos dados referentes à sua movimentação por e-mail.

A suspeita foi gerada porque nove dirigentes receberam do departamento financeiro do clube documento referente ao orçamento para 2020. Porém, cada cópia tinha uma peculiaridade. Versão com a mesma “marca” da enviada para o vice-presidente acabou sendo usada pelo suposto hacker.

Procurado pelo blog, Natel afirmou que não poderia falar sobre o que foi discutido na seção do Conselho de Administração.

 

Leco marca reunião de órgão para discutir vazamentos e ouvir vice

Leia o post original por Perrone

Com José Eduardo Martins. do UOL, em São Paulo

O presidente do São Paulo, Carlos Augusto de Barros e Silva, marcou para o próximo dia 31 reunião do Conselho de Administração tricolor para discutir caso de vazamentos de documentos do clube.

Nesta quarta (22), Leco enviou carta para o vice-presidente Roberto Natel na qual comunicou a realização do encontro.

Como mostrou o blog, o São Paulo registrou em cartório uma operação que fez para tentar descobrir o responsável por vazar documentos para um suposto hacker que chantageava dirigentes e conselheiros. O resultado deixou Natel, desafeto de Leco, sob suspeita de municiar Edward Lorenz, que se apresenta como hacker. O vice nega ter repassado arquivos do clube.

O blog apurou que a intenção do presidente é ouvir explicações de Natel para o fato de uma cópia igual à enviada a ele ter sido encaminhada ao departamento jurídico do clube por Lorenz. Como parte da “pegadinha” preparada pelo São Paulo, no documento a palavra “prêmios” aparecia sem acento na versão enviada ao vice. Outros oito cartolas receberam o mesmo relatório orçamentário com diferentes alterações que permitiam suas identificações.

O Conselho de Administração foi escolhido para debater o tema porque todos os seus membros receberam os arquivos modificados como armadilha. Leco e Natel fazem parte do órgão.

“Estou tranquilo porque estou com a verdade. Se eles quiserem que eu dê algum esclarecimento não tem problema. Pelo contrário, acho que temos mesmo que esclarecer o assunto. Temos que ir em cima do hacker”, disse Natel ao blog.

Ele havia enviado requerimento solicitando documentação referente à apuração feita pelo São Paulo. A resposta do presidente foi enviada em mensagem que termina com a comunicação sobre a reunião específica para discutir o caso.

“Venho registrar que os procedimentos efetuados pelo São Paulo relativos, ao caso Eduardo Lorenz, visaram tão somente a apuração dos fatos, por sua gravidade, sem qualquer conclusão ou alusão sobre a autoria ou suspeição de quem quer que seja”, diz Leco em trecho da carta encaminhada ao vice.

O presidente também informa que a constatação de que o documento vazado era igual ao enviado ao vice foi registrada em cartório em 5 de dezembro. Ele disse que o clube não deu publicidade ao fato, mas que terceiros souberam do procedimento por que as atas registradas em cartório são públicas (o blog teve acesso a elas). “Não nos solidarizamos, e, especialmente, não nos responsabilizamos pelas notícias veiculadas” completa o dirigente no documento.

Conforme apuração do blog, os próximos passos de Leco sobre o assunto dependem do que Natel falar na reunião. O presidente são-paulino deve explicar todo o procedimento aos integrantes do Conselho de Administração antes de o vice ter a palavra.

Suposto hacker reaparece e desdenha de “armadilha” do São Paulo

Leia o post original por Perrone

Com José Eduardo Martins, do UOL, em São Paulo

Após o blog revelar as nove pegadinhas que a diretoria do São Paulo fez e registrou em cartório para tentar identificar a origem de vazamentos, Edward Lorenz, suposto hacker, reapareceu.

E-mail em nome do autor de chantagens contra cartolas tricolores foi enviado para a advogada do clube Érica Duarte Pinto Alves, entre outros destinatários.

O conteúdo desdenha da “armadilha” e defende o vice-presidente são-paulino Roberto Natel, também copiado no e-mail. A operação preparada pelo clube deixou o dirigente sob suspeita de vazar arquivo para Lorenz.

Natel nega o vazamento e  manter relacionamento com o suposto hacker. Desafeto de Leco, presidente do São Paulo, ele desconfia de perseguição política.

Também como mostrou o blog, em atas notariais registradas em cartório, os responsáveis pela estratégia alegam que Lorenz mostrou estar de posse da mesma cópia de documento enviada para Natel.

Em seu novo e-mail, Lorenz diz que o vice-presidente é inocente e que teve sua honra manchada. Ele também afirma ter recebido as oito versões do mesmo documento enviadas para outros destinatários. Ou seja, não haveria prova de que Natel é o responsável pelo vazamento.

Abaixo, leia a mensagem enviada pelo suposto hacker. Entre os endereços copiados estava um antigo e-mail do blog que não chegou a receber o texto diretamente de Lorenz.

“PREZADA ÉRICA,

O QUE VOCÊ AJUDOU A FAZER COM O SEU VICE FOI DE UMA COVARDIA NUNCA ANTES VISTA POR ESTE AQUI QUE LHE DIGITA…
AJUDAR A MANCHAR A HONRA DE UM HOMEM DE BEM, TRABALHADOR, FOI A COISA MAIS ABSURDA QUE JÁ VI ALGUÉM FAZER E OLHA QUE DIZEM QUE EU SOU O TAL “VILÃO”…

VOU ESPERAR AS COISAS ACONTECEREM, PARA EU ME POSICIONAR.

A IDEIA ORIGINAL: MANDAR UM DOCUMENTO COM PEGADINHAS, SE VIER À TONA, IDENTIFICAR ESSES ERROS E ACHAR O CÚMPLICE DO HACKER.
REALIDADE: MANDARAM O MESMO DOCUMENTO, PARA TODOS E COM ERROS DIFERENTES….
RESULTADO: O HACKER TEM TODOS OS DOCUMENTOS | CULPARAM UM INOCENTE | SPFC COM RISCO DE SER PROCESSADO | ADVOGADA DEMITIDA.

ESSA FOI A PIOR ESTRATÉGIA QUE EU JÁ VI NA MINHA VIDA…

E SE EU TE PROVAR QUE TENHO TODOS ESSES DOCUMENTOS?
A SUA ESTRATÉGIA, CAIRÁ POR TERRA…
ESTRATÉGIA SUICIDA.

NUMA TACADA SÓ VOCÊ:

1) DESTRUIU A IMAGEM PÚBLICA DO SEU VICE-PRESIDENTE.

2) COLOCOU A INSTITUIÇÃO SPFC EM RISCO DE RECEBER UM PROCESSO POR DANOS MORAIS, QUE PROVAVELMENTE SERÁ MOVIDO PELO SR. NATEL.

3) COLOCOU O SEU CARGO EM RISCO…
VOCÊ AJUDOU A MANCHAR A IMAGEM DO SEU VICE-PRESIDENTE, DE GRAÇA, SEM CERTEZA DO ENVOLVIMENTO DELE E DE OUTROS…

QUANDO EU LI, OUVI, ASSISTI AS PESSOAS FALANDO SOBRE ISSO E ATÉ O PRÓPRIO NATEL, SE DEFENDENDO EM ENTREVISTAS, ISSO ME REVOLTOU…

COMO PODEM PUNIREM PUBLICAMENTE UM DOS SEUS?????
ISSO FOI UM ATO COVARDE DEMAIS…

SOBRE OS CONTRATOS QUE TENHO, SERÃO EXPOSTOS….
FINALIZANDO E RESUMINDO:

VOCÊ COLOCOU O SPFC EM RISCO E O SEU CARGO TAMBÉM…
SE EU ESTIVER CORRETO….

EM MENOS DE 15 (QUINZE) DIAS VOCÊ SERÁ DEMITIDA, NÃO SÓ VOCÊ, MAS TAMBÉM TODOS OS ENVOLVIDOS NESSA ESTRATÉGIA SUICIDA.
ABS

EDWARD LORENZ”

 

 

Conheça as nove ‘pegadinhas’ que o SPFC fez contra vazamentos

Leia o post original por Perrone

Com José Eduardo Martins, do UOL, em São Paulo

Para tentar identificar responsáveis por vazamentos de informações no clube, como mostrou o  blog, o São Paulo preparou uma armadilha. Foi adulterado o documento intitulado “Versão Final Orçamento 2020”. Nove cartolas receberam o arquivo enviado por Sérgio Augusto Fonseca Pimenta, executivo do departamento financeiro.  Cada mensagem tinha uma “pegadinha”. Tudo foi registrado em cartório. O discurso interno é de que os destinatários tinham motivos para receber as mensagens por conta de suas funções. Abaixo conheça as nove armadilhas e quem recebeu cada uma.

1 – Roberto Natel, vice-presidente

O trecho “Prêmios Camp. Paulista” foi escrito sem acento (premios).  O mesmo erro apareceu em e-mail que a advogada do São Paulo, Érica Duarte Pinto Alves, apresentou para representante do cartório como tendo sido enviado a ela pelo suposto hacker, Edward Lorenz. Ele chantageou dirigentes ameaçando tornar públicos documentos internos. Os erros iguais deixaram o vice sob suspeita de vazar o documento. Ele nega o vazamento.

2 – Rodrigo Gaspar, diretor executivo administrativo

A palavra “estádio” foi escrita sem acento.

3 – Elias Barquete Albarello, diretor executivo financeiro

O item Jogos/Federações foi acompanhado de ponto final (Jogos/Federaçōes.), diferentemente dos demais e-mails.

4 – Adilson Alves Martins, membro do Conselho de Administração

“Patrocínios” foi escrito sem acento.

5 – Júlio Casaresmembro do Conselho de Administração

O item “Prêmios Camp. Brasileiro” foi digitado sem acento em “prêmios”.

6 – Sílvio Médici, membro do Conselho de Administração

“Sócio” foi escrito sem acento.

7 –  Alexandre Pássaro, gerente executivo de futebol

A sigla “PDD”  foi acompanhada de ponto final (PDD.), diferentemente das outras mensagens.

8 – João Fernando Rossi, diretor executivo de marketing

No item Jogos/Federações/Patrocínios, a palavra “patrocínio” apareceu sem acento.

9 – José Eduardo Mesquita Pimenta, ex-presidente e membro do Conselho de Administração

A sigla “CET” (Companhia de Engenharia de Tráfego) não aparece em negrito, ao contrário do que ocorreu nas demais mensagens.

 

Chantagem no SPFC teve arquivo sigiloso, zoeira com hino e e-mail para Leco

Leia o post original por Perrone

Com José Eduardo Martins, do UOL, em São Paulo

Um chantagista debochado, ousado e municiado por documentos. Esse é o perfil de um suposto hacker revelado por documentos registrados em cartório pelo São Paulo para tentar identificar a origem de vazamentos de informações no clube.

Como mostrou o blog, armadilha preparada pela diretoria tricolor deixou o vice-presidente Roberto Natel sob suspeita de colaborar com Edward Lorenz. Esse é o nome usado pelo autor das tentativas de extorsão.

A ousadia do suposto hacker fez com que ele enviasse e-mails diretamente para o presidente são-paulino, Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco.

“Fiz download de outras documentações e só vou parar com isso quando receber a quantia solicitada. Sou persistente e muito insistente. Eu deixo um dia para decidirem, após isso, eu começo a divulgar os documentos para todos, inclusive para os conselheiros.  Que, pelo que li, muitos estão loucos para derrubar o Leco”. Esse é um trecho de e-mail que tem o presidente são-paulino entre os destinatários.

Nos textos endereçados a conselheiros e dirigentes, entre outros, Lorenz chega a debochar do hino do São Paulo e de música entoada pela torcida. É o que acontece na mensagem descrita a seguir:

“Oh, Tricolor, clube bem amado

As tuas glórias vêm do passado

E as corrupções também

Vai lá, vai lá, vai lá

Vai lá de coração

Vamo, São Paulo

Vamo, São Paulo

Vamo pagar meu milhão”.

Reprodução de mensagem enviada por suposto hacker para Leco, entre outros

Em outra correspondência eletrônica, Lorenz detalha seus métodos de extorsão.

“Faço coleta de informações ‘sigilosas’. Em seguida, faço primeiro contato apresentando todo conteúdo que tenho e tento desenvolver de forma tranquila, pacífica uma negociação. De forma sigilosa. Quando não tenho êxito, eu vou em busca de provas mais robustas, importantes graves, etc. E entro novamente em contato. Esse foi o motivo de retornar à essa negociação agora em 2019” escreveu o suposto hacker.

Uma série de documentos postados pelo  chantagista também faz parte do material registrado pelo departamento tricolor no 22° Tabelião de Notas de São Paulo.

As atas notariais obtidas pelo blog não mostram que Lorenz tenha documentos altamente comprometedores para dirigentes tricolores.

Porém, alguns dos papéis ferem regras de sigilo estipuladas pelo clube e seus parceiros.

É o que mostra ata notarial registrada em 10 de dezembro. Nela consta que Érica Duarte Pino Alves, advogada do São Paulo, solicitou, por questão de sigilo, que não fosse reproduzida na íntegra imagem de um contrato enviado por Lorenz ao departamento jurídico tricolor.

Trata-se de um comoronisso de cessão onerosa de uso de espaço entre a agremiação e a Phoenix Tower do Brasil.

O suposto hacker enviava esses arquivos com o objetivo de convencer a diretoria a pagar para que ele não tornasse a papelada pública.

Lorenz enviou uma série de relatórios financeiros internos, planilha de aluguel de camarotes e até cópia de trecho de negociação de direitos de transmissão de TV.

Numa das mensagens, com o título “fim”, o suposto hacker elogia os cartolas tricolores ao relatar sua experiência na “negociação”. Abaixo, leia a curiosa mensagem na íntegra.

“Olá todos os membros da diretoria e conselho do São Paulo Futebol Clube. Venho por meio deste e-mail expor como tem sido a minha experiência nesses três dias de negociação com vocês. Primeiramente gostaria de dizer que os senhores são profissionais excepcionais, pois buscam sempre a melhor solução até encontrar algo que possa ajudar a instituição SPFC. Buscam sempre o conhecimento e estão envolvidos em coisas muito importantes como ética, disciplina e administração do clube. Esses três dias têm sido muito importantes para a minha caminhada como profissional de tecnologia. Tenho aprendido muito e colocado em prática diversas coisas que agora estão se tornando mais claras”.

Vale lembrar que a diretoria do São Paulo nega ter dado dinheiro ou negociado com o chantagista assumido.

‘Armadilha’ do SPFC aponta vice como suspeito de vazar documentos

Leia o post original por Perrone

Com José Eduardo Martins, do UOL, em São Paulo

A diretoria do São Paulo registrou em cartório apuração que deixa o vice-presidente Roberto Natel sob suspeita de vazar informações para um suposto hacker que chantageava dirigentes e conselheiros. Natel nega ter vazado arquivos do clube.

O blog teve acesso às atas notariais que revelam uma operação digna de filme de investigação policial para tentar descobrir a origem de vazamentos de documentos da agremiação.

Nove pessoas, entre conselheiros e diretores, receberam do departamento financeiro, por e-mail, o documento “Versão Final Orçamento 2020”. Conforme apresentado para uma representante do 22° Tabelião de Notas de São Paulo, havia uma armadilha em cada e-mail. Erros de acentuação, diferenças de pontuação e outras particularidades personalizaram os relatórios.

Também diante da funcionária do cartório, representantes do clube compararam a cópia enviada pelo suposto hacker e constataram que a palavra prêmios (referentes ao Paulista) estava escrita sem acento. Esse erro foi cometido propositalmente na versão enviada para Natel.

 

Ao menos una das imagens registradas na ata notarial mostra o e-mail contaminado obtido pelo chantagista enviado para o presidente tricolor, Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco.

“Estou absolutamente tranquilo. Não repassei nenhum documento do São Paulo para ninguém. Tenho todo interesse que investiguem isso até o fim”, afirmou Natel ao blog.

O vice se tornou desafeto do presidente. “Se eu tiver que bater no Leco, bato na frente dele. Não preciso vazar algo e não assumir. Vejo mais alguém querendo fabricar algo para me expulsar do clube do que outra coisa”, declarou Natel.

Ele afirmou que deve ter recebido a cópia do documento usado como armadilha por e-mail, mas que provavelmente não abriu o arquivo.

O dirigente disse não descartar a possibilidade de ter sido hackeado. “Se o hacker pode entrar no computador dos outros para pegar documentos do São Paulo, por que não pode entrar no meu?”, afirmou.

Porém, conforme o blog apurou, a diretoria do São Paulo se baseia em um levantamento técnico para apontar que sua rede não foi invadida.
A operação
A partir daí, com a ajuda de especialistas na área, a direção elaborou a pegadinha para tentar identificar a natureza dos vazamentos e seus responsáveis.
Internamente, o discurso é de que a diretoria cumpriu seu dever de proteger a instituição, sem interesse político e perseguição.
Os passos para tentar elucidar o caso do suposto hacker, alvo também de inquérito policial, foram meticulosamente estudados.
Em 26 de novembro do ano passado, Érica Duarte Pinto Alves, advogada do São Paulo, requereu que Thays Silva dos Santos, escrevente do 22° Tabelião de Notas, fosse até a sede do clube.
No Morumbi, foram apresentados para a funcionária do cartório e-mails enviados para diretores do clube por Edward Lorenz, o suposto hacker. Até Leco estava entre os destinatários.
Nas mensagens, ele exibia documentos do clube e cobrava R$ 1 milhão para não vazar o material.
Em 3 de dezembro, a advogada do São Paulo foi ao cartório e pediu que a mesma funcionária acessasse perfil no Twitter associado ao suposto invasor digital.
As imagens registradas em ata notarial do dia 10 de dezembro mostram documentos internos do São Paulo.
A ideia aqui era reforçar que alguém usando o nome Edward Lorenz de fato o tinha arquivos do São Paulo.
Em 5 de dezembro, a escrevente foi chamada de novo ao Morumbi. Dessa vez para registrar a engenhosa pegadinha preparada pela diretoria tricolor.
A escrevente, então, verificou que Sérgio Augusto Fonseca Pimenta, executivo do departamento financeiro tricolor, havia enviado o e-mail com o título “Versão Final Orçamento 2020” para oito pessoas, além de Natel.
São conselheiros, diretores executivos e outros funcionários com atribuições que justificam o recebimento do relatório.
Na lista estão Júlio Casares, Rodrigo Gaspar,  Alexandre Pássaro, José Eduardo Mesquita Pimenta, Elias Albarello, Adilson Martins, João Fernando Rossi e Sílvio Médici.
Na ata notarial, a escrevente descreve a particularidade de cada e-mail. Ela cita que o endereço identificado pela advogada do clube como sendo o de Natel recebeu texto com a inscrição “Premios Camp. Paulista” sem acento em “prêmios”.
A escrevente relata que, a pedido da advogada do São Paulo, constatou que arquivos recebidos do suposto hacker tem a mesma particularidade do e-mail enviado para o endereço que, segundo ela, pertence a Natel.
A afirmação é sustentada por imagens registradas pela escrevente. Pelo menos uma delas aparece como sendo enviada para Leco pelo chantagista.
Até a publicação deste post, o departamento de comunicação do São Paulo não havia respondido a questionamentos do blog sobre o tema.

 

Por que Roberto Natel desistiu de ser candidato à presidência do São Paulo?

Leia o post original por Perrone

Depois de renunciar à vice-presidência do São Paulo para concorrer contra o atual presidente na eleição de abril, Roberto Natel desistiu da candidatura e é esperado de braços abertos na chapa de Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, de novo como vice-presidente.

Conforme apurou o blog, a decisão foi atribuída internamente pelo dirigente à ação de Alex Bourgeois, ex-funcionário do clube e homem de confiança de Abilio Diniz, sócio do São Paulo e desafeto de Leco.

Até a publicação deste post, Natel não havia se pronunciado oficialmente sobre a desistência. Porém, de acordo com relatos ouvidos pelo blog, o discurso interno é de que ele retirou sua candidatura por discordar de ver um torcedor do Flamengo (Bourgeois), que não é sócio são-paulino e aciona o clube na Justiça por suposta dívida, interferir no processo eleitoral e por avaliar que sua chapa seria usada pelo ex-funcionário da agremiação a fim de alcançar os objetivos de Abilio.

O empresário apoia José Eduardo Mesquita Pimenta na disputa. A campanha do ex-presidente fez a de Natel começar a murchar.

O ex-vice havia costurado o apoio de alguns líderes da oposição. Ele se apesentara como uma terceira via. Teria o voto de ex-aliados de Leco e de parte dos oposicionistas. Mas Pimenta, com a benção de Abilio e trabalho de Bourgeois, anunciou sua candidatura apesar de Fernando Casal de Rey, coordenador da oposição estar viajando naquele momento e não ter chancelado de imediato a candidatura.

Com Pimenta no páreo, Natel ficou sem poder explorar com esperava o apoio de algumas alas da oposição. Sua candidatura, em tese, então, só ajudaria a do ex-presidente, pois ele tiraria mais votos de Leco do que do escolhido por Abilio. Acabou recuando. O grupo de Leco dá como certo que ele será vice na chapa do presidente, mas Natel tem dito a pessoas próximas que ainda não aceitou o convite e estuda o que fazer.

Para a oposição a explicação para retirada é mais simples: Natel desistiu por causa do crescimento da candidatura de Pimenta. E sem o apoio da oposição ele não tem outra alternativa a não ser voltar a dar as mãos para Leco. A justificativa sobre a interferência de Bourgeois é vista como cortina de fumaça. O trabalho do escudeiro de Abilio estaria sendo superestimado. Pimenta é considerado por líderes oposicionistas o principal articulador de sua campanha, não o ex-CEO são-paulino, demitido por Carlos Miguel Aidar, recontratado por Leco e dispensado novamente pelo atual presidente.

Procurado pelo blog, Bourgeois disse: “não vou falar sobre isso. Não vou comentar porque não foi por minha causa que ele deixou a candidatura, né? Essa é a pauta que ele quer promover, mas isso não tem o menor sentido”.

Natel só deve se pronunciar oficialmente entre hoje e amanhã.